Inclusão -

Projeto cobra cumprimento de normas de acessibilidade em eventos privados

O Projeto de Lei 3597/23, em análise na Câmara dos  Deputados, atribui às empresas privadas as mesmas responsabilidades que o Estatuto da Pessoa com Deficiência cobra do poder público na garantia de acessibilidade em eventos culturais, esportivos e recreativos.

Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

Para o deputado Bruno Farias (Avante-MG), autor da proposta, os produtores de eventos privados também devem pensar em inclusão. “Um exemplo de inclusão que garanta a acessibilidade de pessoas com deficiência é pensar no evento como um todo, a começar pelo site e venda dos ingressos, que deve oferecer visão completa do local, para que pessoas com deficiências possam escolher da melhor forma e de acordo com sua limitação o espaço no qual aproveitará melhor o evento”, afirma. 

Em caso de descumprimento das normas de acessibilidade, a empresa estará sujeita à:

- a suspensão do evento, após a vistoria feita pelo poder público;

- em caso de reincidência, multa de 10% do valor total arrecadado com o evento;

- cancelamento do evento, após nova vistoria feita pelo poder público, no caso de nova reincidência. 

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco