Levar o celular para a cama · 21/05/2019 - 17h31

7 hábitos antes de dormir que podem arruinar sua vida sexual


Compartilhar Tweet 1



Em um mundo perfeito, seu quarto seria um lugar sagrado para você e seu parceiro. Mas vivemos vidas ocupadas e nada perfeitas. Os e-mails de trabalho se acumulam e você os responde antes de adormecer, ou as crianças entram no quarto e pedem para dormir em sua cama e você não pode dizer não. 

Interrupções acontecem, mas se você as deixar acontecer com muita frequência, isso pode prejudicar seu relacionamento. Abaixo, os terapeutas de casais compartilham 7 hábitos que devem ser repensados antes dormir, caso você queira manter a intimidade em seu quarto. As informações são do Huffpostbrasil.

1. Ter conversas da burocracia da rotina na cama

Economize, para outra ocasião, aquelas conversas pouco informadas sobre quem está pagando a conta do telefone ou quem vai buscar seus parentes no aeroporto, disse Danielle Kepler, uma terapeuta em Chicago.

"Obviamente, os casais precisam discutir a logística do dia - alguém tem que pegar as crianças ou planejar o jantar para amanhã - mas não no quarto", disse ela. "Há algo sobre esse tipo de discussão que pode tirar a intimidade e o romance de uma sala."

2. Levar o celular para a cama

Quase 3/4 dos americanos que moram com o cônjuge ou parceiro levam o smartphone para a cama com eles, de acordo com uma pesquisa recente. Dos entrevistados, 35% disseram que sua vida sexual foi atingida por causa do uso de telefone na hora de dormir.

Não seja assim. A menos que você esteja procurando o celular antes de ficar ocupado, mantenha o telefone longe de sua cama, disse Alena Gerst, psicoterapeuta de Nova York.

"Quando você está no seu celular ou jogando, você fica tão imerso no seu mundo on-line, é como se a pessoa que compartilha sua cama não estivesse lá", ela disse. "Quando seu parceiro disser algo ou pedir sua atenção, você pode nem ouvi-lo ou pedir que espere porque está ocupado olhando para a tela. Isso definitivamente não encoraja a intimidade ".

3. Deixar as crianças ou o cachorro ficar na cama com você

Se você tem filhos pequenos, é inevitável que eles passem algumas noites em sua cama depois de um sonho assustador ou porque estão com um dengo fofinho. Deixe-os - eles são jovens por tanto tempo! - mas tente não fazer disso um hábito, disse Kurt Smith, um terapeuta especializado em aconselhar homens.

"Eu aconselhei homens que reclamaram que eles vêm para a cama e o parceiro está dormindo na cama com o filho e isso só muda a forma como eles se sentem em relação ao quarto - não é mais o quarto deles", disse ele. "Isso pode facilmente se tornar uma fonte de ressentimento, conflito e desconexão entre parceiros".

A mesma regra segue para pet também.

"Os clientes reclamaram do cheiro e da barreira física causada por um animal de estimação na cama", disse ele. "Se torna um problema se você está tendo dificuldades para ter uma boa noite de sono ou não se sente perto de seu parceiro porque o cachorro está na cama".

4. Permitir que o quarto fique bagunçado

Sabe aquela pilha de roupa suja, meias sujas e bolsas que ganhou vida própria no canto do seu quarto? Você teria muito mais chances de ter sorte se deixar tudo isso de lado.

"A desordem mata a intimidade", disse Smith. "Um homem estava me dizendo na semana passada que o quarto deles não é muito romântico ou intimista para ele por causa da quantidade de desordem. Ele admitiu que é parcialmente culpado por isso também.

5. Trabalhar no quarto

A primeira regra de manter um equilíbrio saudável entre trabalho e vida pessoal? Mantenha as exigências do seu trabalho fora do quarto. Se você realmente precisa responder a e-mails ou receber uma ligação após o expediente do seu chefe, faça-o em outra sala.

"Você quer associar sua cama e seu quarto com paz e romance, e não o estresse de fazer o trabalho", disse Kepler. "Faça você mesmo, seus hábitos de sono e seu parceiro um favor e mantenha o quarto em uma zona sem trabalho."

6. Deixar o quarto se tornar uma segunda sala de estar para a família

Não é incomum que a sala dos pais seja outra sala de TV na casa. É um espaço divertido, quase fora dos limites, então é claro que as crianças querem assistir a desenhos animados lá. Satisfaça-os um pouco, mas tente levar a diversão para a sala de estar, disse Smith.

"Vários cônjuges me disseram que amam seus filhos, mas odeiam perder o espaço privado em casa", disse ele. "O quarto principal também pode se tornar o salão de jogos das crianças, mas, se você valoriza sua intimidade, você realmente não deve permitir."

7. Assistir ou ler as notícias

O ciclo de notícias é implacável, mas, em nome do seu relacionamento, resista à vontade de ler o burburinho em torno do último tweet do presidente - pelo menos na cama.

"É natural querer deitar na cama e acompanhar as histórias do dia", disse Gerst. "O problema é que você deve estar voltando sua atenção para o seu tempo de silêncio e seu parceiro. As notícias do dia, especialmente nestes tempos turbulentos, podem ser perturbadoras e desencadear a sua resposta ao stress. "

Deixar a CNN ligada ou folhear o seu feed do Twitter "cria o efeito oposto do que você espera que aconteça quando você está passando a noite e desfrutando de proximidade com seu parceiro. Em última análise, você precisa colocar seu parceiro primeiro ".


Fonte: Huffpostbrasil
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Não é segredo que muitas mulheres ficam mais excitadas do que o normal durante a gravidez, e, se os casais podem manter sua rotina sexual durante as 40 semanas, maravilha. 

Segundo o Huffpostbrasil, um grande desejo vem acompanhado de uma grande responsabilidade, e acontece que o ato aparentemente discreto do sexo oral feminino vem com um alerta quando o bebê está a caminho.

O problema está em quem proporciona o sexo oral — ou seja, se a pessoa tiver uma doença sexualmente transmissível (DST) que poderia ser transmitida ao bebê.

"Se você contrair herpes no terceiro trimestre, há uma chance de 50 por cento que seu bebê será contaminado no parto", disse Terri Warren, autora de The Good News About The Bad News: Herpes: Everything You Need to Know (A Boa Notícia sobre a Má Notícia: Tudo o que Você Precisa Saber sobre Herpes), em entrevista à revista Vice.

Como o sistema imunológico das mulheres fica comprometido durante a gravidez, elas são menos capazes de combater infecções, e isso definitivamente inclui DSTs que, sim, estão presentes no canal do parto.

Segundo a Associação Americana de Saúde Sexual, contrair herpes em estágio avançado da gravidez é particularmente perigoso, porque a mulher não terá os anticorpos necessários para proteger o bebê durante o nascimento. Embora seja raro, o vírus poderia potencialmente contaminar o bebê, levando a complicações médicas e até mesmo causar sua morte.

Mas as DSTs não são a única preocupação quando se trata da chamada cunilíngua, ou seja, a estimulação da genitália feminina com a boca e com a língua. Como destacado pela organização Mayo Clinic, seu parceiro (a) precisa ter cuidado para não deixar entrar ar na vagina durante o sexo oral, porque os vasos sanguíneos aumentados correm um risco maior de embolia aérea — basicamente uma bolha de ar que poderia afetar os sistemas cardiovasculares da mãe e/ou do feto.

Dito isso, é uma ocorrência muito rara, documentada pouquíssimas vezes na literatura médica. Mas, caso esteja preocupada, aceite o conselho da equipe Go Ask Alice!, da Universidade Columbia, e "chupe, beije, lamba, prove pressione (com os lábios ou dedos) ou toque levemente a vulva ou clitóris de uma mulher em vez de soprar ou forçar a entrada de ar diretamente na vagina".

E, caso você esteja se perguntando sobre o sexo oral para o lado oposto, sim, é aparentemente seguro.


Fonte: Huffpostbrasil
Comentar
Pouca lubrificação.O que será? · 21/05/2019 - 17h23

As 24 perguntas que ginecologistas mais escutam


Compartilhar Tweet 1



Claro que você não é obrigada a tomar algo que não queira, mas os métodos contraceptivos são mais eficientes do que a camisinha para evitar uma gravidez não planejada. Se você quiser, o ideal é conversar com o(a) médico(a) sobre todos os métodos – e aí sim ver qual é o melhor para você. As informações são do Huffpostbrasil.

"Antes de introduzir o uso de métodos contraceptivos hormonais, é necessário que o ginecologista investigue se há alguma contraindicação (como, por exemplo, antecedente pessoal de hipertensão arterial, doenças hepáticas em atividade, eventos tromboembólicos prévios, antecedente familiar de câncer de mama, dentre outros). Na ausência de fatores que contraindiquem esses métodos, o ginecologista deve expor à paciente as opções e a escolha será feita em conjunto, por ambos", explica o ginecologista Georges Fassolas, diretor da Clínica Vivitá (SP).

2. A vacina de HPV é obrigatória? É verdade que ela pode levar ao surgimento de outras doenças neurológicas?

"A vacina contra o HPV não é obrigatória, porém é bastante benéfica quando indicada a mulheres que ainda não iniciaram sua vida sexual", explica o Dr. Georges. A verdade é que a vacina ainda é muito recente na medicina, então, não se podem fazer afirmações sobre os possíveis efeitos causados a longo prazo. "Existem alguns relatos de eventos neurológicos possivelmente associados à vacina contra HPV, mas em nenhum desses casos conseguiu-se comprovar a relação de causalidade entre a vacina e as alterações neurológicas detectadas."

3. Tenho muita cólica, dor de cabeça e dor nos seios durante a TPM. Isso é normal?

Pois é amiga, ainda não inventaram um jeito de se livrar (de vez!) dessa coisinha chamada tensão pré menstrual. A gente fica tensa mesmo, pode ter cólica antes e durante o período, dor de cabeça, os seios ficam inchados... Mas faz parte, infezlimente. "Deve-se realizar uma investigação médica detalhada quando a paciente não apresentar melhora dos sintomas após o uso de analgésicos e anti-inflamatórios e também quando aparecem com intensidade tamanha que chegam a comprometer as atividades cotidianas (estudo, trabalho etc)". Fique atenta também se, além dos sinais mencionados, você tiver outros sintomas como alterações no hábito intestinal e dores durante o sexo – eles são característicos da endometriose.

4. Às vezes parece que eu sinto algo "escorrendo" na calcinha. O que é isso?

"A secreção vaginal normal (também chamada de 'secreção vaginal fisiológica') pode ser produzida em volume variável de acordo com a fase do ciclo em que a mulher se encontra. Normalmente ela é clara (transparente ou levemente amarelada), não apresenta odor e não causa outros sintomas (como ardência e coceira)", explica o ginecologista. Viu, não precisa se desesperar!

5. Sinto que tenho pouca lubrificação na hora do sexo. É falta de tesão?

Não necessariamente desejo sexual, mas talvez um pouco mais de "trabalho" ali na região. "A lubrificação vaginal no momento da relação sexual está muito associada à fase de excitação da mulher", então, vamos dar mais atenção às preliminares, sim?

6. Não sei aonde minha libido foi parar. Socorro!

Calma, tudo tem solução! Se você toma anticoncepcionais, pode ser que eles tenham alguma participação nisso: de acordo com o ginecologista Georges Fassolas o uso crônico do medicamento pode causar a queda da libido em algumas mulheres. Por isso, investigue junto de seu médico/sua médica sobre essa possibilidade. Até a "pílula rosa" já foi criada para te dar uma mãozinha! Mas talvez seja hora de repensar se o problema não é quem está com você... wink

7. Sinto dor no sexo. É normal?

Em algumas posições específicas ou se não estiver bem lubrificada, isso pode acontecer sim, mas deve ser passageira. "Porém, via de regra, a dor durante a relação sexual deve ser um sinal de alerta: nesses casos, deve-se investigar a existência de patologias que possam ser a causa desse desconforto", aconselha o médico.

8. Por que tenho infecção urinária e/ou candidíase tantas vezes? Estou fazendo algo errado?

A infecção do trato urinário (ITU), comumente chamada de infecção urinária, é muito mais comum em mulheres do que em homens. Isso tem um motivo anatômico: a saída da uretra é bem mais próxima da vagina e do ânus do que no corpo masculino. Há também mulheres que tenham maior predisposição a ter tanto a ITU quanto a candidíase, que pode ser causada por queda de imunidade, exposição solar intensa, a própria TPM... Mas tudo isso é normal e facilmente tratável. "Alguns hábitos com certeza contribuem para uma redução no número de episódios. São eles: esvaziar a bexiga após relações sexuais, urinar sempre que sentir vontade (não ficar 'segurando'), sempre fazer a higiene após urinar ou evacuar, limpando-se 'de frente para trás', isto é, no sentido da vagina para o ânus (para evitar que se levem bactérias no sentido inverso)."

9. Dá para engravidar tendo relações enquanto estiver menstruada?

Bom, considerando que o seu ciclo esteja regulado e, principalmente, se você estiver tomando anticoncepcional, não será possível engravidar. Nem por isso devemos deixar de lado as precauções, como camisinha, ok?

10. Como funciona a camisinha feminina? Ela substitui a masculina?

Sim, ela substitui. E ela é até mais segura do que a masculina: protege os grandes lábios, região que pode ser afetada pelo HPV e herpes. "Ela é um tubo de poliuretano que possui uma extremidade fechada e outra aberta e que reveste a vagina durante o ato sexual. Para sua eficácia como método para prevenção de gravidez e DST's, deve ser colocada na vagina antes do início do contato entre os órgãos sexuais. E é descartável, como a masculina."

11. Acho que os meus grandes lábios são maiores do que o normal. O que posso fazer?

O tamanho um pouco maior pode ser bem incômodo e traz problemas para a autoestima e confiança da mulher. Claro que cada vagina é uma e a sua pode não parecer com aquela do filme que você viu, só que isso não significa que ela não seja normal! "Se você acredita que seus grandes lábios sejam maiores que o normal, você deve passar por avaliação ginecológica e, se necessário, seu médico indicará a realização de um procedimento cirúrgico chamado 'ninfoplastia', que é a cirurgia para redução dos grandes lábios."

12. O que é ovário policístico? Quais são os sintomas?

"A síndrome dos ovários policísticos é um quadro caracterizado por alguns sinais e sintomas clínicos associados a um aspecto multifolicular dos ovários ao ultrassom. Ocorre um desequilíbrio hormonal com persistência de um estado hiperandrogênico – isso significa que a mulher tem mais pelos em regiões como mamilo, costas e parte interna da coxa. Os principais sinais e sintomas clínicos são obesidade central (gordura acumulada na região abdominal), hirsutismo (aumento de pelos distribuídos pelo corpo), irregularidade menstrual e dificuldade para engravidar", explica o dr. Georges Fassolas.

13. Quais exames preciso fazer e de quanto em quanto tempo? E qual a frequência das consultas?

Você sabe que quando chegar no consultório o(a) médico(a) vai fazer uma listona de exames que são necessários. É basicamente um checkup do corpo todo e, como o ginecologista é o médico mais visitado das mulheres, ele/ela acaba pedindo tudo de uma vez. De acordo com o ginecologista Georges Fassolas, a visita deve ser, no mínimo, uma vez por ano e é feito o exame físico geral nas mamas e órgãos pélvicos, além de solicitar os outros todos (como de sangue, ultrassom e urina).

14. Como faço o autoexame nos seios?

O melhor jeito de fazê-lo é durante o banho, no chuveiro, ou deitada: coloque a mão direita atrás da cabeça e deslize os dedos indicador, médio e anelar da mão esquerda fazendo movimentos circulares por toda mama. Repita o movimento no lado direito.

15. É normal sentir como se fizesse xixi quando tusso, espirro ou dou risada? Tem tratamento?

Acontece quando a gente dá muita risada mesmo (ops), mas não deveria acontecer em outros momentos. Isso pode ser incontinência urinária, uma doença de perda urinária que tem tratamento. "Nesses casos, a mulher deve procurar seu ginecologista para avaliação e posterior terapêutica. O tratamento pode ser feito com exercícios para fortalecimento da musculatura perineal (com acompanhamento por fisioterapeuta) ou, quando necessário, através de cirurgia – que é a colocação de uma faixa, responsável por estabilizar a posição uretral, chamada Sling."

16. É verdade que a vagina pode ficar "frouxa"?

Normalmente o problema é relatado por mulheres que já tiveram filhos por parto normal. A sensação é a resposta de uma lesão no corpo perineal, que é o conjunto de músculos e ligamentos que ficam entre a vagina e o ânus. "A rotura perineal pode ocorrer em diferentes graus e, quando necessário, pode ser corrigida cirurgicamente."

17. O que o(a) médico(a) está procurando quando faz o exame de toque?

Tudo bem que ficar de pernas abertas em uma maca com alguém entre elas pode não ser o momento mais propício para perguntas, porém, você deveria saber o que está rolando ali. O exame de toque vaginal é a forma do ginecologista avaliar se existem lesões nas paredes vaginais, a consistência do colo uterino, se existe dor quando ele/ela mexe na região e até mesmo um método de descobrir a presença de cistos ovarianos. "Além disso, o toque vaginal, quando realizado em gestantes, permite avaliar a consistência do colo e a presença ou não de dilatação do mesmo, características estas associadas ao trabalho de parto."

18. Qual o período considerado correto para uma menstruação regular?

O normal é que ela ocorra entre 25 e 35 dias após os primeiros dias da menstruação anterior.

19. Posso tomar a pílula do dia seguinte se uso anticoncepcional? Até quanto tempo ela faz efeito? Quantas vezes posso tomá-la?

Se você faz uso do anticoncepcional, provavelmente não precisa dela – de acordo com o Manual da FEBRASGO, a taxa de falha dos contraceptivos orais é de 0,5/100 mulheres-ano. Mas o médico faz um alerta: "Não existe um limite de uso da pílula do dia seguinte, mas é fundamental que as mulheres tenham ciência de que este não é um método que deve ser utilizado rotineiramente como anticoncepcional. Seu uso deve ser restrito a situações emergenciais!"

20. Namoro há muito tempo/sou casada/tenho um relacionamento estável. Preciso usar camisinha em todas as relações?

O fator mais importante de usar camisinha quando você transa com uma pessoa não é prevenir a gravidez e sim evitar as doenças e infecções sexualmente transmissíveis. Por isso a proteção é imprescindível!

21. Tive um sangramento após o sexo. Posso ter me machucado?

"Sangramento após a relação sexual (também chamado sinusorragia) pode, sim, ser consequência de alguma lesão vaginal ou vulvar provocada durante a penetração do pênis na vagina. Entretanto, mulheres que apresentem sangramento após as relações sexuais de forma rotineira e frequente devem procurar seu ginecologista para avaliação e investigação de outras possíveis causas."

22. O que são os sangramentos que ocorrem quando estou no meio da cartela da pílula?

Os chamados sangramentos de escape ou spotting acontecem, na maior parte das vezes, devido a atrofia causada no endométrio pelo uso do contraceptivo. Os vasos sanguíneos superficiais ficam expostos e levam ao sangramento pequeno e escurecido, normalmente, de acordo com o ginecologista. "O spotting não significa falha da ação contraceptiva da pílula e, portanto, o uso da mesma não deve ser interrompido."

23. Quero fazer sexo anal com meu parceiro/parceira. Quais cuidados tomar?

"O principal cuidado que um casal deve tomar ao manter relação sexual por via anal é a troca de camisinha, quando houver penetração vaginal. Isso tem por objetivo evitar o transporte de bactérias da região anal para a vagina. Casais que não utilizam preservativo – o que não é recomendado pelos médicos – não devem praticar sexo vaginal após o sexo anal." E as outras dicas você pode ver nesse guia para a primeira vez🙂.

24. Após quanto tempo de atraso da menstruação preciso me preocupar com uma possível gravidez? Ou isso pode ser outro problema?

Se a sua menstruação é regular, o atraso de sete dias já conta como possibilidade de estar grávida. Você pode fazer o teste (de farmácia ou, preferencialmente, o de sangue) para tirar a dúvida: se o atraso persistir e o resultado for negativo, repita a dosagem do hormônio beta hCG e de outros, indicados pelo seu médico.


Fonte: Huffpostbrasil
Comentar
Resposta surpreendente · 20/05/2019 - 17h51

Saiba o melhor horário para fazer sua namorada chegar lá


Compartilhar Tweet 1



Não é tão fácil assim fazer as mulheres terem um orgasmo e às vezes elas precisam de mais tempo para isso do que nós – mas é claro que você sabe disso.

O fato é que cientistas descobriram recentemente que existe um horário específico em que as mulheres conseguem chegar lá mais facilmente, e adivinhe, não é no mesmo horário que os homens sentem mais tesão. Enquanto nós homens costumamos acordar prontos para a ação, normalmente com a sensação de que o dia pode começar muito melhor, as mulheres estão em seu melhor momento às 15h.

A explicação para isso é que enquanto os homens produzem testosterona durante a noite (e por isso acordam, digamos, “mais dispostos” pela manhã,) as mulheres agregam em seu corpo altos níveis de cortisol durante a tarde, o que faz com que elas estejam com mais energia e muito mais alertas às 15:00.

Além disso, o horário das 15h é ainda melhor para as mulheres porque ao mesmo tempo os homens registram em seu corpo um maior nível de estrogênio (hormônio feminino que também encontrado nos homens), o que significa que estaremos “mais presentes emocionalmente”, mais carinhosos durante o sexo, ou seja, muito mais dispostos a investir nas preliminares.

Por um longo tempo, foi dito que o sexo matinal era o ideal para os casais, porém, segundo essas recentes pesquisas, o jogo virou para as mulheres e agora 15:00 da tarde parece ser a hora mágica. É claro que homens e mulheres não estão em sintonia quanto à melhor hora pra transar, mas o fato é que podemos tentar investir tanto nos nossos melhores horários quanto no delas, mirando num máximo de performance conjunta.

Em todo caso, não há como ignorar o fato de que sexo às 15h provavelmente só vai rolar nos finais de semana, a não ser que seu trabalho tenha uma carga horária aberta ou que permita uma boa escapadinha.

 


Fonte: Conversa de Homem
Comentar
É nojento? Veja a resposta! · 20/05/2019 - 17h17 | Última atualização em 20/05/2019 - 17h23

9 perguntas mais comuns sobre sexo durante a menstruação


Compartilhar Tweet 1



Então sua namorada ou esposa está menstruada, e você está se perguntando se você deveria: Abster-se do sexo durante toda a semanal. Montar um argumento convincente de que esta semana vocês irão fazer sexo mesmo com ela menstruada (se ela quiser, é claro).

Conforme o site Conversa de Homem, o sexo durante a menstruação pode ser fantástico e divertido para todos os envolvidos. Enquanto alguns homens são atacados por essa ideia e não gostam muito dela, outros adoram. Como Miles Klee da “MEL Magazine” coloca sucintamente: “Você gosta de sexo, certo? Sexo durante a menstruação é sexo, então, porque não gostar dele também?”

Ainda não está convencido? Também vale a pena notar que o sangue menstrual não contém realmente muito sangue: em sua maior parte, é tecido do revestimento uterino, que o corpo de uma mulher derrama quando não engravida, explica Jessica Shepherd, uma obstetra e ginecologista norte-americana.

Em última análise, a decisão de fazer sexo durante a menstruação é entre você e sua parceira. Mas se vocês dois estiverem com disposição, você não deve perder uma semana inteira de sexo apenas porque um fluido corporal um pouco diferente está presente.

Aqui estão algumas respostas aprovadas por médicos para 9 das perguntas mais comuns que os homens fazem sobre sexo durante a menstruação.

1. Fazer sexo durante a menstruação é nojento?

Pense em algumas das melhores experiências sexuais da sua vida. As palavras “limpo” ou “arrumado” vêm à sua mente? Provavelmente não. É mais provável que você tenha pensando nas palavras “calor”, “suor” ou até mesmo “sujo”.

Isso porque o melhor sexo geralmente é um pouco bagunçado, e o sexo durante a menstruação não é exceção: afinal, se você já está coberto do suor da sua parceira e ela do seu suor, além de todos os fluidos vaginais e penianos e de toda aquela saliva, por que ter medo de um pouco de sangue?

Além disso, vale a pena notar que um pouco de lubrificação tem suas vantagens. “O sexo durante a menstruação pode se algo um pouco diferente e mais bagunçado, mas isso pode ser ótimo, porque já existe lubrificação natural”, e por isso, talvez o seu prazer o dela sejam ainda maiores, diz o terapeuta sexual Holly Richmond.

2. Ela pode ficar grávida quando está fazendo sexo durante a menstruação?

Essa questão é um pouco complicada, mas a resposta curta é sim, ela pode. Dr. Shepherd diz que, tecnicamente, as mulheres não podem engravidar durante a menstruação, porque a menstruação geralmente indica que a ovulação já aconteceu.

“A menstruação acontece porque os óvulos não são fertilizados e, portanto, todo aquele revestimento que o corpo feminino fez para receber o esperma não será utilizado, e por isso, ele se desfaz dele todos os meses”, diz a Dra. Shepherd.

Se você quer evitar o risco de gravidez, uma boa dica é se lembrar de que o momento mais fácil para engravidar é durante a ovulação, que ocorre 14 dias após o dia em que sua parceira ficou menstruada. Por isso, é um pouco mais difícil que ela engravide enquanto está menstruada, apesar de ser possível.

Mas – e este é um grande mas – nem todos os ciclos menstruais das mulheres ocorrem exatamente no tempo certo, e um ciclo irregular torna mais difícil rastrear a ovulação. Se a sua parceira tiver um ciclo mais curto e ovular mais perto da menstruação, é improvável que ela engravide, mas é possível que ela fique grávida se vocês tiverem relações sexuais no final da menstruação dela.

Também é importante notar que as mulheres frequentemente experimentam manchas ou sangramento entre os ciclos menstruais, de modo que o sangue nem sempre indica um período de menstruação real. É por isso que é importante utilizar ainda o controle de natalidade durante o período de sexo. Por fim, podemos concluir que a gravidez durante a menstruação é possível, mas é improvável, cabe a você decidir se vale realmente o risco de não usar camisinha.

3. Ela fica com mais tesão quando está menstruada?

Não há muita pesquisa científica que possa apoiar isso, mas, de acordo com algumas mulheres, elas se sentem mais dispostas a fazer sexo quando estão menstruadas – normalmente a partir do terceiro dia de menstruação.

Uma teoria para apoiar isso é a de que o hormônio progesterona, que pode diminuir a libido, cai durante a menstruação. No entanto, a Dra. Shepherd diz que as mulheres geralmente estão mais excitadas durante a ovulação, então cerca de duas semanas antes do seu ciclo menstrual elas estarão muito mais excitadas: “Seus hormônios estão mudando durante esse tempo para aumentar sua vontade de fazer sexo para engravidar”, explica.

De qualquer forma, se sua namorada estiver com tesão e você também, aproveitem, independentemente de onde ela esteja no seu ciclo. Se quer evitar acidentes, use camisinha!

4. O sangue da menstruação vai acabar com os lençóis?

Se ela tiver um fluxo grande, estiver nos primeiros dias de menstruação e se você estiver utilizando lençóis brancos, sim, o sexo durante a menstruação provavelmente vai sujar bastante suas roupas de cama. Se você não quer que isso aconteça, há uma solução simples: basta colocar uma toalha de banho escura debaixo de vocês, e fique tranquilo, se você colocar essa toalha ou mesmo os lençóis na máquina de lavar, tudo provavelmente irá ficar bem.

5. O sexo durante a menstruação é seguro?

Nenhum sexo é totalmente “seguro”, mesmo com testes de DSTs e a utilização adequada de preservativos: como o seu professor de educação sexual provavelmente lhe disse, o único método 100% efetivo de controle de natalidade é a abstinência (o que é, bem, uma opção irreal para a maioria).

Mas o sexo durante a menstruação é tão seguro quanto qualquer outro tipo de sexo, diz a Dra. Shepherd. Há, no entanto, uma advertência: durante a menstruação, as mulheres experimentam mudanças no equilíbrio do pH, o que pode levar a um risco aumentado de vaginose bacteriana ou infecção fúngica (que pode ser sexualmente transmitida aos homens).

Além disso, há um estudo pequeno e desatualizado que diz que o risco de HIV pode subir durante a menstruação se acontecer a penetração vaginal sem camisinha, isso porque o HIV é transmissível através de fluidos corporais. Mas a Dra. Shepherd diz que não há uma pesquisa confiável que diga com toda a certeza que o sexo durante a menstruação o coloca em um risco maior para as DSTs mais comuns, como a gonorreia e a clamídia – então não deixe que isso o desencoraje de aproveitar essa semana.

6. Posso fazer sexo oral nela durante a menstruação?

Sim. Algumas pessoas ainda gostam do gosto de uma mulher quando ela está menstruada. Dito isto, se você quer evitar o sangue, mantenha a língua no clitóris e não na vulva. Se você não curte muito a ideia, apenas deixe o sexo oral para outro dia, ela vai entender. Então, foque seus esforços na penetração e na estimulação do clitóris com as mãos e osso púbico.

7. É normal ficar excitado por ela estar menstruada?

Com certeza! Existe mesmo um termo engraçado para os caras que ficam excitados com o sexo durante a menstruação, são os “vampiros”. O Dr. Richmond diz que a natureza primitiva de fazer sexo com uma mulher menstruada tem algo a ver com isso: “Quando uma mulher está menstruada, ela está em seu melhor momento para a evolução, e ela realmente pode deixar alguns homens mais excitados do que o normal.”

Dito isso, é preciso lembrar que cada homem é diferente, e que enquanto alguns indivíduos ficam mais excitados quando suas parceiras estão menstruadas, outros podem odiar essa situação e preferir esperar uma semana para voltar à ativa.

Faça o que deixa você confortável e o que é melhor para o seu relacionamento – e certifique-se de comunicar isso à sua parceira, porque ela provavelmente terá pensamentos sobre o assunto também.

8. As mulheres gostam do sexo durante a menstruação?

Algumas mulheres se sentem desconfortáveis ​​fazendo sexo quando também estão lidando com cólicas e inchaço; já outras sentem ainda mais tesão pela perspectiva de fazer sexo enquanto estão menstruando. A melhor maneira de descobrir os pensamentos da sua parceira em relação a isso é perguntar a ela.

Apenas lembre-se de nunca fazê-la sentir-se suja ou desconfortável com isso, porque não há nada nojento em relação a ela ter um ciclo menstrual saudável e funcionando bem.

9. Os orgasmos dela são mais fortes quando ela está menstruada?

Sim. Para muitas mulheres, particularmente aquelas que sentem cólicas ou TPM, um orgasmo pode ser exatamente o que o médico receitou. “O clitóris pode estar mais grosso durante um ciclo, então a mulher pode estar com uma sensibilidade ainda maior no local “, diz a Dra. Shepherd.

Além disso, os orgasmos liberam endorfinas, que podem atuar como analgésicos naturais, então, se você fizer sexo durante a menstruação da sua parceira, você não só está lhe dando prazer, mas também está aliviando sua dor. É juntar o útil ao agradável!


Fonte: Conversa de Homem
Comentar
Produto erótico comum · 20/05/2019 - 17h04

7 formas diferentes de usar o lubrificante


Compartilhar Tweet 1



Você tem o hábito de usar lubrificante durante a relação sexual? O lubrificante é um dos  produtos eróticos mais comuns do mercado. Com diferentes fórmulas, ele ajuda na hora da penetração, diminui o atrito e aumenta a sensibilidade. Além disso, alguns podem proporcionar a sensação de quente e outros de gelado, levando novas sensações para a relação. As informações são do IG Delas.

Para te inspirar a levar o produto para cama, listamos 7 formas diferentes para você usar o lubrificante , seja sozinha ou acompanhada. Confira:

Como usar o lubrificante?

Comum por diminuir o atrito e facilitar a penetração, o lubrificante é um produto que pode ser usado de diferentes formas

1. Antes do sexo começar 

O produto erótico é conhecido por ser algo que se usa quando o sexo já está rolando para ajudar na hora da penetração, principalmente quando o casal está com dificuldade em manter a lubrificação de forma natural e precisa de uma ajudinha extra na hora h. No entanto, não é bem assim.

O produto pode e deve ser usado antes mesmo do sexo começar, nas chamadas preliminares . Você pode pedir que o parceiro coloque certa quantidade de produto na mão e estimule a região da vulva, principalmente os lábios e o clitóris. Isso com certeza fará você vivenciar novas sensações durante o sexo!

2. Enquanto você se masturba

O “sexo solo” pode ser muito melhor quando você tem a ajuda do líquido, principalmente quando a sua lubrificação natural não é tão boa e quando você tem as mãos muito secas – o que pode até te machucar por conta do atrito.

Aplique algumas gotinhas de “lub” à base de água na ponta dos seus dedos antes de se tocar e aproveite a sensação suave que o produto proporciona.

3. Enquanto você se masturba com um vibrador

A masturbação com um vibrador é completamente daquela onde você usa apenas as suas mãos. As sensações são mais fortes e o poder o orgasmo é intensificado. Agora imagine vivenciar tudo isso de uma maneira mais fluída e com o atrito mais suave. Pois é, a brincadeira pode ser totalmente diferente quando você usa o produto. Mas lembre-se: ele deve ser à base de água, principalmente se o vibrador foi feito de silicone, uma vez que outras bases podem danificar o brinquedo sexual.

4. Dentro do preservativo

Nenhum homem deve reclamar sobre o uso do preservativo, afinal, a camisinha dá segurança não apenas em relação à gravidez, mas também previne de ISTs (infecção sexualmente transmissível). No entanto, usar o preservativo pode ser algo mais prazeroso com algumas gotinhas de “lub”.

De acordo com o sexólogo Eric Garrison, colocar uma ou duas gotas do produto antes de desenrolar a camisinha pode aumentar a sensibilidade do homem durante a penetração.

5. Durante o sexo anal

Quando o assunto é sexo anal, o uso do produto nunca é demais. Isso porque, diferente da vagina, a região do ânus não produz uma lubrificação natural e o atrito pode causar muita dor durante o sexo. Por isso, não tenha medo de usar e abusar do “lub” na hora de fazer sexo anal.

6. Quando você faz sexo oral nele

A princípio a ideia pode parecer estranha, mas usar o produto durante o sexo oral pode ajudar muito o seu maxilar. Segundo a terapeuta sexual “Gina Ogden”, as mulheres costumam usar cuspe, mas isso pode não ser o suficiente ou o mais adequado para a situação. “Lubrificantes de sabor proporcionam a umidade suficiente para que o maxilar não fique tão cansado”, orienta.

7. Durante uma massagem

Antes de o sexo começar é interessante fazer algumas brincadeiras e preliminares para aumentar ainda mais o desejo. Nesse momento, o lubrificante pode ser um produto aliado. Você pode sugerir ao parceiro, por exemplo, para fazer uma massagem sexy por todo o seu corpo.


Fonte: IG delas
Comentar
Tem dicas para os pais também · 15/05/2019 - 17h54

Como fazer sexo pela primeira vez? Dói muito?


Compartilhar Tweet 1



Como fazer sexo pela primeira vez?

Como fazer sexo pela primeira vez é uma dúvida recorrente de meninos e meninas. Hoje os adolescentes estão iniciando a vida sexual mais cedo. Pesquisas recentes mostram que a idade média é 13 anos de idade, informa o site Sexo Sem Dúvidas.

Então, pais, mães, profissionais da educação e da saúde, saibam que terrorismo não adianta. Não funciona!

Acarreta, na verdade, dificuldades em lidar com a sexualidade de forma saudável e prazerosa, que é a sua função. E, um dos direitos sexuais é o direito à educação sexual esclarecedora.

Então, dúvidas – como é a primeira vez? Vai sangrar muito? Dói? Tenho de usar camisinha? Demora? Posso ter prazer? – devem sim ser esclarecidas.

Pois, a primeira vez é importante tanto para os garotos quanto para as garotas. E, todos têm dúvidas, medos e ansiedades.

O que você pode fazer antes da primeira vez

Para que você tenha uma primeira vez tranquila e prazerosa é importante você se informar sobre o tema.

Lembre-se, será um momento lembrado por toda sua vida, então deve representar um momento único e especial.

Existem alguns bons livros sobre a sexualidade na adolescência que vão abordar a questão da primeira vez. Eu, particularmente, gosto muito dos livros do educador Marcos Ribeiro. São de linguagem simples e esclarecedores.

Um(a) especialista em educação sexual também pode esclarecer as dúvidas que você tiver a respeito de sexualidade, incluindo a primeira vez.

A Masturbação

Masturbação é autoconhecimento. Uma ótima forma de conhecer o seu próprio corpo e algumas reações suas durante o prazer.

Os meninos aprender a conhecer melhor o seu corpo, controlar melhor a ejaculação e a ereção e ter prazer.

As meninas a conhecer melhor o seu corpo, sentir prazer sozinha para depois sentir acompanhada.

O tema é ainda tabu em nossa sociedade, principalmente a masturbação feminina. Mas nada mais é que conhecer o próprio corpo e saber se dar prazer.

Dica!

Uma dica para você quando for se masturbar. A masturbação é além da busca de autoconhecimento, de prazer. A prática deve despertar desejos e emoções agradáveis. Sendo assim, foque sempre no prazer que seu corpo está te proporcionando e não apenas no orgasmo. O prazer será consequência das suas descobertas e sensações. Desfrute o momento sem pressa.

Comunicação

Sim, conversar com seu parceiro ou sua parceira vai trazer mais tranquilidade e intimidade sexual.

Se você tem dúvidas e medos, não se preocupe ele/ela também tem. A comunicação é um importante ingrediente para qualquer relacionamento.

Chegou a sua primeira vez, e agora?

Onde vou fazer?

Um local onde vocês terão tempo e privacidade. Vocês precisam estar relaxados e tranquilos(as).

Não tenha pressa

Sei que a ansiedade é um dificultador na primeira transa. Mas saiba que quanto mais pressa você tiver, menos vai aproveitar.

Pode parecer estranho para você que está começando, mas relaxar é fundamental para um bom sexo. Nem para começar nem para terminar.

Preliminares

Sexo não é apenas penetração e orgasmo. Sei que você está esperando por isso, mas divirta-se antes de chegar na penetração.

Meninos, sei que a pressa é grande em penetrar, já que até agora apenas fantasiou isto durante as masturbações.

Meninas, sei que a vontade de ser penetrada está grande, mas espere seu corpo se preparar para que isto aconteça sem dor. A lubrificação é importante. É um sinal de que você está excitada.

Mas, saibam que preliminares vão preparar os seus corpos para a penetração e o orgasmo, mas também vão conectar vocês e proporcionar muitos prazeres.

Como começo? Não sei o que fazer

O beijo é sempre um bom começo. Beijos na boca e no corpo todo.

Perceba as reações do seu corpo e de quem está com você. Você pode identificar pelos gemidos, pelos arrepios e pode também perguntar.

Sim, vocês podem conversar durante o sexo, desde que seja sobre o que está acontecendo, o que estão querendo.

Dói?

Se você, menina, estiver muito tensa e ansiosa e não relaxar, pode sim sentir dores. A dor vai depender das contrações musculares da vagina.

Com conhecimento sobre seu corpo e o seu funcionamento sexual, mais tranquila você ficará na primeira vez. E lembre-se o possível incômodo da primeira vez, já que é tudo novo e ainda falta jeito, é diferente de dor.

Relação sexual é para dar prazer e não dor!

Mas eu posso ter prazer na minha primeira vez?

Sim! Meninos e meninas podem ter prazer na primeira vez.

Se você estiver bem preparado(a) ajuda. Preparada como? Relembrando… Se você já se masturbou, deve ter um conhecimento sobre o seu corpo e as suas reações.

Se você teve acesso a boas leituras e bons esclarecimentos sobre sexualidade, você provavelmente estará mais tranquilo(a). Isso sem dúvida tornará sua primeira vez prazerosa.

E sangra?

Meninas: Sangrar não é regra. Vai depender do tipo de hímen (aquela “pelinha” na entrada da vagina), pois uns têm mais elasticidade que outros. Importante saber que é um pouco de sangue, não aquela quantidade de sangue da menstruação, por exemplo.

Meninos: Sangrar também não é regra. Alguns meninos acreditam que o freio do pênis irá se romper na primeira vez, mas a regra na verdade é nunca se romper. O freio do pênis é uma estrutura do pênis que liga a glande (cabeça do pênis) ao prepúcio (a pele). Se rompida, pode sangrar e doer.

Por estas questões físicas é também indicado procurar um(a) urologista, no caso dos meninos e um(a) ginecologista, no caso das meninas, antes de se iniciar a vida sexual. Cuidar da saúde inclui a saúde sexual.

Preciso usar camisinha?

Vale relembrar que é sempre importante o uso da camisinha. Não só porque a menina pode sim engravidar na primeira vez, mas para se proteger de doenças sexualmente transmissíveis, incluindo a Aids.

 


Fonte: Sexo Sem Dúvidas
Comentar
'Cock rings' · 15/05/2019 - 17h45

Anel peniano, para que serve e como usar?


Compartilhar Tweet 1



O anel peniano também conhecido como “Cock rings” é um dos produtos mais procurados em sexshops, segundo Sexo Sem Dúvidas.

Ele geralmente também é um dos primeiros acessórios eróticos usados pelos casais pelo fato de ter aparência inofensiva.

Se você quiser trazer uma novidade para o relacionamento para sair da rotina você pode apostar nesse acessório.

Ele é basicamente um anel para ser colocado na base do pênis.

Para que serve?

O anel peniano é usado para aumentar a estimulação, ele não é feito para solucionar problemas de ejaculação ou ereção.

Ele até é usado por alguns homens na tentativa de retardar a ejaculação e também manter a ereção em homens com essa dificuldade, mas na maioria dos casos não soluciona o problemas porque ele não foi desenvolvido para isto.

Há relatos que também ajuda a ter orgasmos mais intensos.

Uso feito pela mulher

Uma outra forma de uso é quando é a mulher quem usa, e não o homem, quando ela o coloca o anel peniano ao redor dos dedos para se masturbar, no caso do anel com cápsula vibratória.

Mulheres também gostam quando o homem ou outra mulher colocam o anel nos dedos e as masturbam, por isso ele é um queridinho, pelas várias formas de uso.

Cuidados ao usar

No mercado existe em vários materiais e tamanhos, é importante procurar um vendedor experiente para indicar o melhor para cada homem.

É importante o uso correto, pois pode ocorrer problemas de vascularização do pênis.

Principais recomendações:

Se, após colocar, o homem sentir dor, é necessário retirar imediatamente, pois podem ocorrer lesões no pênis.

Retirar imediatamente se acaso o pênis ficar roxo.

Uso de lubrificante é obrigatório para ajudar a deslizar o anel até a base do pênis.

Só introduza o anel com o pênis ereto, ou seja, pronto para a penetração.

O tempo de uso é de no máximo 30 minutos sendo orientado se possível não ultrapassar a média de 20 minutos.

O anel é para ser usado na base do pênis e não na cabeça, pode envolver os testículos também, mas nunca usar o anel peniano no meio do corpo do pênis ou na glande.

Usar somente uma vez ao dia.

Depilar os pelos da base do pênis é interessante para não enrolar no anel e provocar dor ao retirar.

Tipos de anéis

Com vibração:

É o queridinho do momento, pois proporciona prazer para ambos.

Ele tem uma cápsula vibratória que dependendo da posição pode estimular clitóris ou ânus.

Na posição de papai e mamãe ele estimula o clitóris da mulher, já na posição de 4 estimula a região do ânus.

Com estimulador de períneo e ânus:

Além do anel, este tem um acessório acoplado ou ligado que estimula a região de períneo e ânus, pode ter a aparência de um mini pênis por exemplo.

Anel com pênis:

Também chamado de companheiro, é usado para dupla penetração.

Anel duplo:

É quando são 2 anéis juntos onde um fica na base do pênis e o outro envolve os testículos.

Higiene do anel

A higiene do anel peniano deve ser feita antes e após o uso.

Usar somente um sabonete neutro, ou íntimo, ou também produtos próprios para higiene de brinquedos eróticos.

Agora você já conhece o anel peniano. Se você se interessou e quer trazê-lo para sua vida íntima, siga as recomendações e desfrute do prazer que esse acessório pode te proporcionar.


Fonte: Sexo Sem Dúvidas
Comentar
E quando adianta, é normal? · 15/05/2019 - 17h39

Dicas de como fazer a menstruação descer


Compartilhar Tweet 1



Há algumas dicas para você fazer sua menstruação descer, mas se sua menstruação for irregular é importante você procurar um(a) ginecologista e verificar a sua saúde. O site Sexo Sem Dúvidas preparou algumas dicas.

  • Pausa no anticoncepcional pode sim interferir na sua menstruação para faze-la descer. Agora, por quanto tempo e de que forma, vai depender de qual anticoncepcional você faz uso. Então, caso não queira engravidar, é importante a orientação de um(a) ginecologista.
  • Quanto a uso de outras medicações para fazer a menstruação descer, como por exemplo a medicação à base do hormônio progesterona, é recomendável a orientação de um(a) ginecologista, pois deve-se descartar qualquer mal funcionamento e alteração hormonal.
  • Saiba que chás são muito bons, mas não são inofensivos. É também necessária orientação, pois eles podem sim interferir no funcionamento do seu organismo. Um(a) bom nutricionista pode te ajudar.

E quando a menstruação adianta, é normal?

A menstruação é um sinal que o seu corpo está funcionando bem, se a menstruação for regular.

Caso a menstruação esteja adiantada pode ser também uma irregularidade do organismo.

Bem como na menstruação atrasada os seguintes fatores interferem:

  • Stress
  • Variações de peso
  • Alterações hormonais
  • Algum ciclo pode ter sido menor
  • Ter tido um ciclo anovulatório, ou seja, sem ter tido ovulação.
  • Emocional
  • Anticoncepcional

Fonte: Sexo Sem Dúvidas
Comentar

Compartilhar Tweet 1



As fantasias levam esse nome por uma razão bem simples – especialmente as fantasias relacionadas a sexo. São hipóteses que vivem no imaginário de homens e mulheres, mas muitos casais ficam intimidados na hora de compartilhá-las porque colocam a pessoa em um lugar “vulnerável”. As informações são do site Conversa de Homem.

Justamente essa vulnerabilidade pode fazer com que sua parceira não conte as próprias fantasias. Mas isso não é uma regra geral, e quanto mais intimidade o casal tem, mais fácil fica falar sobre tudo.

Normalmente, temos muito medo de sentirmos rejeição e às vezes a fantasia do outro pode não nos agradar – por isso a dificuldade em falar. Algumas fantasias são mais comuns entre as mulheres, por isso é bom você saber quais são para sugerir à sua parceira quando aparecer o momento ideal.

Confira as 5 fantasias sexuais que ela está morrendo de vontade de experimentar, mas nunca lhe dirá.

1. Submissão

Há muitas pessoas mais submissas por natureza: o mais fofo, doce e amigável que sorri o tempo todo. Mas mesmo nessas pessoas, há um lado muito travesso a ser desvendado. A submissão significa que a sua garota está, por livre e comum acordo, sob o seu domínio entre quatro paredes. Isso significa que ela topará ser conduzida durante a relação.

Nesses momentos, ela não vai se opor quando você quiser mudar de posição, por exemplo. Inclusive, vai adorar. As mulheres amam esses momentos de dominação no quarto, pois mostram que o cara pode assumir o controle naquele ambiente.

2. Dominação

Antítese da submissão, a dominação faz com que a garota esteja no controle dentro do quarto. Muitas mulheres têm essa fantasia sexual de assumir o controle e transformar o parceiro em seu próprio escravo sexual. Quando a garota assume o controle, está vivendo a fantasia do poder e fará de tudo para obter o máximo de prazer.

ARTIGOS RELACIONADOS

Conheça Fantasias Sexuais Mais Populares do que Você Imagina

Submissão: A Fantasia Sexual Mais Desejada Pelas Mulheres

O que sua Posição Sexual Favorita Diz Sobre Você?

Seus Gostos e Fantasias Sexuais Refletem em suas Preferências Políticas

Fazer um cara se curvar à sua vontade pode ser extremamente sexy e a maioria das mulheres, no geral, faz ao menos uma tentativa antes de perceber se o parceiro gosta ou não. O problema com essa fantasia é que a maioria dos homens tenta tirar o controle da garota muito rapidamente. Então, acalme-se, que o resultado pode ser ótimo. Se a sua namorada está tentando tomar o controle no quarto, deixe-a aproveitar ao máximo, pois o prazer será dos dois.

3. Ser um personagem

As fantasias sexuais de papeis são muito comuns entre as mulheres, especialmente porque o público masculino tende a gostar e a mídia vende bastante essa ideia. Como dito antes, a maioria das mulheres mantém suas fantasias sexuais escondidas de seus parceiros porque não quer causar estranhamento. Não querem ser rejeitadas, assim como os homens. No entanto, quando um casal se envolve em uma fantasia com personagens, tem a capacidade de assumir outros papeis – o que facilita bastante o processo.

Ela pode ter a fantasia de virar uma professora sexy enquanto o seu parceiro seria o cara que não fez a lição de casa, por exemplo. Seja qual for a fantasia, esse jogo é uma ótima maneira de tirar um pouco o tédio do sexo diário. As mulheres querem se sentir sexy e uma ótima maneira de impulsionar isso é através dessa fantasia.

Assim, a garota pode ser pervertida ou sexy na sua própria medida, dentro de um relacionamento sério. Pergunte à sua parceira se isso é algo que ela sempre quis tentar, pois essa fantasia é uma das mais suaves. Você pode se surpreender com a resposta.

4. Sexo a três

Outra grande fantasia para as mulheres é ter uma relação sexual a três: com outra mulher ou mais um homem. Geralmente, diz-se que as mulheres só gostam de mais uma menina no esquema, o que não é verdade. Mas pensando na opção de haver outra garota, não fique com tanta esperança de participar. Muitas vezes, ela deseja apenas ser observada com outra menina. Mas tudo é possível quando se trata de uma fantasia.

Entretanto, algumas mulheres são mais tímidas sobre o assunto, mas mesmo assim sentem-se atraídas por outras. Isso não significa que sejam lésbicas ou desejem ter relações sexuais com outra mulher. Podem ser fantasias que provavelmente nunca se tornarão verdadeiras. Nesse caso, há conteúdos pornográficos que podem apimentar a relação de vocês.

5. Apenas uma noite

A maioria das mulheres já teve uma relação de apenas uma noite com um cara. E um dos motivos pelos quais fazem isso é justamente para realizar essa fantasia. Há um certo mistério relacionado a quem é estranho ou desconhecido.

Para os casais, é possível adaptar essa fantasia fazendo um jogo: finja conhecê-la na rua ou em um bar, dando a entender que está afim de apenas uma noite com ela. Essa fantasia pode estar relacionada a encarnar personagens também, ou simplesmente a situação em si será excitante.


Fonte: Conversa de Homem
Comentar
Fogo queima entre os lençóis · 13/05/2019 - 17h24

Fazer esta pequena coisa deixa o sexo muito melhor


Compartilhar Tweet 1



Há aquelas noites em que o fogo queima entre os lençóis, e há outras em que você acaba se sentindo como se estivesse vivendo um relacionamento completamente frio e impessoal, mecânico e totalmente sem graça. As informações são do site Manual do Homem Moderno.

Mas se você se encontrar na última situação com mais frequência do que o desejado, calma.

Novas pesquisas encontraram a resposta para a “satisfação sexual” garantida toda vez que você fizer sexo: a comunicação. De acordo com o estudo publicado no Journal of Sex & Marital Therapy, quanto mais comunicativo você estiver na cama, mais sexualmente satisfeito você ficará.

E isso vale para qualquer tipo de sexo: tanto o sexo casual quanto o sexo frequente que você tem com sua namorada ou esposa.

Para conduzir o estudo, os pesquisadores analisaram a vida sexual de 398 pessoas e se propuseram a responder a uma pergunta: “A comunicação durante o sexo – verbal e não-verbal – prevê ‘satisfação sexual?'”, e coletaram as respostas. Os resultados formaram uma correlação direta entre os dois. A resposta é a que a gente sempre falou: comunicação é a chave para ter um sexo melhor.

O Segredo está nos detalhes

“No geral, os resultados deste estudo indicam que mais comunicação durante o sexo (verbal e não verbal por si mesmo e comunicação não-verbal do parceiro) está associada a uma maior satisfação com a comunicação sexual e satisfação sexual”, observa o estudo.

A diferença é que as pesquisas anteriores concentraram-se apenas na comunicação antes e depois do sexo.

Os respostáveis por esse novo estudo acreditavam que a comunicação durante o sexo era “uma área negligenciada” pelas pesquisas anteriores.

No entanto, a comunicação não é uma abordagem única e o estudo indica que o tipo de comunicação durante o sexo que é bem-sucedida na criação da “satisfação sexual” dependerá do seu tipo de personalidade.

“Por exemplo, como muitos casais podem se sentir desconfortáveis ​​com a comunicação verbal direta sobre prazer sexual, terapeutas e conselheiros podem recomendar que, durante o sexo, a comunicação não-verbal também possa ser usada para ajudar a comunicar prazer e aumentar a satisfação sexual”, acrescenta o estudo.

O que os pesquisadores sugerem para ter mais sucesso no quarto é abandonar os papéis tradicionais da criatividade:

“Incentivar uma discussão ampla sobre nossa adesão cultural a roteiros sexuais tradicionais ou papéis de gênero estereotipados durante o sexo – e a crescente necessidade de desviar desses papéis – poderia permitir uma maior comunicação sobre prazer sexual, desejos e necessidades e, posteriormente, levar ao aumento da satisfação sexual.”

Isso mostra que a comunicação é fundamental, mas lembre-se de que também é um processo bidirecional.

Não existe comunicação quando apenas um dos lados está tentando!


Fonte: Manual do Homem Moderno
Comentar
Não é bicho de sete cabeças · 13/05/2019 - 16h48

10 coisas que você precisa saber sobre fazer sexo oral em uma mulher


Compartilhar Tweet 1



Caros homens héteros: vocês precisam melhorar no departamento do sexo oral. Fazer sexo oral em uma mulher não é complicado. Mas muitos homens, embora adorem receber sexo oral de suas companheiras, hesitam em fazer o mesmo com elas, deixando-as sofrer as tristes consequências – a falta de um orgasmo. As informações são do Huffpost Brasil.

Pesquisas revelam que as mulheres heterossexuais têm estatisticamente menos orgasmos que qualquer outro setor da população, incluindo as lésbicas. Talvez seja porque seus parceiros não se esforçam o suficiente para lhes dar prazer, especialmente quando se trata de sexo oral (e ainda por cima há os como este daqui, para quem levar uma mulher ao gozo é algo que enfraquece a masculinidade. Se The Rock é capaz de fazer, você também é, DJ Khaled.)

Para ajudá-lo um pouquinho – e, quem sabe, reduzir aquela disparidade orgásmica ―, fomos buscar as orientações das especialistas: lésbicas e mulheres queer. Afinal, quem melhor para nos dar conselhos sobre fazer sexo oral numa mulher do que alguém dotado das necessárias partes íntimas femininas e que já tem experiência tanto em dar quanto receber?

Homens, por favor leiam e releiam estas dicas e depois as guardem em sua lista de favoritos. Obrigada! 

As respostas foram editadas para possibilitar maior clareza. Um sobrenome foi omitido por razões de privacidade.

1. Nunca vá direto ao clitóris.

“Quando você vai fazer sexo oral numa mulher, tome o tempo necessário. Não vá direto ao clitóris. É preciso ir criando um clima apropriado, deixar sua parceira excitada. As preliminares são essenciais. É preciso realmente ler a linguagem corporal da mulher.” ― Addicchun Sabra, que tem um canal sobre comportamento no YouTube.

2. Não use apenas sua língua.  

“Esqueça o que você vê em vídeos pornô que mostram homens agindo como beija-flores, pairando por cima do clitóris e dando lambidinhas com a língua tensa. Em vez disso, abra a boca, respire fundo e mergulhe de cabeça. Molhe o rosto, do nariz ao queixo. Use a pressão e os contornos de seu rosto para se apertar contra ela e deixe sua boca se derreter contra ela, como um beijo de boca aberta. Não pare até o momento que puder subir com um sorriso rasgado no rosto, enquanto ela está derretida e desfeita, depois de gozar. Outra coisa: aprenda a usar as mãos! Muitas mulheres reagem muito bem quando você usa 1 ou 2 dedos também durante o sexo oral, e se esses dedos forem hábeis e autoconfiantes, isso só vai ajudar.” ―Chris Maxwell Rose, educadora sexual e apresentadora de “Speaking of Sex with The Pleasure Mechanics”.

