Compartilhar Tweet 1



A partir deste sábado (9), o Memorial da Resistência, na capital apulista, apresenta a exposição Canto Geral: a luta dos direitos humanos, que traz 30 gravuras de artistas brasileiros que se referem a cada um dos artigos da Declaração Universal de Direitos Humanos, de 1948, e  violações desses direitos no país. A entrada é gratuita.

“Quando se lê a declaração, você fica cada vez mais surpreso com a recorrência das violações no Brasil de hoje e o quanto muitos discursos conservadores ferem artigos muito básicos definidos por ela”, disse a coordenadora do memorial, Marília Bonas, ao contar como surgiu a ideia da mostra. “Hoje vemos grandes retrocessos nesses pressupostos básicos [da declaração] que vão fazer 70 anos”, acrescentou.

As gravuras expostas pertencem à coleção da Pinacoteca e são de artistas como Aldemir Martins, Claudio Tozzi e Amélia Toledo.

A exposição traz uma reflexão sobre a importância e o impacto de cada um dos artigos da declaração e um alerta às constantes ameaças da naturalização de diversas formas de violência, além de mostrar a necessidade de luta constante pela defesa de direitos. “O fato de você ter a declaração não significa que você tem só direitos garantidos”, disse a coordenadora.

Marília Bonas lembra que o memorial fica ao lado da Cracolândia, região de concentração de usuários de drogas .“Estamos no território da Luz, ao lado da Cracolândia, onde vemos todo dia uma brutalidade muito grande, crescendo na porta do lugar em que trabalhamos com esses temas”, disse. Além das gravuras, o público vai conferir o projeto do artista Raphael Escobar, que atua pela defesa dos direitos na Cracolândia. Nessa parte da mostra, uma rádio ficará o tempo todo ligada, trazendo as vozes de pessoas que sofrem violações, como indígenas e a população LGBT. As gravações ficarão disponíveis também no Spotify do Memorial da Resistência.

Em uma terceira parte da exposição, haverá atualização diária de notícias relacionadas às violações dos direitos humanos. “Será atualizada com notícias sobre discurso de ódio, proposta de retirada de direitos e também ações de resistência de grupos articulados, a própria resistência da sociedade a essas violações”, disse a coordenadora.

A exposição fica em cartaz até 1º de março do ano que vem, de quarta a segunda, das 10h às 18h, no Memorial da Resistência (Largo General Osório, 66), com entrada gratuita.


Fonte: Agência Brasil

Compartilhar Tweet 1



O empenho do Ministério da Cultura (MinC) na criação de políticas de fortalecimento da indústria cinematográfica e no fomento a empresas que atuam na área de produção audiovisual foi destacado pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, no painel de debates Indústria Criativa e Novas Tecnologias do VFX (efeitos visuais), na tarde desta quinta-feira (7). Integrante da programação do primeiro dia da Comic Con Experience 2017, o ministro dividiu o painel com o supervisor VFX da Weta Digital, Dann Lemon, ganhador do Oscar de Efeitos Especiais neste ano.

Durante a palestra o ministro falou sobre a necessidade de fortalecer, por meio do poder público, a indústria audiovisual brasileira. Na avaliação de Sá Leitão, as condições para que isso aconteça são favoráveis, ou seja, o País tem um grande mercado consumidor – que cria uma base econômica -, profissionais atuantes, além de uma infraestrutura de produção ativa: "Nos últimos anos, fomos capazes de realizar muitos conteúdos para televisão, séries de ficção e de animação".

Sérgio Sá Leitão (Foto: Acácio Pinheiro / Ascom MinC)
Sérgio Sá Leitão (Foto: Acácio Pinheiro / Ascom MinC) 

O ministro reiterou que o MinC continuará o trabalho para elevar o Brasil à quinta maior indústria cinematográfica do mundo. "Estamos trabalhando com uma previsão de investir R$ 700 milhões por ano, com recursos do FSA, ou seja, R$ 7 bilhões em 10 anos. Se a aplicação desses recursos for feita com rigor, com qualidade técnica e com mensuração de resultados, vamos levar a indústria audiovisual brasileira para figurar entre as cinco melhores", afirmou.

Sá Leitão ressaltou que o Ministério da Cultura segue no compromisso de contribuir, seja a partir da pasta ou da Agência Nacional do Cinema (Ancine), para a construção de uma indústria que tenha um peso ainda maior para a economia brasileira. "Estamos em um processo bem acelerado do Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual (CGFSA) e do Conselho Superior de Cinema, aprovando uma série de medidas que começam a ser implementadas no sentido de impulsionar esse crescimento, tendo como base uma política pública de investimento. A grande questão, a meu ver, diz respeito a uma necessária mudança de mentalidade, de encarar o audiovisual como uma indústria, um setor de promoção de desenvolvimento econômico, como se faz com o agronegócio", declarou.

O ministro citou o exemplo dado por Dann Lemon adotado pela Nova Zelândia para atrair grandes produções internacionais àquele país. "O incentivo dado pelo governo neozelandês está na base de todo o desenvolvimento do VFX no país. Com o estímulo oferecido, produções cinematográficas importantes foram parcialmente realizadas em território neozelandês, utilizando serviços de produção local", destacou.

Sá Leitão adiantou que o Comitê do FSA aprovou a criação de linhas de crédito para investimento e de crédito para o segmento de infraestrutura, incluindo as etapas de pré e pós-produção, o que abrange também o segmento de VFX, que está dentro dessa política: "Essa linha será fundamental para que as empresas possam crescer e se tornarem mais competitivas. Isso é inédito e vamos fazer a partir da reforma do FSA". A ideia, segundo o ministro, é criar facilidades e estímulos para empresas especializadas em pós-produção.

A decisão do Conselho Superior de Cinema de se criar incentivo para a atração de produções internacionais também foi lembrada pelo ministro durante sua palestra. "A disputa é global. Somente nos Estados Unidos, 42 estados americanos oferecem incentivos fiscais para produções audiovisuais. Hoje existem mais filmes sendo feitos na Geórgia do que na Califórnia", exemplificou.

Sá Leitão enfatizou que o Brasil tem condições de ter uma indústria audiovisual competitiva, capaz de disputar não apenas o mercado interno, como também o externo: "Com isso poderemos gerar ainda mais renda e emprego no Brasil. Atualmente, a indústria audiovisual já integra o campo da economia criativa. São atividades que respondem por 2,64% PIB, gerando mais de 1 milhão de empregos diretos. É um dos 10 setores que mais contribuem para o crescimento do País".

O ministro afirmou que, embora o investimento e o crédito compõem um pilar importantíssimo para o desenvolvimento do setor audiovisual, outros fatores devem ser igualmente observados. "Questões como formação e capacitação de profissionais para a área também têm uma importância estratégica. Muitos pontos precisam ser mudados ainda, mais devemos fazer, prioritariamente, o que está o nosso alcance", pontuou.


Fonte: Ministério da Cultura
Entrando na reta final do ano · 05/12/2017 - 09h39 | Última atualização em 05/12/2017 - 09h46

Orquestra Sinfônica de Teresina anuncia programação especial de Natal


Compartilhar Tweet 1



Entrando na reta final dos trabalhos da Temporada 2017, a Orquestra Sinfônica de Teresina (OST) anunciou na tarde desta segunda-feira (04/12) sua programação especial de fim de ano, com o calendário dos Concertos Natalinos. As apresentações terão repertório diverso, envolvendo peças da música erudita, além de canções populares e religiosas, com a participação de um coral de oito vozes (quatro homens e quatro mulheres), além dos cantores-solistas, Edivan Alves, Flávio Moura e Luana Campos.

