Indignação pública -

Universidade expulsa 6 alunos por 'punhetaço' em jogo feminino

A direção da Universidade Santo Amaro (Unisa) tomou a decisão de expulsar seis estudantes do curso de medicina, acusados de participar de um episódio de "punhetaço" durante uma partida de vôlei feminino em um torneio universitário na cidade de São Carlos, interior de São Paulo, ocorrido entre os dias 28 de abril e 1º de maio deste ano. Os vídeos do incidente viralizaram recentemente nas redes sociais, gerando indignação pública. Com informações do Metrópoles.

Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (18/09), a Polícia Civil instaurou um inquérito para identificar os estudantes envolvidos no ato obsceno, crime que prevê pena de 3 meses a 1 ano de prisão. A direção da Unisa, localizada na zona sul de São Paulo, já identificou seis alunos e optou por expulsá-los da universidade ainda nesta segunda-feira. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

A reitoria da instituição alegou ter tomado conhecimento do incidente apenas nesta segunda-feira, após a divulgação da reportagem, e agiu rapidamente para desligar os estudantes identificados. A Unisa planeja emitir um comunicado oficial sobre o caso na terça-feira (19/09).

Assista o vídeo aqui!

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), tanto a Unisa quanto a Secretaria Municipal de Esportes de São Carlos, onde ocorreu o evento, serão chamadas para prestar esclarecimentos sobre o "punhetaço" promovido pelos alunos de medicina.

As investigações preliminares indicam que estudantes do time de futsal masculino da universidade invadiram a quadra e desfilaram nus logo após o time pelo qual torciam vencer uma partida de vôlei feminino contra outra instituição.

Nos vídeos que circularam na internet, o grupo expôs suas genitálias e realizou atos obscenos direcionados à quadra, conforme informou a SSP em nota.

A ação é considerada ato obsceno à luz do artigo 233 do Código Penal, que proíbe a prática de "ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público". A pena prevista para esse delito é de até 1 ano de reclusão ou multa.

Alunos da Universidade Santo Amaro afirmam que essa prática é considerada "normal" em eventos universitários de medicina, alegando que se trata de uma tradição durante os jogos.

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco