Governança mais célere -

TJPI conquista posição Ouro no eixo Dados e Tecnologia do Prêmio CNJ de Qualidade

O Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJPI) avançou 10 posições no eixo Dados e Tecnologia do Prêmio CNJ de Qualidade, saindo do 17º lugar em 2021, para o 7º lugar entre os tribunais estaduais em 2022, com 620 dos 755 pontos totais, conquistando posição Ouro no eixo.

Alinhado às diretrizes de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e à Proteção de Dados, que promovem uma governança mais célere, segura e tecnológica, neste ano o Tribunal piauiense consolidou-se como uma T.I. aprimorada. De acordo com o índice de Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação do Poder Judiciário (iGovTIC-JUD), o TJPI cresceu de 36,00% para 71,29% de conformidade na série histórica 2016-2022.

Foto:tjpi
TJPI conquista posição Ouro no eixo Dados e Tecnologia do Prêmio CNJ de Qualidade

“É uma grande satisfação para o nosso Tribunal obter a pontuação de 82,12% no eixo Dados e Tecnologia do Prêmio CNJ de Qualidade. Uma grande conquista para o nosso jurisdicionado. Sabermos que todos os tribunais participam da premiação, incluindo os Tribunais Superiores, de Justiça, Regionais Federais, do Trabalho, Eleitorais e de Justiça Militar, e termos o nosso TJPI em 7º lugar no ranking entre 27 Tribunais estaduais no eixo é um reconhecimento de grande valia”, declara o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, desembargador José Ribamar Oliveira.

Para o secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do TJPI, Agnaldo Almendra, a conquista do ouro no eixo Dados e Tecnologia é resultado de uma gestão bastante engajada com todos os colaboradores da STIC, rumo a um processo consolidado de maturidade de governança de TIC.

“Esse ano desenvolvemos um trabalho que, assim como no ano anterior, priorizou a modernização e a inovação entre as ações da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação-STIC e do Laboratório de Inovações, hoje unidades organizacionais vitais para o judiciário piauiense. Desenvolvemos diversos painéis de informação, projetos na área de segurança da informação, capacitação, renovação dos equipamentos de informática das unidades judiciárias, sistemas de suporte à gestão de gabinetes, assim como pleno suporte à migração de todos os processos físicos e eletrônicos para um único sistema – o PJe – culminando com a implantação no TJPI da Plataforma Digital do Poder Judiciário- PDPJ-Br e dos serviços da Justiça 4.0, promovendo de forma radical a transformação digital no TJPI. Essas ações facilitam o acesso à Justiça e intensificam a celeridade processual”, explica o secretário.

O secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do TJPI destaca também a contribuição da tecnologia da informação na transparência e conquista do Selo Prata do Prêmio CNJ de Qualidade: “Fizemos um forte trabalho de saneamento de dados para alimentação do DATAJUD/CNJ, feito pelas equipes de TI, fato primordial para obtenção da premiação Prata do Prêmio CNJ de Qualidade. É uma premiação que, além de nos honrar, esperamos superar nos anos seguintes, rumo a um serviço de TIC de excelência”, pontua.

PRÊMIO CNJ DE QUALIDADE

O Prêmio CNJ de Qualidade foi criado em 2019, em substituição ao antigo Selo Justiça em Números, implementado desde 2013. Ao longo dos anos, vários critérios foram sendo aperfeiçoados e incluídos no regulamento da premiação, que é dividida em quatro eixos principais: governança, produtividade, transparência, dados e tecnologia.

Na premiação, além de utilizar uma metodologia de avaliação dos tribunais sob o olhar do acompanhamento das políticas judiciárias, eficiência, gestão e organização de dados, os tribunais são classificados em três categorias: Diamante, Ouro e Prata. O tribunal que atinge maior a pontuação entre todos os 90 tribunais é congratulado com o Prêmio Excelência.

Comentários