Romances com homens e mulheres -

Gianecchini diz que pessoas reprimidas se incomodam com sua sexualidade fluida

Não foi fácil para Reynaldo Gianecchini decidir falar publicamente sobre sua sexualidade. Mas em 2019, ele enfim declarou à imprensa ter vivido romances com homens e mulheres, refutando qualquer tipo de classificação.

Foto: REPRODUÇÃOREYNALDO-GIANECCHINI
REYNALDO-GIANECCHINI

Atualmente em cartaz em São Paulo com a peça "A Herança", em que faz par romântico com Bruno Fagundes, outro ator que sentiu por anos a pressão para sair do armário, o galã de novelas da Globo conta não ter certeza do que ocasionou a decisão de expor a vida privada.

Pensa ter tido, enfim, a maturidade necessária para falar sobre o tema. Durante boa parte da vida, diz não ter olhado com generosidade para os próprios desejos. Agora, indica uma sexualidade fluida e livre de amarras.

"A fluidez incomoda as pessoas, porque vivemos num país de pessoas muito reprimidas e, quando se é reprimido, a sexualidade alheia causa frisson. A liberdade do outro mexe com você", afirma. Não foi sem angústia, porém, que o ator encontrou a resolução de seu desejo.

Desde que trocou as passarelas pelos palcos, conviveu com as especulações da mídia sobre sua sexualidade, o que não já não o incomoda tanto como outrora.

"Li na imprensa mais fofocas mentirosas do que verdadeiras sobre a minha vida privada", ele conta. "Eu me incomodava muito, chegava a ter sensações físicas, sentia calafrios e um peso na nuca, como se algo estivesse me oprimindo."

Segundo Gianecchini, a liberdade é também regra para a vida profissional. Com o fim de seu contrato com a Globo em 2020, ele busca novos formatos e tipos de personagens.

"Passei 22 anos fazendo novelas, trabalhando o ano todo que nem um louco. Nunca me chamaram para fazer uma série. Quero possibilidades novas."
 

Fonte: FOLHAPRESS

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco