Nas sessões especiais · 11/12/2019 - 11h14

Roberto Carlos em Jerusalém estreia nos Cinemas Teresina


Compartilhar Tweet 1



Os Cinemas Teresina trazem uma programação cheia de novidades como a pré-estreia de ‘Um Amante Francês’, lançamento de ‘Entre Facas e Segredos’ e a estreia do especial ‘Roberto Carlos em Jerusalém’. O filme do cantor terá sessões especiais às 19h10 na sexta, sábado e domingo.

‘Roberto Carlos em Jerusalém’ registra o show gravado na Terra Santa, em um palco de mais de mil metros quadrados no Sultan´s Poll (Piscina do Sultão), próximo ao Monte Sião, junto às muralhas da Cidade Velha de Jerusalém. Com uma plateia de mais de 5 mil pessoas, a apresentação tem músicas como 'Além do Horizonte', 'Como É Grande O Meu Amor Por Você' e 'Jesus Cristo', além de canções especiais como 'Detalhes', cantada em quatro idiomas, e 'Jerusalém Toda de Ouro', interpretada em hebraico junto com um coral de 30 brasileiros que vivem em Israel. O filme ainda possui cenas da viagem de Roberto Carlos à Terra Santa, incluindo passagens por locais históricos como a Basílica do Santo Sepulcro, o Jardim das Oliveiras, o Muro das Lamentações e o Monastério de São Jorge.

Já a pré-estreia da semana, neste domingo (15) às 10h30, é a comédia francesa ‘Um Amante Francês’. No longa, após 25 anos morando com Denise, Alex é dispensado de surpresa e fica sem lugar para morar. Obrigado a se mudar para a casa da irmã e do sobrinho, ele decide trabalhar com algo que o dê muito dinheiro e felicidade: ser um gigolô a procura de uma rica herdeira.

Outra novidade dos Cinemas Teresina é o lançamento nacional de ‘Entre Facas e Segredos’. No suspense, após comemorar 85 anos de idade, o famoso escritor de histórias policiais Harlan Thrombey (Christopher Plummer) é encontrado morto dentro de sua propriedade. Logo, o detetive Benoit Blanc (Daniel Craig) é contratado para investigar o caso e descobre que, entre os funcionários misteriosos e a família conflituosa de Harlan, todos podem ser considerados suspeitos do crime.

Além das novidades, continuam em cartaz o clássico ‘Matrix’, em comemoração aos 20 anos de lançamento, ‘A Vida Invisível’, ‘Crime sem Saída’, ‘Synonymes’, ‘Os Parças 2’, ‘A Família Addams’, ‘Malévola - Dona do Mal’, ‘Uma Segunda Chance para Amar’, ‘Carcereiros - O Filme’, ‘Dois Papas’ e ‘As Panteras’.


Fonte: 180grausredacao@gmail.com
Comentar
Sessão no Teresina Shopping · 19/11/2019 - 14h54

Filme piauiense "A Irmandade" fica em cartaz no cinema até amanhã, 20


Compartilhar Tweet 1



O longa-metragem “Irmandade”, documentário piauiense dirigido por Juscelino Ribeiro e produzido por Alexandre Mello, da Framme Produções, que estreou na última quinta-feira (14), fica em cartaz no cinema até amanhã (20) na sessão das 14h, no Teresina Shopping. E na quinta-feira (21) estreia em São Luís, Maranhão, com exibição no Cine Lume em duas sessões, às 14h e às 19h10.

O documentário de longa-metragem conta a história de três jovens que usam a música para superar os problemas da violência nas comunidades carentes onde vivem. Dois são filhos de policial militar e a pressão se intensifica quando eles passam a denunciar situações de abuso e violência por parte de alguns policiais militares específicos que atuam na região do Promorar. O filme mostra o triste relato da violência entre gangues, na visão dos jovens, de pais e parentes de jovens que sofreram com toda essa situação e na visão da Polícia. E as ações que cada um tomou diante dos conflitos territoriais para mudar essa realidade.

“Ficamos muito felizes em termos uma produção local, piauiense, no cinema. É uma vitória, e mais gratificante ainda em ter visto as pessoas abraçando o nosso projeto e prestigiando o filme nas telonas, consumindo a arte local. Cumprimos a nossa missão, passamos a nossa mensagem. O filme segue em cartaz até amanhã, quarta-feira, no cinema aqui em Teresina, e já na quinta faremos a estreia em São Luís, no Maranhão, o que nos deixa também muito felizes por nossa arte romper fronteiras e chegar também em outros estados”, explica Alexandre Mello, roteirista e produtor executivo do filme.

“A Irmandade” tem duração de 75 minutos e não é recomendado para menores de 12 anos, classificação indicativa do Ministério da Justiça publicada no Diário Oficial. O filme tem produção feita pela Framme, com coprodução da Globo Filmes e da Globo News e distribuído para cinema pela Lume Filmes.

“O filme demonstra o poder que o jovem de periferia tem ao se expressar através da arte e que isso faz a diferença e que a união da comunidade em torno da paz, também faz”, destaca Juscelino Ribeiro, diretor do longa-metragem, acrescentando que “A Irmandade” além da exibição nos cinemas, já possui também veiculação confirmada nos canais Globosat em 2020.


Fonte: AsCom
Comentar
Produção cercada de mistérios · 19/11/2019 - 11h51

Cenas de sexo entre Cauã Reymond e Matheus Nachtergaele prometem polêmica


Compartilhar Tweet 1



De acordo com o site O Fuxico o filme Piedade do diretor pernambucano Claudio Assis será exibido pela primeira vez ao público no próximo sábado (23/11), em quatro sessões no Festival de Cinema de Brasília.

Rodado em 2017 no Recife, o filme é bastante eperado, principalmente, pela cena de sexo entre os atores Cauã Reymond e Matheus Nachtergaele. Piedade é um dos poucos filmes que serão exibidos em Brasília que não conta ainda com um trailer oficial.

No elenco, também estão Fernanda Montenegro e Gabriel Leone, que também protagoniza uma cena de nudez.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Durante uma entrevista para o Toronto Sun, Christian Bale revelou que a Warner bros estava interessada em dar continuidade à franquia ‘O Cavaleiro das Trevas‘, mas a sequência não aconteceu por causa de um acordo entre ele e o diretor Christopher Nolan. As informações são do R7.

“Quando os executivos vieram até nós e disseram que planejavam um 4º filme, eu disse: ‘Não. Temos que respeitar o sonho de Chris, que sempre foi fazer uma trilogia. Se fizermos mais um, estaremos sendo irresponsáveis’. Depois disso, fui informado que meus serviços não eram mais necessários”, brincou Bale.

O astro também revelou que a trilogia não estava nos planos desde o início, mas o estúdio resolveu apostar numa sequência mesmo com a baixa bilheteria de ‘Batman Begins’, que arrecadou apenas US$ 375,2 milhões com um orçamento de US$ 150 milhões.

 


Fonte: As Informações são do R7
Comentar
Marco do cinema mundial · 17/11/2019 - 09h09 | Última atualização em 17/11/2019 - 09h26

"Coringa" está perto de ultrapassar 1 bilhão de dólares de bilheteria


Compartilhar Tweet 1



O longa estrelado por Joaquin Phoenix está perto de ultrapassar 1 bilhão de dólares de bilheteria . De acordo com o banco de dados do Box Office Mojo , o filme já arrecadou 994 milhões de dólares, considerando os ingressos vendidos até a última sexta-feira (15/11). As informações são do IG/Gente.

    Foto: Divulgação/Warner

Com direção de Todd Phillips, “ Coringa ” já bateu vários recordes e é o primeiro filme para maior de 18 anos a arrecadar um valor tão alto de bilheteria. Além disso, o longa que conta a história do principal vilão do Batman foi a maior estreia do mês de outubro e já é o filme baseado em um HQ que mais deu lucro na história do cinema.

Antes de estrear, “ Coringa ” foi alvo de polêmicas uma vez que a critica internacional considerou o filme muito violento e criou-se um receio de que o vilão pudesse instigar isso em alguns espectadores. Nos Estados Unidos, vários cinemas tomaram medidas protetivas para evitar qualquer tipo de atentado.

 


Fonte: As informações são do IG/Gente
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A DC divulgou recentemente a nova sinopse oficial do aguardado projeto ‘Aves de Rapina (Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa)’, revelando novos detalhes sobre a trama. As informações são do R7.

Confira:

Já ouviu falar daquela sobre o policial, o passarinho, a psicótica e a princesa da máfia? ‘Aves de Rapina’ é um conto deturpado contado pela própria Harley Quinn, e da única forma como Harley consegue contá-la. Quando o vilão mais narcisista e nefasto de Gotham City, Roman Sionis, e sua zelosa mão-direita, Zsasz, colocam o alvo em uma garota chamada Cass, a cidade vira de cabeça para baixo procurando por ela. Os caminhos de Harley, Caçadora, Canário Negro e Renee Montoya colidem um com o outro e o time não tem escolha a não ser derrubar Roman de seu pedestal.

 

Assista ao trailer:

 


Fonte: As Informações são do R7
Comentar

Em entrevista ao THR, Patrick Wilson afirmou que ‘Invocação do Mal 3‘ será um “monstro diferente” dos filmes anteriores e indicou a possibilidade do novo filme apresentar diferentes tipos de antagonistas. As informações são do R7.

“O processo de desenvolvimento de ‘Invocação do Mal 3’ foi fantástico. Há uma sensação muito diferente dos filmes anteriores. Ainda é a mesma franquia; ainda tem Ed e Lorraine como protagonistas. Mas estamos levando os personagens para direções que ainda não havíamos explorado.

Ele completa, “Esse filme será uma ótima adição, pois definitivamente teremos um monstro completamente diferente dos outros. E o trocadilho foi de propósito.”

O terceiro filme girará em torno de um homem em julgamento por assassinato que alega ter sido possuído por um demônio. Os Warrens ficarão responsáveis pela investigação do caso.


Fonte: As Informações são do R7
Comentar
Blade ao MCU · 15/11/2019 - 09h35 | Última atualização em 15/11/2019 - 10h13

‘Doutor Estranho 2′ pode ter grande conexão com o remake de ‘Blade’


Compartilhar Tweet 1



De acordo com o We Got This Covered, o Conde Drácula pode ser um dos vilões de ‘Doutor Estranho no Multiverso da Loucura’, e a sequência vai preparar o terreno para a estreia do remake de ‘Blade’. As informações são do R7.

A informação veio da mesma fonte que revelou o Taskmaster como vilão de ‘Viúva Negra’ e divulgou a produção de uma série do ‘Lanterna Verde’ para a HBO Max.

Foi dito que o principal vilão da trama, o Pesadelo, irá recrutar forças malignas para rastrear o paradeiro de Stephen Strange no Multiverso, e um de seus soldados será o lendário rei dos vampiros.

Essa seria uma ótima forma de conectar o Blade ao MCU, já que rumores apontam que o Drácula será o grande vilão do remake estrelado por Mahershala Ali.

Além disso, Strange e Blade já se uniram para enfrentar o Drácula na aclamada minissérie ‘The Montesi Formula‘, quando o vampiro tenta escravizar a humanidade e iniciar seu reinado como imperador dos mortos-vivos.

 

 


Fonte: As Informações são do R7
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Estreia nesta quinta-feira (14), o longa-metragem “Irmandade”, documentário dirigido por Juscelino Ribeiro e produzido por Alexandre Mello,  da Framme Produções, que mostra os conflitos violentos e até mesmo morais vividos pela população das periferias de Teresina em meio a disputas de grupos rivais na região.

O documentário de longa-metragem conta a história de três jovens que usam a música para superar os problemas da violência nas comunidades carentes onde vivem. Dois são filhos de policial militar e a pressão se intensifica quando eles passam a denunciar situações de abuso e violência por parte de alguns policiais militares específicos que atuam na região do Promorar. O filme mostra o triste relato da violência entre gangues, na visão dos jovens, de pais e parentes de jovens que sofreram com toda essa situação e na visão da Polícia. E as ações que cada um tomou diante dos conflitos territoriais para mudar essa realidade.

    Foto: Divulgação

Durante os anos de 2013 a 2015, os índices de mortes violentas no Promorar causaram uma elevação no índice de homicídios de Teresina, colocando a capital entre as cinco mais violentas do Brasil.  Isso chamou a atenção da Globo News, que levou a proposta dos produtores Alexandre Mello e Paulo Fontenelle à Globo Filmes. O roteiro do filme, de Juscelino Ribeiro e Alexandre Mello, foi executado por uma equipe de profissionais majoritariamente piauienses durante quatro anos, em várias fases. A primeira delas foi o premiado curta-metragem “Deixa a Chuva Cair”, onde Juscelino, junto com a Framme, ganharam o edital “Jovem Doc Brasil”,  em primeiro lugar no Nordeste.

    Foto: Divulgação

No filme são mostrados todos os lados dessa história: o de quem pratica os crimes, o de quem tenta combatê-lo, o de quem sofre com ele e que ações toma diante das tragédias. É o caso de Robson Guerra, pai de Felipe Guerra, de 10 anos que foi assassinado na porta de casa. Robson, não tomou o caminho do ódio.  Em um movimento de paz, chamou outros pais que perderam seus filhos no conflito a perdoarem seus assassinos e caminharam de mãos dadas em uma grande caminhada pela paz na Avenida Ulisses Guimarães. Depois dessa caminhada, pela primeira vez em cinco anos o Promorar não teve uma morte violenta durante 60 dias diretos. 

Apesar de mostrar uma situação de abuso e truculência policial, o filme mostra não só a versão dos jovens, mas também a da Polícia e seus esforços para mudar isso. O secretário Fábio Abreu é um dos entrevistados, pois atuava como Capitão da Rone no Promorar durante os confrontos. Iniciativas de policiais militares, como o Pelotão Mirim, que atua junto a crianças e adolescentes da região dando noções de disciplina e civilidade, reconhecidas pela comunidade, também tem destaque no filme. Ao fim, apesar da violência, o filme traz luz e esperança para quem o assiste. 

O longa tem duração de 75 minutos e estará em cartaz no período de 14 a 20 de novembro, como exibição na sessão de 14h. O filme não é recomendado para menores de 12 anos, classificação indicativa do Ministério da Justiça publicada no Diário Oficial. O filme tem produção feita pela Framme, com coprodução da Globo Filmes e da Globo News e distribuído para cinema pela Lume Filmes.

Sinopse

O filme “A Irmandade” acontece na região do grande Promorar, zona Sul de Teresina, que enfrenta uma crise de violência há muitas décadas, fruto principalmente da briga entre gangues. O ápice dessa crise aconteceu entre 2014 e 2015, impactando com seus números o Atlas da Violência, produzido pela Fórum Nacional de Segurança Pública, colocando Teresina entre as capitais mais violentas do Brasil durante esse período. As duas gangues mais truculentas trabalhavam de maneira territorial nas Vilas São José e Santa Cruz. Cruzar a fronteira de um lado para o outro poderia significar risco de vida.

A “Irmandade” surge nesse contexto: dois irmãos, moradores da Vila São José, se uniram a outro jovem da Vila Santa Cruz para formar um grupo de Rap. O seu objetivo: através da música, buscar um caminho de conscientização e acabar com a guerra entre as gangues ou o envolvimento prematuro de crianças e jovens nesse conflito.

O filme mostra também a iniciativa de pais de crianças e jovens assassinadas para obter o perdão e acabar com as vinganças. Isso gerou, pela primeira vez no Promorar, uma trégua de 60 dias sem nenhuma morte. No longa é mostrado ainda o trabalho do Pelotão Mirim, iniciativa voluntária de policiais para educar os jovens e fazer com que seus pais participem de forma mais presente da vida dos filhos.

É retratado também no longa o período de endurecimento de rondas ostensivas, que atingiu toda a comunidade, e o preconceito a que todos os moradores estão sujeitos.  As ações da polícia, para buscar um tratamento mais humanizado ao combater o crime e a violência, são retratadas no filme. Com autorização da Polícia, foram acompanhadas algumas abordagens dentro da comunidade e são relatadas as mortes e dificuldades que os policiais enfrentam, principalmente pelo baixo efetivo, remuneração e condições de trabalho. Toda essa situação é mostrada no filme, deixando que cada telespectador tire suas conclusões sobre o cenário e história retratados.

“A “Irmandade” não escolhe lados. Ela documenta e deixa o espectador tomar suas próprias conclusões. O filme demonstra o poder que o jovem de periferia tem ao se expressar através da arte e que isso faz a diferença e que a união da comunidade em torno da paz, também faz. Que o estado deve ter um papel ativo e equilibrado nesse processo. E que encontrar o equilíbrio entre força e serviço, é um objetivo da Polícia que deve ser fiscalizado pela população para que abusos sejam evitados”, explica Juscelino Ribeiro, diretor do longa-metragem.

Direção

O filme, assim como o curta, é dirigido por Juscelino Ribeiro, jornalista por formação, há três anos atua como diretor e roteirista. Juscelino foi selecionado como melhor roteirista jovem e junto com a Framme, premiado com parte dos Recursos para executar Deixa a Chuva Cair, com 20 minutos de duração.

Alexandre Mello é diretor, roteirista e produtor, na Framme Produções. No Irmandade, divide o roteiro com Juscelino e também atuou como Produtor Executivo.


Fonte: AsCom
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A empresa cinematográfica, Fandango, divulgou as primeiras imagens de “Scoob!”, longa de animação computadorizada da Warner Bros, estrelado por Scooby-Doo e toda a turma da Máquina do Mistério. Veja abaixo: As informações são do Cinema com Rapadura. 

    Reprodução / Warner Bros
    Reprodução / Warner Bros
    Reprodução / Warner Bros
    Reprodução / Warner Bros

 

Ainda pouco se sabe sobre a trama deste novo projeto. Está confirmado, porém, que o grupo de caçadores de monstros e assombrações se juntará a outros personagens do universo de Hanna-Barbera para salvar o mundo do malvado Dick Vigarista. Como uma das imagens mostra, também veremos os personagens quando crianças, assim como mostrado no desenho “O Pequeno Scooby-Doo”, de 1988.

A previsão é que o projeto estreie em 15 maio de 2020 nos cinemas dos Estados Unidos.

Comentar
Confira · 10/11/2019 - 09h38 | Última atualização em 10/11/2019 - 09h51

Oscar 2020: previsão dos filmes que podem ser indicados para a premiação


Compartilhar Tweet 1



O Oscar 2020 acontecerá em 9 de fevereiro, a lista oficial de indicados será anunciada em 13 de janeiro, porém o site AdoroCinema, através dos rumores, faz uma previsão dos indicados para a premiação.

 

Confira a lista dos melhores filmes:

 

Liderando a disputa, já surgem Era uma Vez em... Hollywood e O Irlandês, pois suas respectivas polêmicas não são maiores que os nomes de seus diretores e astros. Outro praticamente garantido na lista é História de um Casamento, elogiadíssimo a ponto de superar os preconceitos com a Netflix, junto com o filme de Scorsese. A partir daí, a corrida (que pode ter até 10 indicados) fica mais aberta... 1917 parece ser um filme de guerra bem filmado que a Academia agora. Adoráveis Mulheres seria a adaptação da vez, enquanto Ford vs. Ferrari entra naquele padrão de biografia que sempre ganha espaço.

Com narrativas mais inusitadas, ainda têm candidatos como O Escândalo (reforçado pela era #MeToo) e Dois Papas podem ter chances, junto com projetos realmente fora da caixinha, como Jojo Rabbit e Coringa (o último tentando manter a vontade da academia de abraçar filmes inspirados em HQs, após a aclamação de Pantera Negra). Clint Eastwood também lança seu próximo projeto, podendo entrar na briga aos 45 do segundo tempo, como fez com Sniper Americano; e o amor dos Estados Unidos pelo apresentador Mr. Rogers pode beneficiar Um Lindo Dia na Vizinhança. Já Waves e The Farewell são os filmes independentes que tentam brilhar dentre as campanhas milionárias. Sem falar em Parasita, já praticamente garantido na briga de melhor filme internacional, que tenta uma vaga aqui também. Seria o suficiente amor dos críticos?

Indicados:

O Irlandês
Era uma Vez em... Hollywood
História de um Casamento
1917
O Escândalo
Parasita
Jojo Rabbit
Ford vs. Ferrari  
Adoráveis Mulheres
Coringa

Comentar
Será neste domingo (03/11) · 31/10/2019 - 14h40

Parnaíba irá ter sessão de cinema grátis para cegos e surdos


Compartilhar Tweet 1



Muito já se sonhou com um cinema totalmente acessível às pessoas com deficiência, mas agora é uma realidade que já está acontecendo. De olho no futuro, a cidade de Parnaíba receberá uma sessão especial, voltada para quem tem deficiência visual ou auditiva. Será neste domingo, dia 03 de novembro, no Multicine Cinemas do Parnaíba Shopping, a partir das 10h30. O filme que será exibido é “Viajo porque preciso. Volto porque te amo”, de Marcelo Gomes e Karim Aïnouz, que chega à cidade por meio do Projeto Alumiar, da Fundação Joaquim Nabuco (Recife - PE).

Anderson Almeida é professor da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, intérprete de Libras, a Linguagem Brasileira de Sinais, e está à frente dessa ação. “Participei dos projetos do Governo Federal que deram origem à acessibilidade desse filme. Fui convidado para fazer a tradução em Libras do filme, pois trabalho como tradutor há muitos anos, sempre fui ligado aos movimentos de intérpretes. Então pedi autorização para realizar uma sessão itinerante e eles permitiram”, comenta.

    Divulgação / Leal Comunicação e Assessoria

Ele explica que será um filme acessível para todo mundo. “Será para quem tem qualquer tipo de limitação, seja surdo ou cego. O filme dispõe de recursos de Libras, legenda e audiodescrição”, completa.

A necessidade de recursos de acessibilidade nas salas de cinema é uma realidade que já está acontecendo. De acordo com a Instrução Normativa 128/2016, da Agência Nacional de Cinema (Ancine), as salas de exibição de todo o país terão que dispor de tecnologia assistiva voltada à fruição dos recursos de legendagem, legendagem descritiva, audiodescrição e Libras até o dia 1º de janeiro de 2020.

No Piauí, a rede Multicine Cinemas foi a primeira a implantar os aparelhos de acessibilidade audiovisual, estando disponíveis nas cidades de Parnaíba, Picos e Floriano. Carol Drumond, gerente do cinema em Parnaíba, fala da satisfação em receber o projeto e de como esses usuários podem ter acesso a esse equipamento. “É uma satisfação grande poder receber esse projeto, pois nós temos um público acessível e isso agrega muito pra nós. Para a exibição desse projeto não será preciso a utilização de nenhum aparelho, mas já dispomos de duas salas em Parnaíba com essa tecnologia de audiodescrição e libras. Basta ele chegar na bilheteria e solicitar, que um colaborador o acompanha e faz a instalação na poltrona do cliente. Ele funciona para todos os filmes exibidos nessas salas”, explica.

“Receber esse projeto em Parnaíba é uma honra, pois até o momento é a única cidade, depois de Teresina, que irá ter o prazer de disponibilizar desse projeto a um público que é crescente aqui. É poder dar acesso à cultura para todos. Abraçamos, apoiamos e convidamos a todos para prestigiar”, frisa Marcelo Gurgel, superintendente do Parnaíba Shopping.

A sessão de cinema acessível conta com o apoio de entidades locais como a Associação de Pais e Amigos dos Surdos e da Fundação Helen Keller.


Fonte: Leal Comunicação e Assessoria
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Nesta semana os Cinemas Teresina trazem com exclusividade a pré-estreia do premiado longa-metragem ‘A Vida Invisível’. O filme já inscrito como um dos candidatos a representar o Brasil no Oscar de 2020, será exibido em Teresina nos dias 01 e 02 de novembro, às 21h20. A estreia em todo o Brasil só acontece dia 21 de novembro.

O longa é uma livre adaptação do romance de Martha Batalha. Na trama, as irmãs Guida e Eurídice são como duas faces da mesma moeda – irmãs apaixonadas, cúmplices, inseparáveis. Eurídice, a mais nova, é uma pianista prodígio, enquanto Guida, romântica e cheia de vida, sonha em se casar com um príncipe encantado e ter uma família. Um dia, com 18 anos, Guida foge de casa com o namorado. Ao retornar grávida, seis meses depois e sozinha, o pai, um português conservador, a expulsa de casa de maneira cruel. Guida e Eurídice são separadas e passam suas vidas tentando se reencontrar, como se somente juntas fossem capazes de seguir em frente. 

Outra pré-estreia exclusiva é o documentário ‘Meu Amigo Fela’, com sessão no domingo (03) às 10h30. O filme mostra a história do músico nigeriano Fela Kuti, em contrapartida à perspectiva comum de sua imagem como um excêntrico pop star. Através de conversas com seu amigo pessoal e biógrafo oficial, Carlos Moore, o documentário constrói um complexo olhar sobre suas influências, seus relacionamentos, sua espiritualidade e o contexto cultural e histórico em que o músico viveu sua vida.

O clã assustador mais querido dos cinemas está de volta na animação ‘A Família Addams’, baseada nos quadrinhos de Charles Addams. Para ir de mal a pior, a Família Addams precisa se preparar para receber uma visita de parentes ainda mais arrepiantes. Mas, a misteriosa mansão deles parece estar com os dias de maldade contados.

‘O Exterminador do Futuro - Destino Sombrio’ também estreia nesta quinta-feira nos Cinemas Teresina. Na sexta aventura da saga Exterminador do Futuro, Arnold Schwarzenegger interpreta novamente o papel icônico de T-800, enquanto Linda Hamilton encarna mais uma vez Sarah Connor.

A comédia nacional ‘Maria do Caritó’ é mais uma boa novidade da semana. No longa, ás vésperas de completar 50 anos, Maria do Caritó (Lilia Cabral) vive em uma pequena cidade do Nordeste em meio a simpatias para que, enfim, consiga se casar. Prometida a São Djalminha assim que nasceu, devido a um parto difícil, ela nunca encontrou um companheiro de verdade. Entretanto, suas esperanças ressurgem com a chegada de um circo, já que uma cartomante lhe disse que seu pretendente seria um homem de fora.


Fonte: Ícone Comunicação
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Coringa, filme solo do principal vilão do Batman, deixou algumas situações em aberto -- uma delas se trata do destino de Sophie, vizinha de Arthur Fleck interpretada por Zazie Beetz. Após algumas semanas em exibição nos cinemas, o mistério finalmente foi revelado. A reportagem é do IGN Brasil

No filme, há um momento de grande revelação ao espectador: todas as vezes em que vimos Arthur Fleck e Sophie juntos, como um casal, era simplesmente parte da imaginação do protagonista.

A descoberta acontece em uma cena em que Arthur invade o apartamento da vizinha, que se mostra assustada com a quebra de privacidade e o pede para ir embora. Alguns flashbacks são apresentados e provam que Sophie nunca esteve lá.

De volta ao apartamento de Arthur, o vemos perturbado com a situação e ouvimos sirenes policiais do lado de fora. Sophie nunca mais é vista no filme, e seu destino é deixado em aberto -- até agora. Lawrence Sher, diretor de fotografia de Coringa, conversou com o /Film e esclareceu a dúvida dos fãs.

"Sua relação com Sophie é uma fantasia para ele. Algumas pessoas me perguntaram: 'ela foi assassinada?'. Todd deixou claro que ela não foi morta", disse Sher. "Arthur mata pessoas que lhe fizeram mal de algum jeito, e Sophie jamais fez isso. Mas gosto que as pessoas discutam e cheguem a suas próprias conclusões".

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



‘Coringa‘ vem tendo uma enorme repercussão entre os fãs do vilão da DC Comics e do cinema no geral. O sucesso é tão grande que um dos cenários principais do filme se tornou ponto turístico no Estados Unidos. As informações são do M de Mulher.

Em diversos momentos do filme, Arthur Fleck (Joaquin Phoenix) sobe e desce uma escadaria próxima ao local onde mora para ir e voltar do trabalho. Perto do clímax da trama e já caracterizado como Coringa, Arthur faz a sua famosa dança enquanto é observado pelos dois detetives que investigam seu paradeiro. É uma cena que marca bastante a reta final do filme.

Esse grande lance de escadas existe na vida real e está localizado na West 167th Street, no bairro do Bronx, em Nova York. Diversos fãs reconheceram o local e foram até lá para registrar fotos e gravar vídeos.

O sucesso é tanto que foi criado um check in na aba “Localização” do Instagram com o nome de “Joker Stairs” (Escada do Coringa em português).


Mas o novo “ponto turístico” tem irritado alguns moradores daquela região. Em uma matéria publicada nessa última quarta-feira (23) pela TMZ, a congressista Alexandra Ocasio-Cortez expressou seu repúdio ao acúmulo de pessoas no local público que, segundo ela, é um tanto “hipócrita” e prejudica a imagem do local.

“Quando era criança, todos nos diziam pra ficar longe dessas escadas ou ir com um amigo. O Bronx é muito mais seguro agora e fico feliz em dizer isso, mas acho que a maneira como muitos sentem é tipo ‘escuta, mantenha seus posts do Instagram fora do Boogie Down [apelido do Bronx], isso é para nós'”, disse ela.

Enquanto surgem as múltiplas reações na internet e fora dela, a escadaria do Bronx permanece como o novo ponto de visita dos fãs do filme.

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



O retorno da personagem Maggie Rhee (Lauren Cohan) à ‘The Walking Dead‘ deve contar com um novo interesse amoroso, conforme compartilhado pelo ComicBook. As informações são de CinePop.

Segundo a publicação, esse deve ser seu primeiro romance desde que seu esposo, Glenn (Steven Yeun) foi morto por Negan (Jeffrey Dean Morgan) há oito anos.

O retorno de Lauren Cohan à série foi oficializado durante a New York Comic Con e ela se reunirá a novos membros do elenco, como o médico Dante (Juan Javier Cardenas).

A última vez que Maggie foi vista em ‘The Walking Dead‘ foi antes do salto temporal de seis anos, que se deu logo após a suposta morte de Rick Grimes (Andrew Lincoln). Sua ausência na produção foi explicada por Siddiq (Avi Nash), que revelou que ela teria se afastado para auxiliar Georgie (Jayne Atkinson) em uma nova comunidade.

Vale lembrar que a 10ª temporada de ‘The Walking Dead‘ já está em exibição na AMC.

O elenco conta com Norman Reedus, Danai Gurira, Melissa McBride, Josh McDermitt, Seth Gilliam, Ross Marquand, Jeffrey Dean Morgan, Khary Payton e Samantha Morton.

Comentar
De acordo com a Forbes · 20/10/2019 - 10h27

‘Coringa’ pode quebrar mais um recorde nas bilheterias mundiais


Compartilhar Tweet 1



De acordo com a Forbes, ‘Coringa‘ pode estar a caminho de arrecadar a maior bilheteria de todos os tempos para um filme com classificação para maiores de idade. As informações são de CinePop.

Em apenas duas semanas de exibição, o filme já registrou US$ 619,5 milhões, ultrapassando ‘Logan’ (US$ 619 milhões).

As previsões sugerem que a adaptação dirigida por Todd Phillips irá ultrapassar US$ 800 milhões pelo mundo, passando à frente de ‘Deadpool 2’, que arrecadou US$ 785 milhões em 2018.

Lembrando que ‘Coringa‘ já é a maior bilheteria da Warner Bros. em 2019

É o quarto ano consecutivo em que uma adaptação da DC Comics atinge a marca para o estúdio.

Anteriormente, ‘Batman vs Superman‘ registrou 872,7 milhões em 2016. Já em 2017, ‘Mulher Maravilha’ faturou 821,8 milhões.

No ano passado foi a vez de ‘Aquaman‘, que atingiu a incrível marca de US$ 1,148 bilhão pelo mundo e se tornou um dos maiores sucessos financeiros da DC em conjunto com a Warner.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



O texto abaixo contém SPOILERS!

Quem assistiu ‘Coringa‘ sabe que o filme termina de maneira ambígua, e que alguns momentos-chave da trama não passavam de delírios de Arthur Fleck, por conta de seus traumas psicológicos.

Muitas pessoas acreditam que tudo o que aconteceu, incluindo os assassinatos, se passaram apenas na cabeça do protagonista.

Em entrevista ao Yahoo!, a atriz Zazie Beetz, interesse romântico de Arthur no filme, acha que a teoria pode ser real.

“O filme é todo contado através da percepção do próprio Arthur, então acho que é valido questionar a interpretação de qualquer coisa que é mostrado no filme. Acho que a história realmente se transformou em algo que veio da cabeça dele. O que é real e o que não é? Afinal, ele mesmo questiona sua realidade e sua existência no mundo…”, afirmou.

O diretor Todd Phillips também foi questionado se o clímax do filme realmente aconteceu ou era tudo invenção de uma mente perturbada, ao que ele respondeu:

“Há muitas maneiras de ver esse filme. Você pode assistir e dizer: ‘É apenas uma das histórias que Arthur inventou. Nada disso aconteceu.’ Mas eu não vou dizer o que é [real ou inventado]. Muitas pessoas que assistiram disseram: ‘Ah, entendi, ele acabou de inventar essa história. O filme inteiro é uma piada. É tudo imaginação de um paciente do Asilo Arkham.”

E você, qual é a sua opinião?

Lembrando que ‘Coringa‘ já está em exibição nos cinemas nacionais. 


Fonte: Cinepop.com
Comentar

Compartilhar Tweet 1



THALES DE MENEZES
FOLHAPRESS

O verbo "trucidar" apresenta os seguintes significados nos dicionários: matar com selvageria, matar com crueldade, exterminar, destruir, esmagar. Pois bem. John Rambo, em seu quinto filme, não mata simplesmente os vilões. Ele trucida dezenas deles, em algumas das sequências de violência mais estúpidas do cinema.

Um filme asqueroso. E aqui não está contemplada a questão de gostar de cinema trash, aquela categoria na qual "quanto pior, melhor fica". "Rambo: Até o Fim" é um filme ignorante. Os únicos lampejos de inteligência são da equipe responsável por filmar cabeças explodindo e corpos despedaçados.

Um final triste para um personagem que tinha potencial. Se é que esta vai ser mesmo a última aventura de Rambo.

O primeiro filme, "Rambo - Programado para Matar" (1982), usa com engenho a situação de trauma dos soldados que voltam da guerra. John Rambo quer seguir sua vida, mas, provocado numa cidadezinha, reage com fúria.

Os outros três filmes ficaram gradativamente piores. Agora, chegou ao fundo do poço.

Aos 73 anos, Sylvester Stallone está horroroso, com o rosto deformado por plásticas e o físico bombado em que as veias saltadas parecem prestes a explodir. Mas como nada é tão ruim que não possa piorar, logo no início do novo filme ele é surrado implacavelmente, o que vai deixar seu rosto mais deformado ainda.

Resumindo a tentativa de roteiro: aposentado, Rambo vive numa fazenda com a sobrinha, que trata como filha. A garota viaja ao México e lá é raptada.
A partir daí, o filme é o confronto interminável entre Rambo e os caras maus. Mas ninguém deve esperar por lutas bem encenadas, com alguma emoção. O que surge é uma coreografia de massacre.

Rambo mata os sujeitos com facadas, tiros de espingarda que explodem cabeças, golpes de facão que cortam qualquer parte do corpo. Braços, pernas, tripas, tudo sai voando. E há o que se convencionou chamar de "requintes de crueldade". Rambo está tão furioso que pode matar um mesmo bandido com facada, tiro e golpe de martelo. Violência no estilo "tudo ao mesmo tempo agora".
Uma ou outra cena sangrenta pode até provocar risadas. Mas "Rambo: Até o Fim" nunca deixa de ser um insulto moral e intelectual para a plateia.

RAMBO: ATÉ O FIM
Produção: EUA, 2019
Direção: Adrian Grunberg
Elenco: Sylvester Stallone, Paz Vega e Yvette Monreal
Estreia: nesta quinta (19)
Classificação: 18 anos
Avaliação: ruim

Comentar

Compartilhar Tweet 1



LEONARDO SANCHEZ
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Brooklin, zona sul de São Paulo, 2002. Os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos entram no casarão onde morava Suzane von Richthofen e matam os pais dela, Manfred e Marísia von Richthofen.

Parque Ibirapuera, 2019. Os atores Leonardo Bittencourt e Carla Diaz reencenam o primeiro encontro entre Daniel e Suzane, o ponto de partida para aquele que se tornaria um dos assassinatos mais midiáticos do país.

A cena faz parte de um projeto cinematográfico que quer recontar a história do casal e do crime pelo qual ganhou fama. Um não, dois. Serão dois filmes a narrar, de diferentes pontos de vista, o início do namoro e o subsequente assassinato naquele outubro de 2002.

