ensino médio integrado · 21/01/2009 - 10h15

Maranhão terá primeira escola de ensino médio integrado

Na oportunidade ele falou sobre as atividades desenvolvidas pelo Grupo de Arte Maria Aragã


Compartilhar Tweet 1



A Unidade Integrada Maria Aragão, localizada no conjunto Cidade Operária, será transformada na primeira escola de ensino médio integrado em artes no Maranhão. A informação foi dada pelo secretário de Educação, Lourenço Vieira da Silva, ao participar de um seminário em Balsas.


Na oportunidade ele falou sobre as atividades desenvolvidas pelo Grupo de Arte Maria Aragão (Gamar) e a exposição fotográfica do grupo, que fica em cartaz até o dia 02 de fevereiro, no Palacete Gentil Braga. A mostra está aberta à visitação pública, de 8 às 18h. Disse ainda que a escola foi escolhida pelo trabalho que vem desenvolvendo, com uma nova visão, no setor de artes, nos últimos oito anos.
Para o coordenador do Gamar e diretor da escola Maria Aragão, Wilson Chagas, colocar o ensino médio da escola integrado às artes representa um incentivo para o grupo e aos novos alunos.


Segundo ele, 250 alunos passaram pelo projeto, evidenciando que a paixão pela arte está presente na vida desses jovens atores que descobriam outra forma de ver, sentir e serem cidadãos.


A gestora da região metropolitana da Seduc, Valda Rodrigues, disse que a arte transformou a vida dos integrantes do Gamar e representa um passaporte para a vida, a cultura e a educação, com a criação de um novo horizonte. Ela lembrou que são oito anos de muitas histórias e importantes vitórias.
Sobre o projeto da exposição de fotografias, Wilson Chagas frisou que vinha sendo estudado e todo ano, na festa de confraternização do grupo, eram realizadas pequenas exposições. O projeto era tornar a exposição maior, para ganhar maior visibilidade do público e para que a comunidade de São Luís conhecesse os trabalhos do Gamar.


Ele conta que não foi difícil reunir as fotografias porque o Gamar tinha um expressivo acervo, explicando que a maior dificuldade foi selecionar o material que está exposto. Wilson reconhece que parte do acervo não era de boa qualidade, pois foram feitas pelos integrantes do grupo, pais e professores. “São registros feitos por amadores”, disse.


Além das fotos do acervo do próprio Gamar, a exposição contempla 55 fotografias no tamanho 30 x 40 e 15 x 20, de autoria de profissionais renomados como Edgar Rocha, Lauro Vasconcelos, Paulo Socha, Joaquim Neto e Neidson Moreira, com imagens plasticamente mais bonitas.


Para Wilson Chagas, a exposição é a concretização de mais um sonho do grupo, a fim de que a comunidade cultural venha apoiar ainda mais o trabalho desenvolvido pelo Gamar.