Entretenimento

A família negou · 05/01/2019 - 10h07

Após rumores, família nega a morte de Marcelo Yuka, fundador da banda O Rappa

Marcelo está apenas que ele estava em estado grave


Compartilhar Tweet 1



Os seguidores da banda O Rappa tiveram uma notícia triste na tarde desta sexta-feira (04/01), isso porque Marcelo Yuka, um dos fundadores do grupo teria falecido. Além de contribuir com o inicio do grupo, o empresário também trabalhava como compositor e era responsável por várias músicas da banda como ‘Pescador de Ilusões’ e ‘Minha Alma (A Paz Que Eu Não Quero). As informações são da Áreavip.

Marcelo Yuka também se dedicava a outros projetos fora da música, ele era líder de uma ONG, foi ativista e palestrante. No ano de 2000 o empresário que na época era baterista viu sua vida mudar após sofrer um assalto e ficar paraplégico.

A notícia da morte foi divulgada por Marcelo Lobatto, produtor do grupo O Rappa, através das redes sociais: “Valeu Yuka! Obrigado por tudo! Sentiremos eternamente a sua falta”, escreveu ele em uma publicação.

Contudo, segundo o colunista Leo Dias em seu Instagram, a família negou a morte de Marcelo e disse apenas que ele estava em estado grave. De acordo com amigos próximos o empresário estaria sofrendo com uma infecção generalizada e o hospital não foi liberado pelos parentes de Yuka a comentar o quadro dele com a imprensa.

Conforme informado anteriormente, Marcelo Yuka ficou paraplégico em 2000 após sofrer um assalto. Anos mais tarde em 2009 novamente ele foi vítima de violência no Rio de Janeiro.

Na época Marcelo foi abordado no por dois homens armados no mesmo bairro, onde, além de morar também tinha um estúdio. Não acreditando que ele era paraplégico, os assaltantes o agrediram com socos e pontapés. Apesar de tudo Yuka declarou que não deixaria de morar e trabalhar na Tijuca e continuaria participando da organização não-governamental (ONG) Brigada Organizada de Cultura Ativista (Boca), voltada para a recuperação de detentos do cárcere da 52ª DP de Nova Iguaçu (Baixada Fluminense), porém batalhará por justiça.

Comentários