"A Menina que Matou os Pais" e "O Menino que Matou Meus Pais" chegarão simultaneamente aos cinemas brasileiros no primeiro semestre de 2020. Complementares, as obras devem ser exibidas em sessões alternadas e duplas.
Como os títulos sugerem, o primeiro longa vai narrar os acontecimentos entre 1999 e 2006, ano do julgamento do caso, pela perspectiva de Suzane, enquanto o segundo apresentará o ponto de vista de Daniel na mesma janela temporal.
Mas o projeto não tem conexão direta com os réus –os roteiros foram inteiramente baseados nos autos do processo que os condenou a quase 40 anos de prisão. Devido a contradições nos depoimentos de Suzane e Daniel, surgiu a dúvida: em quem acreditar?

Foi então que os produtores Marcelo Braga e Gabriel Gurman, ao lado do diretor Maurício Eça, tiveram a ideia de não escolher um dos lados, mas levar os dois para as telas.

"Cada filme vai trazer a narração baseada no que cada réu disse. Teremos cenas espelho, nas quais o espectador vai perceber diferenças", explica Braga. "Conhecer os dois pontos de vista vai ser estimulante, porque todos já sabem o final da história, mas nos preocupamos com seu começo e meio", complementa Gurman.

Também responsável pela distribuidora Galeria, o coprodutor conta que os desafios de mostrar os dois lados não se resumem à parte criativa. Daqui a alguns meses, ele enfrentará a tarefa de conquistar público para duas tramas que, a priori, podem parecer iguais.

"Estamos bolando estratégias e pensando em materiais que deixem bem clara a complementaridade dos longas", diz Gurman. "Por mais que os dois se resolvam independentemente, você só consegue entender a história de verdade assistindo a ambos."

Abordagem e distribuição ambiciosas se juntam ao arrojado orçamento, na ordem dos R$ 8 milhões, valor considerado alto para produções nacionais –é importante ressaltar, no entanto, que o dinheiro será utilizado para financiar os dois títulos.
Autorizados a receber cerca de R$ 2 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual, os produtores resolveram abrir mão de verba e financiar sozinhos os longas, depois de perceberem que o investimento público em um filme de assunto controverso poderia gerar reações hostis.

A decisão parece ter sido acertada, já que notícias falsas que alegam que Suzane receberá parte do dinheiro orçado vêm inundando a internet desde o anúncio do projeto.

"Seria difícil fazer uma obra como essa com verba pública no contexto atual do país, de polarização", diz Braga. Distribuidora e produtora, então, se uniram para bancar a produção. "É um modelo [de financiamento] mais contextualizado com o cenário atual."

A ideia é recuperar o investimento com bilheteria e outros negócios, como a disponibilização das obras em plataformas sob demanda –tanto em formato cinematográfico quanto televisivo, dividido por episódios e com cenas extras.
"Eu acredito que a tendência no país é buscarmos formas alternativas de financiamento. Mas o investimento público é necessário para que a indústria exista", diz Gurman.

Na esteira das inverdades sobre o envolvimento de Suzane, apareceram também alegações de que a equipe teria se encontrado com os condenados. Escolhida para interpretar a protagonista após um processo que durou dois anos, Carla Diaz deixa claro que não teve relação com qualquer personagem do caso.
"Todo mundo já tem uma imagem da Suzane, mas também existe no filme uma parte de criação, em que a gente teve certa liberdade", diz. Nas telas, ela será filha de Vera Zimmermann, escolhida para o papel de Marísia.
Para se preparar, Diaz leu os autos, ouviu áudios e viu vídeos da investigação. Também esteve em contato com a criminóloga Ilana Casoy, autora de dois livros sobre o caso e que assina os roteiros junto com Raphael Montes, escritor de ficções policiais.

De acordo com o diretor, Casoy foi escolhida a dedo para garantir que a reconstituição fosse a mais fiel possível –não apenas a do crime em si, mas de tudo o que veio antes.

"É um caso polêmico, mas o que de fato me atraiu nele foi essa história de amor letal entre a Suzane e o Daniel", explica Eça. "Não vamos endeusar ninguém, vamos contar o que ninguém viu. E não tem o que justificar ou defender, eles são réus confessos, isso está resolvido."

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Game of Thrones mal acabou e a HBO já tem outras séries do mesmo universo em vista. Um dos projetos que deve ser aprovado pela empresa em breve é de uma produção que conta a história dos Targaryen, a família da famosa Daenerys, interpretada por Emilia Clarke. Com informações do M de Mulher

Estabelecida 300 anos antes dos acontecimentos que já conhecemos, a série seria baseada no livro Fogo & Sangue, de George R. R. Martin, que, assim como aconteceu com a primeira, deve se envolver com a nova produção.

A trama acompanharia o criador do tão conhecido Trono de Ferro, Aegon, e das batalhas que ele travou para se manter no poder. As informações são do site norte-americano Deadline, mas ainda não houve confirmação da HBO.

Outras séries, no entanto, já foram confirmadas pelo canal. É o caso de A Longa Noite, que, segundo o site internacional, já está em fase de pós-produção e deve contar os segredos ainda não contados e explicar detalhes que ficaram mal-explicados. A atriz Naomi Watts, de King Kong, já foi confirmada como parte do elenco.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Depois do anúncio da exposição imersiva que desembarca no Brasil a partir do dia 18 de setembro, a Warner lançou, nesta quinta-feira (12/09), um aplicativo em comemoração aos 25 anos da série – com direito a filtros 3D, adesivos e até receitas de comidas que ficaram populares ao longo das dez temporadas. Com informações do M de Mulher. 

Disponível em IOS e Android, o app é bem fácil de ser encontrado: é só digitar “Friends 25” na barra de pesquisa das lojas dos smartphones. Ao baixá-lo, aparecerá a famosa moldura do apartamento de Mônica e, em logo seguira, uma lista de seis opções do que você pode fazer dentro da plataforma.

O nome de cada aba segue a linha de como os episódios foram nomeados. De cima para baixo, a lista tem a seguinte ordem: “Aquele em que você adicione adesivos e molduras”, “Aquele em que você use filtros 3D”, “Aquele em que você papel de parede”, “Aquele em que você jogar quiz”, “Aquele em que você encontrar conteúdo” e “Aquele em que você cozinhe com os amigos”.

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Para a felicidade de quem não perde a oportunidade de fazer uma comprinha pela internet, a Amazon finalmente trouxe o Amazon Prime para o Brasil a partir desta terça-feira (10), por R$ 9,90 mensalmente. Com informações do M de Mulher. 

Quem assinar ao serviço terá direito ao Prime Video (o famoso serviço de streaming da marca), Prime Music, Prime Reading e Twitch Prime. Além de ter frete grátis em todos os produtos vendidos e distribuídos pela Amazon.

Também vale saber que não há um valor mínimo nas compras para que a entrega seja gratuita se for assinante. A proposta é bem diferente do que acontece com consumidores comuns – atualmente, é preciso somar no mínimo R$ 149 para o frete ser grátis. 

A outra novidade incrível do combo é que, se você já for assinante do Prime Video (que custa R$ 14,90 atualmente), a mensalidade cairá para R$ 9,90 e você se tornará automaticamente um cliente Amazon Prime. Já quem assinou a plataforma de streaming na promoção de R$ 7,90 poderá escolher fazer o upgrade do pacote e também se tornar um assinante do combo de serviços.

Para quem gosta do Spotify, o Prime Music é um concorrente forte. Os assinantes terão acesso a mais de dois milhões de músicas – e sem anúncios. Também será possível criar playlists personalizadas e fazer o download delas. Entretanto, para ter acesso a mais músicas (sim, isso é possível), é preciso assinar o Amazon Music Unlimited. 

Os apaixonados por leitura também têm espaço dentro da plataforma. O Prime Reading tem uma pré-seleção de livros grátis para os assinantes poderem baixar, além de ter também títulos de revistas brasileiras, como Veja e Claudia.

E se você é gamer e pensou que a Amazon havia esquecido de você, nada disso. O Twitch Prime é a assinatura que permitirá ganhar itens dentro de jogos específicos como GTA, Call of Duty: Black Ops 4 e Apex Legends disponíveis na própria plataforma de jogos chamada Twitch. Além de ter direito a assinatura de um mês dentro de algum canal do streaming de games.

Comentar
Filme de Tarantino · 07/09/2019 - 11h02 | Última atualização em 07/09/2019 - 11h03

Era uma Vez em Hollywood pode virar uma minissérie


Compartilhar Tweet 1



Era uma Vez em Hollywood, novo filme do diretor Quentin Tarantino, pode virar minissérie em breve. O ator Brad Pitt, em entrevista ao jornal The New York Times, sugeriu que o cineasta estuda mostrar cenas deletadas em versão estendida para alguma plataforma de televisão por streaming. As informações são de Metrópoles.

“Sim, ele falou sobre isso. É uma ideia sedutora”, disse Pitt ao jornalista Kyle Buchanan, do Times. No começo de 2019, Tarantino fez algo parecido com seu longa anterior, Os Oito Odiados (2015). Com farto material inédito, o filme foi relançado em quatro episódios na Netflix.

Primeiro corte: mais de 4 horas

De fato, sobram cenas que poderiam muito bem figurar numa minissérie de Era uma Vez em Hollywood. Se a versão final, lançada nos cinemas, tem 2h40min de duração, o primeiro corte de Tarantino ficou em 4h20min.

A multidão de personagens do longa, sobre um ator de televisão (Leonardo DiCaprio) e seu dublê (Pitt) tentando emplacar carreira no cinema, era ainda mais numerosa antes dos inevitáveis cortes na sala de montagem. Por exemplo: o papel tarantinesco do ator Burt Reynolds, vivido por James Marsden, não sobreviveu à edição.

Damon Herriman, que encarnou Charles Manson no longa e na série Mindhunter, e Julia Butters, intérprete da atriz mirim Trudi, relataram que gravaram cenas não incluídas no filme.


Fonte: Reprodução/Metrópoles
Comentar
Média de 9 após avaliações · 05/09/2019 - 13h25

Filme ‘Coringa’ bate recorde histórico de avaliações positivas


Compartilhar Tweet 1



“Coringa”, da DC Comics com distribuição pela Warner Bros, nem sequer chegou aos cinemas e já tem avaliações surpreendentes. Mesmo com a estreia prevista para o dia 3 de outubro nos Estados Unidos e um dia depois no Brasil, o longa sobre o grande vilão do mundo dos HQs soma uma nota de 9.6 no IMDb, a partir da avaliação de 7.933 pessoas, até o fechamento desta matéria. As informações são do M de Mulher. 

Para quem não sabe, o IMDb é um banco de dados importantíssimo sobre audiovisual. É por meio dele que os especialistas no assunto – e o público geral também – conseguem descobrir como está sendo a receptividade das produções e também acham todas as informações sobre elas, como datas de estreia, elenco, quais são os nomes por trás daquela criação etc.

É por meio desse banco, por exemplo, que conhecedores do mundo audiovisual e o público geral sabem que “Batman: O Cavaleiro das Trevas”, de 2008, é o filme com a pontuação oficialmente mais alta, dentre os HQs que foram adaptados para o cinema.

As 2.095.113 avaliações resultaram em uma nota média de 9 para o longa. Isso também o coloca no quarto lugar do ranking de melhores filmes, de acordo com o IMDb. O primeiro é “Um Sonho de Liberdade”, de 1994, com a nota 9.2 a partir da avaliação de 2.130.384 pessoas.

A importância das notas geradas pela plataforma acontece porque qualquer pessoa pode se cadastrar no site e fazer sua avaliação. Isso significa que a referência se constrói pela quantidade de pessoas que se dispõem a dar suas opiniões e, consequentemente, uma nota criada a partir de perspectivas diferentes sobre as produções.

“Coringa” é um exemplo palpável disso. Ao clicar no número de avaliadores do longa, o primeiro gráfico construído é da quantidade exata de pessoas que deram desde a nota 1 até 10 para o filme. Além disso, eles colocam abaixo a média aritmética da votação e também a média geral. Chama muito a atenção a quantidade de usuários do IMDb que deram nota máxima para o longa – e isso começa a apontar o possível sucesso da produção.

Nesse momento, “Coringa” é o filme de HQ com a maior nota de todas no IMDb. O longa ainda não entrou no ranking oficial, pois ainda não foi lançado comercialmente, mas a impressionante repercussão positiva está causando frisson. Já são quase 8 mil avaliações e isso aponta um norte importante.

Comentar