Wellington Dias -

Ministro discute pacto contra a fome e pacto por inclusão socioeconômica no Piauí

O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, esteve reunido na tarde deste sábado (11), em Teresina, com representantes de diversas secretarias do Governo do Estado do Piauí para discutir a pauta social do estado.

Dentre os secretários participantes, Regina Sousa (Assistência Social), Samuel Nascimento (Administração), Fábio Abreu (Assistência Técnica e Defesa Agropecuária),  Rejane Tavares (Agricultura Familiar), Núbia Lopes (Relações Sociais), representante da Investe Piauí e do Agronegócio e Empreendedorismo Rural e assessorias técnicas.

O ministro ressaltou mais uma vez a missão do ministério do Desenvolvimento Social, mas tratando da realidade do Piauí sobre dois pontos: Pacto Contra a Fome e o Pacto por Inclusão Socioeconômica. São dois pactos que o ministério do Desenvolvimento Social vai realizar com todos os estados.

“O Pacto contra a Fome tem o objetivo de tirar o Brasil do mapa da fome e garantir uma solução para essa situação de desnutrição. Já o outro é o Pacto por Inclusão Socioeconômica: o emprego e empreendedorismo focando nos beneficiários do Bolsa Família”, explica.

Dias explica que são milhões de pessoas que muitas vezes só querem uma oportunidade. “E o presidente Lula assim como o governador do Piauí Rafael Fonteles integrados com o Brasil inteiro trabalham para garantir essa oportunidade de emprego, de empreendedorismo, integrando o setor público com o setor privado.”, comentou.

A secretária Regina Sousa destacou a importância do Cadastro Único, pois é a partir dele que se tem outros benefícios.
Ela reforçou que a SASC (Secretaria Estadual da Assistência Social) não cadastra, mas orienta os municípios e monitora. “Daí a importância das parcerias com todos os entes. Os desafios são muitos, por isso a necessidade de um trabalho intersetorial também com as várias secretarias envolvidas para que os objetivos dos dois pactos sejam alcançados”.

Fonte: Parlamento Piauí

Comentários

Trabalhe Conosco