    Foto: Semcom

E a programação já inicia nesta segunda-feira (4), às 18h, nos jardins do Palácio de Karnak, sede do Governo do Estado. A Orquestra Sinfônica de Teresina se apresentará durante a solenidade de lançamento da decoração de Natal do Palácio, a convite do governador Wellington Dias.

O calendário segue no dia 06, na quarta, quando a OST pegará a estrada rumo à cidade de Monsenhor Gil, Sul do Piauí, para uma apresentação especial na Igreja Menino Deus, dentro da programação dos 54 anos de emancipação política da cidade. O concerto será às 19h. Já na sexta-feira (8), será a vez do município de Palmeirais, também ao Sul da capital. Por lá a apresentação da Orquestra será às 20h, no adro da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição.

Mantida pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, a OST também contou neste ano com o patrocínio do Conselho Nacional do SESI, que contribuiu no financiamento de todos os trabalhos da temporada, especialmente, com o projeto Concertos pelo Piauí - Rio Abaixo, Rio Arriba.

“Agora, como já fazemos tradicionalmente ao fim de cada ano, levaremos ao público um concerto primoroso, trabalhado nos mínimos detalhes, de modo a encantar as famílias e compartilhar a magia do Natal. É o nosso modo de desejar excelentes festas e um novo ano ainda mais especial”, pontuou Abiel Bonfim, superintendente executivo da Fundação Monsenhor Chaves e administrador da OST.

O calendário completo com a programação dos Concertos Natalinos você confere logo abaixo. “Esperamos contar com o povo nessa nossa última turnê de 2017, preparada com muito empenho e zelo. A nossa missão de levar a boa música pra perto das pessoas continua e em 2018, quando completaremos 25 anos de história, muitas surpresas serão anunciadas. Aguardem!”, enfatizou o maestro Aurélio Melo.

Programação | Concertos Natalinos

04/12 – Palácio de Karnak / 18h

06/12 – Igreja Menino Deus - Monsenhor Gil-PI / 19h

08/12 - Adro da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição - Palmeirais-PI / 20h

10/12 – Paróquia Nossa Senhora de Nazaré – Bairro Bela Vista / 18h30

16/12 - Arte em Toda Parte - Praça Rio Branco (Centro) / 09h30

17/12 – Igreja Nossa Senhora de Lourdes – Bairro Vermelha / 18h30

20/12 – Shopping da Cidade – 16h

21/12 – Igreja Nossa Senhora do Amparo – Centro / 18h30

22/12 – Igreja de São José Operário – Bairro Vila Operária / 18h30

23/12 – Teresina Shopping - 19h

25/12 – Parque da Cidadania / 18h30


Fonte: Semcom
Nova Instrução Normativa · 02/12/2017 - 08h29 | Última atualização em 02/12/2017 - 09h46

MinC divulga novas regras da Lei Rouanet


Compartilhar Tweet 1



O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, anunciou  em São Paulo, a nova Instrução Normativa (IN) da Lei Federal de Incentivo à Cultura (8.313/91), mais conhecida como Lei Rouanet, principal mecanismo de fomento à Cultura no Brasil e impulsionador da produção das atividades criativas, que representam 2,64% do PIB nacional. 

"Concluímos o trabalho de elaboração da nova IN da Lei Rouanet, que trará uma mudança profunda. Tivemos a preocupação de redigir a normativa pensando nos usuários, naqueles que se beneficiam diretamente, como artistas e produtores", destacou o ministro, ao anunciar que o texto da IN será publicado no Diário Oficial da União nesta sexta-feira (1). "A bandeira da simplificação é uma que sempre venho empunhando. É uma contribuição do MinC para a desburocratização do País. A IN vai ser implementada com todo rigor, com todo empenho e valerá para os projetos que estão em andamento."

Com um texto enxuto e objetivo – o número de artigos da nova IN foi reduzido de 136 para 73 artigos –, as regras ficaram mais claras e promovem dinamismo ao processo, desde a aprovação do projeto até a prestação de contas, sem perder o controle eficiente do mesmo. O intuito é desburocratizar o setor e, com isso, atrair mais investimentos, gerando mais renda e empregos na área cultural. 

As atualizações atendem a práticas de mercado, com a correção de valores, o que propiciará melhores condições de sucesso aos projetos. A exigência de um estudo de impacto econômico de projetos de maior valor deixará mais evidente o papel da Cultura como gerador de renda e emprego. 

Dentre as principais mudanças, a nova IN traz maior atratividade aos patrocinadores dos projetos culturais, o que deverá ampliar o número de projetos com efetiva captação para sua realização. Ao mesmo tempo, passará a permitir o patrocínio a projetos inovadores de empreendedores culturais iniciantes, para que se consolidem no mercado. As novas regras também reforçam a desconcentração regional, com incentivos ao investimento em regiões e estados com histórico de poucos projetos culturais. Além das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, já contempladas na IN anterior, publicada em março deste ano, passarão a ser contempladas a região Sul e os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Nesses locais, o limite de projetos e o valor total deles será aumentado em relação aos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, que historicamente recebem maior número de projetos culturais.  

Esta é a quinta edição da IN desde a promulgação da Lei Rouanet, em 1991. As INs anteriores foram publicadas em 1991, 2010, 2012 e em março de 2017.

Novas tecnologias
Aliada às mudanças na Instrução Normativa da Lei Rouanet, o Ministério da Cultura está implementando controles mais eficientes e transparentes a partir do uso de novas tecnologias. Será lançada nova plataforma do Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic), que poderá ser acessado por aplicativo em smartphones. A sociedade e o proponente poderão acompanhar a situação do projeto conforme tramitação do processo no Ministério da Cultura (MinC), nas fases de admissibilidade, execução e resultado. Paralelamente, o MinC vai realizar uma campanha informativa para sanar as distorções sobre o funcionamento da Lei Rouanet e promover a valorização da cultura como ativo econômico e social, gerador de emprego, renda e inclusão social. 

Novos mecanismos de fomento
Além das alterações na IN da Lei Rouanet e do aprimoramento da gestão do MinC por meio da automação dos processos, o ministro da Cultura está trabalhando em novos mecanismos de fomento para o MinC. Ainda na gestão do presidente Michel Temer, o Ministério da Cultura vai enviar projeto de lei ou medida provisória com sugestões de alterações na própria Lei Rouanet que não são possíveis via IN. Entre os novos mecanismos de fomento que quer incluir na lei está o Endownment, que consiste na criação de fundos patrimoniais permanentes ao financiamento a museus, companhias de dança, teatro e orquestras. Outro mecanismo proposto será o Crowdfunding, prática comum no mercado, voltada ao financiamento coletivo de projetos realizados com incentivo fiscal. E ainda a proposta de permitir que empresas que operem com lucro presumido realizem projetos incentivados, o que deve estimular mais investimentos em regiões com histórico baixo de produção cultural. 

O MinC vai realizar ainda um estudo de impacto econômico da Lei Rouanet a partir de contratação de consultoria, no início de 2018, para medir o impacto real da lei na sociedade.

O ministro Sá Leitão tem ainda buscado novas fontes de fomento direto, intervindo junto ao processo de descontingenciamento dos recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC) e pleiteando recursos que deveriam ser repassados pelas Loterias Federais no valor de 3% da arrecadação dos jogos. Sá Leitão também tem sensibilizado os órgãos detentores dos recursos decorrentes de acordos de leniência de empresas envolvidas em desvios para que parte das multas se destine a desagravo social por meio de medidas de preservação cultural. 

