Dono da SAF do Botafogo -

John Textor critica decisão de auditor do STJD: “Fico consternado”

O sócio-majoritário da SAF do Botafogo, John Textor, fez uma declaração pública neste domingo (07/07) em resposta ao desfecho do inquérito conduzido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) sobre suas denúncias de manipulação no Campeonato Brasileiro. Textor, em comunicado em seu site oficial, questionou as razões por trás da recomendação de suspensão de seis anos feita pelo relator do caso, Mauro Marcelo de Lima e Silva.

Foto: Reprodução/TV Senado

"Sérias perguntas devem ser feitas sobre o Auditor do STJD, Sr. Mauro Marcelo de Lima e Silva, que parece estar agindo de acordo com a agenda de outra pessoa. Além das penalidades desproporcionais recentemente sugeridas em seu relatório, fico consternado pelo fato de que a minha procura, de boa-fé, pela elucidação de fatos e elementos de manipulações de partidas tenham motivado acusações graves contra mim", destacou Textor.

O inquérito, divulgado na última sexta-feira (05/07) pelo STJD, foi também marcado por um erro que expôs inadvertidamente os nomes dos jogadores de São Paulo e Fortaleza envolvidos na denúncia de Textor, mesmo que inicialmente ocultados. Essa exposição pode ser interpretada como quebra de sigilo, potencialmente afetando a integridade do processo.

"O Sr. Mauro Marcelo de Lima e Silva, cuja preferência pelo Palmeiras é conhecida através de suas fotos pessoais, comete agora a ação impensável de punir um presidente de clube simplesmente por ter solicitado, de maneira confidencial, uma investigação que tangencia o clube que o Sr. Mauro Marcelo parece apoiar", concluiu Textor em seu comunicado.

Fonte: Metrópoles

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco