Por organização financeira · 25/03/2020 - 16h49 | Última atualização em 25/03/2020 - 17h36

Sindhospi pede isenção e redução de impostos para as empresas do setor de saúde diante da pandemia


Compartilhar Tweet 1



O Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde, Laboratórios de Pesquisa e Análises Clínicas do Estado do Piauí (Sindhospi) protocolou ofício solicitando à Prefeitura de Teresina a isenção ou redução da alíquota do Imposto Sobre Serviços (ISS) para 2% em favor das empresas do setor de saúde que atuam na capital, pelo prazo de seis meses. O refinanciamento de impostos, para que elas possam se reorganizar financeiramente, também foi solicitado.

O Sindicato pediu ainda a isenção do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) ou suspensão da cobrança pelos próximos seis meses. As medidas solicitadas se baseiam no cenário de pandemia da Covid-19, que resultou na suspensão dos atendimentos eletivos por 15 dias. A ação, recomendada pelas autoridades sanitárias e que se fez necessária para a redução na transmissão do vírus, vem trazendo prejuízos às empresas do setor.

A entidade também reforça que o setor da saúde tem se deparado com grandes desafios em relação à escassez de suprimentos e práticas de preços abusivas. "Nesse momento, a maior preocupação do setor hospitalar está relacionada aos Equipamentos de Proteção Individual, que são extremamente necessários para a proteção do paciente e dos agentes de saúde", explica Jefferson Campelo, presidente do Sindhospi.

O Sindicato também informa que os estabelecimentos de saúde privados estão com dificuldade para adquirir materiais como máscara cirúrgica N95, luvas cirúrgicas e álcool gel, pois há produtos que vêm sendo comercializados com mais de 500% de aumento.

"Pedimos que a Prefeitura de Teresina, ciente da situação de pandemia a que estamos submetidos, adote as medidas que estamos sugerindo para que as empresas não tenham que tomar atitudes extremas como a demissão em massa de empregados", alerta o presidente do Sindhospi, Jefferson Campelo.


Comentários