Vetor Econômico
Ao longo de 26 anos, a Lei Rouanet já incentivou mais de R$ 16,4 bilhões pelo mecanismo de incentivo fiscal. São mais de 50 mil projetos de música, dança, audiovisual, patrimônio, circo, artes cênicas e plásticas, dentre outras linguagens culturais. 

O retorno do investimento cultural via Lei Rouanet à sociedade é muito maior do que a renúncia fiscal do governo federal concedida à área da Cultura via Lei Rouanet e o setor do audiovisual, que representam 0,64% do total de renúncia fiscal do governo em todos os demais setores. 

As atividades criativas representam 2,64% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, superando setores tradicionais da economia, como a indústria têxtil, farmacêutica e de eletroeletrônicos. São 251 mil empresas do segmento cultural, gerando cerca de 1 milhão de empregos no País.


Fonte: Ministério da Cultura
Sua trajetória na cena cultura · 26/11/2017 - 11h35 | Última atualização em 26/11/2017 - 11h45

Artista diz que ruas devem ser espaço comum, democrático e de manifestações


Compartilhar Tweet 1



O dançarino de balé popular do Recife, Roger de Renor, é o entrevistado do programa Conversa com Rosean Kennedy que vai ao ar na segunda-feira (27/11), às 21h30, na TV Brasil. Ele tem importante trajetória na cena cultural brasileira e várias décadas dedicadas às artes.

    Foto: Reprodução/ TV Brasil

O pernambucano já trabalhou em gravadora, foi dançarino do balé popular do Recife e teve seu nome imortalizado na música Macô, de Chico Science. Roger também foi dono do bar Soparia, onde se encontravam grandes nomes do movimento manguebeat, como Chico Science & Nação Zumbi, Mundo Livre S/A e Mestre Ambrósio. O movimento tornou-se referência na descentralização da produção cultural do país.

Idealizador do programa Som na Rural, Roger transforma um modelo Ford antigo em veículo sonoro itinerante, para levar música de todas as vertentes ao público nas ruas. O programa, que já teve temporadas na TV Brasil, está em nova fase. “A gente tá preparando uma nova temporada pra continuar essa ponte e essa missão da TV pública: mostrar a diversidade da música do Brasil. Acho que a maior vontade do brasileiro é se descobrir como país, como identidade dentro das suas diferenças”.

Roger é um defensor da ocupação dos espaços públicos e acredita que as ruas devem ser um espaço comum, democrático, local de encontros e e também um ambiente para as manifestações artísticas. Ele comenta a insegurança que existe em relação ao espaço urbano. “As ruas são seguras, a gente observa isso.

A gente faz parte desse movimento, que mostra isso para as pessoas na prática. As ruas são inseguras quando estão desertas. Se a gente está nas ruas, a gente é a nossa segurança. Não é a polícia que vai fazer a segurança, são as pessoas sendo a maioria nas ruas”.

O produtor cultural também faz duras críticas ao se referir aos espaços “artificiais” como sinônimos de segurança. “Às vezes, o sistema quer mostrar que o barato é o shopping center porque é seguro. Então, a gente ouve absurdos... edifícios que vendem apartamentos que tem playground, churrasqueira, academia e tem passagem exclusiva para o shopping.

Então, o Som na Rural trabalha isso. Outros lugares também trabalham, independentemente de ser um carro ou não, trabalham movimentos que chamam as pessoas para fazer uso dos lugares”.

Roger defende ainda que a cidade seja um local para encontros e trocas entre grupos sociais. Um espaço de convívio e compartilhamento artístico. “As pessoas querem os espaços públicos para as suas manifestações culturais, com todas as influências, todas as suas invenções e reinvenções. E isso é muito bonito”.


Fonte: Agência Brasil

Compartilhar Tweet 1



Leitura ao ar livre foi a atividade que encantou as crianças do Centro Municipal de Educação Infantil Francisco de Assis, no Mocambinho. A escola realizou o Dia da Alfabetização com um Piquenique Literário, onde as professoras contaram histórias já conhecidas pelos pequenos, mas de uma forma diferente.

A ação também faz parte do projeto “Universo encantado da leitura”, criado pelo CMEI para envolver os alunos no mundo da leitura através de atividades de poesia, feira cultural e agora o “Semeando valores”. Esse último consiste na distribuição de diferentes histórias infantis para cada turma, todas com mensagens sobre aceitação, respeito e solidariedade.

A diretora Josélia Cristina conta que cada história já foi trabalhada de variadas formas para que as crianças sempre tirem novos aprendizados a cada aula.

“As professoras ainda foram além, estão confeccionando com os alunos livros artesanais com essas histórias, tornando-as ainda mais significativas. Todos os livros que escolhemos despertam esse olhar e cuidar do outro”, explica. Para ela, a leitura ao ar livre torna o hábito mais prazeroso. “É um momento de diversão, eles adoram, conhecem os personagens, recontam e interagem”, afirma Josélia.

O piquenique no pátio reuniu 136 alunos, que ouviram as leituras dos livros trabalhados em sala de aula como se fosse a primeira vez. As professoras contaram histórias como “O menino de todas as cores” e “O jacaré egoísta” utilizando fantoches, livros gigantes, fantasias e outros acessórios para enriquecer o momento lúdico.


Fonte: Prefeitura de Teresina

Nessa sexta-feira (24), o Teatro 4 de Setembro ficou repleto de emoção com os talentos artísticos das crianças e adolescentes assistidos pelo Centro de Convivência Novos Meninos, durante o 17º Show Festivida.  No espetáculo, eles retrataram o tema Corrupção, com apresentações teatrais, danças e festival de música com jurados profissionais e músicos piauienses.

O momento de confraternização do Centro de Convivência, localizado em Teresina, foi realizado por meio da Ação Social Arquidiocesana (ASA), em parceria com a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). O projeto visa mostrar à sociedade o aprendizado e potencial dessas crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

 O secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Politicas Integrada, Samuel Silveira, esteve presente no espetáculo e aproveitou para falar do projeto. “Nós da Semcaspi temos muito orgulho dessa ação que ajuda no desenvolvimento da cidadania e garante um grande futuro para nossas crianças e adolescentes. Parabéns pela escolha do tema e a cada uma delas, que tiveram a coragem de subir no palco e mostrar o seu melhor para a comunidade”, ressalta o secretário Samuel Silveira.

 “Ficamos muito felizes com a culminância do projeto realizado neste ano de 2017, principalmente pelos socioeducandos beneficiados. As pessoas passam a acreditar cada vez mais no trabalho, pois eles já trazem muita potencialidade, mas é preciso que a sociedade invista nas políticas públicas dessas crianças e adolescentes”, comenta a coordenadora do Centro Novos Meninos, Veronica Leal.

“Já são 20 anos de história e é muito gratificante. Trabalhamos uma metodologia adequada para retratar a realidade que vivenciamos no contexto atual, como a crise política no país. A temática foi dentro da concepção dos pequenos gestos de corrupção, que levam a situações piores como a de hoje. Mostramos a possibilidade de se conscientizar e valorizar a honestidade com escolhas sensatas na vida”, diz a assistente social e educadora da ASA, Maria Valdeniria. 

 


Fonte: Com informações da assessoria
Dia 28 de novembro · 23/11/2017 - 11h26 | Última atualização em 23/11/2017 - 11h57

Artista plástica Elisa Lobo realiza exposição em loja de decoração na Capital


Compartilhar Tweet 1



Teresina recebe dia 28 de novembro o trabalho da artista plástica Elisa Lobo, que será apresentado em exposição de coleção exclusiva de almofadas, painéis e mini painéis através de releituras de obras de arte de artistas consagrados. O evento vai reunir apreciadores de arte, arquitetos e jornalistas na loja Empório Casabella.

Elisa Lobo nasceu em São Paulo e desde pequena sempre teve muita ligação com atividades artísticas. Ainda na infância e adolescência, Elisa enveredou por outras plataformas artísticas, como balé e teatro e se formou em artes plásticas. Ela teve sua carreira focada na alta moda, tendo trabalhado com marcas renomadas por muito tempo e em 2002 iniciou um processo de releitura de obras de arte, onde poderia combinar seu amor pelas artes plásticas com o trabalho de costura e bordados.

Através de técnicas elaboradas de bordado, ela faz releituras de obras de arte de grandes artistas, como Leonardo da Vinci, Klimt, Picasso, Matisse, Frida Kahlo e outros. Desenvolveu assim uma linha de decoração e acessórios, como almofadas, poltronas, abajures e paineis, comercializados em linhas exclusivas para lojas de decoração.

A artista plástica mantém, no sul de Minas, um ateliê para a produção das suas peças, elaboradas com a participação de um grupo de assistentes, com quem desenvolve um importante trabalho de valorização humana através da arte. São mulheres que até pouco tempo trabalhavam na colheita do Café na cidade de Carmo da Cachoeira, Sul de Minas Gerais, onde são capacitadas com uma imersão no mundo artístico e se transformam em coautoras das peças e obras realizadas.

A empresária Ivanária Sampaio, responsável pela realização da exposição, comenta que a ideia surgiu através do desafio de sempre buscar novidades para conquistar um público fiel e se diferenciar da concorrência. “Esse é o maior desafio para quem abre uma empresa. Inovação é a palavra-chave. Com o grande número de opções no ramo de decoração, temos que usar a criatividade para se destacar no mercado. Por isso decidimos unir arte, decoração e gastronomia alinhando a exposição da artista plástica Elisa Lobo com inauguração do novo espaço da loja, o Bello Café, que é um espaço intimista para receber amigos e tomar um café da tarde”, explica a empresária.

Para Elisa Lobo exposições como essa são sempre ótimas chances de mostrar o seu trabalho.  “Mergulhei de cabeça nesse projeto. É sempre uma honra expor as peças, pois trabalho com mulheres que nunca haviam mexido com artes e agora estão expondo em museus, galerias e lojas dentro e fora do país. Eu fico emocionada quando falo desse trabalho”, finaliza.

 


Fonte: Com informações da Ascom
Levar alegria e amor · 16/11/2017 - 15h10 | Última atualização em 16/11/2017 - 15h14

Fundação Monsenhor Chaves lança projeto "Arte que toca gente"


Compartilhar Tweet 1



A Prefeitura de Teresina, através da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, iniciou nesta quinta-feira (16/11) o projeto "Arte que toca gente" que tem como objetivo levar alegria e amor por meio da música para entidades filantrópicas da capital. Nesta manhã, a visita aconteceu no Abrigo São Lucas, zona Leste da cidade.

A apresentação contou com a participação do acordeonista Luiz Marcos, conhecido como "Pimba" da Orquestra Sanfônica de Teresina. Por cerca de trinta minutos, o músico tocou diversas canções conhecidas como Asa Branca e Esperando na Janela.

De acordo com a assistente social da casa, Fernanda Almeida, o contato com a música ajuda a desenvolver a auto estima e a interação dos idosos. "Música é vida e pra eles é um momento gratificante. Eles aceitam e pedem sempre, pois é algo que fica na memória. A música é uma terapia de força que ajuda a melhorar os dias, além de deixa-los mais felizes", disse.

Atualmente o Abrigo São Lucas, mantém 60 idosos sendo 24 homens e 36 mulheres. Com a missão de proporcionar atendimento para pessoas idosas, o local está aberto a visitação durante todos os dias. A casa fica localizada na Avenida Nicanor Barreto, 5280, Vale Quem Tem.

    Foto: ascom/FMCMC

 


Fonte: Semcom
Evento acontece em Floriano · 11/11/2017 - 12h16 | Última atualização em 12/11/2017 - 13h27

Em Floriano, Dedé agradece convite para o seu 1º Festival de Cinema, aos 80 anos


Compartilhar Tweet 1



Acontece desde quinta-feira (08) o Festival de Cinema que está sendo realizado no município de Floriano, distante 256 km da capital Teresina. O secretário estadual de Cultura, Fábio Novo, postou em seu Instagram um vídeo onde o humorista Déde Santana aparece agradecendo por sua participação no evento.

"O eterno trapalhão Dedé Santana fala agora sobre o seu filme "A Repartição do Tempo" dirigido por Santiago Dellape. O trabalho de Brasília foi selecionado para o Festival de Cinema de Floriano", postou o secretário.

No vídeo, Dedé fala que é a primeira vez que é chamado para participar de um festival de cinema e diz ainda que aqui no Brasil, as pessoas com mais idade são quase que colocadas de lado.

"Aqui no Brasil, as pessoas com mais idade são quase que colocadas de lado, e eu fiz 80 anos e tive uma felicidade muito grande, fui nomeado embaixador do circo no Brasil e com 80 anos e mais de 50 filmes eu nunca fui convidado convidado para participar de um festival de cinema, e vocês aqui, fizeram isso, então, vocês vão ficar eternamente no meu coração, muito obrigado", disse Dedé.

 

Beleza para Todos · 10/11/2017 - 18h18

Shopping da Cidade promove exposição de Arte Santeira


Compartilhar Tweet 1



O Shopping da Cidade recebe uma exposição de arte santeira com o tema “Arte Santeira como Arte e Beleza para Todos”. O evento constituirá de exposições de obras, da Arte Santeira, compostas de um Presépio e uma Santa Ceia com tamanho das peças de noventa centímetros a um metro, num total de 40 peças.

Os acervos ficaram expostos nos períodos de 18 de novembro de 2017 a 06 de Janeiro de 2018. Participarão da exposição os Mestres Valdir, Dim, Coxinha e Professora Maria dos Remédios. O evento estará aberto ao público em Geral e com entrada franca. O propósito da exposição é divulgar a Arte Santeira para toda população de Teresina e turistas em geral, procurando aproximar o público de diversas faixas etárias e de diferentes níveis sociais, a fim de divulgar o que o Teresina tem de melhor em Arte Santeira. Ainda também haverá oficina de entalhes, com intuito angariar novos discípulos para que esta arte não acabe por falta de novos artistas.

Esta exposição foi de iniciativa dos Mestres Valdir, Dim, Coxinha e Professora Maria dos Remédios e com o apoio da administradora Sra. Maria Inês Lopez Sousa do Shopping da Cidade. Mostrando que é possível manter uma parceria com órgãos e entidades públicas ou privadas, com o propósito de incentivar a cultura do nosso estado sem ter que onerar os cofres públicos, ou seja, o Shopping da Cidade entra com o espaço físico para exposição e a logística e os custos financeiros a cargo dos Mestres Valdir, Dim e Coxinha e da Professora Maria.

 

Últimos ajustes · 10/11/2017 - 10h37 | Última atualização em 10/11/2017 - 10h48

Após reforma, Teatro João Paulo II será reaberto em dezembro


Compartilhar Tweet 1



Após uma ampla reforma, o Teatro João Paulo II, localizado no bairro Dirceu Arcoverde, zona sudeste da cidade, chega aos últimos ajustes para sua reinauguração, que acontece em dezembro. A Prefeitura de Teresina está investindo cerca de R$ 410 mil na obra.

“O teatro vai trazer para todos, em especial para a população do Dirceu, mais acesso a cultura, com espetáculos de dança, música, teatro e diversas oficinas. Acreditamos que a casa irá oportunizar muito mais jovens a sair da ociosidade e talvez direcioná-los ao mercado artístico”, afirma Luis Carlos Alves, presidente da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves.

O local está passando por uma ampla reestruturação. Foram adquiridas as novas centrais de ar condicionado, novas poltronas, revestimento em carpetes e nova iluminação. A expectativa é que o local volte a movimentar a zona Sudeste e oportunizar mais acesso aos espetáculos. 

Desde sua inauguração, em 2005, a casa buscou priorizar também a acessibilidade, possibilitando melhores condições de circulação para o público. Para Francisco de Castro, primeiro diretor do Teatro João Paulo II e atual coordenador de Artes Cênicas da Fundação Monsenhor Chaves, o local tem tudo para voltar a ser referência na cidade. “Durante muitos anos ele foi referência em Teresina, foi um dos grandes espaços culturais local, mudou o fazer cultura da região Sudeste e sua volta vem com toda essa força, além do que está sendo preparado uma programação que atenda todos os gostos e movimente mais uma vez a casa”, afirmou.

O Teatro João Paulo II é mantido pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. O espaço retorna à cena cultural teresinense para sediar espetáculos de teatro, dança e música, além de disponibilizar oficinas gratuitas de balé, violão, capoeira, dança contemporânea, bateria e teatro.


Fonte: Prefeitura de Teresina / Ascom

Compartilhar Tweet 1



O filme de maior sucesso em 2017 agora está nos palcos de Teresina! A peça teatral infantil “Moana – Um Mar de Aventuras”, inspirado no filme Moana, entra em cartaz neste sábado (11) e domingo (12), no Theatro 4 de Setembro, a sessão está marcada para iniciar às 17h00. Ingressos à venda na Dinolândia, Fun Kids, Banda do Joel e ingresso promocional no site Os Mosqueteiros.

Moana, filha do líder de uma das ilhas da Polinésia antiga, é uma jovem cheia de empatia, coragem e determinação, que sonha em se aventurar nas águas do oceano Pacífico e retomar a origem aventureira do seu povo. Ao se lançar ao mar, enfrentando seus próprios medos, Moana parte em busca de Maui, que é o único capaz de ajudá-la a restaurar a paz do arquipélago, restabelecendo o equilíbrio da Natureza.


Fonte: Com informações da Ascom
São do Tocantins · 05/11/2017 - 14h03

Grupo Artpalco encanta teresinenses em espetáculo


Compartilhar Tweet 1



Em turnê pelo Nordeste o grupo Artpalco (TO) apresentou o espetáculo “A Outra História de Francisco”, na tarde deste sábado (4), no Teresina. O espetáculo tem o apoio do Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet.

 

O Grupo se apresentou em São Luís (MA), nesta sexta-feira e segue para Sobral (CE), neste domingo onde faz apresentação inédita.

 

“A Outra História de Francisco” conta através de uma trupe de palhaços, uma versão bem humorada da história de São Francisco de Assis ainda criança, que junto com seus amigos recebe a missão de proteger os animais. O espetáculo faz uma viagem pelo universo da cultura popular, levando para a cena personagens como: Bumba meu boi, Ema, Homem da Cobra, entre outros.

 

Com a direção de Luiz Navarro, a peça une elementos como música na interpretação dos pernambucanos Nice Albano e Zé Caetano, dança e teatro com um elenco de oito atores. O musical infantil aborda uma tarde na infância do menino Francisco, aquele que futuramente se tornaria um dos maiores exemplos de amor da humanidade: Francisco de Assis.

 

Neste sábado pela manhã,  integrantes do elenco do Artpalco ministraram uma oficina de Teatro aos teresinenses para uma turma de 20 alunos. À trade, o espetáculo foi apresentado para uma plateia formada por estudantes, artistas, profissionais liberais e integrantes do Pelotão Mirim do bairro São Joaquim, em Teresina.

 

Ao falar do espetáculo, o diretor do grupo Luiz Navarro disse que o Artpalco se propõe a falar de amor para o grupo “acredita na força transformadora do amor”.

 

 


Fonte: Com informações da assessoria
No Teatro 4 de Setembro · 04/11/2017 - 10h48 | Última atualização em 04/11/2017 - 11h00

Espaço da dança Mônica Araújo realizará o espetáculo 'Alice no país das maravilhas'


Compartilhar Tweet 1



O Espaço da dança Mônica Araújo realiza na próxima quinta-feira (09/11), no Teatro 4 de Setembro, às 19h, o espetáculo 'Alice no paós das maravilhas. A apresentação anual reúne alunos e convidados numa exibição de dança e cultura.

SOBRE A ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS
Lewis Carroll conta a história de uma menina chamada Alice, que se encontra sentada ao lado de sua irmã, a qual está atenta na leitura de um livro, enquanto Alice perde a paciência de estar ali ao lado somente fazendo companhia. Resolve então esticar seus olhos querendo mergulhar também naquela leitura. Nessa impaciência, resolve fazer um colar de flores, desviando seu olhar para o campo florido. Naquele exato momento, ao correr em direção às margaridas, ela percebe que um coelho branco corre ao seu lado.

Nada demais ela viu naquilo, mas algo lhe chamou a atenção: o coelho retira do próprio bolso um relógio. Este fato a intrigou, fazendo com que ela corresse atrás dele para ver até onde ele iria, mas, no afã de alcançar o rápido animalzinho, de repente, ela se vê caindo dentro da toca dele: a porta para o “País das Maravilhas”. Começou a cair no profundo buraco até chegar ao fundo. Lá encontra várias portas e uma chave que  abriria apenas uma delas. Ela recebe um  líquido para beber que a faz reduzir de tamanho.

Já reduzida, passa pela porta e encontra um jardim. O que ela nem imaginava era que entrara em outro mundo. Um mundo incrível onde os animais podiam falar. Falava com rosas e outras formas animadas. Ali conheceu uma lagarta conselheira; um exército de cartas, contra o qual teria que combater; o gato alegre, sempre a sorrir, que aparecia e desaparecia; e o chapeleiro maluco.

Ao regressar ao tamanho natural e retornar à superfície, depois de viver verdadeiras aventuras naquele mundo imaginário, na companhia daqueles personagens, é que Alice se dá conta que tudo não passara de um sonho e que estava de volta à realidade, acordando daquela viagem onírica maravilhosa.

SOBRE MÔNICA ARAÚJO: CONFIRA SEU RELATO PESSOALComecei a minha fascinação com a dança aos 5 anos de idade quando fui meio que obrigada a praticar algum exercício, por causa das minhas crises de asma e o médico pediu que eu procurasse alguma atividade física: natação ou balé. Depois de muita birra para não ir para a natação, minha mãe me matriculou nas minhas primeiras aulas de balé clássico no Projeto Escola Balé de Teresina.

Quando completei meus 14 anos, tive a oportunidade e o desafio de assumir minha primeira turma de Balé Baby no Projeto Escola Balé de Teresina. Após alguns anos abri minha escola de dança, o "Espaço da Dança Mônica Araújo". Por lá vivi e vivo até hoje o prazer de acolher minhas bailarinas como filhas, e faze-las brilharem no nosso espetáculo anual de fim de ano.

Apesar de estar extremamente feliz com o balé, eu queria mais, desejava ajudar as pessoas a alcançar seus objetivos através da dança, por isso desenvolvi meu próprio programa de dança, o "JOY DANCE", um programa de dança com foco em alegria e exercícios aeróbicos. Com o programa pude alcançar milhares de pessoas por meio de aulões e coreografias na internet.

Durante esse tempo participei de muitos projetos que me enchem de orgulho, como o projeto de inclusão do balé na capacitação do time de Handebol da UFPI e que rendeu uma repercussão nacional sobre o tema. Durante a graduação em Educação Física, participei do núcleo de dança da Faculdade Santo Agostinho.

Em 2015 tive a grande oportunidade de fazer parte do corpo docente do Grupo Educacional Pro Campus. Lá me tornei ainda mais profissional na área de educação física e me realizei profissionalmente quando fui convidada a estar à frente do balé da escola.

 

ESPETÁCULOS
Um Sonho de Clara (Balé de Teresina)
Bela Adormecida (Balé de Teresina)
Don Quixote (Balé de Teresina)
Corsário - Papel Principal (Balé de Teresina)
Tributo à Jorge Amado (Núcleo de dança da Faculdade Santo Agostinho)
Quarteto | Dança Conteporânea (Companhia Ensaios para Dança)
Copélia (Espaço da Dança Mônica Araújo)
Peter Pan (Espaço da Dança Mônica Araújo)

PREMIAÇÕES
1º LUGAR | MERCADO CENTRAL | Festival de Dança de Feira de Santana, BA.3º LUGAR | FANTASMA DA ÓPERA | Festival de Dança de Teresina,PI.

INFORMAÇÕES
(86) 99830-6432 (86) 99964-2798 ou pelo Instagram da professora Mônica Araújo: @moonicaaraujo


Compartilhar Tweet 1



Com o objetivo de disseminar a arte e música, a Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves lança o I Festival de Violão de Teresina. O evento será realizado nos dias 17,18 e 19 de novembro no Palácio da Música e reúne músicos experientes conhecidos nacional e internacionalmente para apresentações, palestras e masterclass. A entrada e inscrições são gratuitas.

“Teresina é praticamente a capital o violão. A FCMC tem em seu quadro os melhores violonistas da cidade, então sentimos a necessidade de mostrar o trabalho dos professores, alunos e os talentos para toda a sociedade”, afirmou Abiel Bonfim, superintendente da FCMC.

O evento visa fomentar o desenvolvimento de músicos, com cursos e encontros, em momento de intercâmbio cultural, além de presentear a comunidade com apresentações gratuitas de grandes músicos.

As inscrições podem ser realizadas no Palácio da Música de Teresina, localizado no cruzamento das ruas Santa Luzia e Treze de Maio, nª 1241, Centro. Ainda de acordo com Abiel Bonfim, a primeira edição do festival será marcada pela troca de experiência entre artistas. “A programação foi pensada para atender todas as idades. Com as aulas, os inscritos vão poder tirar dúvidas, aprender e conhecer o que está sendo feito em outros Estados e países”, disse.

Entre os convidados estão: Marco Pereira, Elodie Bouny, Alessandro Penezzi, Daniel Murray, Antonio José Rodrigues (Luthier), Alessandro Soares (Diretor do Acervo do Violão Brasileiro), Felipe Vilarinho, Damião Bezerra, Wellington Torres e a Orquestra de Violões de Corrente e Teresina.

De acordo com o violonista e um dos coordenadores do festival, Josué Costa, a expectativa com o evento é alta devido a Teresina ser uma capital com grande número de violonistas. “Nossa cidade tem uma riqueza violonista muito forte, temos muitos talentos, projetos, escolas de música e o nascimento desse festival fomenta a nova geração, ele vem para ajudar e manter viva a tradição e o amor pelo violão na capital”, comenta.

Confira a programação completa do I Festival de Música de Teresina:

17/11 – Sexta-feira

19h: Cerimônia de abertura;

19h30: Recital de abertura com a Orquestra de Violões de Teresina;

20h15: Recital com Alessandro Penezzi;

 

18/11 – Sábado

08h: Palestra com Antonio José Rodrigues (Luthier)

14h: Palestra com Alessandro Soares (Diretor do Acervo do Violão Brasileiro)

17h: Recital com Orquestra de Violões de Corrente

17h40: Recital com Felipe Vilarinho

20h: Recital com Elodie Bouny

20h45: Recital com Daniel Murray

 

19/11 – Domingo

08h: Masterclass com Elodie Bouny

11h: Recital com Fabricio Gallegos Rojas (Projeto Concertos Matinais)

14h: Masterclass com Daniel Murray

17h: Recital com Damião Bezerra

17h40: Recital com Wellington Torres

19h30: Cerimônia de encerramento;

20h15: Recital com Marco Pereira, participação de Elodie Bouny


Fonte: Prefeitura de Teresina - Ascom
Propiciar uma manhã de lazer · 10/10/2017 - 16h50 | Última atualização em 10/10/2017 - 17h26

Projeto Teatro na Escola leva apresentação ao Abrigo São Lucas


Compartilhar Tweet 1



Idosos do Abrigo São Lucas assistiram a apresentação especial do espetáculo "Amor Perfeito". A peça é a primeira produção dos alunos do projeto Teatro na Escola, realizado no CEEP José Pacífico de Moura Neto.

O objetivo da apresentação foi proporcionar aos internos uma manhã de lazer, além da entrega de alimentos arrecadados pelos alunos na penúltima apresentação. "Esse encontro entre gerações foi promovido para despertar nos mais jovens o sentimento de valorização da terceira idade, por meio do respeito, diálogo e de atitudes solidárias", diz Cícero Filho, professor e coordenador do projeto Teatro na Escola.

Para a aluna Jessica Soares, uma das protagonistas da peça "Amor Perfeito", o sentimento no momento da apresentação foi de missão cumprida e uma realização pessoal enorme. "Podíamos ver nos olhos de alguns deles, dos senhores e senhoras, a emoção transbordar em forma de lágrimas. Meu coração ficou aquecido ao vê-los ali. Ouvi muitas histórias de quando eram mais jovens, das coisas que passaram, da família que os abandonaram, dos filhos que morreram. Confesso que me emocionei com a apresentação e com as histórias de vida. Valeu muito a pena estar com eles", finaliza Jessica, com um largo e sincero sorriso no rosto.

O projeto

O projeto Teatro na Escola foi iniciado em junho deste ano, no CEEP José Pacífico, com o objetivo de libertar os alunos do marasmo, proporcionando-lhes novas possibilidades de uma visão melhor sobre a vida, resgatando no próprio aluno a crítica apurada, visão analítica e sistêmica do mundo em que eles estão inseridos, permitindo ao aluno evoluir a vários níveis: na socialização, criatividade, coordenação, memorização, vocabulário, entre muitos outros.

Amor Perfeito - espetáculo

A fábula "Amor Perfeito" tem a duração aproximadamente de vinte e cinco minutos e conta a história de uma bela e jovem mãe viúva, que tem seu único filho raptado por uma mulher misteriosa. A mãe, ao descobrir o rapto do filho, decide procurá-lo pela floresta encantada, e no caminho encontra diversos obstáculos, uma prova atrás da outra. O amor é o combustível para sua trajetória de dores e perdas, com o final confrontador e surpreendente.

 


Fonte: CCOM

Compartilhar Tweet 1



Mais de 1.300 idosos devem participar do Baile do Idoso, nesta quarta-feira (11/10), a partir das 16h, no Iate Clube de Teresina. A festa encerra a programação da Semana do Idoso 2017 da Prefeitura de Teresina e receberá os idosos assistidos pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e é apoiada pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Serão disponibilizados 20 ônibus e dois micro-ônibus para o transporte dos idosos até o local do evento, que contará com o trabalho de cerca de 200 profissionais. A animação ficará por conta do grupo Xico Carlos e Nossa Banda. “Lá, os participantes terão direito a lanches com bolo, frutas e suco, alimentação ideal para a faixa etária. E, claro, teremos também momentos de dança. Tudo isso garante qualidade de vida e o fortalecimento dos vínculos entre eles”, afirma Elizabeth Nogueira, organizadora do evento.

“O 1° de outubro foi o Dia Nacional da Pessoa Idosa. Mas durante toda a Semana do Idoso, nós mostramos que eles têm direito ao lazer e à cultura. No Baile do Idoso, vamos proporcionar um momento lúdico, com o intuito de desenvolver as potencialidades de cada um”, declara Silvana Bacelar, coordenadora do SCFV da Semcaspi e presidente do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI).

Jesus Diocesano, ex-presidente do CMDI, reforça que a ação promove a inclusão das pessoas da terceira idade na sociedade. “É algo maravilhoso. É um despertar da pessoa idosa, um desejo de viver e de ser feliz. E também de relembrar a juventude e a vida adulta. É um momento de felicidade, de encontro com os amigos de longa data, que muitas vezes não se veem por conta das distâncias. É um dia de alegria”, ressalta.

Desde o dia 21 de setembro, a programação da Semana do Idoso promove atividade, como piqueniques e missa. Todas as atividades foram desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), por meio da Gerência de Proteção Social Básica (GPSB) e Conselho Municipal dos Direitos do Idoso de Teresina (CMDI).

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV)

O SCFV é um serviço da Proteção Social Básica da Política de Assistência Social complementar ao trabalho social com famílias, executado pelo Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) e objetiva prevenir a ocorrência de situações de risco social e fortalecer os vínculos familiares e comunitários. É uma forma de intervenção social planejada que cria situações desafiadoras, estimula e orienta os usuários na construção e reconstrução de suas histórias e vivências individuais e coletivas, na família e no território.

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) organiza-se em grupos divididos em ciclos ou faixas etárias: crianças até 06 anos; crianças e adolescentes de 06 a 15 anos; adolescentes de 15 a 17 anos; jovens de 18 a 29 anos; adultos de 30 a 59 anos e pessoas idosas.

 


Fonte: Semcom

Compartilhar Tweet 1



O Museu das Missões, localizado em São Miguel das Missões (RS), será reaberto ao público em sua integralidade, após ter sido atingido por um tornado e fortes chuvas em abril de 2016. A intempérie climática provocou danos a suas instalações físicas e parte de seu acervo, o que fechou as portas do Pavilhão Lúcio Costa do Museu desde então. Os presidentes do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araújo, e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Katia Bogeá, participam da cerimônia de reabertura do museu.O trabalho de recuperação do museu administrado pelo Ibram foi realizado em parceria pelas instituições vinculadas ao Ministério da Cultura. As obras emergenciais foram contratadas e fiscalizadas pelo Iphan, com recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC). Foram mais de R$1,68 milhão investidos na recuperação das estruturas que incluem a Casa do Zelador, Pavilhão Lucio Costa e Sacristia Velha do Sítio Histórico de São Miguel Arcanjo. Com a força dos ventos, a cobertura do edifício foi fortemente comprometida, com destelhamento, deslocamento e desalinhamento de peças de madeira, além de ter comprometido parcela do acervo.

Com a reabertura do Museu, será apresentada uma exposição com a contextualização do que ocorreu no local há mais de um ano, contando como o acervo e o próprio edifício foram afetados pelo tornado. Uma das salas de exposição foi reservada para mostrar aos visitantes o processo em curso de tratamento das peças e recuperação do acervo atingido.

Missões Jesuíticas no Brasil
São Miguel das Missões foi o local de uma das missões jesuíticas que compreendiam os 30 povos indígenas entre Brasil, Argentina e Paraguai durante a colonização portuguesa e espanhola. Em 1937, o arquiteto Lucio Costa foi enviado ao Rio Grande do Sul para analisar os remanescentes dos Sete Povos das Missões e a visita resultou no tombamento, pelo Iphan, em 1938, dos remanescentes das Missões. No mesmo ano, o sítio arqueológico de São Miguel foi declarado Patrimônio Mundial Cultural pela Unesco e, em 2009, foi criado o Parque Histórico Nacional das Missões, que reúne os sítios arqueológicos de São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir, São Nicolau e o de São João Batista.

O Iphan também inscreveu, em 2014, o bem imaterial Tava, Lugar de Referência para o Povo Guarani, no Livro de Registro de Lugares. A Tava Miri São Miguel Arcanjo é entendida como lugar de importância e referência cultural, pois converge significados e sentidos atribuídos pelo povo indígena Guarani-Mbyá ao sítio histórico que abriga os remanescentes da antiga Redução Jesuítico-Guarani de São Miguel Arcanjo.

As Missões Jesuíticas Guaranis - um sistema de bens culturais transfronteiriços em território do Brasil e da Argentina - compõem-se de um conjunto de remanescentes dos povoados implantados em área originalmente ocupada por indígenas, durante o processo de evangelização promovido pela Companhia de Jesus nas colônias da Coroa Espanhola na América, durante os séculos XVII e XVIII. Representam importante testemunho da ocupação do território e das relações culturais que se estabeleceram entre os povos nativos, na maioria da etnia Guarani, e missionários jesuítas europeus.


Fonte: Ministério da Cultura
História e Cultura Afro-Brasi · 01/10/2017 - 21h04

Exposição mostra imagens de personalidades negras


Compartilhar Tweet 1



Começou neste domingo (1º) e vai até o dia 13 de outubro a exposição Ícones Negros – História e Cultura Afro-Brasileira sob o Olhar de Selvo Afonso, que traz imagens de personalidades negras da literatura, do esporte, da música e da história do Brasil. Com apoio da Fundação Cultural Palmares (FCP), a mostra poderá ser vista no Salão Ivandro da Cunha Lima, no Congresso Nacional, em Brasília.

O visitante vai conhecer pinturas do artista Selvo Afonso em telas que retratam personagens afro-brasileiros, como o revolucionário Zumbi dos Palmares, o escritor Machado de Assis, os cantores Cartola, Zezé Motta e Gilberto Gil, a atriz Ruth de Souza, o jogador Pelé e a ginasta Daiane dos Santos.

Natural de Goiânia, Selvo Afonso tem quase 40 anos de carreira. Já realizou mais de 30 exposições individuais e participou de mostras 70 coletivas em Brasília, Belo Horizonte e Salvador, entre outras. Selvo é formado em Artes Visuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG).

