Compartilhar Tweet 1



A II Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa realizou a solenidade de premiação da edição 2017, nesta quarta-feira (13). Foram 46 estudantes premiados, os quais produziram textos nos gêneros: poema, crônica e artigo de opinião, sobre o tema "Retratos do nosso povo".

De acordo com a coordenadora estadual da Olimpíada na Seduc, Vilma Lages, os alunos da rede estadual conquistaram 80% das medalhas em todas as categorias. "A Olimpíada é  um projeto que visa não só a premiação em si, mas também melhorar a qualidade do ensino, porque o aluno passa a exercitar a escrita. O desempenho dos nossos alunos foi muito bom. Nesse ano vem a Olimpíada Nacional e acredito que eles também serão destaque", disse.

A Escola de Ensino Médio Augustinho Brandão, em Cocal dos Alves conquistou medalhas de ouro em todas as categorias. Com duas pratas e dois bronzes, o Patronato Nossa Senhora de Lourdes em Campo Maior também foi destaque.

Tayanara Soares,  aluna da 1ª série do Ensino Médio, é estudante do Patronato Nossa Senhora de Lourdes, em Campo Maior, e foi prata na categoria crônica. A jovem explica que em seu texto retratou o dia a dia da população de Campo Maior.  "Minha crônica fala sobre o mercado municipal, e a vida dessas pessoas que lá frequentam, vindo de localidades próximas e o cotidiano em torno disso. A olimpíada foi muito importante porque nos auxilia a progredir na escrita e a refletir sobre a nossa realidade", afirmou.

A edição deste na recebeu duas mil redações inscritas, de 121 municípios. Participaram da Olimpíada, estudantes de educação básica, regularmente matriculados na rede pública, nas modalidades fundamental e EJA (6º, 7º, 8º, 9º anos), Ensino médio, EJA e profissionalizante (1º,2º e 3º anos).


Fonte: Seduc
Com 280 vagas ofertadas · 13/12/2017 - 15h49 | Última atualização em 13/12/2017 - 16h01

Teste seletivo do Liceu Piauiense acontecerá na segunda-feira (18)


Compartilhar Tweet 1



A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa aos pais e alunos interessados que as provas do Teste Seletivo 2018 para Centro Estadual de Tempo Integral (Ceti) Zacarias de Góis (Liceu Piauiense) serão aplicadas na segunda-feira (18/12), das 13:30h às 16:30h. A escola está ofertando 280 vagas para a 1ª série do Ensino Médio Regular, na modalidade de Tempo Integral, para alunos de até 15 anos.

 

A prova, de caráter eliminatório e classificatório e com duração de três horas, incluindo o tempo para preenchimento do cartão resposta, será do tipo de múltipla escolha. Os portões da escola serão fechados rigorosamente às 13:30h, horário local.

 

O candidato deverá comparecer ao local da prova munido de Documento de Identidade (RG) ou de qualquer documento oficial de identidade com foto, e caneta esferográfica de tinta azul ou preta transparente. O caderno de prova conterá 30 questões, sendo 15 de Língua Portuguesa e 15 de Matemática. Os inscritos devem conferir o programa das disciplinas no edital.

 

O resultado final será divulgado no dia 22 de dezembro neste site da Seduc e no mural geral da secretaria do Liceu Piauiense.

 

Confira aqui o edital


Fonte: Com informações de SEDUC-PI
Cerca de 32 mil detentos · 12/12/2017 - 07h27 | Última atualização em 12/12/2017 - 07h44

Enem para presos e segunda aplicação começam nesta terça (12)


Compartilhar Tweet 1



Cerca de 32 mil pessoas privadas de liberdade farão nesta terça-feira (12/12) e quarta-feira (13/12) as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em mais de mil unidades prisionais de 577 municípios. Também será realizado hoje e amanhã o Enem para os participantes que tiveram direito a uma segunda aplicação do exame.

O Enem para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL) é destinado a pessoas submetidas a penas privativas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade. Os participantes com mais de 18 anos poderão utilizar o desempenho como mecanismo para acesso à educação superior. Já os menores de 18 anos, considerados "treineiros”, só poderão utilizar os seus resultados individuais para a autoavaliação de conhecimentos.

No Distrito Federal, a preparação dos presos para o Enem é focada principalmente na redação. “Observamos que os estudantes do sistema prisional têm muita dificuldade na prova de redação. Por isso, preparamos alguns aulões muito semelhantes aos que são oferecidos aos estudantes externamente, inclusive com professores que trabalham no Enem externo e têm muita experiência com a questão da redação”, explica Wagdo Silva, diretor do Centro Educacional 01 de Brasília, que é a escola responsável pela educação do sistema prisional do Distrito Federal. Os alunos também recebem materiais, como apostilas com o conteúdo para estudo.

No dia da aplicação da prova, todos os professores são convocados para ajudar na aplicação do exame. As provas são realizadas nos núcleos de ensino que ficam dentro das unidades prisionais. Os agentes penitenciários ficam do lado de fora das salas de aula fazendo a segurança. Segundo Silva, a aplicação das provas costuma ser tranquila. “Eu trabalho há 15 anos no sistema prisional como professor e nunca vi relato de um problema sequer na aplicação das provas”, diz.

Para ele, a aplicação do Enem é fundamental para os presos. “A sociedade não tem conhecimento do quanto esses exames são importantes para as pessoas que estão apenadas. É um ponto de partida para essas pessoas porque antes elas não tinham essa possibilidade. Nos últimos anos, há uma quantidade enorme de alunos que chegaram às universidades por meio do Enem”, acrescenta Silva.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mais de 197 mil pessoas presas e jovens sob medida socioeducativa já participaram do exame entre 2011 e 2016. O Enem PPL é uma iniciativa do Inep, em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania (Depen/MJC) e com a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Segunda aplicação

O Enem para os participantes que tiveram direito a uma segunda aplicação do exame também começa hoje. O Inep estima a participação de 3.606 inscritos, que prestarão os exames em 34 locais de 27 municípios.

Entre os motivos para a segunda aplicação estão a interrupção do fornecimento de luz, que afetou 3.574 participantes de nove locais, em Olinda (PE), Teresina (PI) e Uruaçu (GO). Outros cinco casos são de atendimentos a demandas judiciais e 27 resultam de deferimentos da Comissão de Demandas para atender a participantes que tiveram problemas diversos.

Encceja

Nos dias 19 e 20 de dezembro serão realizadas as provas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Encceja Nacional PPL). Segundo o Depen, mais de 74 mil presos vão prestar o exame.


Fonte: Agência Brasil

Compartilhar Tweet 1



O Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL) será aplicado, nesta terça (12) e quarta-feira (13), em 1.078 unidades prisionais de 577 municípios brasileiros. Este ano, 313 detentos do Piauí farão a prova do exame que tem grau de dificuldade equivalente ao do Enem regular, realizado em novembro.

As provas terão início às 13h30 (horário de Brasília). No primeiro dia, serão aplicadas as provas de Ciências Humanas e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; e Redação. No segundo dia, os detentos farão provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias; e Matemática e suas Tecnologias.

Os participantes com idade a partir de 18 anos poderão utilizar o desempenho no exame como mecanismo único, alternativo ou complementar para acesso à Educação Superior.

O Enem PPL é uma iniciativa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania (Depen/MJC) e com a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. O objetivo é proporcionar acesso às políticas educacionais e aos programas sociais do governo federal

Pré-Enem PPL

Visando ampliar as oportunidades de educação para pessoas privadas de liberdade, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), em parceria com a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), desenvolve o Pré-Enem PPL.

O objetivo do projeto é preparar os detentos para o Exame Nacional do Ensino Médio por meio de revisões e aulas preparatórias, que são realizadas por meio do Canal Educação. “Em 2017, a Seduc implantou o Canal Educação em treze unidades prisionais do Estado. Por meio da mediação tecnológica, os detentos assistiram aulas preparatórias durante todo o segundo semestre. Fora as aulas, a secretaria realizou seis grandes revisões preparatórias dentro das penitenciarias. A última será nesta segunda-feira (11), na Casa de Custódia”, informou o superintendente de Ensino Superior da Seduc, Ellen Gera.

De acordo com a Secretaria da Justiça, cerca de 36,2% dos presos do Piauí estão inseridos em programas educacionais no sistema prisional do Estado e atualmente o percentual correspondente a 1.613 reeducandos. Ainda segundo o órgão, em 2014, apenas 5,1% dos detentos estudavam (164) e, de 2015 a 2017, houve um crescimento de quase 300% no número de pessoas privadas de liberdade estudando nos presídios estaduais.

Reaplicação

Nos dias 12 e 13 também será realizada a segunda aplicação do Enem. No Paiuí, mais de 700 pessoas terão direito à reaplicação, por conta da interrupção do fornecimento de energia em um dos locais de prova.

Para os participantes com direito à segunda aplicação, o cartão de confirmação da inscrição está disponível na Página do Participante. Todos devem consultar o cartão para saber o local de prova, que pode ser diferente do local da primeira aplicação das provas.

Para acessar o local de prova é preciso informar o login e a senha cadastrada na inscrição. Para os participantes que não se lembram da senha cadastrada, o Inep preparou um passo a passo para recuperação da senha, disponível na Página do Participante.


Fonte: AsCom

Compartilhar Tweet 1



As secretarias de Justiça e de Educação do Piauí realizarão, nesta segunda-feira (11), a partir das 8h, na Casa de Custódia de Teresina, a última revisão geral para reeducandos do sistema prisional antes das provas do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade e Jovens sob Medida Socioeducativa (Enem PPL) que serão aplicadas na terça (12) e quarta (13).

 

Esta é a segunda revisão geral do Enem realizada, neste ano, para detentos das unidades penais da Grande Teresina. Outras revisões aconteceram, também, nos presídios do interior do Estado. Na área educacional, são desenvolvidos, no sistema penitenciário do Piauí, os programas Educação de Jovens e Adultos (EJA), Brasil Alfabetizado e Canal Educação.

 

De acordo com a Secretaria de Justiça, cerca de 36,2% dos presos do Piauí estão inseridos em programas educacionais no sistema prisional do Estado, atualmente – percentual correspondente a 1.613 reeducandos. Ainda segundo o órgão, em 2014, apenas 5,1% dos detentos estudavam (164) e de 2015 a 2017, houve um crescimento de quase 300% no número de pessoas privadas de liberdade estudando nos presídios estaduais.

 


Fonte: Com informações da assessoria

Compartilhar Tweet 1



O edital de abertura do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi lançado, nesta sexta-feira (08/12), pelo Ministério da Educação. Quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste ano deve ficar atento: as inscrições vão de 29 de janeiro às 23h59 do dia 1º de fevereiro.

O desempenho dos candidatos no Enem deve ser publicado em 19 de janeiro. Os participantes que tirarem mais do que zero na redação podem concorrer a uma vaga no ensino superior público.

Ao todo, 130 instituições ofertaram oportunidades, entre universidades, centros universitários, institutos federais e faculdades. Das 63 universidades federais do País, 61 já aceitam a nota do Enem para ingresso nos cursos.

Nesta etapa, as vagas são destinadas à entrada nos cursos no primeiro semestre de 2018. Em maio, um novo edital deve ser lançado para preencher vagas no segundo semestre letivo.

O Sisu permite que os candidatos indiquem dois cursos, conforme a nota de corte. Enquanto o período de inscrição estiver aberto, os candidatos podem alterar quantas vezes quiserem as opções de acordo com a flutuação das notas de corte.


Fonte: Ministério da Educação
Quantidade significativa · 09/12/2017 - 10h43

Justiça suspende demissões de professores da Estácio


Compartilhar Tweet 1



Três dias após a instiuição privada de ensino superior Estácio confirmar a intenção de demitir uma quantidade significativa de professores como parte de um processo de “reorganização institucional”, a Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro acolheu um pedido do Sindicato dos Professores do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-RJ) e suspendeu provisoriamente os desligamentos. As primeiras informações veiculadas pela imprensa davam conta de que a Estácio planejava demitir cerca de 1,2 mil funcionários em todo o país – cerca de 400 só no estado do Rio de Janeiro. Mas a instituição não confirma no número.

A universidade tem prazo de 72 horas para apresentar a lista dos professores já demitidos, bem como os respectivos termos de rescisão contratual, a relação dos docentes que ainda planeja dispensar e quantas vagas pretende preencher nos próximos semestres. Por meio de sua assessoria, a Estácio informou que vai recorrer da decisão liminar anunciada na noite desta quinta-feira (7).

“A instituição acredita no Poder Judiciário e reforça que suas medidas foram tomadas com total amparo da lei. Afirma ainda que desconhece qualquer legislação que a obrigue a apresentar a relação dos profissionais desligados”.

A Estácio é um dos maiores grupos de ensino do país. Fundada em 1970, no Rio de Janeiro, como uma faculdade de direito, a insituição atua em todas as unidades da federação e atende mais de 500 mil alunos na graduação.

A Estácio afirma que o processo de “reorganização” visa a manter a sustentabilidade da instituição e envolve, além do desligamento de um número não confirmado de professores, a criação de um cadastro reserva para o preenchimento de eventuais vagas que surgirem nos próximos semestres.

“As novas contratações ocorrerão exatamente no mesmo regime de trabalho dos professores que estão sendo desligados e não se trata de recontratação dos mesmos professores que estão sendo desligados”, garante a universidade, argumentando que, por força de lei, as instituições universitárias só podem mexer na composição do quadro docente a cada final de semestre. “[É uma] janela muito restrita, o que faz com que o volume de desligamentos fique concentrado em curto espaço de tempo”.

Na segunda-feira (11), o Ministério Público do Trabalho (MPT) deve realizar uma audiência pública para tratar do assunto.

Cortes em outras instituições
Também nesta quinta-feira, o Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação (IBMR), do Rio de Janeiro, confirmou o desligamento de docentes, despertando a reação de alunos que, nas redes sociais, lamentaram as demissões.

Fundada em 1974 e integrada à Rede Internacional de Universidades Laureate em 2009, o instituto mantém três campus na cidade do Rio de Janeiro. Assim como a Estácio, que não revelou quantos profissionais planeja desligar, o IBMR também não fala em números.

 Já o IBMR, ao ser questionado pela Agência Brasil, se limitou a informar que os desligamentos “estão em linha com os praticados em outros momentos e fazem parte do universo de uma instituição de ensino”, tendo por base o processo semestral de avaliação de desempenho funcional.

Procurado pela Agência Brasil, o Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-RJ) informou que já é rotina as instituições privadas de ensino demitirem professores a cada fim de semestre. No entanto, ao contrário do ocorrido em períodos anteriores, nenhuma delas está notificando o sindicato a respeito das homologações.

“É comum o IBMR e outras instituições de ensino demitir? É. É comum o IBMR demitir mais de dez ou vinte professores a cada fim de semestre? É. Assim como outras instituições universitárias. Infelizmente, na iniciativa privada, há uma rotatividade de professores expressiva”, declarou o diretor do Sinpro-RJ, Gustavo Henrique Cornélio, explicando que será preciso alguns dias para o sindicato se inteirar sobre a situação.

“Até recentemente, as homologações deviam ser antecipadamente notificadas e feitas obrigatoriamente nos sindicatos. Agora, escoradas na nova legislação trabalhista, as empresas estão procurando fazer o acerto de contas em suas próprias sedes. Estamos orientando a categoria a não aceitar isso, mostrando que é fundamental que isso seja feito no sindicato, com a orientação de um especialista, a fim de evitar erros”, acrescentou Cornélio.


Fonte: Agência Brasil

Compartilhar Tweet 1



Estudantes de diversas áreas do conhecimento e diferentes campi da Universidade Estadual do Piauí, obtiveram aprovações em programas de mestrado e doutorado de instituições de ensino em todo o Brasil. Eles relataram o resultado do processo que transformará suas vidas e experiências.

Um grupo composto por quatro estudantes da primeira turma do Curso de Filosofia do campus Prof. Alexandre Alves de Oliveira da UESPI, em Parnaíba, foram aprovados em programas de pós-graduação na Universidade Federal do Piauí e da Universidade Federal de Minas Gerais. Os alunos Bruno Oliveira, Reinaldo Melo e Myria Fernanda foram aprovados no programa no Mestrado em Filosofia da UFPI (PPGFIL).

Maylson Candeira, que obteve aprovação no mestrado na UFMG, agradeceu ao apoio dos professores que o influenciaram nesse processo. “São excelentes profissionais, ótimas pessoas que se importam com o desenvolvimento acadêmico dos alunos”, diz Maylson, que pretende, com as pesquisas, trazer frutos para a Filosofia, sobretudo na área de Filosofia da Mente.

Bruno Oliveira, Maylson Candeira, Reinaldo Melo e Myria Fernanda, ambos de Parnaíba, foram aprovados em Mestrado de Filosofia
Bruno Oliveira, Maylson Candeira, Reinaldo Melo e Myria Fernanda, ambos de Parnaíba, foram aprovados em Mestrado de Filosofia 

Os programas de iniciação científica e de iniciação à docência contribuíram para formação dos graduandos, exemplo disto é a bolsista do PIBID e PIBIC do campus Torquato Neto, em Teresina, Karla Santos. Ela apresentou um projeto que veio a culminar com a aprovação do Mestrado em Letras da UFPI. “A vaga que conquistei no processo seletivo do mestrado da UFPI é resultado de todo um caminho de pesquisas e experiências que esses programas me proporcionaram”, comemora.

Karla falou que teve ativa participação em programas de iniciação à docência. “Minha participação como bolsista, desde então, resultou de forma ativa até no meu trabalho de conclusão de curso com uma temática dentro da mesma linha de pesquisa (Metaficção historiográfica)”, disse.

“Fiquei aliviado em saber que os conhecimentos aprendidos na UESPI puderam me ajudar nessa seleção e com isso continuar a vida acadêmica e melhorar minha formação profissional”, destacou o aluno do campus Clóvis Moura, Abraão Janderson, sobre a importância da aprovação no mestrado em Letras Português da (UFPI).

Entre outros alunos da UESPI aprovados estão Bruno Melo e Rafael Melo, Mestrado em Filosofia (UFPI); Aline Brandão, Mestrado em Química (UESPI); João Vitor, 1° lugar no Mestrado de Botânica na Universidade Federal de Viçosa (UFV); Robson Sousa, Doutorado na Universidade de Campinas (UNICAMP); Lucas Araújo, 1º lugar Mestrado em Direito na Universidade de Brasília (UnB); a egressa Sandra Elena, 1º lugar Mestrado em linguística (UFPI); Naira Suzane, Mestrado em Letras Português (UFPI); Liviane Martins, Mestrado em Linguística (UFPI); Marcos Paulo e Pedro Augusto, Mestrado em Física (UFPI);  e Ana Cláudia, Doutorado Sanduíche em Física na Espanha.

Além de Danielle do Rego Monteiro, Ravena Amorim, Josivan Antonio do Nascimento, Ana Claudia Oliveira, Michel Augusto Carvalho, Jeane Virginia e Wesley William Alves de Oliveira, todos aprovados em Mestrados de Letras (UESPI).

Motivação
Para realizar o sonho de se formar em uma universidade, o estudante de rede pública de ensino municipal e estadual, Bruno Oliveira, conseguiu vencer obstáculos. Ele é um dos aprovados no mestrado da UFPI. Com base em sua experiência de vida, o estudante estimula quem deseja alcançar o mestrado. “Tive persistência e foco desde minha aprovação na graduação da UESPI pelo Enem, e dentro da instituição me empenhei a produzir trabalhos, escrevi capítulos de livros, aproveitei ao máximo o que instituição me proporcionou até me motivar a conseguir êxito na aprovação do mestrado”, confessa Bruno.

Bruno reconheceu a importância da UESPI para seus estudos, e ressaltou que é significativo para a carreira. “A UESPI nos proporcionou os conhecimentos balizares graças aos nossos orientadores e isso reforçou nossa aprovação nesses mestrados tão conceituados”, avalia o estudante.

Eficiência
Os orientadores têm papel em nortear os graduandos.“Estamos sempre ampliando os estudos, colhendo mais informações direcionando aos discentes”, frisou a Profa. Maria Suely Lopes, orientadora da aluna Karla Santos.

“Sou muito grato a todos eles, especialmente ao professor Thiago Chaves, meu orientador, que teve forte influência na minha aprovação no mestrado da UFMG,” suscitou o aluno Maylson Candeira.

Para os docentes da UESPI, o empenho dos alunos faz a diferença. “Nossos alunos são interessados por estarem envolvidos com pesquisa, PIBIC, publicações, estamos bastantes satisfeitos e felizes. Temos cursos sólidos e eficientes com inserção acadêmica, é um momento de celebração de um ciclo produtivo”, celebrou a Profa. Dra do curso de Filosofa da UESPI/ Paranaíba e Profa. do Mestrado da UFPI, Solange Costa.

Segundo a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) que avalia o desempenho em programas de pós-graduação no país, as seleções de mestrado das instituições seguem uma sistemática e rigorosa norma de avaliação.


Fonte: Uespi

Compartilhar Tweet 1



Aprender sobre educação financeira dentro da sala de aula é fundamental para o fortalecimento da cidadania. Ao estar ambientado com o assunto, o aluno se torna mais consciente sobre a importância de tomar decisões acertadas sobre finanças e consumo. Este é o tema do programa Educação no Ar, exibido pela TV MEC nesta quinta(07/12).

O decreto presidencial 7.397/2010 instituiu a Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef), que tem como objetivos promover a educação financeira e previdenciária, aumentar a capacidade do cidadão para realizar escolhas conscientes sobre a administração dos seus recursos e contribuir para a eficiência e a solidez dos mercados financeiro, de capitais, de seguros, de previdência e de capitalização.

O documento criou um colegiado formado pelo Ministério da Educação, por reguladores e várias instituições privadas. Segundo a presidente do grupo de apoio pedagógico do Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef) e assessora técnica da Secretaria de Educação Básica do MEC, Sandra Tiné, trata-se de uma ação pública que conta com os parceiros privados. “Ele [o decreto] é importante para que a gente consiga levar essa temática a todas as pessoas da população, particularmente, nas escolas”, afirma a assessora. “O decreto precisa, de fato, ser conhecido. As pessoas precisam saber efetivamente o que se faz e qual o trabalho feito com educação financeira no país. ”

Educação financeira é um tema pouco familiar. Sandra Tiné chama atenção sobre a falta de conhecimento sobre o que é ser financeiramente educado, como gerir finanças, planejamentos e projetar sonhos. “Isso são coisas que devem ser trabalhadas desde o início da escolarização, com as crianças”, explica. “Se olharmos as últimas pesquisas, vemos que ainda somos um país de pessoas superendividadas e isso compromete o desenvolvimento do país. Queremos e precisamos ser um país de poupadores”.

Hoje o MEC ocupa uma posição importante dentro do Conef. Todas as ações de ordem pedagógica passam pelo grupo de apoio pedagógico, que é dirigido pela pasta. O MEC também distribui, gratuitamente, por meio do site www.vidaedinheiro.gov.br, informações que as escolas podem utilizar. “Lá nós temos material para download e distribuição de livros impressos tanto do ensino médio quanto do ensino fundamental”, enumera Sandra Tiné.

Ao aprender educação financeira na escola, a criança se torna um exemplo para os pais e isso se reflete dentro de casa. “Desde pequeno, quando a criança volta da escola, ela adquire hábitos e socializa seus conhecimentos”, argumenta a assessora técnica, reforçando que a ideia é que a escola seja também um elo, entre as ações praticadas no âmbito das aulas e as ações da família. “Uma criança que aprende a poupar, que fecha a torneira e que tem essas preocupações com a sustentabilidade, leva tudo isso para casa. Isso se reflete nas famílias, é uma ação que parte da escola para toda a sociedade”, conclui.

Ensinar o tema é uma forma também de preparar as crianças e os adolescentes para o futuro. “Não só o futuro desses jovens, mas do país”, destaca Sandra. “Um país que não poupa dificilmente é um país que cresce. Precisamos ter um país que aprenda a poupar, que entenda a trabalhar o seu dinheiro. E isso começa dentro de casa, nas nossas finanças pessoais. ”


Fonte: Com informações do MEC
Para creches e pré-escolas · 06/12/2017 - 08h34

Comissão aprova modificações na distribuição de recursos do Fundeb


Compartilhar Tweet 1



A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou nesta terça-feira (5) parecer favorável ao PLS 163/2014, que modifica os critérios de distribuição dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) entre as modalidades de ensino, reforçando aportes para creches e pré-escolas.

A proposta também eleva de 10% para 20% o percentual mínimo de complementação da União incidente sobre o total dos recursos de impostos e transferências vinculados a esse Fundo. A elevação deve ocorrer de forma gradativa, após a publicação da lei, com incremento anual de, pelo menos, dois pontos percentuais.

O projeto ainda estende aos conselhos estaduais, municipais e distrital de educação o exercício das competências do Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb e do Conselho de Alimentação Escolar, desde que o respectivo ente, por ato legislativo próprio, assim o defina.

O Fundeb é o caixa para financiar as etapas da educação básica, que vai das creches até a educação de jovens e adultos. Os recursos do fundo vêm dos municípios e estados e complementados com verbas da União, quando necessário.

Todas essas mudanças relacionadas ao Fundeb estão em texto substitutivo apresentado pelo relator Cristovam Buarque (PPS-DF) ao analisar uma série de proposições sobre mudanças no fundo. O relator aglutinou as propostas em único texto.

Flexibilidade

Apresentado pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), o PLS 163/2014 propõe a alteração da Lei 11.494/ 2007, para dar maior flexibilidade aos critérios de distribuição dos recursos do Fundo entre as diferentes etapas, modalidades e tipos de estabelecimento de ensino.

O Fundeb é formado por 20% de uma cesta de impostos e cada estado possui seu próprio fundo. As redes estadual e municipal de ensino dividem os recursos, alocados conforme o número de matrículas em cada rede. Além disso, a Lei 11.494/2007 estabelece peso para cada modalidade do ensino básico: creche, pré-escola, ensino fundamental urbano e no campo; ensino médio urbano e no campo; educação profissional; educação especial; educação para indígena e quilombola e de jovens e adultos.

Essa ponderação tem como referência o fator 1 para anos iniciais do ensino fundamental urbano e entre 0,7 e 1,3 para as demais modalidades. O autor do texto argumenta que essa escala dificulta a alocação conforme a necessidade de cada categoria de ensino, prejudicando as categorias mais caras, como é o caso das creches e pré-escolas.

Ele sugere manter o fator de referência para anos iniciais do ensino fundamental urbano e acabar com a escala para as demais modalidades. No lugar, a Comissão Intergovernamental de Financiamento para a Educação Básica de Qualidade fixaria um fator que assegure um padrão mínimo de qualidade em cada modalidade.

— O fato de o projeto permitir a elevação do financiamento à manutenção de creches (e, possivelmente, de pré-escolas), reforça minha avaliação positiva quanto ao mérito. A ciência tem mostrado que a estimulação intelectual e emocional nos primeiros anos de vida é decisiva para o desenvolvimento da capacidade cognitiva — apontou Cristovam ao acatar a proposta no substitutivo.

Mais despesa

O projeto implica aumento de uma despesa obrigatória de caráter continuado. Segundo Cristovam, esse impacto orçamentário será absorvido pela União via Margem Líquida de Expansão das Despesas Obrigatórias, estimada em R$ 12,9 bilhões no exercício de 2018, conforme a Lei 13.473/2017 (LDO 2018). O financiamento do aumento da despesa com a complementação da União para o Fundeb também pode ser realizado a partir da redução dos gastos tributários da União, conforme o senador.

— A proposta é sem dúvida relevante. Há hoje um consenso em relação à necessidade de melhorar o sistema educacional brasileiro como condição indispensável para possibilitar o desenvolvimento econômico e social do país. No entanto, a análise mais aprofundada caberá à Comissão de Educação, Cultura e Esporte — completou.

Tramitação

Agora que passou pela CAE, o projeto segue para decisão final da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), sem a necessidade de ir posteriormente ao Plenário, desde que não haja recurso para este fim.


Fonte: Agência Câmara

Compartilhar Tweet 1



O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) liberou nesta terça-feira, 5, o acesso ao Cartão de Confirmação da Inscrição dos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 com direito à segunda aplicação, em  12 e 13 de dezembro. O Inep aguarda 3.606 pessoas para a reaplicação do Enem, que será realizada em 34 locais de provas de 27 municípios.

A reaplicação será na mesma data e terá a mesma prova do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade e Jovens sob Medida Socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL). Este ano, o Enem PPL teve 31.765 inscrições e será aplicado em 1.078 unidades prisionais, de 577 municípios. O grau de dificuldade da prova é equivalente ao do Enem regular, realizado em 5 e 12 de novembro.

ACESSE A PÁGINA DO PARTICIPANTE

Entre os motivos para a segunda aplicação estão a interrupção do fornecimento de luz que afetou 3.574 participantes de nove locais de aplicação, em Olinda (PE), Teresina (PI) e Uruaçu (GO). Outros cinco casos são de atendimentos a demandas judiciais e 27 resultam de deferimentos da Comissão de Demandas para atender atender participantes que tiveram problemas diversos.

Para os participantes com direito à segunda aplicação o Cartão de Confirmação da Inscrição está disponível na Página do Participante. Todos devem consultar o Cartão para saber o local de prova, que pode ser diferente do primeiro local. Para acessar o local de prova é preciso informar o login e a senha cadastrada na inscrição. Para os participantes que não se lembram da senha cadastrada, o Inep preparou um passo a passo para recuperação de senha, disponível na Página do Participante.


Fonte: Com informações do Inep

Compartilhar Tweet 1



Acontece no dia 13 de dezembro (quarta-feira), às 19h, no Auditório do CEEP José Pacífico de Moura Neto, localizado na R. Vinte e Um, 210-378 - Novo Horizonte, Teresina - PI o espetáculo teatral CABO DE GUERRA, sendo esta a segunda montagem dos alunos do Projeto Teatro na Escola. Os ingressos  podem ser adquiridos com os alunos do curso Teatro na Escola e na Secretaria do CEEP.

 

O projeto Teatro na Escola tem por objetivo libertar os alunos do marasmo proporcionando-lhes novas possibilidades e melhores visões sobre a vida, resgatando assim no indivíduo a crítica apurada e a visão analítica e sistêmica do mundo em que está inserido, permitindo ao aluno evoluir em vários níveis, incluindo a facilidade de socialização, criatividade, coordenação, memorização, vocabulário, entre muitos outros.


Fonte: Com informações da Seduc / PI

Compartilhar Tweet 1



A Faculdade UNINASSAU Aliança, através do Núcleo de Empregabilidade e Carreiras (NEC), realiza, no próximo dia 5 de dezembro, o Prêmio Melhores Empresas Para Estagiar em Teresina. O evento acontece no auditório do campus Redenção, a partir das 18h30.

De acordo com a analista de carreiras da Instituição de Ensino Superior (IES), Izabela Müller, a premiação faz parte da programação do 2ª Encontro de RH´s deste ano e tem como principal objetivo incentivar as boas práticas de estágio. “Foi realizada uma pesquisa com todos os estagiários da UNINASSAU Aliança. Os estudantes avaliaram as empresas em vários aspectos. Com base nos resultados, iremos premiar as 20 melhores”.

O Encontro de RH acontece duas vezes por ano e nesta edição o foco estará na importância de se formar profissionais mais preparados para o mercado de trabalho. A programação contará com a participação da escritora e pesquisadora Marina Simão falando sobre o livro "Salário Emocional". O campus Redenção fica localizado na Rua Dr. Otto Tito, 278, Bairro Redenção.


Fonte: AsCom
3.785 vagas em 20 campi · 04/12/2017 - 09h30 | Última atualização em 04/12/2017 - 09h33

Inscrições para cursos técnicos do IFPI ficam abertas até 10/12


Compartilhar Tweet 1



Continuam abertas, até 10 de dezembro, as inscrições para 3.785 vagas em cursos técnicos do Instituto Federal do Piauí (IFPI). As oportunidades estão distribuídas em 20 campi: Angical, Campo Maior, Cocal, Corrente, Dirceu, Floriano, José de Freitas, Oeiras, Parnaíba, Paulistana, Pedro II, Picos, Pio IX, Piripiri, São João do Piauí, São Raimundo Nonato, Teresina Central, Teresina Zona Sul, Uruçuí e Valença.

Para se inscrever, o candidato deve acessar o endereço eletrônico www.ifpi.edu.br/classificatorio2018-1, preencher o formulário on-line e imprimir a Guia de Recolhimento da União (GRU), no valor de 30 reais, que deverá ser paga até o dia 11 de dezembro.

Os cursos técnicos do Instituto Federal do Piauí são gratuitos e ofertados em três formas: integrada, para quem já concluiu ou esteja concluindo o Ensino Fundamental em 2017; concomitante, para quem vai cursar, em 2018, o Ensino Médio em outra instituição; e subsequente, para quem já concluiu ou está concluindo, em 2017, o Ensino Médio.

As provas do Exame Classificatório serão aplicadas no domingo, 7 de janeiro de2018, das 8h às 12h (horário local). A prova terá 60 questões objetivas: 30 deLíngua Portuguesa e 30 de Matemática. O gabarito será divulgado no mesmo dia, à tarde, e o resultado final será divulgado no dia 25 de janeiro de 2018.


Fonte: AsCom
Ensino infantil e fundamental · 03/12/2017 - 15h27 | Última atualização em 03/12/2017 - 15h30

Nova base comum curricular da educação básica será votada nesta semana


Compartilhar Tweet 1



O Conselho Nacional de Educação (CNE) irá votar nesta semana seu parecer sobre a Base Nacional Comum Curricular, que deverá embasar os currículos da educação básica e descrever a aprendizagem que deve ser trabalhada na educação infantil e no ensino fundamental. A votação está marcada para os dias 6 e 7 de dezembro, e será feita em sessões públicas.

Após aprovação da base pelo CNE, o documento deverá ser homologado pelo ministro da Educação para começar a valer. Um dos pontos mais polêmicos diz respeito à proposta apresentada pelo Ministério da Educação (MEC) de antecipar a alfabetização das crianças para o 2º ano do Ensino Fundamental. Ainda não há um posicionamento do CNE sobre a mudança, se vai ser mantida na votação.

Atualmente, as diretrizes curriculares determinam que o período da alfabetização deve ser organizado pelas escolas até o 3º ano do ensino fundamental. Esse também é o prazo previsto no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, que estabelece que todas as crianças estejam alfabetizadas até os 8 anos de idade. No entanto, o governo entende que as crianças de famílias mais ricas já estão plenamente alfabetizadas ao final do 2º ano, e esse direito deve ser assegurado para todas as crianças.

Ideologia de gênero
As questões relacionadas à ideologia de gênero e orientação sexual também deverão ser tratadas no texto final da base. O CNE diz que vai vai trabalhar essa questão “respeitando o pluralismo, as diferença e os direitos humanos, com um texto que possa ser devidamente compreendido”, de acordo com o presidente do Conselho, Eduardo Deschamps. Segundo ele, foram recebidas muitas sugestões em relação ao tema nas audiências públicas, que devem ser levadas em consideração no texto final.

Ensino religioso
A oferta de ensino religioso nas escolas também deve ser tratada no texto final da base curricular, mas ainda não foi divulgado de que forma a questão será apresentada. Outros pontos que podem sofrer alterações no texto final da base são a incorporação de tecnologias, aperfeiçoamentos em língua portuguesa e na educação infantil, além de educação indígena e quilombola.

O CNE recebeu a terceira versão da BNCC em abril, e realizou cinco audiências públicas regionais para colher sugestões de aperfeiçoamento ao texto. Foram recebidos 234 documentos com sugestões e críticas ao texto que foi enviado pelo MEC.

O documento que estabelece as diretrizes para os currículos das escolas de ensino médio será enviado pelo MEC ao CNE só no início do ano que vem. A previsão inicial do governo era que a Base Nacional Comum Curricular do ensino médio fosse concluída até o fim deste ano, mas, segundo o ministério, o adiamento ocorreu para priorizar a análise da base comum para a educação infantil e o ensino fundamental.


Fonte: Agência Brasil
Abrigará centros de pesquisa · 02/12/2017 - 08h34

Bancada federal discute criação do primeiro Parque Tecnológico na UFPI


Compartilhar Tweet 1



Na próxima segunda-feira (04), representantes da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Universidade Estadual do Piauí (USPI), e Instituto Federal do Piauí (IFPI), junto à bancada federal, discutirão, no Salão Nobre da UFPI, a viabilidade de construção do primeiro Parque Tecnológico do Estado. A proposta é que o Parque abrigue vários centros de pesquisas em parceria com diversas instituições públicas e privadas.

O Pró-Reitor de Pesquisa (PROPESQ), Prof. Dr. João Xavier da Cruz Neto, informou que o Parque Tecnológico já é um projeto discutido pelo Reitor, Prof. Dr. José Arimatéia Dantas Lopes, desde 2012 e que vinha sendo trabalhado pelo Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia (NINTEC).

“Montamos uma missão técnica composta pelos professores Lívio César Cunha Nunes, Superintendente da Fundação Cultural e de Fomento à Pesquisa, Ensino, Extensão e Inovação (Fadex); Maria Rita de Morais Chaves Santos, Coordenadora do NINTEC; e Angel Alberto Hidalgo, Coordenador da Coordenadoria de Projetos Estruturantes da PROPESQ, com o intuito de visitar parques tecnológicos em Natal/RN, São José dos Campos/SP, Florianópolis/SC e Palhoça/SC. No dia 16 de outubro, fizemos uma reunião, onde eles elaboraram um relatório e prepararam uma apresentação. Com isso, foi definido qual o modelo de parque será adotado pela UFPI”, destacou.

O Parque Tecnológico abrigará como, por exemplo, o centro de Biofotônica e de Biomateriais, que usa a luz, em formas de laser ou leds, como medidor de parâmetros para diagnósticos e tratamentos de doenças, como o câncer, Alzheimer, dentre outras.

Segundo o Prof. Dr. Bartolomeu Cruz, o Centro de Biofotônica será voltado para desenvolvimento de tecnologias para indústrias dentro e fora do país. “A ideia é que o centro, no futuro, seja totalmente autossustentável, com projetos de pesquisas desenvolvidos para os problemas das indústrias na área”, afirmou.

A criação de outros centros dentro do Parque Tecnológico já está sendo discutida como pesquisas em Computação, Engenharias Mecânica e Eletrônica e outras áreas do saber, com participação direta de empresas e da sociedade em geral.

“Como característica de qualquer parque tecnológico, envolverá as instituições de pesquisa do Estado tais como UFPI, IFPI, UESPI e EMBRAPA, bem como as faculdades particulares que se dispuserem a participar. O polo terá uma área delimitada abrangendo boa parte da UFPI, onde teremos incentivos tecnológicos (apoio científico, humano e material), bem como incentivos fiscais (estaduais e municipais) para empresas de base tecnológica que se desenvolverem ou instalarem nesse ecossistema. Ultrapassará a área geográfica possuindo polos ou parceiros em outros espaços e/ou municípios. A princípio foram eleitas quatro linhas de atuação prioritária (mas não limitante): Energias renováveis; Biotecnologia e Saúde; TIC"s e Robótica; Agronegócios”, explica o Superintendente da FADEX, Prof. Dr. Lívio Nunes.


Fonte: AsCom/UFPI
Para NO, NE e Centro-Oeste · 02/12/2017 - 06h20

Governo anuncia mais R$ 1 bilhão para financiar ensino superior


Compartilhar Tweet 1



Pela primeira vez, recursos dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento, administrados pelo Ministério da Integração, serão destinados ao financiamento estudantil com garantia de mais de R$ 1 bilhão para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Além do aporte federal específico, condições facilitadas como juros mais baixos e maior prazo para pagamento das parcelas também estão assegurados nos contratos com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) já a partir do próximo semestre. Os Fundos Constitucionais, por exemplo, destinarão R$ 700 milhões para o Nordeste, R$ 234 milhões ao Norte e R$ 190 milhões para o Centro-Oeste.

O volume de recursos destinado a cada região foi aprovado nos últimos dias em reuniões do Conselho Deliberativo (Condel) das Superintendências do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), do Nordeste (Sudene) e Centro-Oeste (Sudeco). Os Fundos de Desenvolvimento também poderão destinar até 20% do orçamento anual para contratos do Fies. O intuito é priorizar áreas que mais carecem de profissionais com nível superior.

“É um importante incentivo para facilitar o acesso da juventude à educação, seja a graduação do ensino superior, doutorado, mestrado ou pós-graduação”, destaca o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho. Os investimentos dos Fundos regionais no setor educacional tornaram-se possíveis a partir da Medida Provisória 785, editada em julho deste ano.

Serão 310 mil vagas geradas no Novo Fies, composto por três faixas. Na primeira, serão oferecidas 100 mil vagas, com taxa zero de juros, para alunos com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos. Os recursos desse financiamento serão provenientes da União. Já nas modalidades 2 e 3, destinadas a estudantes com renda per capita mensal de até cinco salários mínimos, entram o aporte dos Fundos regionais e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste, em particular, serão ofertadas 150 mil vagas em 2018.

A abertura das inscrições para o Fies 2018 está prevista para a primeira quinzena de fevereiro, logo após a divulgação do resultado do Programa Universidade para Todos (ProUni).


Fonte: AsCom/Ministério da Integração
Melhoria do clima escolar · 01/12/2017 - 12h30

Unibanco e Seduc-PI promovem seminário sobre experiências de gestão


Compartilhar Tweet 1



O Instituto Unibanco e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc-PI) realizam no dia 5 de dezembro o Seminário Estadual Caminhos para a Qualidade da Educação Pública do Piauí: Experiências de Gestão e Clima Escolar, que reunirá os gestores das escolas e das regionais da rede pública de ensino do Piauí. O objetivo do evento é discutir como a gestão pode contribuir para a melhoria do clima escolar e influenciar, desta forma, as práticas educativas e os resultados de aprendizagens dos estudantes. A secretária de Educação, Rejane Dias, fará palestra sobre o tema “Gestão Educacional”.

O seminário será dividido em quatro mesas de debate. A primeira “Cultura de paz e clima escolar” contará com apresentações da gerente de Implementação de Projetos do Instituto Unibanco, Maria Julia Azevedo, e de Flávia Gomes, do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação e Cidadania (CAODEC), com mediação de Ellen Gera, superintendente da Seduc.

Em seguida, os supervisores educacionais do estado apresentarão suas experiências para a melhoria do clima e da organização da equipe gestora voltadas à aprendizagem dos estudantes dialogando com a experiência do Pará compartilhada pela supervisora Rita de Cássia de Sousa Lopes, de Santarém (PA).

No período da tarde, os gerentes educacionais se reunirão em torno do tema “Perspectivas de gestão para a rede de escolas”, em que se debruçarão sobre a análise dos dados de educação de seus grupos de escolas. As experiências do Ceará serão apresentadas pelo coordenador Aécio Lucas de Oliveira.

No último painel, “Vivência da rotina escolar”, os profissionais mostrarão os resultados das práticas de participação juvenil na gestão escolar, implementadas com o objetivo de garantir a permanência de alunos e a aprendizagem. Além dos casos piauienses, os de Goiás serão apresentados pela gestora da rede de ensino do estado Silvanea Toscana de Morais Souza.

Jovem de Futuro no Piauí

O seminário faz parte do contexto do programa Jovem de Futuro, que é implementado pelo Instituto Unibanco junto com a Seduc-PI. O Jovem de Futuro é uma tecnologia educacional voltada para o aprimoramento contínuo da gestão escolar com o objetivo de melhorar o resultado de aprendizagem dos estudantes de Ensino Médio. Iniciado em 2008, o projeto já foi implantado em dez estados brasileiros e já beneficiou cerca de 2,5 mil escolas estaduais e 2 milhões de estudantes do Ensino Médio. O Jovem de Futuro está presente na rede do Piauí desde 2012, com a meta de atuar em 370 escolas de Ensino Médio do estado até 2018.

Programação

8h – Recepção e credenciamento

8h30 – Abertura

-        Fabiana Mussato, coordenadora de Territórios do Instituto Unibanco

-        Carlos Alberto Pereira da Silva, superintendente da SEDUC/PI

9h – Gestão educacional

-        Rejane Dias, secretária de Educação do Piauí

9h40 – Cultura de paz e Clima Escolar

O objetivo dessa mesa é discutir as implicações do Clima Escolar nas práticas educativas e refletir sobre sua influência nas relações institucionais e na aprendizagem dos estudantes.

-        Maju Azevedo, gerente de Implementação de Projetos do Instituto Unibanco

-        Flávia Gomes, Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação e Cidadania (CAODEC)

-        Mediador: Ellen Gera, superintendente da SEDUC/PI

11h – Supervisão Educacional: O supervisor (ACG) como agente de apoio à promoção da gestão

O objetivo dessa mesa é apresentar experiências de supervisão relacionadas à melhoria do clima e à organização da equipe gestora em prol das aprendizagens dos estudantes.

-        Alda Juliana Pereira do Nascimento, supervisora da 18ª GRE, SEDUC/PI

-        Dalila Castelo Branco, supervisora da 19ª GRE, SEDUC/PI

-        Clarissa Santos, supervisora da 20ª GRE, SEDUC/PI

-        Rita de Cássia de Sousa Lopes, supervisora da 5ª URE/Santarém, SEDU/Pará

-        Mediador: Nemone de Sousa Pessoa, célula de Governança da SEDUC/PI

13h45 - Perspectivas de gestão para a rede de escolas

O objetivo dessa mesa é apresentar práticas de trabalho dos gerentes regionais na análise dos índices educacionais de seu grupo de escolas

-        Tarcizio Pires, gerente Regional da 4a GRE, SEDUC/PI

-        Luiza Vieira, gerente regional da 20ª GRE, SEDUC/PI

-        Aécio Lucas de Oliveira, coordenador da 14ª CREDE, SEDUC/CE

-        Mediador: Clebe Sousa, Gerente de Ensino Médio SEDUC/PI

15h15 – Vivência da rotina escolar

O objetivo dessa mesa é apresentar desafios e resultados das práticas de participação juvenil na gestão escolar, gerando resultados efetivos de permanência e aprendizagem

-        Verbena Roque Gonçalves, coordenadora pedagógica da 19ª GRE, SEDUC/PI

-        Mirlane Raquel, supervisora da 20ª GRE

-        Silvanea Toscana de Morais Souza, gestora da rede de ensino do estado de Goiás, Colégio Estadual Ariston Gomes da Silva, Regional de Iporá

-        Mediador: Alberto Machado, diretor da U.E. Didácio Silva, SEDUC/PI

16h45 – Encerramento

-        Ellen Gera, superintendente da SEDUC/PI

-        Fabiana Mussato, coordenação de Territórios do Instituto Unibanco

Seminário Estadual Caminhos para a qualidade da educação pública do Piauí: experiências de gestão e clima escolar

Data: 05 de dezembro de 2017, terça-feira

Local: Hotel Blue Tree

Endereço: Av. Marechal Castelo Branco, 555 – Ilhotas/Teresina (PI)

Horário: das 8h às 18h

Proposta tramita no Senado · 01/12/2017 - 09h19 | Última atualização em 01/12/2017 - 09h22

Pressionados desde cedo, estudantes de Medicina poderão ter assistência psiquiátrica e psicológica


Compartilhar Tweet 1



Estudantes de Medicina e médicos residentes poderão ter assistência psiquiátrica e psicológica segundo o Projeto de Lei do Senado (PLS) 157/2017. A proposta obriga as instituições de ensino superior a fornecerem o auxílio de forma gratuita. A matéria O projeto tramita em decisão terminativa na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e recebeu voto favorável da relatora, senadora Lídice da Mata (PSB-BA). Caso aprovado na comissão, o projeto segue para a Câmara dos Deputados.

De autoria da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), o projeto tem o objetivo de assegurar a assistência emocional e psicológica para esses estudantes que, segunda a senadora, desde o processo de seleção para ingresso na faculdade, passam por altos níveis de estresse.

— A pressão começa cedo, ainda no ensino médio, pois Medicina é sempre o curso mais concorrido nos vestibulares – observou.

De acordo com Maria do Carmo, quando entram na faculdade os estudantes vivenciam alto grau de responsabilidade, rigor acadêmico, estresse e privação de sono que favorecem doenças psíquicas como ansiedade e depressão. A senadora destaca ainda o fácil acesso a medicamentos como um dos fatores agravantes.

No relatório, Lídice da Mata apresentou dados de um estudo com 1.350 estudantes de Medicina, de 22 escolas médicas do país. O levantamento, realizado pela pesquisadora Fernanda Brenneisen Mayer, da Universidade de São Paulo (USP), revelou que 41% dos estudantes apresentaram sintomas depressivos e 81,7% apresentaram estado de ansiedade. Outros sintomas frequentemente relatados no estudo foram cansaço, irritabilidade e distúrbios do sono.

Emenda

De acordo com o projeto, o atendimento psicológico pode ser prestado por estudantes de Psicologia e de Medicina sob supervisão de profissionais. Contudo, de acordo com a relatora do projeto, a atenção psicológica prestada por colegas, com quem o aluno-paciente convive cotidianamente, não favorece a criação de um ambiente terapêutico “capaz de ser continente de toda a dor, angústia e preocupações do estudante que necessita de atenção”.

Visando a melhor assistência ao estudante, Lídice da Mata acrescentou em seu relatório uma emenda para retirar essa possibilidade do projeto. Ela argumenta que para o atendimento ser efetivo é necessário estabelecer um ”vínculo de confiança, especialmente em relação à capacidade do profissional que assiste o paciente e à segurança com relação ao sigilo das informações”.

Casos

A saúde mental de estudantes de cursos de Medicina voltou a ser um ponto de preocupação recentemente. No dia 28 de novembro, foi divulgado pela imprensa o segundo caso em dez dias de suicídio entre estudantes de Medicina da Faculdade de Minas (Faminas), de Belo Horizonte.

Em maio deste ano, casos de suicídio na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) também chamaram a atenção pelo curto espaço de tempo entre as ocorrências.

— Diante dos acontecimentos recentes, tenho a absoluta certeza da importância desse projeto, pois será lei que as instituições ofereçam assistência aos seus alunos – afirmou Maria do Carmo.


Fonte: Agência Brasil

Compartilhar Tweet 1



O professor Antonio Amaral está entre os finalistas do prêmio Veja-se, premiação da revista Veja que busca valorizar as histórias inspiradoras de cidadãos excepcionais que, muitas vezes longe dos holofotes, se destacaram, em 2017, como agentes de mudança na sociedade brasileira.

São três finalistas em cada categoria, escolhidos pela equipe de Veja com base em indicações feitas por especialistas de todas as regiões do Brasil. Os critérios para a seleção são o impacto social, o alcance e a originalidade de atuação dos candidatos.

As categorias são: Educação, Saúde, Diversidade, Políticas Públicas, Inovação e Cultura.

- CLIQUE PARA PARTICIPAR DA VOTAÇÃO

A votação popular, no site da revista, e um corpo de notáveis escolherão os vencedores, que serão revelados em cerimônia de premiação no dia 12 de dezembro, em São Paulo.

Obmep

Em 2016, o Piauí obteve um resultado recorde na Obmep, conquistando 11 medalhas de ouro, 20 medalhas de prata e 64 de bronze, além de 567 menções honrosas. Deste quantitativo, os alunos da rede estadual conquistaram 42 medalhas, sendo 06 ouros, 13 pratas e 23 bronzes.

A Escola de Ensino Médio Augustinho Brandão acumula 131 medalhas na Olimpíada e teve mais de 70% dos formandos do ensino médio aprovados em universidades federais em 2016.

O resultado alcançado é fruto da parceria da escola com o professor Amaral. "Aqui na escola tudo que é feito é continuidade do que acontece em sala de aula. O trabalho do professor em sala e a preparação dos alunos para a Obmep se complementam. A escola trabalha no intuito de cada vez mais ter um ensino de qualidade. A preparação para a Obmep faz parte do calendário da escola. O professor Amaral planeja, conduz e executa e conta com apoio da escola em tudo", afirmou Aurilene Vieira de Brito, diretora da escola Augustinho Brandão.


Fonte: CCOM

Compartilhar Tweet 1



Em parceria com a Fundação dos Esportes do Piauí (FUNDESPI) e a Secretaria Estadual de Educação e Cultura (SEDUC), a APEFEF e o CREF realizarão cursos na área do desporto escolar através das Gerências Regionais de Educação nas cidades de Pio IX e São Raimundo Nonato.

Os dois eventos terão a presença de fiscais do CREF que além de ministrar palestras, realizarão o “CREF itinerante” a fim de atualizar cadastros e negociar dívidas.

São Raimundo Nonato (PI) sediará o “Curso técnico de capacitação e iniciação a prática do voleibol” de 1 a 3 de dezembro e terá como palestrantes Paulo Marcus Emérito, presidente da APEFEP; Augusto Cesar Alves Costa, técnico nível III da CBV; e Alyne Tatiane de Sousa Passos.

