Compartilhar Tweet 1



A Prefeitura de Elesbão Veloso está com inscrições abertas para a realização de processo seletivo para contratação de temporária de 60 professores.

As inscrições estão sendo realizadas no site do Instituto Consulpam e seguem até o dia 16 de novembro. A taxa é no valor de R$ 24.

Confira aqui o edital.

O cargos são para professores de: ciências (1); professor de educação física (2); professor de educação infantil/anos iniciais – zona rural (15); professor de educação infantil anos iniciais – zona urbana (35); professor de história (2); professor de inglês (2); professor de matemática (2) e professor de português (1).

São 60 vagas temporárias para o cargo de professor, com carga semanal de 20h e salário no valor de R$ 1.100 mil. A prova está prevista para ser realizada no dia 19 de dezembro.

O prazo de validade do processo seletivo será de dois anos contados da data da homologação e poderá ser prorrogado uma única vez por igual período, desde que não vencido o primeiro prazo.

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Alline Soares é aluna da 3ª série do Ensino Médio na Unidade Escolar Presidente Vargas, localizada na cidade de Baixa Grande do Ribeiro. Ela e outros estudantes da região tiveram um reforço na aprendizagem com a realização das revisões Pré-Enem na cidade de Uruçuí, neste sábado (23/10).

“Nosso sonho é estudar, passar e ingressar no Ensino Superior e as revisões nos ajudam a tirar dúvidas nessa reta final e nos preparar melhor para o exame. Foram aulas muito boas e repletas de dicas valiosas para a hora da prova”, disse a estudante.

Uma das disciplinas revisadas nas aulas de hoje foi História, oportunidade em que a professora Keury Campelo deu dicas relacionadas às provas de humanas no Enem. “80% da prova de História é composta por conteúdos voltados à História do Brasil. Então, nessa reta final, é importante que o estudante foque nesse tema também. Outra dica é que o candidato precisa ler os textos das questões com muita atenção, observar as notas de rodapé e os autores citados, pois com certeza a resposta estará em meio ao texto”, explicou a professora.

Além de Uruçuí, os estudantes da cidade de Floriano também foram contemplados com as revisões de conteúdo do Pré-Enem.  As revisões são apresentadas pelos coordenadores do Pré-Enem, Wellington Soares e Viviane Carvalhedo. Nos encontros, os estudantes revisaram as disciplinas de Linguagens, com o professor Newton Neto; Química, com o professor José Carlos Feijão; Matemática, com José Osmar; Física, com Caio Breno; Redação, com Francisco Rufino; Biologia, com Tércio Câmara e Caio Frederico; e Ciências Humanas, com a professora Keury Campelo.

Segundo a diretora da Unidade de Educação com Mediação Tecnológica (Uemtec), Viviane Carvalhedo, as revisões presenciais estão sendo levadas aos municípios com público reduzido e marcando a reta final na preparação dos estudantes, a menos de um mês para a realização do Enem.

“O Pré-Enem Na Estrada percorre o Piauí levando o reforço de aulas para que os estudantes tenham o apoio pedagógico e emocional. As revisões nos municípios contam com número reduzido de alunos na forma presencial, seguindo todos os protocolos sanitários determinados pelo COE, e sendo transmitidas pelo Canal Educação. Esta é mais uma ação de mobilização para que o estudante piauiense tenha mais segurança no momento de fazer a prova do Enem 2021”, declarou Viviane Carvalhedo.

Além das revisões presenciais que percorrem os municípios, o modelo virtual de revisão é mantido pelo YouTube do Canal Educação, além da transmissão via TV Anatares e TV Meio Norte.


Fonte: UESPI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O secretário da Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos (Sasc), Zé Santana, entregou, nesta quinta-feira (21/10), mais de 150 certificados de conclusão dos cursos de Mecânico de Moto e Pedreiro de Alvenaria do Projeto Qualifica Piauí para os moradores das cidades de Ipiranga, Novo Oriente e Barra D’Alcântara.

Os cursos oferecidos pelo Projeto Qualifica Piauí da Sasc têm duração de 45 dias e disponibilizam todo o material de forma gratuita, com entrega de certificados ao final dos cursos. Os cursos acontecem em unidades móveis que viajam pelo Piauí. O veículo é adaptado para também atender pessoas com deficiência física.

Primeira parada do dia foi na cidade de Ipiranga do Piauí, onde Zé Santana realizou a entrega de uma casa construída pelos alunos do curso de pedreiro de alvenaria para o morador José. Foi realizada também, no auditório da Prefeitura, a solenidade de entrega dos 40 certificados aos concludentes do curso, que contou com a presença do prefeito de Ipiranga, Elvis Ramos; da vice-prefeita de Ipiranga, professora Iolanda Rego; da secretária da Assistência Social de Ipiranga, Iolita Ramos, do vereador de Ipiranga, João Batista, entre outras autoridades da cidade.

Representando os alunos, Graciela Santos agradeceu a oportunidade e destacou a importância do curso como uma importante ajuda para a qualificação profissional e geração de renda.

O secretário da Sasc, Zé Santana, destaca que o Qualifica Piauí ajuda muito na autoestima da população, além de trazer capacitação e uma renda extra ou uma nova profissão para aqueles que participam dos cursos. “Quando eu vejo um prédio erguido do chão, e bem feito, por alunos do nosso curso, eu fico muito satisfeito, pois sei que estamos no caminho certo, porque, além de estarmos sanando as necessidades de capacitação, estamos entregando à sociedade profissionais capacitados para atuarem no mercado de trabalho local”, disse o secretário.

Em seguida, Zé Santana e sua comitiva seguiram para a cidade de Novo Oriente onde foi realizada a inauguração do novo prédio do Conselho Tutelar, construído pelos alunos concludentes do curso de Pedreiro de Alvenaria de Novo Oriente. Após a inauguração foi realizada a entrega de 40 certificados no auditório da Câmara de Vereadores, com a presença do prefeito, Afonso Sobreira; da vereadora Jaquelyne Nunes, do secretário municipal de Assistência Social, José da Cruz, do gerente estadual do Enfrentamento ao Trabalho Infantil, Abuso e Exploração Sexual, Ananias Cruz, além dos conselheiros tutelares do município, alunos e demais autoridades.

Finalizando a rota de viagem, a equipe da Sasc participou da entrega de 72 certificados dos cursos de Mecânico de Moto e Pedreiro de Alvenaria do Programa Qualifica Piauí na cidade de Barra D’ Alcântara. A solenidade contou com a presença do prefeito do município, Mardônio Soares, do vice-prefeito, Miguel Estevão; da secretária de Assistência Social, Claudenir Brito; do presidente da Câmara, Mairon Martins; da chefe de gabinete, Vilma Silva; do secretário municipal de Saúde, Adonay Cavalcante, do ex-prefeito, Claudison Brito; dos vereadores de Barra D’ Alcântara, Vavá Estevão, Manim  Motorista, Gilvan da Otila e Adriana Forró Filhinha; e dos vereadores de Várzea Grande, Kali Verusca, Zezé do Pai Chicó e Eurides Galvão; e do assessor jurídico da Câmara, Diego Cunha.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

A edição do Conta Pra Gente da quarta-feira (27/10), será sobre Histórias em Quadrinhos e representatividade na infância, com a aluna do curso de Pedagogia, Campus Poeta Torquato Neto, Liziane Nery.

Ela desenvolveu uma pesquisa com o professor Robson Silva de tema: “Os sentidos e representações da concepção da infância: uma análise da história em Quadrinhos (HQ): “A infância do Brasil”,  do autor José Aguiar.

No trabalho, eles analisaram os quadrinhos de um modo geral e as narrativas que ele traduz. Segundo ela, se trata de uma análise a partir da semiótica, na qual foi pesquisado os símbolos, o que eles dizem e o impacto dos quadrinhos na construção social. “O projeto permitiu aprofundar seus conhecimentos e desenvolver um melhor senso crítico a partir do que foi analisado”, disse.

O trabalho desenvolvido no programa de Iniciação Científica da UESPI já foi finalizado e está disponível no Livro de Resumos do XIX SIC, no site da Editora da UESPI.

Assista a live:

 


Fonte: UESPI
Comentar

A 3º edição do projeto de extensão “Gênero  e Educação: uma releitura da literatura infantil” será sobre Literatura Infantil e a construção das relações de gênero, com o professor Diógenes Buenos Aires, do curso de Letras Português – campus Poeta Torquato Neto. O evento acontece dia 25 de outubro, de 18h30 às 20h30.

Palestra

Na palestra do professor Diógenes Buenos Aires será discutido sobre a literatura e o processo de formação social de leitores e leitoras no que tange às questões de gênero.” A literatura infantil e juvenil, como toda e qualquer literatura, traz no seu bojo um conjunto de horizontes de expectativas (literários, históricos, linguísticos, sociais, estéticos) que na leitura cruza com os horizontes dos/dos/as leitores/as, o que significa um diálogo que possibilita a emancipação do/a leitor/a à medida que esse texto literário propõe uma ampliação do conhecimento do mundo e suas constantes transformações”, explica.