Depois da capital do País, a exposição segue para Goiânia. De 1º a 10 de novembro, estará na Câmara Municipal de Vereadores e de 11 a 21 do mesmo mês, na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás. Em fevereiro de 2018, vai para o Museu de Arte de Goiânia (MAG).


Fonte: Ministério da Cultura

Compartilhar Tweet 1



O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, participou, neste sábado (30), da inauguração da Bienal Internacional de Curitiba (PR), no Museu Oscar Niemeyer. Durante o evento, o ministro defendeu a Cultura como ativo econômico e como fator de congregação entre povos. Também estiveram presentes o governador do Paraná, Carlos Alberto Richa, e o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, entre outras autoridades,

O ministro salientou que a Cultura tem uma importância transcendente para a inclusão social, para a formação da identidade cultural nacional e para o  aumento do sentimento de pertencimento, mas que tem também uma dimensão econômica.

"Nós precisamos trabalhar (essa dimensão), sobretudo em um País como o nosso que tem na diversidade cultural  um front de desenvolvimento ainda não devidamente explorado", disse. "Essa  é uma das bandeiras que empunhamos à frente do Ministério da Cultura", completou.

A Bienal, apoiada pelo MinC por meio da Lei Rouanet, segue aberta ao publico até 25 de fevereiro de 2018. Reúne, em 100 espaços de Curitiba obras de 425 artistas. A expectativa é que 1 milhão de pessoas passem pelo evento.

Ao lembrar que a China é o país homenageado da Bienal deste ano, Sérgio Sá Leitão elogiou o país asiático que, segundo ele, está entre os poucos países que sabem aproveitar a Cultura como ativo econômico. "Na Bienal há a aproximação de países distantes geograficamente e até culturalmente, mas que estão se tornando mais próximos e, aqui, por meio da arte", complementou.

O governador do Paraná , Carlos Alberto Richa, comparou a Bienal a um símbolo de aproximação entre os dois povos. "A China se tornou um de nossos maiores parceiros comerciais. O Paraná elevou mercadorias em direção aos portos chineses e aumentou também as importações desse país", exemplificou.


Fonte: Ministério da Cultura
Aniversário da cidade · 27/09/2017 - 10h39 | Última atualização em 27/09/2017 - 11h10

Jovem escritor faz cordel para homenagear Barras


Compartilhar Tweet 1



Jovem, mas com muito talento, Jhonnes Sousa, da cidade de Barras, escreveu um cordeu para homenagear sua cidade que recentemente fez aniversário, confira:

Minha Barras

I

Escrevo esse cordel

Pra traduzir meu amor,

A terra dos governadores,

Lugar de um povo trabalhador.

Que hoje faz aniversário.

Parabéns, terrinha de calor.

               II

Barras me encanta.

Pelo seu jeito natural.

E rio marathoan?

É o nosso cartão postal.

Barras minha querida.

Você é especial.

               III

Barras minha cidade

Em cada canto uma história.

Nasceu de um povoado

Se não me falta a memória, 

Declaro aqui meu amor

Com essa dedicatória. 

                 IV

Lugar de amor e fé

Cada uma com sua crença.

Com respeito ao próximo 

Ninguém terá desavença 

Pra aqueles não têm fé,

Desculpa, peço licença.

                 V

Dando continuidade.

Falo das nossas riquezas.

O nosso rio longá.

Uma de nossas belezas.

A minha cidade é linda 

É repleta de grandezas.

                VI

Cidade de cultura.

Com muito festival.

São João e os festejos.

Outro deles  é o carnaval.

Que é muito famoso.

Pra animar o pessoal.

                 VII

Só lamento tantos crimes

Que estão  acontecendo;

Assaltos à mão armada 

E a população sofrendo.

Enquanto, a corrupção.

Dia a dia está crescendo.

                VIII

Vou aqui me despedir

Já disse a minha intenção;

Dá minha bela cidade

Contei sua tradição.

Eu já disse e repito:

Barras, mora em meu coração!

 

                        Jhonnes Sousa.


Compartilhar Tweet 1



O ator Marcos Frota desembarcou no Piauí juntamente com sua trupe trazendo seu circo itinerante com o projeto 'Marcos Frota Circo Show'. 

A primeira apresentação ocorre no município de Picos neste final de semana. Em Teresina, a apresentação deve ocorrer a partir do dia 06 de outubro, na Arena do Teresina Shopping.

"O espetáculo vai ser diferente, onde será apresentado um musical e eu serei o mestre de cerimônia, todos irão se encantar", disse Marcos Frota.

Gastronomia em Campo Maior · 12/09/2017 - 15h12

'Sabor Maior' terá Paula Fernandes, Sol Almeida e Biquíni Cavadão


Compartilhar Tweet 1



A cantora Paula Fernanda é mais uma atração confirma para o Festival de Gastronomia de Campo Maior, o Sabor Maior. A prefeitura do município anunciou na manhã desta terça-feira (12/09) que a sertaneja se apresenta na sexta-feira, 13 de outubro, no palco principal do evento. 

“Já está confirmada a terceira atração do 7° Sabor Maior. Campo Maior vai receber Paula Fernandes, a sertaneja mais amada do Brasil", disse a organização em postagem nas redes sociais. 

As outras duas atrações nacionais confirmadas são, Biquíni Cavadão, que abre o festival na quinta-feira, 12 de outubro, e Solange Almeida.

O Sabor Maior deste ano têm início na quinta e segue até o sábado com concurso de gastronomia, passeio turístico, desfile de moda, apresentações culturais e música com artistas nacionais e regionais.  

 


Fonte: Com informações do Campo Maior em Foco
Espaço Osório Jr · 12/09/2017 - 14h49 | Última atualização em 12/09/2017 - 14h51

Banda de Pífanos “Caju Pinga Fogo” é atração no Boca da Noite


Compartilhar Tweet 1



A banda de Pífanos Caju Pinga Fogo é a atração desta quarta-feira (13/09) no projeto Boca da Noite de Teresina. O show da banda, que mescla ritmos que valorizam a cultura nordestina, será realizado a partir das 19h, no Espaço Osório Jr/Club dos Diários.

Criada a partir do encontro de seis amigos universitários, a banda começou as apresentações em coletivos e movimentos culturais da cidade. Posteriormente, participou de um projeto com apresentações em Floriano e Teresina homenageando a cantora piauiense Maria da Inglaterra.

Percebendo que a banda preenchia um espaço até então pouco explorado, os integrantes se profissionalizaram para levar o projeto à frente. Nas apresentações, os ritmos são bem característicos da cultura popular nordestina, como baião, xote, reisado, maracatu, ciranda, trazidos na versatilidade do pífano. Além disso, mistura elementos teatrais e de dança, com um repertório de músicas autorais e de cantores como Alceu Valença e Luiz Gonzaga.

Para o show do projeto Boca da Noite, a banda preparou um repertório especial com músicas de grandes bandas e compositores piauienses de várias gerações, como Zé Rodrigues, Narguilé Hidromecânico, Hugo dos Santos, Êita Piula, Vagner Ribeiro e Valor de PI.

O Projeto Boca da Noite é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). Este ano, além de Teresina, as cidades de Parnaíba, Piripiri, União, Floriano, Oeiras, Picos, São Raimundo Nonato, Bom Jesus e Corrente também foram contempladas com o projeto. Na próxima semana quem se apresenta em Teresina é a banda Into Morphin.

Banda de Pífanos Caju Pinga Fogo
  Banda de Pífanos Caju Pinga Fogo

 


Fonte: Com informações da CCOM