Denúncias de corrupção · 18/05/2022 - 08h22

Gustavo Neiva repercute investigação de denúncia contra o governo


Compartilhar Tweet 1



O deputado Gustavo Neiva (Progressistas) ocupou a tribuna nesta terça-feira (17/05) para repercutir reportagem divulgada no programa PI-TV, da TV Clube, sobre investigação realizada pela Polícia Federal para apurar denúncias de corrupção envolvendo recursos do precatório do Fundef (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento da Educação Fundamental) recebido pelo Governo do Piauí.

Gustavo Neiva disse que o desvio de recursos chega a quase R$ 400 milhões que estariam sendo aplicados através do PROAJA (Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos). “Trata-se de um programa fake, inexistente, que se tornou o maior escândalo de corrupção do Estado, e que visa a captação de cabos eleitorais e simpatizantes”, declarou ele.

O parlamentar progressista disse que a Polícia Federal investiga pagamentos efetuados pelo Governo do Estado a várias entidades, a maioria denominada de institutos, que teriam recebido entre R$ 900 mil e R$ 3,5 milhões. Ele assinalou que os recursos deveriam ser usados no pagamento dos professores contratados para execução do programa, o que não está ocorrendo, e que foi prometida uma bolsa de R$ 400,00 para cada aluno que, também, não está sendo paga.

HISTÓRICO

Gustavo Neiva declarou que uma das entidades beneficiadas, o Instituto Datacerto, que é dirigido pelo senhor Batista Honório, um petista histórico, recebeu R$ 3,144 milhões, enquanto a Associação dos Produtores Rurais Pocinhos de Baixo, sediada em Alegrete do Piauí, recebeu R$ 3,5 milhões.

O orador citou ainda pagamentos efetuados a outras entidades, dentre elas, o Instituto Realize Ltda (R$ 3,144 milhões), a Execute Associação Administrativa, de Contabilidade e Perícia (R$ 3,144 milhões), M.M e Silva (R$ 3,144 milhões), Instituto de Desenvolvimento e Incentivo à Moralidade Pública (R$ 956 mil) e Instituto Presente (R$ 823,3 mil).

“É uma farra com o dinheiro público, uma pouca vergonha e o Governo desdenha dos órgãos de controle, como os Tribunais de Contas do Estado (TCE) e da União (TCU)”, afirmou Gustavo Neiva, que fez um apelo à governadora Regina Sousa para que suspenda os pagamentos das entidades e autorize a realização de uma auditoria pela Corregedoria Geral do Estado (CGE) para investigar as denúncias de corrupção.

Antes de concluir seu pronunciamento, Gustavo Neiva acusou o Governo de massacrar os servidores públicos, com descontos nos proventos dos aposentados e a não concessão de um aumento salarial de 33% para os professores. Ele ressaltou que a Universidade Estadual do Piauí não tem professores para cerca de 500 disciplinas e que o TCE constatou que 23 hospitais regionais enfrentam graves problemas no Estado.

PostMídia: (86) 99800-9535


Fonte: ALEPI

Comentários