Pela 1ª vez · 19/09/2019 - 11h27 | Última atualização em 19/09/2019 - 11h34

Quantidade de vagas para aulas a distância no ensino superior superam presenciais


Compartilhar Tweet 1



O Ministério da Educação divulgou dados do Censo da Educação Superior de 2018. Foram oferecidas 13,5 milhões de vagas, sendo que pela primeira vez as aulas a distância ultrapassaram os cursos presenciais. Foram 7,1 milhões e 6,5 milhões, respectivamente. As informações são do Metrópoles.

Carlos Moreno, diretor de estatísticas educacionais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), explicou que mesmo as vagas a distância sendo em maior volume, os estudantes dos cursos presenciais ainda são maioria. No entanto, em cinco anos, houve uma redução de 13% desse grupo. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (19/09).

Segundo o governo federal, quase 40% da população de 18 a 24 anos concluiu o ensino médio e não frequenta a universidade. Neste universo, apenas 21,7% frequenta algum curso superior.

Há três anos consecutivos o número de matrículas no ensino médio tem caído no país. Em 2016, foram 8.133 ingressos. Em 2017, 7.930 e, no ano passado, 7.710. Carlos Moreno destacou que no Brasil o ensino superior ainda é uma ferramenta para aumento salarial.

O país, segundo o Inep, tem atualmente 2,5 mil universidades e faculdades e mais de 8,4 milhões de alunos. As instituições privadas ainda são a principal fonte de ensino superior no país.

Segundo o Ministério da Educação, o número de ingressos em curso de graduação a distância tem crescido substancialmente nos últimos anos. O mais recente panorama mostra que os ingressos saltaram de 20% em 2008 para 40% no último ano.

Comentar
Se adequando a nova norma · 19/09/2019 - 08h35 | Última atualização em 19/09/2019 - 08h38

IFPI suspende a política de afastamento para qualificação e capacitação


Compartilhar Tweet 1



O Instituto Federal do Piauí, frente ao disposto no Decreto nº 9.991, de 28 de agosto de 2019, bem como na Instrução Normativa nº 201, de 11 de setembro de 2019, e zelando pelos princípios da legalidade e publicidade na administração pública, dá ciência à comunidade acadêmica de que estão momentaneamente suspensos os processos de afastamento para qualificação e capacitação.

Diante do cenário posto, a Reitoria do IFPI, em conformidade com o Decreto e a Instrução Normativa citados, está trabalhando para construir instrumentos que possibilitem a continuidade da política de qualificação de seus servidores, uma das marcas da atual gestão.

Processos referentes aos afastamentos deferidos e com atos concessórios publicados até 6 de setembro de 2019, mas que se estendem até 2020 ou mais, seguem as regras vigentes no ato da emissão da portaria. Os processos abertos e não concluídos até essa data, deverão ser adequados ao previsto no Decreto.

Decreto nº 9.991

Instrução Normativa nº 201


Fonte: IFPI
Comentar
Cerca de R$ 200 milhões · 18/09/2019 - 17h13 | Última atualização em 18/09/2019 - 17h51

Governo Bolsonaro aprova financiamento de US$ 50 milhões para educação de Teresina


Compartilhar Tweet 1



A Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex) do Ministério da Economia autorizou nesta terça-feira (17/09), durante sua 137ª reunião, em Brasília, a elaboração de dez projetos, no valor total de US$ 592,9 milhões, que serão financiados com recursos de organismos internacionais​ de desenvolvimento. Para Teresina, foi aprovado US$ 50 milhões, aproximadamente R$ 200 milhões, no programa para a construção de infraestrutura urbana e social por meio da transformação da educação integral em Teresina.

Reunião do COFIEX presidida pelo Secretário de Assuntos Econômicos Internacionais, Sr. Erivaldo Alfredo Gomes
Reunião do COFIEX presidida pelo Secretário de Assuntos Econômicos Internacionais, Sr. Erivaldo Alfredo Gomes    Foto: Washington Costa/Ministério da Economia

A aprovação na Cofiex, coordenada pela Secretaria de Assuntos Econômicos Internacionais, é a primeira etapa para a obtenção dos financiamentos externos com a garantia da União.

Foram contemplados projetos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o Nordeste, dos estados de Mato Grosso e São Paulo, e dos municípios de São Gonçalo do Amarante (RN), Juazeiro do Norte (CE), Cascavel (PR), Iguatu (CE), São Caetano do Sul (SP), Palhoça (SC) e Teresina (PI). Os recursos vão beneficiar ações de resiliência climática em comunidades rurais; modernização de gestão fiscal; ações estruturantes; saneamento, desenvolvimento e infraestrutura urbana; educação integral; e desenvolvimento sustentável de litoral.

Os projetos serão realizados com recursos de organismos internacionais como o Fundo Internacional para o Desenvolvimento da Agricultura (Fida), o Green Climate Fund (GCF), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e o Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata).

Confira os projetos recomendados pela Comissão:

Sobre a Cofiex
A Cofiex é um órgão colegiado integrante da estrutura organizacional do Ministério da Economia. A Secretaria de Assuntos Econômicos Internacionais exerce a função de Secretaria-Executiva da Comissão, que é composta por representantes dos Ministérios da Economia e das Relações Exteriores.


Fonte: Ministério da Economia
Comentar
Respeito pelo local · 18/09/2019 - 07h12 | Última atualização em 18/09/2019 - 11h30

Ex-alunos doam livros à UESPI com dinheiro que sobrou de formatura em Piripiri


Compartilhar Tweet 1



Ex-estudantes do Universidade Estadual do Piauí (UESPI) de Piripiri, do curso de direito, doaram livros para a biblioteca da cede, como gratidão à instituição e, ao mesmo tempo, apoio aos atuais e futuros alunos. Com informações do Piripiri Repórter. 

Na foto, quatro ex-alunos, advogados, representam a turma "Thamires Carla de Melo Oliveira".

Os ex-alunos detalham que todo o dinheiro arrecadado pela turma e não utilizado nas solenidades de formatura foi revestido em livros jurídicos e doados para a biblioteca.

"Gratidão por ter feito parte dessa turma e por ter estudado nessa instituição que, apesar de todas as dificuldades, contribuiu tanto para a nossa formação pessoal e profissional", complementa Ana Flávia Melo.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Campus Angical do Instituto Federal do Piauí está realizando arrecadação de recursos financeiros para que possa enviar estudantes para participar do 10º Campeonato Mundial de Matemática em Equipe (WMTC 2019) que ocorrerá de 21 a 25 de novembro de 2019, em Beijing, na China.

A instituição foi selecionada para integrar a delegação brasileira que irá participar do WMTC 2019. Onze alunos e um professor do campus de Angical conquistaram medalhas de Ouro a nível estadual e Prata a nível nacional na Olimpíada Internacional de Matemática sem Fronteiras (OIMSF).

Apenas seis alunos e um professor poderão ir realizar a segunda fase na China, porém com os cortes de gastos na educação a instituição corre o risco de não ser representada por não poder participar da delegação do Brasil.

Tendo em vista a situação e visando proteger os seus sonhos criaram uma vaquinha online para arrecadação de ajuda.

    Foto: Divulgação
    Foto: Divulgação

 

Comentar
Projeto de lei ou MP · 11/09/2019 - 07h52 | Última atualização em 11/09/2019 - 08h10

MEC quer enviar ao Congresso em outubro texto do programa Future-se


Compartilhar Tweet 1



O Ministério da Educação (MEC) pretende enviar ao Congresso Nacional, no início de outubro, texto que definirá o programa Future-se para que seja analisado pelos parlamentares, de acordo com informações do secretário de Educação Superior da pasta, Arnaldo Barbosa.  O governo ainda vai definir se apresentará um projeto de lei ou uma medida provisória (MP).

“Essa será uma decisão especialmente do Palácio do Planalto e depende do grau de consenso que conseguiremos com os reitores. É difícil falar agora, mas não há dúvida que é urgente ter uma nova estratégia de financiamento para as universidades”, diz Barbosa, que participou nessa terça-feira (10/09) do programa Brasil em Pauta, da TV Brasil. 

Um projeto de lei precisa ser aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente para começar a vigorar. Já a MP passa a valer assim que é publicada pelo presidente da República no Diário Oficial da União, mas precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional no prazo de até 120 dias para ser transformada definitivamente em lei. 

De acordo com Barbosa, pelo menos 16 dos 63 reitores de universidades federais têm interesse em aderir ao Future-se. “O que é uma adesão muito forte”, diz. Ele pondera, no entanto, que ainda se deve fazer uma discussão. "Não se deve falar em adesão ou rejeição porque ainda tem que passar pelo Congresso Nacional”.

Apresentado pelo MEC em julho, o Future-se, entre outras estratégias, cria um fundo para financiar as universidades federais. A intenção é atrair também recursos privados, facilitar processos licitatórios e, com isso, financiar pesquisa, inovação, empreendedorismo e internacionalização nas instituições de ensino. Trata-se de um recurso extra. As universidades seguirão, segundo a pasta, contando com o orçamento público.

O texto do programa passou por consulta pública e recebeu mais de 20 mil contribuições. Segundo Barbosa, o MEC trabalha agora com a análise e organização das sugestões. 

Ele adianta que a pasta pretende tornar mais claros alguns pontos no texto inicial, como o trecho que define a atuação de organizações sociais (OSs) e de fundações de apoio nas universidades. “Vamos deixar mais claro na proposta de alteração legislativa que as atividades que as organizações sociais e as fundações de apoio desempenharão são frutos do que o próprio conselho superior [das universidades] determinarem. Então, não há de se falar em quebra de autonomia a partir do momento em que quem manda nas universidades é o conselho superior”, disse. 

O secretário acrescentou que “o serviço prestado por essas organizações é escolhido pelos reitores”. A atuação das OSs foi um ponto que gerou dúvidas entre os reitores após o anúncio do programa.

O Future-se, de acordo com Barbosa, também vai permitir que universidades e empresas juniores, ligadas às instituições, possam ser dispensadas de licitação em contratos com a administração pública federal, estadual e municipal. “Será mais uma forma de as universidades buscarem recursos adicionais, inclusive prestando serviço de consultoria para outros ministérios”, destacou.

O programa deverá ainda premiar, com recursos adicionais, as universidades que apresentarem melhorias em índices de governança, de empreendedorismo, de pesquisa, inovação e de internacionalização.


Fonte: Agência Brasil
Comentar
No interior do Piauí · 10/09/2019 - 08h30 | Última atualização em 10/09/2019 - 08h31

Governo apoia implantação de escola técnica do Instituto Anjos do Sertão


Compartilhar Tweet 1



O governador Wellington Dias recebeu, nesta segunda-feira (09/09), representante do Instituto Anjos do Sertão, Helmut Fladt, que apresentou proposta de implantação de escola técnica de jovens em Canto do Buriti.

    Foto: Jorge Barros

O governador afirmou que o Instituto Anjos do Sertão trabalha a área social. “São investidores que atuam nos municípios de Canto do Buriti e Brejo e nosso objetivo é que se busque no mercado nacional e exterior, não somente a produção, mas também o beneficiamento dos produtos, a exemplo do que já ocorre com o caju”, explica.

Segundo Dias, o Instituto Anjos do Sertão trouxe uma proposta que é boa para o Estado, que é a implantação de uma escola técnica. “Vamos ser parceiros nesse projeto da escola que será voltada para formação técnica na área de fruticultura, certamente, levando em conta a potencialidade de produção de cada região”, diz, afirmando que a pessoa sai da educação técnica devidamente preparada para o mercado.

O governador destacou como primordial a profissionalização de jovens e adultos. “É um projeto que acreditamos pois, se temos uma empresa âncora integrada com produtores, sejam eles autônomos, médios e pequenos que já temos apoiado na região, certamente vai alavancar a produção de fruticultura e a economia da região”, enfatiza Dias, acrescentando ainda que, a partir de um levantamento do que deve ser feito nas áreas público e privada, será elaborado o cronograma para implantação da escola.

O representante do Instituto, Helmut Fladt, disse que o encontro com o governador foi positivo. “Precisávamos da afirmação do governador em nosso projeto da escola técnica para jovens do Ensino Médio que estão interessados em desenvolver agricultura”, afirma, pontuando que a escola deve funcionar em janeiro de 2020 e vai começar atendendo os jovens de Canto do Buriti e São Raimundo Nonato.

    Foto: Jorge Barros
    Foto: Jorge Barros
    Foto: Jorge Barros

 


Fonte: Governo do Piauí
Comentar
Setembro Amarelo · 09/09/2019 - 16h15

Escola mobiliza estudantes em ações contra o suicídio


Compartilhar Tweet 1



Todos os  anos, cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio, sendo a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Por conta disso, o Ceti Professor Antônio Tarciso Pereira e Silva realiza, nesta segunda-feira (09/09), mobilização da campanha Setembro Amarelo.

    Foto: AsCom/Seduc

De acordo com a diretora da escola, Maria José Viana, o objetivo da ação é valorizar a importância do amor próprio e da vida, despertando nos alunos, professores e funcionários a vontade de viver e superar os problemas difíceis. "Hoje vamos passar o dia abordando o amor e a valorização da vida. Está sendo um dia lindo", declara a gestora.

Maria José falou ainda que, durante o período escolar, os jovens enfrentam um período de muita pressão dos pais, da escola e deles mesmos. "É o momento em que eles começam a traçar a escolha profissional e as incertezas sobre o futuro causam muita apreensão", afirma a diretora.

Ela falou ainda que o trabalho de valorização da vida tem sido feito diariamente na escola, fazendo com que os alunos se sintam acolhidos, desconstruindo a escola apenas como espaço de conteúdo.

"O maior retorno tem sido saber o quanto os alunos agora nos procuram para poder falar, expressar sentimentos, confiar, sabendo que há disponibilidade para ouvir e acolher", resume a diretora.
 
Além de dinâmicas para exaltar particularidades de cada ser humano e estimular o cuidado com o próximo, no período da tarde o Ceti Antônio Tarciso vai receber a professora Zenilda Andrade, da 20ª Gerência Regional de Educação, que na oportunidade vai ministrar a palestra "O Valor e Amor à Vida".  

A escola pretende manter essa iniciativa durante todo o ano letivo de forma permanente. Pais e professores também estão engajados no projeto, tanto na divulgação da iniciativa quanto na atuação do auxílio e instrução aos alunos.

Setembro Amarelo

No Brasil, o Setembro Amarelo foi criado em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com a proposta de associar a cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10 de setembro).

A ideia é pintar, iluminar e estampar o amarelo nas mais diversas resoluções, garantindo mais visibilidade à causa.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar
Inscrições começam hoje · 04/09/2019 - 06h44

IFPI oferta vagas em cursos técnicos no Campus Teresina Zona Sul


Compartilhar Tweet 1



O Campus Teresina Zona Sul divulga edital de chamada pública para preenchimento de vagas remanescentes do Exame Classificatório 2019.2, para o curso técnico concomitante/subsequente em Estradas e para o curso técnico concomitante/subsequente em Edificações.

As inscrições serão realizadas presencialmente, nos dias 04, 05 e 06 de setembro, das 8h às 11h e das 14h às 17h, na Coordenação Pedagógica do Campus Teresina Zona Sul, mediante apresentação da documentação listada no edital.

A seleção será através da análise do rendimento escolar dos candidatos nas disciplinas de Língua Portuguesa e de Matemática, mediante análise do Histórico Escolar apresentado pelo candidato.

O resultado final será divulgado no dia 10 de setembro, no site do IFPI, e os aprovados devem efetivar matrículas nos dias 12 e 13 de setembro.

Confira o edital completo.

Comentar
Aumento de R$ 5 bilhões · 02/09/2019 - 14h38

Em 2020, Educação receberá mais verba do que o previsto


Compartilhar Tweet 1



O Ministério da Educação (Mec) pediu e o Ministério da Economia aumentou o orçamento da área em R$ 5 bilhões no Projeto de Lei Orçamentária de 2020. Com isso, o Mec receberá um total de R$ 21 bilhões. As informações são do Pleno News.

A verba será para as despesas discricionárias, que podem aumentar os investimentos nas instituições de ensino.

Outas áreas também receberão mais verbas, como o Ministério da Ciência e Tecnologia que recebeu um acréscimo de R$ 700 milhões, mas que deve cobrir despesas da Telebras.

Depois do pedido do ministro Sergio Moro, a Justiça também recebeu mais dinheiro, no valor de R$ 500 mil.

Comentar
No campus Poeta Torquato Neto · 27/08/2019 - 07h19 | Última atualização em 27/08/2019 - 07h55

Mestrado Acadêmico em Letras da UESPI realiza aula sobre produções científicas


Compartilhar Tweet 1



Professores do Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) realizaram na manhã dessa segunda-feira (26/08), uma palestra com o tema “Letramentos Acadêmicos: reflexões sobre o gênero artigo científico na área de Letras”, no auditório do Geratec, campusPoeta Torquato Neto – Teresina. O evento destacou a importância dos projetos de iniciação cientifica para os discentes e docentes da instituição.

O público presente no evento contou com professores e alunos da UESPI
O público presente no evento contou com professores e alunos da UESPI    Ascom

A aula inaugural do período pertence ao ciclo de palestras sobre linguagem e cultura promovido pelo Mestrado Acadêmico de Letras Português da UESPI. Os professores de fora do Estado, que participam de defesas de bancas ou eventos da instituição em que a temática esteja inserida, são convidados, posteriormente, para ministrar uma palestra sobre suas áreas de atuação para os discentes e docentes da instituição.

Desta vez, mediada pela professora da UESPI, Barbara Melo, a aula contou com a presença da palestrante Profa. Dra. e Coordenadora do Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade de Pernambuco (UPE), campus Garanhuns, Amanda Cavalcante. Suas pesquisas são realizadas em busca do desenvolvimento dos gêneros textuais, letramentos, educação a distância, livro didático de língua portuguesa, identidades e gêneros sociais.

Professoras Amanda Cavalcante e Barbara Melo repassam seus conhecimentos para os ouvintes
Professoras Amanda Cavalcante e Barbara Melo repassam seus conhecimentos para os ouvintes    Ascom

A palestra da pesquisadora Amanda Cavalcante buscou promover debates sobre pesquisa científica com produções de artigos para construção do saber de alunos e professores da instituição. “O minicurso é a oportunidade ideal para discutir e proporcionar uma troca de experiências acerca do que se está produzindo atualmente e aumentar o engajamento dos alunos e professores dos cursos de Letras. Vinculado ao letramento acadêmico, a produção de pesquisas desenvolve práticas acadêmicas e sociais, bem como prepara o estudante no aspecto profissional”, disse a Professora Amanda.

Segundo a Coordenadora em exercício do Mestrado Acadêmico em Letras da UESPI, Raimunda Celestina, a ideia do ciclo de palestras sobre linguagem e cultura é promover uma troca de experiências entre professores e alunos da UESPI com pesquisadores de outras universidades. “Precisamos encontrar alternativas que melhorem o desempenho dos alunos na produção de artigos científicos. Diante dessa realidade, é sempre importante estar se atualizando sobre os temas que envolvem os cursos de Letras, para que ideias e conhecimentos novos possam ser produzidos”, finaliza.

Professora Raimunda Celestina agradeceu a presença da pesquisadora Amanda Cavalcante
Professora Raimunda Celestina agradeceu a presença da pesquisadora Amanda Cavalcante    Ascom

 


Fonte: Assessoria de Comunicação - UESPI
Comentar
Acontece neste domingo (25) · 24/08/2019 - 10h31

Encceja: candidatos com dificuldade de acesso podem ligar para 0800


Compartilhar Tweet 1



O Ministério da Educação (MEC) disse hoje (23) que os candidatos inscritos no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) que tiveram problemas em acessar a página para consultar os locais de prova devem ligar para o número 0800 616161. A edição de 2019 ocorre neste domingo (25/08) em todo o país. A reportagem é da Agência Brasil. 

Candidatos têm relatado problemas para acessar a página do participante, onde é possível imprimir o comprovante de inscrição e também saber o local da prova. A assessoria do ministério disse estar ciente de eventuais instabilidade nos portais da pasta e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame. 

Segundo a assessoria, o ministério tem trabalhado para reforçar a estabilidade dos portais. Caso o candidato ainda tenha dificuldade de acessar a páginas, o MEC recomenda ligar para o 0800.

No dia 8, o ministro Abraham Weintraub disse que os portais do ministério e do Inep podem estar sendo vítimas de "sabotagem" e que tais episódios estariam prejudicando alguns serviços. O ministro disse que enviou à Polícia Federal (PF) as informações e pediu a abertura de uma investigação.  

Na manhã dessa quinta-feira (22), três peritos da PF visitaram a sede da pasta, em Brasília, onde verificaram a estrutura de informática. Eles checaram a sala cofre, onde estão servidores e outros equipamentos dos sistemas informáticos da pasta e levaram informações para avaliação de modo a tentar identificar se os ataques ocorreram e, na hipótese positiva, as causas.   

A página do ministério é o principal canal de acesso a diversos produtos da pasta por estudantes. É o caso do Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) . É por meio dela que os candidatos podem se inscrever e obter informações sobre prazos e seleção, por exemplo.

Exame

As provas do Encceja serão aplicadas no turno da manhã, das 9h às 13h, e, no turno da tarde, das 15h30 às 20h30. Os participantes com atendimento especializado terão 60 minutos a mais para terminar o exame em cada turno. Os portões são abertos com uma hora de antecedência e fechados 15 minutos antes do início da aplicação.

Durante todo o dia, o exame será aplicado em 611 municípios. Em cada nível de ensino, são quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha e uma redação. Pela manhã, serão aplicadas as provas de ciências naturais e matemática, para o ensino fundamental; e ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias, para o ensino médio.

À tarde, os participantes farão provas de língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes, educação física, história e geografia, e redação para o Ensino Fundamental; e linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e ciências humanas e suas tecnologias, para o ensino médio.

Para entrar nos locais de provas, o participante deve levar documento original oficial com foto de acordo com os permitidos pelo edital. Cópias, mesmo autenticadas, não serão aceitas. Documentos eletrônicos não valem para o Encceja, como prevê o edital. Quem teve o documento perdido, roubado ou furtado, deve apresentar o Boletim de Ocorrência, expedido por órgão policial há, no máximo, 90 dias anteriores ao dia do exame.

Comentar
Fornecimento de equipamentos · 20/08/2019 - 10h15

Parceria prevê ampliação de ambiente digital nas escolas


Compartilhar Tweet 1



O governador Wellington Dias assinou, no Palácio de Karnak, o termo de parceria com a empresa Cisco Systems Inc., líder mundial no fornecimento de equipamentos de rede para a Internet, que viabiliza a implantação do programa Cisco Networking Academy. O termo faz par parte do contrato da PPP Piauí Conectado também assinado pelo secretário da educação, Ellen Gera; e a superintendente de Parcerias e Concessões do Estado, Viviane Moura.

Por meio do programa Cisco Networking Academy, os centros de ensino da rede estadual selecionados pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) se tornarão Academias Locais com aplicação de cursos utilizando uma plataforma da empresa nas escolas com formação voltadas aos professores e alunos ampliando o ambiente de aprendizagem.

O governador Wellington Dias destaca que a parceria entre os setores públicos e privados ampliou a rede de fibra ótica no estado em 5km e agora uma plataforma irá ofertar capacitação na área da tecnologia.

"Temos parceira com as empresas Globaltask e Cisco na rede de Piauí conectado que garante plena rede de fibra ótica em Teresina, já em outubro, e agora partimos para um caminho novo na geração de oportunidades para empreendedores. Ao fazermos este elo entre tecnologia com as pessoas jurídicas, residências, assistência técnica e nossa área de administração colocamos o Piauí no patamar atualizado por meio da tecnologia", afirmou Dias.

O secretário da Educação Ellen Gera, destaca que a Seduc já possui escolas técnicas que ofertam o curso de informática e a rede tende a ganhar com a utilização de uma plataforma de cursos com referência mundial na área de conectividade.

"Com esta importante parceria entre a Seduc e a Cisco conseguiremos aliar o ensino e tecnologia para dentro das escolas públicas da rede estadual. Neste momento iremos selecionar escolas e professores para criar um ensino de multiplicadores e a partir desta etapa ampliar o atendimento para os nossos alunos com a expectativa de chegar a 5 mil estudantes passando por esta plataforma", disse Ellen Gera.

Ellen Gera explica ainda que o programa Cisco Networking Academy vai oferecer cinco mil bolsas de estudo e emissão de certificados para estudantes  e capacitação para professores da rede pública de ensino do Estado do Piauí.

As primeiras turmas já serão conectadas a partir de setembro, em Teresina, com o projeto piloto em quatro escolas e nas fase seguinte será ampliado para 24 escolas. "Os alunos com melhor avaliação em cada turma serão contemplados com bolsa remunerada, computador e internet, assim como a oportunidade de estágio no Piauí Conectado durante seis meses logo após a finalização do curso. O programa contempla ainda a capacitação de 24 professores multiplicadores com treinamento específico e contarão com bolsa incentivo", completa o secretário.

Ricardo Mucci, diretor do setor público-privado da empresa Cisco System, explica que o projeto em parceria com o Piauí visa estruturar a rede pública na área de internet e posteriormente oferecer uma plataforma com cursos voltados à inclusão digital e empreendedorismo.

"A ideia nossa, junto com o Governo, por meio do SPE Piauí Conectado é fazer uma base de conhecimento digital para as pessoas para que sejam serão inseridas dentro de uma comunidade de trabalho. A Networking Academy tem esse propósito de trazer conhecimento, transformar, criar a alfabetização digital dentro da vida das pessoas então a base deste projeto é realizar a alfabetização digital para a vida das pessoas", explica.


Fonte: Seduc
Comentar
Parceria com a Seduc · 12/08/2019 - 16h29

Alunos da rede estadual se destacam nos Jogos Escolares


Compartilhar Tweet 1



Neste domingo (11) ocorreu o último de dia de competição encerrando os Jogos Escolares Piauienses (JEP’S).  Com as finais marcadas pelo Dia do Estudante os JEP'S, organizados Fundação dos Esportes do Piauí (Fundespi) em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (SEDUC), movimentaram mais de 800 estudantes da rede estadual de ensino nos cinco dias de competição. 

Marcado pelas disputadas finais no ginásio Verdão na modalidade futsal, as estudantes da Unidade Escolar Presidente Vargas vieram do município de Baixa Grande do Ribeiro para conquistar a taça de campeãs pela categoria infanto feminino. 

Já os meninos da U.E. Lourival Parente conquistaram o título infanto masculino também na modalidade futsal. A escola possui o título de bicampeonato de futsal na competição que envolve as escolas da 19 GRE, e nesta edição dos jogos escolares conseguiu o título estadual.

Com um projeto Esporte de integrar educação e escola, a diretora da unidade de ensino, Jocielma Magalhães, explica que o resultado obtido é fruto do trabalho idealizado na escola voltado para o esporte que reúne 35 alunos no masculino e neste semestre já conta com a participação das alunas.

"Estamos muito felizes pela conquista dos nossos alunos que é fruto do trabalho que estamos desenvolvendo para incentivar a pratica esportiva aliada ao rendimento em sala de aula. São 35 alunos que participam do projeto ?Esporte educacional na escola? com o objetivo de integrar eles ao ambiente escolar e agora conquistamos este título", destaca a diretora.

A frente do projeto, o professor de educação física, Francisco Jose da Silva Mota, ressalta a importância do projeto no acompanhamento dos alunos ao exigir a participação nas atividades escolares "O objetivo principal não é trabalhar apenas as regras do esporte, mas também as normas sociais, escolares desenvolvendo o trabalho com alunos que residem em áreas com maior vulnerabilidade social realizando esse resgate por meio do esporte", complementa o professor.

As finais aconteceram ainda nas modalidades coletivas como handebol, vôlei, basquete e futsal. Além dos esportes coletivos, o campeonato contou com o atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa e xadrez.

Destaques no atletismo
No dia anterior, os estudantes da rede pública também conseguiram medalhas e índices para as competições regionais e nacionais na modalidade atletismo. Com as etapas realizadas na sexta-feira (9) e no sábado (10) na pista de atletismo da Universidade Federal do Piauí (UFPI), os atletas participaram nas provas que envolveram corrida entre 75m a 3000m, corrida com revezamento; corrida com barreiras; salto em distância; arremesso triplo; lançamentos de dardo e disco; salto em altura.

Cerca de 15 escolas da rede estadual estiveram com alunos participando do atletismo e conquistando medalhas. O pódio foi alcançado pelos alunos da rede pública na categoria infanto com 9 atletas no feminino e 7 atletas no masculino, além dos 5 atletas infantil no gênero masculino e feminino, com destaque para a Unidade Estadual Raimundo Pessoa, em Monsenhor Gil, que obteve 6 medalhas com o atletismo feminino infanto nas onze provas disputadas nas finais. Outros atletas da rede também conseguiram obter índice para as competições nacionais.

Por meio do Projeto Pé de Vento, outros alunos/atletas de Monsenhor Gil também conquistaram medalhas. Os alunos são atendidos pela Unidade Escolar Dr. Noronha Filho, Unidade Escolar João Clímaco D’Ameida e Colégio Certo. Ao todo, o município levou 16 medalhas, sendo 8 ouro, 5 prata e 3 Bronze. 


Fonte: Seduc
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Planejar novas ações para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) foi o foco da terceira formação de 2019 organizada pela Secretaria Municipal de Educação (Semec) esta semana.

O encontro aconteceu no Centro de Formação Odilon Nunes com a participação de diretores escolares, pedagogos, professores, colaboradores da EJA e equipe ALFASOL.

A formação propôs reflexões sobre os processos de aprendizagens significativas, pensando em ações de articulação entre os sujeitos. A ideia é manter o aluno como protagonista dos projetos e dar sentido ao conteúdo de sala de aula a partir das vivências reais desses jovens e adultos.

A programação incluiu oficinas para os professores potencializarem as habilidades dos estudantes com material diferenciado, utilizando fotos, música, pintura e o constante estímulo à leitura e escrita. O encontro também foi para avaliar a aplicação das ações planejadas no início do ano, onde os participantes trocaram experiências para melhorar as práticas.

Para Eronita Borges, professora de EJA das escolas municipais São Sebastião e O.G. Rêgo de Carvalho, as formações trazem novas ideias. “Participo de todos os encontros e acredito que cada um tem uma contribuição diferente para meu trabalho. Estamos agora falando muito sobre interdisciplinaridade, uma formação mais completa do aluno. Essa troca de vivências abre nossa mente”, disse.


Fonte: Com informações da Prefeitura de Teresina
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) quer revisar o Censo da Educação Superior. O objetivo, segundo a autarquia, é aperfeiçoar o processo da coleta de dados. Com informações da Agência Brasil. 

O Inep disponibilizou um questionário online voltado para pesquisadores, professores, gestores educacionais e demais usuários da base de dados, que ficará disponível até 30 de agosto. 

"O instrumento de coleta de dados está em processo de revisão. Por isso, o Instituto conta com a colaboração fundamental de quem utiliza ou já consultou as informações do censo, acolhendo sugestões e críticas", diz a autarquia em nota. 

O formulário da pesquisa traz perguntas, segundo o Inep, que ajudam a conhecer melhor quem usa as informações, com qual finalidade, quais são os dados mais consultados e, ainda, o que poderia melhorar no censo. Entre outras questões, está a pergunta se houve dificuldade para entender o conceito de alguma variável do censo e se houve alguma informação que se esperava encontrar e não se identificou na base de dados. 

O Censo da Educação Superior é realizado anualmente pelo Inep. Reúne informações sobre as instituições de ensino superior, os cursos ofertados, os professores e os alunos. O preenchimento do censo é pré-requisito para a expedição de atos regulatórios e para a participação das instituições em programas do Ministério da Educação, como o Programa Universidade para Todos (Prouni), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e as bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). 

O censo serve de base ainda para a Avaliação da Educação Superior, sendo usado para o cálculo do Conceito Preliminar de Curso (CPC) e do Índice Geral de Cursos (IGC), dois dos indicadores da qualidade da educação superior divulgados pelo Inep.

Ensino superior 

No total, o ensino superior brasileiro tem cerca de 8,3 milhões de estudantes em cursos de graduação. Desses, 6,5 milhões estão matriculados em cursos presenciais. A maior parte dos estudantes está matriculada em instituições de ensino privadas, que concentra 75,3% das matrículas.

Em relação à qualidade dos cursos, medido pelo CPC, em 2017, apenas 2,5% dos cursos avaliados nesse ano obtiveram o conceito máximo. Outros 36,3% obtiveram conceito 4. A maioria dos cursos, 52%, obteve conceito 3; 9,1% obtiveram conceito 2 e 0,4% obteve conceito 1, o menor na escala de qualidade. 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



A partir do dia 5 de agosto, estarão abertas as inscrições para as bolsas de estudo que não foram preenchidas no processo seletivo regular do Programa Universidade para Todos (ProUni) do segundo semestre. As informações são da Agência Brasil. 

Nessa sexta-feira (26/07), o Ministério da Educação (MEC) publicou no Diário Oficial da União o edital para o preenchimento das bolsas remanescentes do ProUni.

A inscrição deverá ser feita na internet, no site do ProUni. Diferente do processo seletivo regular, que exigia que os participantes tivessem feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018, agora o estudante pode ter participado de qualquer uma das edições do Enem a partir de 2010.

A nota mínima, no entanto, continua sendo exigida. O participante precisa ter tirado nota igual ou superior a 450 nas provas e nota maior que zero na redação. Podem concorrer às vagas também os professores da rede pública de ensino.

Os candidatos que ainda não estão matriculados na instituição onde desejam estudar devem fazer a inscrição entre 5 e 16 de agosto. Aqueles que já estão matriculados e querem concorrer uma bolsa nessa instituição devem se inscrever no período de 5 de agosto a 30 de setembro.

Os candidatos que se inscreverem terão dois dias úteis para comparecer à instituição de ensino onde pleiteiam uma bolsa de estudos para comprovar as informações prestadas na hora da inscrição.

ProUni

Ao todo, foram ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade, e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até um e meio salário mínimo. As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até três salários mínimos.

O processo seletivo regular começou em junho deste ano. Foram realizadas duas chamadas além de lista de espera.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Até a próxima segunda-feira, 29 de julho. Este é o prazo para que professores e servidores públicos possam se cadastrar para trabalharem na aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O período da inscrição, que era até 22 de julho, foi prorrogado para dar mais chances aos interessados.

A ideia é que os selecionados possam atuar como certificadores representando o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A autarquia é responsável pelo Enem, que este ano será aplicado em dois domingos, 3 e 10 de novembro, em 1.728 municípios brasileiros.

Pelo trabalho, os certificadores receberão R$ 342 por dia de exame, o que equivale a R$ 28,50 por hora de trabalho.

Para participar é preciso se cadastrar na Rede Nacional de Certificadores (RNC), seja por meio do site ou do aplicativo para celular. Quem já tem cadastro de anos anteriores no sistema pode atualizar as informações ou fazer a inscrição diretamente.

Entre os critérios de seleção, o Inep avalia se o candidato:

  • é servidor público do Poder Executivo Federal, em exercício em 2019, regido pela Lei nº 8.112, ou docente da rede pública estadual ou municipal de ensino, efetivo e registrado no Censo Escolar 2018;
  • tem formação mínima em ensino médio;
  • não está inscrito e nem tem parentes inscritos no Enem 2019;
  • tem vínculo com qualquer atividade do Enem ou do Inep.
  • Os professores e servidores públicos que passarem nos quesitos serão convocados pelo Inep para uma capacitação a distância. Quem obtiver a nota mínima exigida garantirá a vaga.

O que faz o certificador?
Os certificadores são responsáveis por conferir vários procedimentos, como a chegada e a abertura dos malotes com provas e a distribuição das provas para os candidatos. Todo o trabalho é realizado por meio de um aplicativo, pelo qual são enviados alertas e relatórios ao Inep durante todo o processo.


Fonte: AsCom/MEC
Comentar
THE possui sistema próprio · 22/07/2019 - 17h20

Escolas Municipais recebem orientações sobre o Censo Escolar 2019


Compartilhar Tweet 1



Para garantir que todas as Unidades de Ensino Municipal de Teresina participem corretamente do Censo Escolar, a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) está realizando, desde a última quinta-feira (18), durante todo o dia encontros com diretores no auditório José Reis Pereira na sede da própria Secretaria. Principal instrumento de coleta de informações da educação básica, o Censo é o mais importante levantamento estatístico educacional brasileiro nessa área.

A equipe de Informática da SEMEC esta se reunindo em diferentes horários com grupos de gestores das unidades de ensino divididos por área da cidade. Ao todo, 310 diretores estão recebendo as orientações necessárias sobre os procedimentos de atualização das informações de suas escolas no sistema nacional. Os dados são referentes ao número de alunos matriculados, alunos transportados, estrutura física, livros didáticos, entre outros.

O coordenador do Censo Escolar, Samuel de Sousa Silva explica que Teresina possui um sistema próprio para manutenção dos dados, mas conta com a participação dos diretores para a atualização. “Temos um moderno sistema de gestão educacional onde as escolas não precisam se preocupar com o preenchimento dos dados do Censo todos os anos, a própria equipe da SEMEC faz essa migração. Apesar disso os gestores precisam verificar cada informação para confirmar que estejam atualizadas. Esse processo é essencial para garantir que os recursos corretos sejam destinados às escolas”, explica Carlos Augusto. O coordenador ressalta ainda que os gestores têm até o dia 26 para atualizar todas as informações.

Com a coleta do Censo Escolar anualmente, é possível pensar as políticas públicas voltadas para a educação básica com melhor definição do seu público, já que ajuda a montar um panorama da educação e a identificar as principais necessidades das escolas e redes de ensino. Além disso, os resultados obtidos no Censo Escolar sobre o rendimento (aprovação e reprovação) e movimento escolar dos alunos do ensino fundamental são utilizados para o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).

Comentar
Pode ser danos materiais · 18/07/2019 - 13h18 | Última atualização em 18/07/2019 - 13h22

Universidade poderá ser proibida de reter diploma por inadimplência de aluno


Compartilhar Tweet 1



Abramo: A instituição só pode valer-se dos meios legais de cobrança
Abramo: A instituição só pode valer-se dos meios legais de cobrança    Will Shutter/ Câmara dos Deputados

O Projeto de Lei 2738/19 proíbe instituição de ensino superior de reter o diploma de aluno inadimplente. A demora excessiva na entrega do diploma, sem justificativa plausível, sujeitará a instituição ao pagamento de indenização por danos materiais. A proposta tramita na Câmara dos Deputados.

O texto é de autoria do deputado Gilberto Abramo (PRB-MG) e altera a lei da mensalidade escolar (9.870/99). A lei proíbe que escolas suspendam provas ou retenham documentos em razão de inadimplência.

Abramo afirma que o projeto apenas torna lei uma prática da jurisprudência brasileira. Para os tribunais, se comprovado que o aluno concluiu os requisitos acadêmicos para a conclusão do curso, a instituição de ensino superior não pode se recusar a entregar o diploma com apoio apenas no inadimplemento. “A instituição só pode valer-se dos meios legais de cobrança”, disse o deputado.

Tramitação
O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Educação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Fonte: Agência Câmara
Comentar
Comparativo do desempenho · 18/07/2019 - 10h21 | Última atualização em 18/07/2019 - 10h28

Rede Municipal de Teresina avalia resultados do último bimestre em alfabetização


Compartilhar Tweet 1



Essa semana na Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) está sendo de análises sobre os últimos resultados do semestre, fazendo um comparativo do desempenho dos alunos nos meses de maio e junho. Diariamente, o Centro de Formação Odilon Nunes recebe diferentes grupos de gestores para análises e planejamentos.

Na última terça-feira (16), o comitê gestor, que trabalha com o Instituto Ayrton Senna, esteve reunido para apresentar os resultados conquistados sobre os principais programas desenvolvidos no município de Teresina. O grupo discutiu o teste de diagnóstico aplicado com alunos do 2º e 3º ano no Programa Gestão da Alfabetização, bem como o acompanhamento mensal do fluxo escolar e do Fórmula da Vitória.

A secretária executiva de Ensino, Irene Lustosa, explica que os encontros do comitê visam o cumprimento de metas, como garantir que pelo menos 95% dos alunos concluam os anos iniciais do Ensino Fundamental, na idade recomendada até 2023. “Temos objetivos claros e estamos trabalhando para alcança-los. Os encontros com os técnicos e também as reuniões gerenciais são para unificar esse esforço em prol da melhoria do desempenho acadêmico dos alunos”, afirma.

Hoje (17), diretores de escolas com turmas em ciclo de alfabetização prestaram conta sobre os níveis de leitura e escrita dos alunos, tendo como base o apoio que recebem do Programa Mais Alfabetização e do Alfabetiza Teresina, iniciativas que estimulam a prática da leitura diária na escola.

Os dados coletados apontam que até o mês de julho, alunos de 60 escolas municipais de Teresina já sabem ler antes de concluírem o 1º ano do Ensino Fundamental. Já a turma do 2º ano, apresenta um rendimento de 78% nessa habilidade.

“Quando vejo esses números, e quando sei que estamos crescendo coletivamente, tenho vontade de anunciar por meio de placas que em Teresina os alunos aprendem realmente a ler, e aprendem a ler com fluência”, declara o secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma.


Fonte: Prefeitura de Teresina
Comentar
Gosto pela leitura · 18/07/2019 - 10h19

Escola realiza premiação dos melhores alunos leitores


Compartilhar Tweet 1



Como forma de incentivar o gosto pela leitura nos estudantes, a equipe da Escola Municipal Santa Maria da Codipi, zona Norte de Teresina realizaram a premiação dos leitores do semestre. O objetivo da ação é promover atividades de incentivo à leitura, premiando os três primeiros alunos de cada turma que mais retiraram livros da biblioteca para lerem.

A atividade faz parte do Projeto Leitores do Semestre que é uma ação do Projeto Eu Amo Ler, tendo o acervo da biblioteca da escola como aliada no incentivo pela leitura. O projeto visa criar nos alunos o hábito da leitura por prazer e contribuir na formação dos alunos, para que se tornem leitores competentes.

Luzinete Borges Leal explica que no final de cada semestre é realizada a premiação, com medalha e um livro. “Os leitores premiados terão que indicar um dos livros que leu e entregar na biblioteca por escrito o porquê da indicação”, diz.

A escola atende 293 alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental que participam ativamente da atividade proposta, contando ainda com o apoio dos familiares que estiveram presentes durante a cerimônia de premiação.

E para encerrar as atividades do primeiro semestre, os estudantes também realizaram apresentações teatrais de alguns dos paradidáticos lidos. Os Três Porquinhos e a Galinha Ruiva, são alguns dos livros trabalhados em sala de aula com a turminha do 2° ano da professora Nazaré Borges, que se descaram com as apresentações.


Fonte: Prefeitura de Teresina
Comentar
Piauí receberá representantes · 16/07/2019 - 15h26

Encontro discutirá criação de Universidade Aberta do Nordeste


Compartilhar Tweet 1



Nos dias 19 e 20 de julho, o Piauí receberá representantes de todos os estados da região Nordeste para conhecer o projeto e a metodologia utilizada na Universidade Aberta do Piauí (UAPI) e o progresso que ela está gerando em todo o Estado. O encontro terá como pauta principal a criação da Universidade Aberta do Nordeste - Consórcio Nordeste.

De acordo com a superintendente de Ensino Superior da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Lourdes Lopes, o Piauí deve contribuir com as experiências do modelo UAPI. "Durante a reunião da regional Nordeste, realizada no mês de junho pelo Consed, uma das pautas discutidas pelos gestores foi a criação da Universidade Aberta do Nordeste, dentro do Consórcio Nordeste. Nesses dois dias, vamos apresentar o projeto e a nossa estrutura, além de falar um pouco sobre o uso da mediação tecnológica dentro da UAPI. Em seguida, a Uespi fará uma exposição sobre a organização pedagógica do sistema UAPI, com um relato de experiência", explica.

A gestora acrescenta que a criação da Universidade Aberta do Nordeste tem o objetivo de reduzir as desigualdades de oferta de Ensino Superior nas diferentes regiões do Nordeste, além de suprir as necessidades de formação para professores da Educação Básica e de mão de obra especializada.

O grupo de trabalho visitará, ainda, os estúdios do Canal Educação e o polo da UAPI no município de Jatobá do Piauí para assistir uma aula com os estudantes e perceber, na prática, como funciona o programa.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) segue preparando a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. As provas serão realizadas nos dias 3 e 10 de novembro, primeiro e segundo domingo do mês. A edição deste ano tem 5.095.382 de inscritos em todo o país. Desses, 122.338 são do estado do Piauí.

A Assessoria de Comunicação do Inep disponibiliza o perfil dos inscritos em cada unidade da Federação. As tabelas, a seguir, informam o número de participantes por município, sexo, faixa etária, cor/raça e situação do Ensino Médio. Informações gerais sobre o exame, como histórico e detalhes da edição de 2019, estão disponíveis no Press Kit Enem 2019.

Confira o perfil de inscritos do Piauí:

 


Fonte: Inep
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Secretário de Estado da Educação, Ellen Gera, participou da Cerimônia de Abertura da Operação João de Barro, realizada neste sábado (12), na sede da OAB Piauí. Pela sexta vez no Estado, o Projeto Rondon leva a Operação João de Barro à doze municípios, entre os dias 12 e 28 de julho de 2019. 

A Operação pretende impactar lideranças comunitárias, professores, agentes de saúde, servidores públicos e a comunidade em geral, capacitando-os nas áreas de saúde, educação, direitos humanos e justiça, cultura, trabalho, meio ambiente, tecnologia e produção e comunicação. O Projeto Rondon, nesta operação, contará com o apoio do 25º Batalhão de Caçadores e do 3° Batalhão de Engenharia e Construção, que proporcionarão o suporte logístico e a segurança necessários às atividades.

Representando o governador do Piauí, Wellington Dias, o secretário Ellen Gera agradeceu a presença e o trabalho de todos os envolvidos na operação. "O Piauí está recebendo 252 rondonistas voluntários, dentre professores e alunos universitários, conduzidos pelo Ministério da Defesa. Cada município receberá 20 voluntários de Instituições de Ensino Superior e nós agradecemos a disposição e dedicação de cada um e esperamos que a transformação seja recíproca", afirma. 

De acordo com o gestor, a secretaria de Educação auxiliará a ação na parte administrativa e de logística, disponibilizando transportes para a realização das atividades. "Somos parceiros do projeto Rondon neste ciclo de visitas ao Piauí. O governo do Estado, por meio da Seduc, montou toda a logística de apoio para receber e conduzir os rondonistas aos municípios, e também com a logística para que eles tenham o contato com as comunidades. De certa forma, esse é um projeto que pauta a educação, já que são pessoas que estão em processo de formação no Ensino Superior, permitindo a troca de experiências no contato entre cultura distintas", garante.

A iniciativa contemplará os municípios de Arraial, Barra D?Alcântara, Cajazeiras Do Piauí, Dom Expedito Lopes, Francinópolis, Francisco Ayres, Inhuma, Novo Oriente, Paquetá, Santa Rosa do Piauí, São José do Piauí e Várzea Grande.

O Projeto Rondon
O Projeto Rondon teve início em julho de 1967 com a Operação "Piloto", ou Operação "Zero". Contou com a participação de 30 alunos e 02 professores universitários da Universidade do Estado da Guanabara, hoje Universidade do Estado do Rio de Janeiro, da Universidade Federal Fluminense e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro que, durante 28 dias, realizaram trabalhos de levantamento, pesquisa e assistência médica no Território Federal de Rondônia. No entanto, o Projeto Rondon teve suas atividades encerradas no ano de 1989. Em janeiro de 2005, na cidade de Tabatinga, no Amazonas, o Projeto Rondon foi relançado, sob coordenação do Ministério da Defesa e, desde então, é conduzido em estreita parceria com o Comitê de Orientação e Supervisão (COS), criado pelo Decreto de 14 de janeiro de 2005, substituído pelo Decreto nº 9.848, de 25 de junho de 2019.

O Projeto Rondon é uma ação do Governo Federal que, em parceria com os Governos Estaduais e Municipais e as Instituições de Ensino Superior, visa a somar esforços com as autoridades municipais e as lideranças comunitárias, a fim de contribuir com o desenvolvimento local sustentável e na construção e promoção da cidadania.

Orientado pelos princípios da democracia, da responsabilidade social e da defesa dos interesses nacionais, o projeto tem como escopo de atuação dois grandes objetivos: a formação do jovem universitário como cidadão e o desenvolvimento sustentável das comunidades pouco assistidas.

Desde o relançamento, em 2005, o Projeto Rondon realizou 82 operações, em 1.213 municípios de 24 unidades da federação, com a participação de 2.306 instituições de ensino superior e 22.896 rondonistas (universitários e professores), alcançando cerca de 2 milhões de pessoas.


Fonte: Seduc
Comentar