Segundo o docente, os contos de fadas tradicionais apresentam uma visão limitada sobre a sociedade. “Contudo os contos de fadas contemporâneos trazem a mesma magia dos tradicionais e renovam o olhar da criança sobre a diversidade que constitui o mundo atual”, acrescenta sobre o debate que apresentará aos participantes.

Projeto

O objetivo do projeto é construir um espaço de reflexão a partir de estudos, da leitura e releitura de clássicos da literatura infantil. O encontro é destinado às/aos alunas/os do Curso de Pedagogia, áreas afins e professores/as da Ed. Básica, para se promover uma reelaboração a partir de um olhar não-sexista das relações de gênero.

Na programação da atividade extensionista já foi abordado temas como: Educação e gênero: aspectos teóricos, históricos, culturais da construção das relações de gênero; Educação e gênero: a construção das relações de gênero na escola”.

A proposta é desenvolvida através de palestras, estudos, leituras, releituras e reelaboração de clássicos infantis, que acontecem o por meio de oficinas on-line realizadas uma vez por mês, com duração de 4 horas, sendo 2h síncronas e 2h assíncronas. A duração da extensão é entre fevereiro de 2021 e janeiro de 2022 e tem carga horária de 120h.

Inscritos

A coordenação do evento informa que os inscritos receberão o acesso a transmissão da palestra por e-mail.

Confira a programação completa:

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO


Fonte: UESPI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Boa notícia para saúde do povo de Teresina e de regiões vizinhas! a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) vai realizar uma parceria com o Hospital Getúlio Vargas (HGV) para agilizar o atendimento dos pacientes com estomias intestinais.

Estima-se que no Piauí há cerca de 700 pacientes com estomias temporárias que precisam de atendimento com frequência. Para ajudar esse contingente da população local, a Especialização em Estomaterapia e a Residência em Coloproctologia da UESPI, em conjunto com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), Secretaria Estadual da Saúde e Hospital Universitário (HU) reuniram-se, nesta quinta-feira (21), com intuito de definir fluxos e mecanismos de referência e contrareferência dos pacientes.

Também participaram da reunião os médicos preceptores da residência da UESPI/HGV, o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Gilberto Albuquerque; o diretor Clínico do HGV, Aderivaldo Andrade; a gerente de Enfermagem do HGV, Nirvania Carvalho; o coordenador da residência em Coloproctologia, Miguel Arcoverde; além de representantes da Secretaria de estado da Saúde e Hospital Universitário e do Centro Integrado de Saude Lineu Araujo.

De acordo com a coordenadora da Especialização em Estomaterapia, Sandra Marina, a contribuição da UESPI será no recadastramento dos pacientes e no processo de reconstrução de trânsito com a equipe da residência em Coloproctologia.

“O custo desses pacientes é muito alto e eles deveriam ter esse fechamento de estomia no máximo em três meses, mas existem pessoas há anos esperando por isso. Agora, os coloproctologista do Lineu vão fazer a avaliação desses pacientes e encaminhar para o HGV já com os exames para dar celeridade no processo de reconstrução”, finaliza a professora.

A portaria tem previsão para sair na próxima semana.


Fonte: UESPI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A sistemática de implementação do Novo Ensino Médio avança e, nesta semana, aconteceram Seminários com diversas Gerências Regionais de Educação (GREs) nos municípios de Teresina, Parnaíba, Piripiri, Corrente, Bom Jesus, Floriano, Uruçuí, Fronteiras e Paulistana de forma presencial. O objetivo principal é reunir gestores e professores para tratar de pontos importantes do novo currículo e tirar as dúvidas dos profissionais. 

O coordenador estadual do Pro-BNCC no Piauí, professor Carlos Alberto Pereira, explica que este novo momento será de grande importância para lotação de professores, por exemplo. "A questão da lotação, ela vai estar resolvida, pois o professor não vai precisar pular de escola para escola para completar a sua carga horária. Praticamente não vai haver necessidade porque dentro do Itinerário já incorpora a carga horária dele", explicou. 

Entender a lógica curricular é um dos pontos importantes que estão sendo apresentados nos seminários. A nova proposta, que está sendo implementada, não se trata apenas de um currículo (matriz curricular), mas de uma fundamentação para que cada escola possa fazer refazer seu Plano Político Pedagógico, missão e parcerias que darão as condições de ofertas do Itinerários Formativos. 

"Essa formação que nós estamos fazendo em todas as GREs é o primeiro passo para iniciarmos o processo de implementação no chão da escola. Essa é uma formação generalista para conhecer o currículo, ver quais são as possiblidades, ver a questão da flexibilidade, do protagonismo, como vamos funcionar, quais são as dificuldades. Tudo isso está sendo discutido aqui e será levado a todas escolas para que toda a comunidade escolar fique sabendo", explicou Carlos Alberto.

A coordenadora de etapas do Novo Ensino Médio, Elenice Nery, explica que o seminário que encerra a semana é com a 20° e 21° GRE, no Diferencial Buffet, e a programação segue  nas próximas semanas para contemplar todas as regionais. "Estamos reunindo gestores escolares, a equipe das regionais e trazendo um representante de cada escola para essa conversa. Neste momento estamos alinhando os discursos sobre a temática e apresentando as mudanças de um currículo que já foi aprovado e pronto para ir para o chão da escola de fato em 2022", disse. 


Fonte: SEDUC PI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Ampliando as possibilidades de aprendizado dos estudantes, o Centro Estadual de Tempo Integral Raldir Cavalcante Bastos, em Teresina, realizou nesta sexta-feira (22) a quarta revisão presencial preparatória para o Enem com os alunos da 3ª série do Ensino Médio.

Além de resolver e comentar questões, e revisar os conteúdos, a iniciativa possibilita um momento de descontração e apoio emocional com o "Papo que Resolve: Diálogos e Vivências".

Adonias Freitas, professor de Língua Portuguesa e idealizador da iniciativa, explica que, além da participação dos professores ministrantes das aulas de revisão, a ação desenvolvida traz convidados de diversas áreas profissionais, pessoas da comunidade e familiares dos estudantes.

"A preparação para o Enem, nesta reta final, requer cuidados que passam pelos aspectos cognitivos, reforço das habilidades, emocional e físico. Além disso,  é importante o estudante gerenciar bem o tempo com um bom planejamento diário com estudos de diferentes matérias, com pausas programadas. Fazer questões de edições passadas do exame também é uma boa dica. Integrar lazer com estudos é importante para descontrair e reduzir o nível de ansiedade", afirmou o professor.

Francisco Oliveira é pai de dois estudantes e é um dos participantes da atividade de hoje na escola. Valorizando a importância da parceria entre família e escola, o convidado trata dos desafios desse processo de preparação. "Vejo as equipes escolares buscando sempre motivar seus alunos com relação ao Enem, bem como as perspectivas de futuro em geral. E, como resultado, temos visto cada vez mais alunos de escolas públicas nas universidades e faculdades".

Participando da ação, a diretora da unidade de mediação tecnológica da Seduc, Viviane Cavalhedo, fala sobre a importância dessas ações no chão da escola. "O Pré- Enem Seduc executa desde 2015 diversas ações voltadas para a inclusão universitária. São dezenove ações que compõem o programa, aliadas ao trabalho que é realizado no dia a dia no chão das escolas. Estamos na reta final para as provas do Enem e as escolas se mobilizam cada vez mais. O CETI Raldir Cavalcante Bastos tem um grande movimento de preparo dos alunos, com aulões, simulados, comentários de questões e ações de apoio emocional. Atividades que fortalecem o aprendizado e podem garantir o sucesso dos alunos", disse a diretora da unidade de mediação tecnológica da Seduc, Viviane Cavalhedo.

Preparatório SAEB

Ainda nesta sexta-feira (22), a escola realizou revisão das disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, com vistas para as provas do SAEB - Sistema de Avaliação da Educação Básica. A ideia é preparar ainda mais os estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental para a avaliação.


Fonte: SEDUC PI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) segue investindo na modernização da rede de ensino em todo o estado. O secretário Ellen Gera acompanha a comitiva do governador Wellington Dias, que cumpre agenda nesta sexta-feira (22), nos municípios de Pio IX, Fronteiras, São Julião e Vila Nova do Piauí anunciando o investimento em obras, visitas técnicas e inaugurações na região.

No município de São Julião será inaugurada a quadra poliesportiva coberta com vestiários na Unidade Escolar Aprígio Pereira Bezerra. A obra está orçada em R$ 440.940,61 (quatrocentos e quarenta mil novecentos e quarenta reais e sessenta e um centavos) e irá beneficiar 391 estudantes na modalidade de Ensino Fundamental, Ens. Médio e Educação Profissional.

Ainda na pasta da Educação no município serão autorizadas a modernização completa com reconstrução de bloco administrativo, construção de pátio coberto e com palco, sala de aula, biblioteca e climatização das escolas: U. E. Alice Rocha e U. E. Aprígio Pereira Bezerra. São Julião também passará a integrar os municípios que ofertam o Ensino Superior com a autorização, pelo governador Wellington Dias, da implantação do polo da Universidade Aberta do Piauí (UAPI).

Os estudantes da rede estadual também receberam os tablets durante as solenidades. Esses equipamentos vão ampliar as possibilidades de acesso aos conteúdos educacionais pelos estudantes que estão concluindo o Ensino Médio na rede estadual e garantir ainda mais a conectividade.

Autorizações

Durante a agenda, o Secretário da Educação, Ellen Gera, autoriza investimentos nos municípios que compõem o Vale do Rio Guaribas. Em Fronteiras-PI, as escolas: CETI Francisca Pereira de Sousa Morais, CEJA Carolina Maria Bezerra e CEEP Francisco Alves de Sousa - Chico Abílio foram contempladas para receber novas e modernas estruturas de reforma e ampliação.

No município de Vila Nova-PI, a obra de ampliação no U. E. Luis Ubiraci de Carvalho, contempla a construção de salas de aula, laboratório, biblioteca, refeitório completo com cozinha, quadra poliesportiva coberta padrão Seduc e climatização.

As duas unidades de ensino no município de Pio IX: o CETI Nossa Senhora do Patrocínio e a U. E. Francisco Suassuna de Melo também recebem investimentos com a revitalização, modernização completa da escola, construção de salas de aula, biblioteca, subestação, climatização e reforma de quadra poliesportiva.


Fonte: SEDUC PI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Faltando apenas um mês para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) segue firme nas ações para que seus estudantes obtenham o melhor desempenho. As revisões Pré-Enem: Na Estrada movimentam todo o Piauí e no próximo final de semana chegam ao município de Uruçuí, sede da 11ª Gerência Regional de Educação (GRE), Floriano, 10ª GRE e também para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL).

As revisões serão apresentadas pelos coordenadores do Pré-Enem, Wellington Soares e Viviane Carvalhedo. Nas revisões, os estudantes da rede terão acesso às aulas de Linguagens, com o professor Newton Neto; Química, com o professor José Carlos Feijão; Matemática, com José Osmar; Física, com Caio Breno; Redação, com Francisco Rufino; Biologia, com Tércio Câmara e Caio Frederico; e Ciências Humanas, com a professora Keury Campelo.

O modelo virtual de revisão será mantido para todos que acompanham as aulas por meio da transmissão pelo Canal Educação no Youtube e pelo Facebook.

Segundo a diretora da Unidade de Educação com Mediação Tecnológica (UEMTEC), Viviane Carvalhedo, as revisões presenciais estão sendo levadas aos municípios com público reduzido e marcando a reta final na preparação dos estudantes, a menos de um mês para a realização do Enem.

"O Pré-Enem Na Estrada percorre o Piauí levando o reforço de aulas para que os estudantes tenham o apoio pedagógico e emocional. As revisões nos municípios contam com número reduzido de alunos na forma presencial, seguindo todos os protocolos sanitários determinados pelo COE, e sendo transmitidas pelo Canal Educação. Esta é mais uma ação de mobilização para que o estudante piauiense tenha mais segurança no momento de fazer a prova do Enem 2021", declara Viviane Carvalhedo.

A Seduc disponibilizará o lanche gratuito e o material de apoio para o acompanhamento da resolução de questões e dicas para a prova. A revisão acontecerá das 8h ás 13h.


Fonte: SEDUC PI
Comentar
Falta um mês para o exame · 22/10/2021 - 12h00

Enem: veja como usar as redes sociais para ajudar nos estudos


Compartilhar Tweet 1



Ao som de gritos, a professora de história Natasha Piedras entra correndo em um quarto. Acima da cena, aparece a legenda: “Dom João VI fugindo de Portugal”. Logo em seguida, a professora aparece novamente entrando pela mesma porta, agora com um chapéu preto e uma vareta simulando uma espada, com a legenda: “Napoleão Bonaparte”. Em um vídeo de cinco segundos, Natasha fala sobre a vinda da família real portuguesa para o Brasil em 1808, em meio à ameaça do imperador francês de invadir o reino de Portugal.

O vídeo recebeu mais de 7,7 mil curtidas no Instagram e mais de 24 mil no Tik Tok. De forma descontraída, escolas, cursinhos e professores têm usado as redes sociais para tratar de conteúdos para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A um mês das provas, que serão realizadas nos dias 21 e 28 de novembro, eles dão dicas de como aproveitar essas ferramentas para fixar o conteúdo e também fazem alertas sobre os cuidados necessários para não perder o foco dos estudos e não acessar conteúdos com informações erradas.

“Um mês para o exame, a gente diz que é a reta final. Um momento de foco total. A internet pode ser uma aliada, claro, mas não é o momento de ficar horas nas redes sociais. Embora a internet ajude, ela pode ser uma distração. É bom focar as aulas e ter a internet como algo complementar”, diz Natasha, que é professora do Descomplica, ambiente virtual que oferece cursos preparatórios para o Enem.

As aulas, segundo a professora, são importantes, até mesmo para que o estudante entenda as piadas nas redes. “Quando estou pensando para o Tik Tok um vídeo sobre processo de Independência do Brasil, claro que quero que o aluno tire daquele vídeo alguma coisa mas, para isso, ele precisa de um conhecimento prévio sobre a Independência, precisa ter assistido a uma aula sobre o assunto. Assistiu à aula, entendeu minimamente o assunto, um videozinho desse no Tiktok vai fazer com que ele, de repente, absorva um pouco mais, mas de maneira leve”.

Redes sociais na pandemia

O estudo Digital 2021: Global Overview Report, da Hootsuite e We are Social, mostra que somente no último ano as redes sociais ganharam meio milhão de novos usuários em todo o mundo, o que representou um crescimento de mais de 13%. Agora, são 4,2 bilhões de pessoas conectadas, o que representa 53% de toda a população mundial.

O Brasil está entre os países que mais usam redes sociais no mundo, com o terceiro lugar no ranking, depois das Filipinas e da Colômbia. Os usuários brasileiros passam, em média, 3 horas e 42 minutos nas redes sociais por dia — tempo acima da média mundial de 2 horas e 25 minutos.

“Não é um fenômeno de agora, mas com a pandemia o uso das redes sociais foi potencializado por causa desse período remoto, que fez com que muitos alunos, que não tinham o hábito de navegar na rede, passassem a buscar mais informações e a acessar mais. Os professores que antes não postavam passaram a postar”, diz o professor de química dos colégios Santo Agostinho e São Bento, no Rio de Janeiro, e também criador do canal Química Nota Dez, Silvio Predis.

Mais conteúdo na rede exige, no entanto, mais cuidado. Segundo o professor, é preciso buscar informações sobre quem está divulgando esse conteúdo, se é algum professor, se tem boa formação e, se possível, perguntar na escola ou no cursinho, a professores de confiança, se determinado perfil é indicado. "Há conteúdos com uma qualidade muito alta e conteúdos com vários erros”, diz. 

Maior alcance

As redes sociais ajudaram a professora de redação e fundadora do Marka Texto Redação e Linguagens, Letícia Lima, a chegar a diversas partes do Brasil. Os vídeos que posta no Instagram e Tiktok, com dicas para a redação do Enem, correção de provas e mesmo com erros cometidos pelos estudantes, têm centenas de milhares de reproduções e curtidas.

“Para segurar o jovem hoje em dia tem que ser rápido. Tudo é distração para eles. Tem que ter humor, estar antenado com memes, com o que está em alta, o que é engraçado. A gente se baseia muito nisso”, afirma.

Porém, além de divertir e informar, as redes sociais podem também ser ambientes muito tóxicos, de acordo com a professora. “Existem muitos perfis que projetam uma ideia de rotina de estudo que é impraticável e inalcançável. Essa comparação [com outras pessoas] pode minar a saúde mental do estudante”, diz. Ela aconselha os alunos a focarem, nesta reta final, a resolução de questões de provas anteriores, a revisão de conteúdos. A familiaridade com a prova, segundo ela, conta muito no Enem.


Fonte: Agência Brasil
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) foi uma das instituições premiadas com a Comenda Especial concedida pelo Comitê de Educação em Direitos Humanos do Piauí (CEEDHPI) nessa quinta-feira (21/10). A solenidade aconteceu em comemoração aos 15 anos de existência e atuação do CEEDHPI e foi transmitida pelo Youtube, no canal do Comitê.

Na ocasião estiveram presentes importantes personalidades do nosso Estado, que assim como a UESPI, prestaram serviços que tiveram grande importância social. Essa premiação é destinada para pessoas e organizações que prestam importantes serviços e atividades que proporcionam impacto social em suas comunidades, além da  promoção dos valores e respeito expressos nos tratados internacionais no que diz respeito aos direitos humanos e combate a todas as formas de discriminação racial. A comanda é dividida em três categorias: Organizações; Personalidades e Projetos Sociais.

