Após operação -

Moraes concede liberdade provisória a Valdemar Costa Neto

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liberdade provisória ao presidente do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, que foi preso em flagrante durante uma megaoperação da Polícia Federal na quinta-feira (8/2) por posse ilegal de arma e uma pepita de ouro.

Na sexta-feira (9/2), Moraes havia convertido a prisão em flagrante em preventiva, mas, após parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR), optou pela liberdade provisória. A decisão considerou a idade de Valdemar (74 anos) e o fato de que os crimes não foram cometidos com violência ou grave ameaça.

Foto: Breno Esaki/Especial MetrópolesValdemar Costa Neto

A defesa alegou que não havia fato relevante para a prisão, destacando que a pepita tem baixo valor e não configura delito, além de que a arma seria registrada e pertenceria a um parente.

Embora Valdemar tenha sido liberado, a Justiça manteve as prisões preventivas de outros envolvidos na Operação Tempus Veritatis, que investiga uma suposta tentativa de golpe de Estado para impedir a posse de Lula na Presidência do Brasil. Entre os alvos da operação estão o ex-presidente Jair Bolsonaro, o ex-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) Augusto Heleno, e os ex-ministros Braga Netto e da Casa Civil.

A Operação Tempus Veritatis envolveu 33 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares em diversas unidades da Federação.

Fonte: Metrópoles

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco