Operação Fundo do Poço -

Justiça solta investigados por desvios de R$ 36 milhões em partido governista

O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) ordenou a libertação de quatro investigados na operação Fundo do Poço, realizada pela Polícia Federal, os quais haviam sido detidos preventivamente. A operação deteve inicialmente sete pessoas suspeitas de envolvimento em lavagem de dinheiro e organização criminosa. Adicionalmente, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu liberdade a um quinto suspeito, totalizando a soltura de cinco pessoas ao todo. Com informações do site Diário do Poder.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Segundo a Polícia Federal, esses cinco indivíduos são suspeitos de participação em um esquema supostamente liderado por Eurípedes Júnior, então presidente do extinto Pros (Partido Republicano da Ordem Social), incorporado ao Solidariedade, que faz parte da base do governo Lula no Parlamento. O esquema teria desviado pelo menos R$ 36 milhões dos fundos eleitoral e partidário para uso pessoal, incluindo a compra de um helicóptero de R$ 5 milhões e viagens internacionais.

O juiz Lizandro Garcia Gomes Filho, do TRE-DF, emitiu alvarás de soltura para Jarmisson Gonçalves de Lima, Cíntia Lourenço da Silva, Alessandro Sousa da Silva e Fabrício George Gomes da Silva. Além disso, o TSE autorizou a libertação de Bruno Aurélio Rodrigues da Silva Pena.

As medidas cautelares aplicadas aos quatro indivíduos liberados pelo TRE-DF incluem o uso de tornozeleiras eletrônicas, o confinamento em casa durante as noites e nos dias de folga, e a proibição de contato com outros investigados ou qualquer pessoa ligada ao caso.

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco