"Arte Madeira Burilar" · 21/10/2010 - 21h12

Conheça a história do escultor piauiense João Oliveira. Veja!

A obra de João Oliveira, autodidata em no que faz, passeia pelo sacro e pelo profano


Compartilhar Tweet 1



Nas duas últimas semanas deste mês, a Casa da Cultura mostra a obra do escultor piauiense, João Oliveira, através da exposição “Arte Madeira Burilar”. Ele, que começou esculpindo ex-votos na cidade de José de Freitas, conta que iniciou seu trabalho com arte santeira sem pretensões de enveredar pelo mundo artístico.

Mas o destino reservou surpresas para esse feitor de ex-votos, que hoje é reconhecido mundialmente pelo seu trabalho que, ao longo dos anos, foi se tornando cada vez mais autêntico.

Segundo o artista, uma das suas principais preocupações na hora de confeccionar uma peça é a busca pela originalidade, deixando em cada uma delas sua marca. “Comecei por brincadeira e agora descobri que o segredo é sempre dar um toque exótico à minha obra para que quando as pessoas vejam saibam que se trata de uma peça minha. Elas não são peças bonitas, mas diferenciadas. Tudo iniciou com os ex-votos, mas aquelas peças podiam ser encontradas em qualquer lugar, então comecei a enveredar pela originalidade. Foi isso que me proporcionou vários prêmios, ao longo dos anos”, disse o artista.

A obra de João Oliveira, autodidata em pinturas, esculturas, entalhes e mosaicos, passeia pelo sacro e pelo profano.

“Quando descobri que tinha esse dom, esculpir se tornou um exercício diário, uma espécie de terapia. Qualquer toco de árvore que pego, começo a esculpir e dar uma forma. Isso já se tornou algo cotidiano, é como a necessidade que temos de nos alimentarmos. Sou apaixonado”, declarou o escultor.

O escultor conta que sempre trabalha esculpindo mais de uma peça simultaneamente. Usando como matéria-prima, principalmente o cedro e a imburana, madeira encontrada no sertão piauiense de Pedro II, próximo à divisa com o Ceará. João Oliveira diz que, dependendo da peça, sua confecção poderá levar até três meses.

O artista comenta que se sente muito feliz pelo reconhecimento e aceitação de críticos ao seu trabalho. No entanto, ressalta que sua preocupação reside em manter a humildade. “É importantíssimo o reconhecimento, mas isso só aumenta a responsabilidade em continuar sendo uma pessoa humilde”, pontuou.

Com 30 anos trabalhando com esculturas, o artistas se diz bastante contente de, pela primeira vez, estar mostrando suas peças de forma individualizada. Para isso foram reunidas mais de 50 esculturas, que ficarão expostas até o dia 31 deste mês, nas duas galerias da Casa da Cultura.

“Todo escultor tem o sonho de reunir um grande número de peças para expor individualmente. Em uma exposição coletiva o destaque não é tão grande como em uma individual. As outras exposição também foram importantes pelas premiações, mas aqui eu serei o centro das atenções”, disse.

Fora do Piauí, o artista participou de diversos eventos como a Feira de Arte Santeira de Canindé, no Ceará; Feira de Artesanato Mãos de Minas, em Belo Horizonte; além de exposições nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Salvador e Fortaleza. Além dos trabalhos espalhados por todo o território nacional, João Oliveira já expôs suas peças em diversos países, como Itália, Espanha, Alemanha, Canadá e Estados Unidos.


Fonte: Com Informações Do Jornal Meio Norte