Pio IX sediará o 1° Simpósio de Educação Física onde será promovido o curso de “Metodologia e prática no Futsal” de 8 a 10 de dezembro, tendo como palestrantes Paulo Marcos Emérito, presidente da APEFEP; Clemilton Miranda dos Santos, ex-jogador da Seleção Brasileira de Futsal; e Alyne Tatiane de Sousa Passos. O evento acontecerá no Auditório da Secretaria Municipal de Educação de Pio IX.

Os dois cursos têm certificados de 40h e os interessados devem procurar as Gerências Regionais de Educação para efetuar a inscrição.


Fonte: CCom
Índice insatisfatório · 28/11/2017 - 17h48 | Última atualização em 28/11/2017 - 18h07

As seis faculdades do Piauí que estão na lista das piores no IGC, divulgado pelo MEC


Compartilhar Tweet 1



Seis faculdades do Piauí aparecem em lista, compilada pelo site de Exame, que reúne as instituições com piores avaliações no IGC (Índice Geral de Cursos), divulgado nesta semana pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), do Ministério da Educação.

Pelo IGC, as instituições recebem nota de 1 a 5. Aquelas que obtém nota abaixo de 3 são consideradas insatisfatórias.

Segundo o Inep, neste ano, 0,1% ficaram na faixa 1, e 14% ficaram na faixa 2.

A instituição “reprovada” pode receber punições: não pode se expandir, ou seja, não pode construir novos campi, nem abrir cursos ou aumentar o número de vagas. Cursos autorizados podem sofrer redução de vagas ou ter processos seletivos suspensos, após vistoria de especialistas.


AS FACULDADES DO PIAUÍ LISTADAS ENTRE AS PIORES

1. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU
Nº DE CURSOS AVALIADOS: 1
IGC CONTÍNUO: 1,4341

2. FACULDADE EVANGÉLICA CRISTO REI – DESCREDENCIADA (DESPACHO SERES/MEC 15/2015, PUBLICADO NO DOU DE 09/03/2015)
Nº DE CURSOS AVALIADOS: 1
IGC CONTÍNUO: 1,5227

3. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO SUL DO PIAUÍ
Nº DE CURSOS AVALIADOS: 1
IGC CONTÍNUO: 1,5545

4. FACULDADE PIAUIENSE DE PROCESSAMENTO DE DADOS
Nº DE CURSOS AVALIADOS: 1
IGC CONTÍNUO: 1,7331

5. FACULDADE DE TECNOLOGIA DE TERESINA
Nº DE CURSOS AVALIADOS: 4
IGC CONTÍNUO: 1,7713

6. CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO PARNAÍBA
Nº DE CURSOS AVALIADOS: 3
IGC CONTÍNUO: 1,8412


COMO É CALCULADO O IGC
O cálculo do IGC é realizado anualmente e leva em conta os seguintes aspectos: média dos CPCs do último triênio, relativos aos cursos avaliados da instituição, ponderada pelo número de matrículas em cada um dos cursos computados; média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela CAPES na última avaliação trienal disponível, convertida para escala compatível e ponderada pelo número de matrículas em cada um dos programas de pós-graduação correspondentes; distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu, excluindo as informações do item II para as instituições que não oferecerem pós-graduação stricto sensu.

Provas ocorreram em novembro · 27/11/2017 - 15h04

Gabarito do Encceja será divulgado nesta semana


Compartilhar Tweet 1



O gabarito oficial do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) deste ano, será divulgado até a próxima sexta-feira (1º) no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O resultado individual será disponibilizado na Página do Participante, mas ainda não há data prevista. 

As provas do Encceja foram aplicadas no dia 19 de novembro. O exame é direcionado aos alunos que não concluíram os estudos na idade adequada e desejam obter a certificação no ensino fundamental ou no ensino médio.

Avaliação
Assim como no Exame Nacional do Ensino Médio, (Enem), o cálculo das proficiências nas provas objetivas do Encceja tem como base a Teoria de Resposta ao Item (TRI), em que o valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. O desempenho na prova objetiva será quantificado em cada prova numa escala de proficiência com média 100 e desvio padrão de 20 pontos.

O participante será considerado habilitado se atingir o mínimo de 100 pontos em cada uma das áreas de conhecimento do Encceja. O nível 100 dessa escala significa que o participante desenvolveu as habilidades mínimas necessárias para obter a certificação.

No caso de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes e Educação Física no Ensino Fundamental e de Linguagens e Códigos e suas Tecnologias no Ensino Médio, para obter a certificação ou declaração de proficiência você deverá obter proficiência também na Redação. Será considerado habilitado na Redação quem tiver nota igual ou superior a 5 pontos, em uma escala entre 0 e 10 pontos.

(Com informações da Agência Brasil)

Confira o edital · 25/11/2017 - 18h28 | Última atualização em 25/11/2017 - 18h53

Colégio da Polícia Militar do Piauí lança edital para vagas em 2018


Compartilhar Tweet 1



A Direção Geral do Ceti "Governador Dirceu Mendes Arcoverde" /  Colégio da Polícia Militar do Piauí (CPM), lançou nesta sexta-feira (24/11) o Edital para ingresso na 1ª Série do Ensino Médio em Tempo Integral para o ano letivo de 2018, onde serão ofertadas 175 vagas.

Os interessados deverão fazer a inscrição on-line através do site: www.seduc.pi.gov.br/matriculas no período de 1º a 11 de dezembro de 2017, bem como observar o que consta no edital 001/2017/CPM.

* As inscrições serão on-line no período de 1 a 11/12/2017 através do site www.seduc.pi.gov.br que só estará disponível a partir da referida data.

* A inscrição on-line não é reserva de vagas 

* Serão ofertadas 175 vagas

* As vagas são somente  para as turmas de 1º Ano do Ensino Médio em Tempo Integral 

* O aluno deve ter concluído o Ensino fundamental na data da matrícula  

* A idade máxima é de 15 anos até a data da matrícula 

* O teste será dia 14/12/2017 das 8h30  às 11h no Colégio da PMPI 

* A Prova é objetiva de Língua Portuguesa e Matemática 

PARA MAIORES INFORMAÇÕES ACESSE O EDITAL CLICANDO AQUI.

 

 


Fonte: Com informações de PM-PI
Componente curricular · 25/11/2017 - 09h50

Enade 2017 será realizado neste domingo (26)


Compartilhar Tweet 1



O Ministério da Educação (MEC) realiza neste domingo (26) o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2017. Os participantes que ainda não sabem onde farão suas provas podem consultar os locais por meio do Sistema Enade. Além de fazer a prova, o participante deve preencher o questionário do estudante – até dia 26 – para obtenção da situação de regularidade no exame. O preenchimento é obrigatório.

Os portões serão abertos às 12h (horário de Brasília) e fechados às 13h. A aplicação da prova terá início às 13h30. O Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação e avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos, habilidades e competências adquiridas.

Neste ano, o exame será aplicado apenas para alunos concluintes, ou seja, aqueles que tenham expectativa de conclusão do curso até julho de 2018 ou que tenham cumprido 80% ou mais da carga horária mínima do currículo do curso até o final das inscrições do Enade 2017.

A cada ano, o exame avalia um grupo diferente de cursos superiores, ciclo que se repete a cada três anos. Nesta edição, o Enade vai avaliar os estudantes dos cursos que conferem diploma de bacharel nas áreas de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Computação, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Florestal, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Engenharia e Sistemas de Informação; dos cursos que conferem diploma de bacharel e licenciatura nas áreas de Ciência da Computação, Ciências Biológicas, Ciências Sociais, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras-Português, Matemática e Química; dos cursos que conferem diploma de licenciatura nas áreas de Artes.


Fonte: Agência Brasil