A premiação representa um reconhecimento das realizações de toda a comunidade acadêmica da UESPI. Atividades de extensão, pesquisas, eventos, dentre outras ações foram mencionadas na cerimônia. A nossa instituição foi representada pelo reitor Evandro Alberto, que destacou sobre a sensação de receber essa Comenda.

“A sensação é de dever cumprido e reconhecimento de todo o trabalho que nossa UESPI vem desenvolvendo. Essa Comenda representa muito e ressalta as nossas ações que são incansáveis para atingir positivamente todo o estado do Piauí. Parabenizo a todos aqui homenageados!”.

O Comitê é uma organização estadual que articula entidades de direitos humanos de todo o estado e movimentos sociais da sociedade civil de promoção ao bem-estar e defesa da educação com atuação desde 2006. A presidente de honra e uma das condadoras do CEEDHPI, Maria de Lurdes Rocha Nunes, destaca que nada do que o CEEDHPI alcançou seria possível sem o empenho dos que estavam ali presentes.

“É através dessa união e processo que temos de estar juntos e sonhar juntos, para assim promover ações e atividades que elucidam e divulgam os direitos humanos. Já participamos de eventos, fóruns e atividades nacionais e até mesmo internacional em busca de propagar nossas ações e serviços para com a comunidade e mundo. Não realizamos isso sozinhos! Agradeço a todos presentes e esperamos que possamos nos encontrar presencialmente”, destaca.


Fonte: UESPI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A Administração Superior da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) recebeu, nesta quinta-feira (21/10), os alunos do CETI Liceu Piauiense e estudantes do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/UESPI), que atuaram na conquista das medalhas da Olimpíada Brasileira de Geografia de 2021.

O encontro teve por objetivo celebrar os resultados obtidos na Olimpíada. Em setembro deste ano, os alunos do Liceu Piauiense conseguiram alcançar as medalhas de bronze, prata e ouro  na competição com a ajuda dos pibidianos da UESPI.

Hoje, estiveram comemorando essa vitória ao lado do reitor da UESPI, das coordenadoras de curso e geral do PIBID, além da supervisora da escola e representantes da instituição.

O reitor da UESPI, Evandro Alberto, parabenizou os envolvidos pela conquista e destacou o empenho em fazer do PIBID um programa cada vez melhor. “Para nós é motivo de muita honra saber que estamos auxiliando na educação de jovens estudantes do Ensino Médio, alunos que no futuro estarão na Uespi ou em outras universidades do Piauí e do Brasil. Esses jovens já são espelhos para colegas e pessoas próximas, superaram os desafios impostos pela pandemia e outras adversidades e agora representam tão bem o nosso Piauí”, ressalta o reitor.

Competição

Dentre as equipes do Liceu Piauiense que estavam concorrendo a Olimpíada, conquistaram a premiação: equipe Exploradores (ouro), equipe Geodesbravantes (prata) e equipe Supremos (bronze). Os jovens participantes da Olimpíada são alunos do 1º e 2º ano do ensino médio.

Yasmin Antonela faz parte da equipe Exploradores. Para ela, a palavra que representa a conquista da medalha de ouro é superação. “Essa vitória mostra que apesar de todas as adversidades a gente pode conseguir o que a gente quer, com muito esforço e superação. Também não posso esquecer de agradecer os professores do PIBID, que sempre nos acompanharam, deram aula até no nosso período de férias, prepararam matérias sobre assuntos que caíram na Olimpíada e várias outras atividades. Sem essa ajuda do PIBID da UESPI a gente não teria conseguido”, destaca a estudante.

Sob a coordenação da professora Clemilda Bandeira, os acadêmicos João Vyctor de Sena, Karoline Silva, Valdenilson Carvalho, Luís Felipe de Freitas e Ana Clara, atuam desde junho com ações de orientação para os alunos do Liceu.

Para a estudante do 5° período do curso de Geografia, Karoline Silva, fazer parte da equipe de pibidianos do Liceu Piauiense é uma experiência gratificante e enriquecedora. “Acompanhar os estudantes do Liceu na Olimpíada é algo de extrema importância para nossa formação e experiência enquanto futuros professores. De início, a gente achou que seria um desafio bem grande, mas a professora Francisca Lima sempre fez questão de ressaltar que a gente iria conseguir. E agora estamos colhendo os frutos desse esforço conjunto com as medalhas de bronze, prata e ouro”, destaca.

Envolvimento do PIBID

A supervisora do PIBID do Liceu Piauiense, Clemilda Bandeira, apontou que essa é a primeira vez que a escola será a representante do Piauí na próxima fase da Olimpíada de Geografia. “Eu sou estudante de escola pública, desde o início da minha vida até o ensino superior na Uespi. Atualmente, trabalho na escola pública e saber que meus meninos e minhas meninas estão alcançando grandes resultados me deixa emocionada e com a certeza que estamos no caminho certo em defesa de uma educação com qualidade no Piauí”, salienta.

A coordenadora geral do PIBID/UESPI, Márcia Edline, disse que 11 cursos de Licenciatura da UESPI fazem parte do Programa neste momento. “Além desse trabalho do curso de Geografia, nós temos 10 grandes projetos nessa dimensão, que envolvem várias vertentes. Por exemplo: teatro na escola, produção de podcast, o café literário com uma Kombi que vai percorrer alguns lugares, contação de histórias, aulas de inglês, entre outros trabalhos que ultrapassam nossa expectativa. É muito bom saber que estamos no caminho certo e ver o resultado do esforço e trabalho de muitos colaboradores da UESPI e das escolas”, explica.

Em busca de avançar para fase internacional, os estudantes de ouro do Liceu Piauiense representam o Piauí na 4° fase da Olimpíada de Geografia, prevista para acontecer em dezembro.


Fonte: UESPI
Comentar
Com avanço significativo · 21/10/2021 - 14h05 | Última atualização em 21/10/2021 - 14h09

Piauí é um dos estados do Brasil com maior crescimento no Índice de Oportunidades da Educação Brasil


Compartilhar Tweet 1



Os números do Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB), divulgados na manhã desta quarta-feira (20), apontam que o Piauí teve um crescimento expressivo na área da educação, com avanço significativo ao longo da série histórica, que cobre os anos de 2015 a 2021. O estudo, que avalia a qualidade da educação básica, da educação infantil ao ensino médio, foi elaborado pela Comunidade Educativa Cedac, com base em dados oficiais tabulados pela consultoria Metas Sociais.

O Piauí saltou de 3,9 em 2015 para 4,8 em 2021, segundo dados publicados no portal do IOEB (ioeb.org.br). O índice do estado cresceu a cada ano da avaliação, saindo de 3,9 em 2015 para 4,2, em 2017; 4,6, em 2019 e, em 2021, alcançou a média 4,8.

O secretário de Estado da Educação, Ellen Gera, atribui o desempenho do Piauí aos investimentos que o Governo do Estado vem realizando na educação desde 2015. "Na semana do dia do Piauí nós comemoramos mais um resultado importante para a nossa educação. De acordo com o estudo divulgado pela Cedac, o Piauí foi um dos três estados com maior crescimento de IOEB de 2017 a 2021. Se considerarmos a série desde 2015, tivemos um crescimento de 23%, acima de estados como São Paulo, que teve um crescimento de 11%. Um resultado que comprova que, mesmo durante a pandemia, avançamos em qualidade educacional. Isso é fruto de um grande investimento na educação. De um lado em infraestrutura, do outro na formação de professores e no avanço da qualidade de ensino dos estudantes da rede estadual de educação e, sobretudo, o avanço da qualidade de ensino também das redes municipais", enfatizou.

Para o governador Wellington Dias esse destaque se deve ao compromisso de todos que fazem a Educação piauiense. "O Piauí entrou no século XXI como um dos mais atrasados em educação do Brasil. Nosso IDH era 0,3, que significa baixo desenvolvimento e nós estamos agora em uma fase de alto desenvolvimento na educação. Isso significa a garantia de uma expansão da rede com Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Técnico, além de alfabetização para jovens e adultos e a presença da Educação Superior. O IOEB mede a oportunidade de educação mais próximo de onde as pessoas vivem e é nisso que o Piauí se destaca. O Nordeste se destaca e, dentro do Nordeste, o destaque do Piauí, e é por esta razão que eu parabenizo a toda equipe da Educação, que mostra que o caminho que traçamos está correto, na direção certa e vamos seguir crescendo, com qualidade e expansão na educação  no nosso Piauí", afirma Wellington.

O IOEB é formado a partir da relação de dois grupos: insumos educacionais, ou seja, fatores essenciais para um bom resultado educacional e resultados educacionais, sejam eles de atendimento, de aprendizado ou de aproveitamento escolar.

Ellen Gera ressalta que o avanço é resultado da política adotada pelo Governo do Estado  de trabalhar programas educacionais em regime de colaboração com os municípios. "O governador Wellington Dias, dentro de sua política de governo, tem como meta elevar a escolaridade dos piauienses. Dentro dessa proposta, a Seduc trabalha com programas e projetos para garantir o acesso e aprendizagem dos estudantes piauienses, independentemente da rede que ele está matriculado. Em parceria com a Undime, elaboramos o currículo do Ensino Fundamental, estamos trabalhando a formação de professores, ampliamos a aplicação do nosso Sistema de Avaliação (Saepi) para os alunos da rede municipal, temos o transporte escolar realizado direto com as prefeituras e, durante a pandemia, estreitamos ainda mais essa relação abrindo nossa plataforma de aulas on-line e passamos a transmitir aulas do Ensino Fundamental, por meio do Canal Educação, e pactuamos com 223 municípios a implementação do PRO Alfabetização na Idade Certa, que vai garantir assessoria técnico-pedagógica, material didático e premiação para escolas que atingirem as metas do Ideb", detalhou o Secretário.

Segundo o secretário, além dos programas que garantem a aprendizagem desde os anos iniciais da educação básica, o Estado trabalha com a expansão das escolas de tempo integral, modernização dos ambientes escolares, acompanhamento das rotinas pedagógicas nas escolas e investimentos em formação continuada, entre outras ações.

"Trabalhamos com ações específicas como Pacto pela Aprendizagem, Circuito de Gestão Jovem de Futuro e o Mais Aprendizagem, que tem dentro do seu pacote de trabalho a aceleração de aprendizagem em Português e Matemática, além de formações para os professores da rede se manterem sempre atualizados. Para o nosso estudante da 3ª série do Ensino Médio, temos o Pré-Enem Seduc, que reforça preparação para vestibular com revisões aos domingos e outras ações. Além disso, precisamos destacar o valoroso trabalho das escolas na busca de uma educação de cada vez mais qualidade e com foco contínuo na aprendizagem do estudante. O resultado que comemoramos hoje é fruto de um trabalho coletivo", diz.

SOBRE IOEB

O IOEB (Índice de Oportunidades da Educação Brasileira) indica as oportunidades educacionais oferecidas para todas as crianças e jovens em um município ou estado. Inclui tanto informações referentes à qualidade da oferta para alunos que frequentam as escolas, de todas as redes, como também informações referentes aquelas crianças e jovens que não frequentam a escola. Possibilita uma visão integral do território, incorporando aspectos de domínio cognitivo individual, mas também aspectos sistêmicos, que podem contribuir para o fortalecimento do regime colaborativo no país.

O IOEB é formado a partir da relação de dois grupos: insumos educacionais, ou seja, fatores essenciais para um bom resultado educacional e resultados educacionais, sejam eles de atendimento, de aprendizado ou de aproveitamento escolar.


Fonte: SEDUC PI
Comentar
Para o mercado de trabalho · 21/10/2021 - 13h50

Mediação Tecnológica muda a vida de estudantes piauienses


Compartilhar Tweet 1



Os cursos técnicos concomitantes ao Ensino Médio preparam os estudantes para o mercado de trabalho. São disponibilizados cursos nas áreas de Recursos Humanos, Finanças, Cooperativismo, Qualidade, Secretariado e Logística. 

Israélia Macedo é aluna do curso técnico em Finanças, na cidade de Betânia do Piauí, e viu nas aulas remotas uma oportunidade para alcançar seus objetivos.

"Sou imensamente grata por esta oportunidade. Sempre abracei a iniciativa com muita dedicação, entusiasmo, esforço e muito amor. Gosto de matemática e me identifiquei bastante com o curso de finanças", relata. 

SOBRE O CANAL EDUCAÇÃO

O Canal Educação é um programa promovido pelo Governo do Piauí, por meio da Secretaria de Estado da Educação, que investe em educação mediada. As aulas são transmitidas por meio do YouTube, TV Antares e Kits Tecnológicos instalados nas escolas da Rede. Além disso, são disponibilizadas dicas de estudo por meio de áudio (Podcast).

De 01 de março de 2020 a 10 de agosto de 2021, de acordo com dados do Google Analytics, o Canal Educação teve 5 milhões e 677 mil visualizações no YouTube.

Com sete estúdios localizados na capital, Teresina, o centro de mídias é formado por equipes pedagógicas e de audiovisual. O programa é transmitido para mais de 300 escolas piauienses. Além disso, no ano de 2020 firmou parceria com a Secretaria de Educação de Sergipe para transmissão de aulas para aquele estado.   

 


Fonte: SEDUC PI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A participação dos pais e responsáveis nas ações cotidianas das escolas é essencial para o melhor desenvolvimento pedagógico e administrativo nas unidades escolares. Para criar um canal de diálogo entre as ações dentro da escola e a sociedade, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) está realizando os encontros de Formação de Conselheiros Escolares para as Gerências Regionais de Educação (GRE).

A reunião dos membros representativos da 4ª GRE, que compreende as escolas da região centro-norte de Teresina, acontece nos dias 21 e 22 de outubro. O evento foi realizado no Centro Estadual de Educação Profissional (Ceep) Professor João Mendes O. de Melo (Premen Norte), localizado no bairro Vila Operária, com a participação de 70 conselheiros escolares.

A Seduc, em parceria com o Instituto Unibanco e o Instituto Presente, irão capacitar os conselheiros escolares das 42 unidades de ensino.

Os conselheiros terão o domínio de conhecimento sobre o funcionamento, organização e o histórico da representação participativa nas escolas na forma deliberativa, consultiva, fiscalizadora, mobilizadora e pedagógica. Fará parte da capacitação também o entendimento quanto ao uso de documentações e sobre a gestão de recursos das escolas.

O Conselho Escolar é formado pelos representantes da comunidade interna: diretor, alunos, funcionários e professores; e por membros externos: pais de alunos ou responsáveis e comunitários locais, indicado pela associação de moradores e afins.

O gerente regional, Tarcísio Pires, explicou o funcionamento do colegiado. "Estamos fazendo a capacitação com o segmento de pais e comunitários e esta objetiva empoderar os novos conselheiros do verdadeiro papel dentro da escola. O colegiado tem a função de avaliar o plano de trabalho, opinar e deliberar sobre os principais assuntos que buscam qualidade da escola, de forma que todos juntos imbuídos do objetivo de projetar uma escola com o papel de formar o cidadão", explicou o gerente.

Antônio Francisco participa da capacitação e irá integrar o Conselho Escolar no Ceti Pequena Rubim, sediado no bairro Mocambinho. Ele pontua que os pais devem assumir a preparação dos alunos e ofereça a melhor aprendizagem.

"A formação dos conselheiros é importante para nós que estamos no dia a dia da escola. É importante que os pais participem destes encontros para levar aos outros pais todo o funcionamento da escola, quais as funções além da sala de aula. Porque não basta reclamar, devemos ter atitude em fazer algo pelas crianças e precisamos participar dos conselhos, pois queremos cobrar e auxiliar nas administrações das escolas", disse o conselheiro.


Fonte: SEDUC PI
Comentar
Veja alguns vídeos · 21/10/2021 - 12h18 | Última atualização em 21/10/2021 - 13h55

A um mês do Enem, professores falam sobre uso de redes sociais


Compartilhar Tweet 1



Ao som de gritos, a professora de história Natasha Piedras entra correndo em um quarto. Acima da cena, aparece a legenda: “Dom João VI fugindo de Portugal”. Logo em seguida, a professora aparece novamente entrando pela mesma porta, agora com um chapéu preto e uma vareta simulando uma espada, com a legenda: “Napoleão Bonaparte”. Em um vídeo de cinco segundos, Natasha fala sobre a vinda da família real portuguesa para o Brasil em 1808, em meio à ameaça do imperador francês de invadir o reino de Portugal.

O vídeo recebeu mais de 7,7 mil curtidas no Instagram e mais de 24 mil no Tik Tok. De forma descontraída, escolas, cursinhos e professores têm usado as redes sociais para tratar de conteúdos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A um mês das provas, que serão realizadas nos dias 21 e 28 de novembro, eles dão dicas de como aproveitar essas ferramentas para fixar o conteúdo e também fazem alertas sobre os cuidados necessários para não perder o foco dos estudos e não acessar conteúdos com informações erradas.

“Um mês para o exame, a gente diz que é a reta final. Um momento de foco total. A internet pode ser uma aliada, claro, mas não é o momento de ficar horas nas redes sociais. Embora a internet ajude, ela pode ser uma distração. É bom focar nas aulas e ter a internet como algo complementar”, diz Natasha, que é professora do Descomplica, ambiente virtual que oferece cursos preparatórios para o Enem. 

As aulas, segundo a professora, são importantes, até mesmo para que o estudante entenda as piadas nas redes. “Quando estou pensando para o Tik Tok um vídeo sobre processo de Independência do Brasil, claro que quero que o aluno tire daquele vídeo alguma coisa mas, para isso, ele precisa de um conhecimento prévio sobre a Independência, precisa ter assistido uma aula sobre o assunto. Assistiu a aula, entendeu minimamente o assunto, um vídeozinho desse no Tiktok vai fazer com que ele, de repente, absorva um pouco mais, mas de maneira leve”.

Redes sociais na pandemia

O estudo Digital 2021: Global Overview Report, da Hootsuite e We are Social, mostra que somente no último ano as redes sociais ganharam meio milhão de novos usuários em todo o mundo, o que representou um crescimento de mais de 13%. Agora, são 4,2 bilhões de pessoas conectadas, o que representa 53% de toda a população mundial.

O Brasil está entre os países que mais usam redes sociais no mundo, ocupando o terceiro lugar no ranking, depois das Filipinas e da Colômbia. Os usuários brasileiros passam, em média, 3 horas e 42 minutos nas redes sociais por dia - tempo acima da média mundial de 2 horas e 25 minutos.

“Não é um fenômeno de agora, mas com a pandemia o uso das redes sociais foi potencializado por causa desse período remoto, que fez com que muitos alunos, que não tinham o hábito de navegar na rede passassem a buscar mais informações e a acessar mais. Os professores que antes não postavam passaram a postar”, diz o professor de química dos colégios Santo Agostinho e São Bento, no Rio de Janeiro, e também criador do canal Química Nota Dez, Silvio Predis.

Mais conteúdo na rede exige, no entanto, mais cuidado. Segundo o professor, é preciso buscar informações sobre quem está divulgando esse conteúdo, se é algum professor, se tem boa formação e, se possível, perguntar na escola ou no cursinho, a professores de confiança, se determinado perfil é indicado. "Há conteúdos com uma qualidade muito alta e conteúdos com vários erros”, diz.  

Maior alcance 

As redes sociais ajudaram a professora de redação e fundadora do Marka Texto Redação e Linguagens, Letícia Lima, a chegar a diversas partes do Brasil. Os vídeos que posta no Instagram e Tiktok, com dicas para a redação do Enem, correção de provas e mesmo com erros cometidos pelos estudantes, têm centenas de milhares de reproduções e curtidas.

“Para segurar o jovem hoje em dia tem que ser rápido. Tudo é distração para eles. Tem que ter humor, estar antenado com memes, com o que está em alta, o que é engraçado. A gente se baseia muito nisso”, afirma.

Porém, além de divertir e informar, as redes sociais podem também ser ambientes muito tóxicos, de acordo com a professora. “Existem muitos perfis que projetam uma ideia de rotina de estudo que é impraticável e inalcançável. Essa comparação [com outras pessoas] pode minar a saúde mental do estudante”, diz. Ela aconselha os alunos a focarem, nesta reta final, na resolução de questões de provas anteriores, na revisão de conteúdos. A familiaridade com a prova, segundo ela, conta muito no Enem. 

 


Fonte: Agência Brasil
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Memorial 24 de Janeiro, administrado pelo Campus da Universidade Estadual do Piauí, em Oeiras, foi parceiro do evento promovido pelo Instituto Barros de Ensino (Ibens), nessa terça-feira (19/10), sobre o Dia do Piauí: refletindo sobre a data.

A abertura do evento contou com a palestra “Romance Malhadinha de José Expedito Rego”, proferida pela professora do curso de Letras Português do campus de Oeiras, Elimar Barbosa de Barros.

Participaram das atividades os estudantes do ensino fundamental e médio, onde puderam acompanhar de perto toda a exposição na cidade, que é titulada “Sertão, tradição e fé”, do artista oeirense Doutor Olavo Braz.

O evento contou com o hasteamento das bandeiras no Memorial 24 de Janeiro.  Nas apresentações culturais, o artista Alexandre Augusto, da Orquestra Bandolins, deixou sua contribuição com uma releitura dos hinos do Brasil e Piauí. Os estudantes fizeram uma apresentação titulada: “Uma aula sobre a História do Piauí” e exposição de cartas, poesias e prosas.

Para os oeirenses, o dia do Piauí é importante historicamente pela cidade ser a primeira capital. A professora Tátilla Inêz, professora do Ibens e organizadora do evento, afirmou que o momento serviu para refletir sobre o papel do povo piauiense na consolidação da independência do Brasil e, principalmente, mostrar para os alunos a importância de trabalhar com essa data.

“É um momento de fortalecimento da nossa identidade e cultura, a nossa escola tem trabalhado muito no sentido de resgatar e valorizar os aspectos da história e da cultura do Piauí para levar às novas gerações o mesmo sentimento de pertencimento que havia desde o Visconde da Parnaíba até os heróis do Jenipapo”, explica.

Experiências em sala de aula

Durante o mês de setembro, a escola já vinha trabalhando com a temática envolvendo o Piauí. No mesmo mês, a professora de História do Piauí, Francisca Shayane, desenvolveu um trabalho de leitura e análise da obra “Malhadinha”, com os alunos do ensino médio.

Na disciplina de História, especialmente com a turma da 2ª série do ensino médio, a professora Tátilla Inêz trabalhou a independência, que se desdobrou em uma apresentação envolvendo os hinos nacional e do Piauí, com um texto produzido pelo aluno Caio Arthur, no qual mostra uma releitura crítica no contexto atual.

Texto do aluno Caio Arthur (Aluno do 2º ano do ensino médio do Ibens) 

 

Antes, podia-se ouvir fortes gritos de heróis do passado; hoje não há nada, senão a balbúrdia da cidade.

E nossa tocha guia, que paira sobre nós, lança-nos diariamente sua fúria, que há de piorar, por conta de nossa própria cobiça.

Ó liberdade, tu que fora conquistada com sangue, servira apenas como ilusão, nesse grande devaneio feito por loucos e para loucos, somente a verdade poderá vos libertar da ignorância e enxergar as correntes que nos prendem e nos obrigam a viver na miséria sem a igualdade que nos fora prometida.

Ó pátria amada, idolatrada, que de ódio e racismo se ergue, Nossas antes gigantes e esbeltas matas, agora não passam de campos de criação de gado, este que para na mesa do patrão, aumenta a riqueza do corrupto e piora ainda mais o estado do cidadão.

Terra adorada, por estrangeiros, que aproveitam a moeda barata para comprar quase tudo no Brasil.

A economia pode até crescer, mas só aumenta no bolso do rico, porque o pobre nem bolso tem.

Ó Pátria amada, nessa terra o único traço de igualdade que tem é a morte de teus filhos.

Senhora Pindorama, sentimos muito por vosso sofrimento, mas não há planejamento de voltar atrás, vosso povo sofre e nada faz, só na revolução é que há esperança.

“Espera o Brasil que todos cumprais com vosso dever”.

Busquem se informar de seus direitos e façam questão que eles sejam cumpridos, porque como diz Emicida: “Tudo, tudo que nós tem é nós”


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A professora do curso de Enfermagem da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), Rosângela Campelo, foi premiada no II Encontro Internacional de Biotecnologia em Saúde Humana e Animal, com a 1ª colocação na modalidade apresentação virtual.

A premiação ocorreu em virtude da sua pesquisa de desenvolvimento e prospecção de cosmético utilizando um corante do babaçu – palmeira típica do Norte e Nordeste brasileiro.

De acordo com a autora da pesquisadora, a intenção foi avaliar a atividade antimicrobiana do corante presente no mesocarpo do babaçu, em relação a diferentes cepas bacterianas de importância para saúde humana, constatada a partir da evolução do estudo.

“Após a extração do corante do mesocarpo do babaçu, um corante ainda pouco explorado, essa substância foi submetida à Espectroscopia no Infravermelho por Transformada de Fourier (FTIR); a Análise Térmica Simultânea (TGA/DSC) e a Difração de Raios-X (DRX). Em seguida, foram realizadas avaliações da atividade antimicrobiana in vitro do corante do babaçu para a determinação da Concentração Inibitória Mínima (CIM), pela técnica de microdiluição em caldo, frente a quatro cepas Gram-positivas e duas cepas Gram-negativas, além da análise de Microscopia de Força Atômica (MFA) frente a outra cepa”, explica a professora Rosângela Campelo.

Ainda de acordo com a pesquisadora, com os resultados observados, a análise físico-química indicou que possivelmente o corante do babaçu é uma molécula de tanino. Em relação à avaliação antimicrobiana, dentre as seis linhagens bacterianas avaliadas, somente as espécies Gram-positivas, com exceção da E. faecalis – vanB, demonstraram perfis de susceptibilidade ao corante do babaçu.

    Professora Rosângela Campelo

Entre as cepas bacterianas Gram-positivas, utilizadas neste estudo, foi sobre S. epidermidis que o corante do babaçu demonstrou melhor potencial antibacteriano (CIM: 19,53 µg/mL), sendo assim, essa cepa foi submetida à análise por MFA e como resultado evidenciou-se um aumento de tamanho nas bactérias tratadas com concentração sub-inibitória/sub-CIM (Z = 2,8 µm), comparadas ao controle (bactérias não tratadas, Z = 2,2 µm). As bactérias tratadas com concentração inibitória mínima (CIM = 19,53 µg/mL) apresentaram-se destruídas com completa perda do formato característico (cocos), demonstrando a provável característica bactericida do corante do babaçu.

“A conclusão é de que o corante extraído do mesocarpo do babaçu tem efeito bactericida sobre bactérias gram–positivas. E que, possivelmente, após testes de toxidade e análise química, possa ser usado em fármacos, sabonetes e outros produtos industriais”, aponta a docente.

O trabalho tem orientação do professor Fabrício do Amaral e coautoria de Rafael Everton, José Ribeiro, Dario Brito Calçada, Fábio de Oliveira, Alyne Rodrigues e Rômulo José Vieira.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Falta um mês para a primeira prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que será aplicada no dia 21 de novembro tanto na versão impressa como digital. A segunda prova está agendada para o dia 28 de novembro. Saiba quais são as principais caracterísitcas da prova, como é feita a correção e como estudar. As informações são do R7.

O Enem surgiu para avaliar a qualidade do ensino médio, mas desde 2009 se tornou a principal porta de entrada para o ensino superior no país. A nota do exame é usada no Sisu (Sistema de Seleção Unificado), uma espécie de leilão de vagas das universidades públicas e o estudante também pode usar a avaliação para conquistar uma bolsa pelo Prouni (Programa Universidade para Todos) ou financiamento via Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante).

As provas do Enem contam com 180 questões de múltipla escolha aplicadas em dois domingos consecultivos. As perguntas objetivas são divididas em quatro áreas de conhecimento: Ciências Humanas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

No primeiro dia o candidato tem 5h30 para responder a 45 questões de ciências humanas, 45 de linguagens e escrever uma redação. No segundo dia de prova, precisa responder a 45 perguntas de matemática e mais 45 de ciências da natureza em 5h. No total, uma maratona com 10h30 de duração.

Prova e Correção

“É importante que o aluno saiba que a prova do Enem tem um mesmo padrão de dificuldade de um ano para outro. Além disso, o banco de itens (questões) do Enem — que é utilizado para elaboração da prova — não é alimentado há alguns anos, então o jovem não deve esperar que caiam questões relacionadas à pandemia, retirada das tropas americanas do Iraque, Olimpíadas 2021, entre outros assuntos recentes”, explica Caê Lavor, diretor de avaliações e pré-universitário do SAS.

A matriz de conteúdo que rege o teste foi proposta em 2009 e há muitas questões que abordam assuntos do ensino fundamental. “Para responder as questões do Enem, o aluno não precisa decorar fórmulas, pois ela cobra mais habilidades e conhecimentos práticos. As questões são contextualizadas e trazem informações que ajudam o estudante a resolvê-las”, explica Caê.

O Enem é corrigido por TRI (Teoria de Resposta ao Item) — cada questão é qualificada por meio três parâmetros: a proficiência, o grau de dificuldade e, ainda, a chance de acerto por "chute" — quando o estudante decide responder de forma aleatória e sem domínio do assunto exigido pela prova. As questões do Enem são pré-classificadas como fáceis, médias e difícices. A TRI faz uma análise "antichute" para calcular a nota final.

As respostas devem ser passadas para o cartão-resposta de leitura optica e o candidato deve usar caneta esferográfica de tinta preta. Em caso de rasura, a questão será anulada. Já a redação deve ser entregue na folha de redação, que tem o nome do candidato. 

Redação

O estudante deve escrever um texto dissertativo-argumentativo de sete a 30 linhas. Não precisa colocar título no texto, mas se a redação tiver menos de sete linhas ou se fugir do tema proposta, o candidato tira zero.

As redações do Enem são avaliadas em cinco competências: domínio da norma padrão; compreensão da proposta da redação; conhecimento do texto argumentativo e elaboração das propostas de intervenção. Cada competência vale 200 pontos, se o estudante conseguir a pontuação máxima em todas, a nota será mil.

Ainda dá tempo de estudar?

A dica é planejar o tempo entre revisão de conteúdo, produção de textos e um tempo de descanso. É hora de ler os resumos, acompanhar videoaulas e fazer exercícios das provas anteriores.

O Enem é uma corrida contra o tempo e por essa razão vale treinar e controlar o relógio. É importante destacar que a o aluno treine em casa o tempo de prova para ver como o seu corpo reage, afinal, são muitas horas para ficar sentado. Por essa razão, vale fazer provas de edições passadas usando o cronômetro como treino e máscara.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



A Secretaria de Estado da Educação do Piauí (Seduc), por intermédio da Coordenação Estadual do PRO Alfabetização na Idade Certa, realiza o Concurso Cultural para escolha da mascote do programa. O objetivo é estimular a produção artística das crianças e fortalecer a identidade do programa, promovendo a importante agenda da alfabetização de crianças na idade certa.

Gabriela Oliveira, coordenadora estadual do Programa, destaca que as escolas das redes públicas (estadual e municipais) do Piauí podem apresentar um projeto criado por um(a) aluno(a) do 1º ou 2º ano do Ensino Fundamental, contendo uma imagem/desenho de inspiração para a mascote do PRO Alfabetização na Idade Certa e o seu respectivo nome.

"O aluno autor do desenho/imagem e do nome vencedor será premiado com um tablet. Os três alunos autores e suas respectivas escolas dos desenhos/imagens e dos nomes  mais votados serão premiados com kits de literatura infantil. As cinco escolas e os cinco alunos autores da peça selecionados na etapa de avaliação receberão menções honrosas e certificados de honra ao mérito", relata a coordenadora do programa.

Cada escola inscrita poderá participar com o envio de um desenho/imagem e de um nome para a mascote, sendo que ambos devem ser criações de um mesmo aluno(a), respeitando os critérios e prazos estabelecidos neste edital. É vedada a participação de escolas que não ofereçam a etapa de escolarização referente ao ciclo de alfabetização (1º e 2º ano do Ensino Fundamental), bem como de alunos(as) que não estejam devidamente matriculados em algum destes anos.

As inscrições e o envio dos desenhos/imagens deverão ser feitos por e-mail cujo assunto traga a frase "Concurso para Criação da Mascote", para o endereço eletrônico: proalfabetizacao.idadecerta@seduc.pi.gov.br.

A etapa de avaliação selecionará cinco desenhos/imagens de mascotes com os respectivos nomes para a próxima etapa, conforme os seguintes critérios: expressividade, originalidade, criatividade, diversidade e fidelidade ao tema.

As inscrições vão de 25 de outubro a 07 de novembro de 2021. A divulgação da proposta vencedora acontece no dia 26 de novembro. 

Clique aqui e confira o Edital

 

 


Fonte: SEDUC PI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) divulgou o resultado dos recursos para atendimento especializado e tratamento por nome social dos participantes que tiveram nova oportunidade de inscrição no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2021 e no Enem PPL (Exame para Pessoas Privadas de Liberdade) ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade. As análises estão disponíveis na Página do Participante. As informações são do R7

Os isentos que não compareceram ao Enem 2020 puderam se inscrever na edição 2021 em uma segunda chance. Esse grupo realizará o exame nos dias 9 e 16 de janeiro de 2022, mesmas datas de aplicação do Enem PPL.

A aplicação das provas do Enem 2021 foi mantida pelo Inep nos dias 21 e 28 de novembro, para os participantes que tiveram a inscrição confirmada no prazo previsto, conforme os editais referentes ao Enem impresso e Digital 2021, respectivamente.

Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio tornou-se uma das principais portas de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) e de iniciativas como o Prouni (Programa Universidade para Todos), ambas ações do MEC (Ministério da Educação).

Instituições de ensino públicas e privadas utilizam o Enem para selecionar estudantes. Os resultados são usados como critério único ou complementar dos processos seletivos, além de servirem de parâmetros para acesso a auxílios governamentais, como o proporcionado pelo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil).

Comentar
Alfabetizar 200 mil jovens · 20/10/2021 - 17h00

Piauí se destaca com novos programas de alfabetização


Compartilhar Tweet 1



O Piauí tem se desenvolvido constantemente no quesito educação, fato evidenciado pelos indicadores educacionais em crescimento das redes estadual, municipais e particulares. Mas a alfabetização de jovens e adultos ainda é um desafio para toda a sociedade.

Pensando nisso, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), desenvolveu um programa totalmente voltado ao combate ao analfabetismo. Estamos falando do PROAJA, Programa de Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos, que tem o objetivo de alfabetizar 200 mil jovens e adultos do Piauí nos anos de 2021 e 2022.

O programa envolve diversos atores como os parceiros atuais, toda a rede da Seduc, organizações civis e sociais, municípios e outras entidades, e trabalhará com sistema de monitoramento e gestão, como aponta o secretário da Educação Ellen Gera.

"Podemos hoje dar um passo importante e avançar na política de alfabetização dos jovens, adultos e idosos. Ao longo do tempo, estamos organizando a rede estadual para a oferta de EJA e passamos, de 135 escolas, no início dos anos 2000, para 436 escolas, em 2018. Isto mostra o crescimento de 136% de unidades voltadas para este público. Com o PRO Piauí, já trabalhamos a alfabetização na idade certa e, para a população adulta, chegou o PROAJA, focado no cidadão e com uma forte parceria com entidades para dar conta da missão. Vamos trabalhar investindo na maior transformação social possível, que é alfabetizar o Piauí", explica Ellen Gera.

Para a execução da ação, a Secretaria de Estado da Educação fará uso dos recursos oriundos do precatório do FUNDEF, com vistas para o fortalecimento da luta pela educação inclusiva e de qualidade para todos. Com aprovação da Assembleia Legislativa, o governador Wellington Dias sancionou a lei Nº 7.497/2021, que dispõe sobre a execução de ações voltadas para a redução do analfabetismo no Estado do Piauí e autoriza o pagamento de bolsas de estudos aos alfabetizandos que atendam às condições que estabelece. Estes terão todo o apoio e suporte educacional para o desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita, além de um benefício financeiro no valor de R$ 400, que serão disponibilizados com base na avaliação da frequência escolar.

"É um investimento maciço do Governo do Piauí para a redução do analfabetismo no Estado, com a execução de ações voltadas para a ampliação de oportunidades à população alvo do programa. Entramos no século 21 com 30% da população analfabeta. Durante as últimas duas décadas, as redes foram se organizando, inclusive com a municipalização do Ensino Fundamental. Diante de todo o trabalho realizado, na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) 2019 fechamos com 16% de analfabetos na população acima de 15 anos. Um avanço, de fato, mas ainda é um número muito expressivo, por isso temos que avançar ainda mais", observa o secretário Ellen Gera.

O gestor ainda delineou que o maior desafio está na faixa etária para além dos 30 anos e que o escopo do PROAJA é composto principalmente de adultos e idosos. "Nosso objetivo é dar o direito a esse cidadão se alfabetizar, permitir que dê sequência na sua educação, inclusive chegando até o Ensino Superior, se desejar. São desafios consideráveis, por isso modelamos um programa com parcerias, em um movimento em prol da alfabetização no Piauí. Essa diversificação de parcerias vai nos ajudar a avançar mais rápido, pois a Seduc sozinha não conseguiria atingir essa meta tão ousada", completa.

Maria de Fátima, trabalhadora rural de 66 anos, deixou a escola ainda criança para ajudar os familiares na roça e não vê a hora de, finalmente, voltar à sala de aula. "Eu morava no interior e meus pais nos colocavam para trabalhar na roça, então não tínhamos tempo para estudar. Agora eu quero estudar porque eu acho tão bonito as pessoas lendo, eu participo de grupos e fico só olhando... Eu estou com vontade de estudar para poder ler e escrever nos grupos que participo, poder ler a bíblia sozinha e, com este programa, aumentou ainda mais o meu desejo", relatou.

Para comprovação efetiva de necessidade de alfabetização, a Seduc está realizando a triagem dos inscritos apresentados pelas entidades que querem participar do PROAJA. Os primeiros testes de diagnóstico estão sendo realizados com 14 mil jovens e adultos e apresentados pela instituição Movimento Educação de Base, uma das 43 inscritas no processo de seleção de credenciamento de entidades que querem contribuir com o PROAJA. A ação consiste em uma triagem para determinar o nível de alfabetização em que a pessoa se encontra ou sobre a noção de escrita e leitura do possível aluno.

"Após a triagem e o início das aulas, os estudantes matriculados nas entidades participarão de uma avaliação intermediária para acompanhamento do nível de aprendizagem. No sexto mês será realizado um teste final para comprovar que o estudante aprendeu a ler e escrever e dar seguimento à matrícula nos próximos níveis da EJA", informa Conceição Andrade, diretora da Unidade de Educação de Jovens e Adultos da Seduc.

Após a fase de alfabetização, os alunos estarão aptos a dar continuidade aos estudos na modalidade da Educação de Jovens e Adultos e seguindo com a profissionalização, qualificação ou certificação.

O Governador Wellington Dias pontua que o programa é desenhado em parcerias para alcançar o maior número de piauienses, criando mecanismos de permanência e certificação efetiva do processo de alfabetização.

"O Estado do Piauí já reduziu a metade da população analfabeta e agora buscamos trazer para abaixo da média brasileira. Tivemos a preocupação de utilizar com o máximo eficiência o recurso público e, aqui, estamos falando de 500 milhões de reais que colocamos à disposição para mudar a vida de pessoas por meio da Educação", finaliza Wellington Dias.

 

 

 


Fonte: SEDUC PI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) irá receber a Comenda Especial na solenidade de comemoração do 15º Aniversário da Fundação do Comitê de Educação em Direitos Humanos do Estado do Piauí – CEEDH/PI.

A homenagem irá acontecer nesta quinta-feira (21/10), de forma remota pelo canal do YouTube do próprio Comitê 

A Comenda, de acordo com o Comitê, é dada para pessoas e organizações que prestam importantes serviços e atividades que proporcionam impacto social em suas comunidades, além da  promoção dos valores e respeito expressos nos tratados internacionais no que diz respeito aos direitos humanos e combate a todas as formas de discriminação racial.


Fonte: UESPI
Comentar
Aprender novos meios · 20/10/2021 - 13h38

Turmas do 3° ano do Ensino Médio retornam ao chão da escola


Compartilhar Tweet 1



"Eu estou sentindo felicidade por estar retornando à escola, pois eu prefiro um contato direto com o professor, olho no olho, para facilitar o ensino", disse Alysson Quirino Costa, 17 anos, aluno do 3° ano do CETI Raldir Cavalcante Bastos, no bairro Renascença, que nesta manhã retornou com aulas presenciais no chão na escola. 

Após a publicação da portaria SEDUC-PI/GSE Nº 1442/2021, que dispõe sobre a autorização do retorno presencial em todas as modalidades e etapas de ensino, as escolas da rede estadual de ensino vêm retornando, de forma gradativa, as aulas 100% presenciais em escolas de todo o estado. De acordo com o diretor do CETI, Carlos Eduardo, a instituição atende 385 estudantes do 9° ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio.  

"Nós estávamos no modelo híbrido, mas hoje estamos voltando presencialmente com todas as turmas de 3ª série do Ensino Médio. Nós fizemos o planejamento com todos os professores porque nessa retomada presencial precisamos de uma atenção redobrada para que possamos refazer o que vínhamos fazendo em anos anteriores. Precisamos, também, sensibilizar os estudantes para que eles entendam que essa retomada é necessária e que eles precisam ter um maior esforço", disse o diretor.  

Além de voltar à sala de aula, os estudantes das 3ª séries do Ensino Médio têm um fator motivador que é a preparação para Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). O Alysson, do começo da matéria, diz ter o sonho de cursar Medicina em uma universidade pública e a sua preparação tem sido intensa e no período de isolamento social e aulas 100% remotas ele pôde aprender novos meios para reforçar seu estudo.  

"A escola proporcionava aulas e materiais, atividades e lives e eu tentava conciliar um horário específico somente para os estudos", disse ele, mas lembrando que o retorno presencial foi muito esperado: "no on-line a gente tem a comunicação, mas não é igual àquela intensa comunicação que temos na sala de aula". 

Nara Fernanda, 17 anos, e aluna da 3ª série também complementa: "eu tinha um cronograma de estudos em casa, mas voltar foi um alívio e me sinto segura por já estar vacinada. On-line era muito bom, mas nada se compara ao presencial, de olhar olho no olho com o professor para tirar dúvidas".  

A diretora da Unidade de Ensino e Aprendizagem (UNEA) da Seduc, Maria José Mendes, explica que a secretaria está acompanhando as escolas através de cada uma das 21 Gerências Regionais (GRE) e dando o suporte necessário para o retorno.

"Através da portaria 1442 a gente tem, a partir de hoje, a obrigatoriedade do retorno das turmas de 3ª série do ensino médio conforme cronograma de organização. Estamos acompanhando e é super positivo. Essa grande estratégia da Seduc tem como preocupação o foco na aprendizagem dos estudantes", disse Maria José.  

COMO SERÁ O RETORNO PRESENCIAL DAS AULAS?

18 de outubro 2021 - a 3ª série do Ensino Médio, em todas as modalidades e suas respectivas etapas;25 de outubro de 2021 -  o 5º e 9º anos do Ensino Fundamental;1ª de novembro de 2021 - 1º, 2º, 3º, 4º, 6º, 7º, 8º anos do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, a partir do dia 1º de novembro de 2021.


Fonte: SEDUC PI
Comentar