3. Assuma a posição. 

“Se sua parceira está deitada de costas, posicione seus braços debaixo das pernas dela para puxá-la para bem pertinho, inclua um pouco de autoestimulação ou masturbação, que é excitante para você e também pode aumentar a excitação de sua parceira, ou simplesmente use as mãos para mudar as sensações ou deixar certas áreas da vulva mais disponíveis à sua boca.”  ―Yana Tallon-Hicks, educadora sexual e terapeuta em Northampton, Massachusetts.

4. Deixe sua parceira saber que você também está curtindo.

“Pelo que eu já pude sentir, as mulheres muitas vezes ficam constrangidas e relutam (pelo menos inicialmente) em deixar você fazer sexo oral nelas. Por isso, mostre a ela que você não está fazendo um ‘favor’ a ela, mas que está curtindo tanto quanto ela está. Não há nada mais sensual do que perceber que sua parceira está absurdamente excitada com o que você está fazendo a ela.” — Kristen McKenzie, youTuber e vencedora do “Amazing Race Canada.

5. Pense na cunilíngua um pouco como se fosse felação. 

“Muitas pessoas que possuem vulva sentem prazer enorme quando você coloca seus lábios suavemente em volta da glande e do prepúcio do clítoris, cobrindo o máximo possível do prepúcio e dos lábios vulvares com sua boca e depois aproximando e afastando sua boca da vulva da maneira que geralmente é feita quando se faz sexo oral em um pênis. O movimento de dentro para fora, além de você estar cobrindo boa parte da vulva com seu rosto, cria uma sensação que estimula uma parte maior da estrutura do clitóris do que seria possível usando apenas sua língua. Dica de profissional: não encoste a língua na glande do clitóris enquanto estiver fazendo tudo isso.” ―Rae McDaniel, terapeuta sexual e de gênero em Chicago.

VEJA TAMBÉM:

Quando o beijo grego alheio incomoda e o sexo anal como tabu eterno (+18)

6. Não parta de ideias preconcebidas sobre o que sua parceira vai gostar (algumas mulheres nem sequer curtem sexo oral).  

“Para muitas mulheres, sentir prazer com sexo oral e sentir-se à vontade com alguém fazendo sexo oral nelas são duas coisas distintas. Pergunte à sua parceira o que você pode fazer para deixar a experiência mais cômoda para ela. — Anna.

7. Se você encontrou o ponto de prazer nela, não saia dali, pelo amor de Deus.

“Quando você encontrar o ponto perfeito ou o movimento perfeito, que está dando prazer à sua parceira, continue ali. Acho que muitas pessoas têm medo de que a repetição vai ficar entediante ou acham que precisam intensificar a ação ou fazer outra coisa para mostrar que são sexualmente hábeis. Mas não é verdade. Na dúvida, chupe!” — Skyler Ryan, tatuadora em Nova Jersey. 

8. Preste atenção para os pontos onde ela é mais sensível. E engula a saliva em excesso, fazendo o favor. 

“Descubra onde sua parceira é mais sensível, onde você deve focar mais atenção e os pontos onde deve aplicar mais ou talvez menos pressão. O ideal seria conversar com ela sobre isso – seria melhor do que ficar perdendo tempo, tentando descobrir sozinho. E não deixe de engolir saliva, para que ela não sinta a saliva escorrendo por seu bumbum. Isso a deixaria molhada e mais fria – o que é contraindicado. ― Frankie Bashan, coach de relacioanamentos para lésbicas e bissexuais. 

9. Não parta da premissa de que algo que funcionou bem com outras mulheres no passado vai funcionar com sua parceira atual. 

“Existem muitos caminhos diferentes para se chegar ao orgasmo. Duas coisas imprescindíveis para isso são a boa comunicação entre vocês dois e que sua parceira conheça o próprio corpo dela. Cada corpo é diferente. As mulheres não têm todas uma genitália idêntica e elas não reagem todas aos mesmos estímulos. Perguntar quais tipos de toques sua parceira prefere é fundamental para vocês terem sexo excitante e que dê prazer aos 2.” ―Amber Butts, redatora de Oakland, California.

10. Nunca imagine que você é um “deus do sexo” quando está fazendo sexo oral numa mulher. 

“Mesmo que você se ache um verdadeiro deus do sexo (o que pode até ser verdade!), não parta da premissa de que você sabe exatamente o que sua parceira deseja. É claro que sentir confiança no que você está fazendo deixa você mais desejável, mas ser rígido e não se dispor a dar ouvidos a dicas não é nada sensual! Cada mulher é diferente. Enquanto você está tirando a roupa dela e brincando um pouco para deixá-la mais excitada, pergunte o que ela gosta. Quando sua língua está sobre o clitóris dela e ela está ficando molhada, pergunte se ela quer quer você use os dedos ao mesmo tempo. As mulheres adoram responder a perguntas! Outra coisa, lembre que há várias posições em que é possível fazer sexo oral numa mulher.” ―Brittany Ashley, redatora em Los Angeles.


Fonte: Huffpost Brasil
Comentar
Atenção ao comportamento · 09/05/2019 - 16h47

Como descobrir uma traição? 4 sinais de que ela está te traindo


Compartilhar Tweet 1



Ela está mais distante, fica até mais tarde no trabalho e o relacionamento está esfriando? Esses são alguns sinais que podem indicar que sua parceira está te traindo. Saber como descobrir uma traição é uma grande dúvida para muitos homens, mas um pouco mais de atenção ao comportamento dela pode te ajudar chegar a uma resposta. As informações são do IG.

Saber como descobrir uma traição é uma dúvida de muitos homens que estão desconfiados da parceira

Daniela Martins, detetive particular que atua em São Paulo e tem experiência com o tema, listou os quatro principais sinais que vão responder à pergunta “Como descobrir uma traição?”. Se você está começando a desconfiar que há uma terceira pessoa no relacionamento, é melhor ficar atento a esses quatro pontos:

Vaidade repentina

Ela não era de se preocupar com a aparência, mas agora está mais vaidosa do que nunca? Sinal de alerta! De acordo com a detetive, comprar roupas novas, praticar exercícios e mudar a aparência podem indicar que ela está interessada em outras pessoas.

Apego ao celular

Colocar senha em um celular que sempre foi compartilhado, andar com o dispositivo para cima e para baixo e até escondê-lo do parceiro são sinais de que ela está  tem algum segredo que não quer que você saiba. Privacidade é uma coisa, mas esconder informações do parceiro é outra!

Mudanças de comportamento repentinas

Daniela Martins explica que quando há uma terceira pessoa no relacionamento é comum uma mudança repentina no comportamento. Excesso de brigas, falta de interesse no outro e até um grau de agressividade podem indicar uma traição.

Horas extras

Ela nunca fez hora extra no trabalho e de repente isso se tornou uma prática comum? Atente-se! Pode ser que uma terceira pessoa esteja no ambiente de trabalho ou que ela use esse tempo para se encontrar com alguém.


Fonte: IG - Deles
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A culpa pode ser da educação sexual que não temos, das crenças culturais ou religiosas não superadas, da pornografia ou ainda da pura e simples ignorância. Seja qual for a razão, o fato é que muitos adultos ainda são tremendamente desinformados quando falamos sobre sexo, conforme o site HuffPost.

Convidamos alguns especialistas – educadores sexuais, terapeutas sexuais e sexólogos – a esclarecer algumas das ideias equivocadas em que muitos adultos ainda acreditam, mas que simplesmente não têm fundamento. 

MITO: Masturbar-se quando você está em um relacionamento sério é sinal de que você não se sente sexualmente estimulado por seu parceiro.  

VERDADE: Não importa se você está solteiro, em um relacionamento monogâmico ou em um relacionamento amoroso de 3 pessoas: “A masturbação é sadia, é normal e é algo que faz parte da condição humana”, disse a terapeuta sexual Janet Brito ao HuffPost. 

Se você flagra seu parceiro se masturbando no chuveiro de vez em quando isso não significa que ele ou ela esteja insatisfeito com a vida sexual de vocês – logo, não leve a mal.

A sexóloga clínica Gigi Engle comentou: “Muitas pessoas pensam que se seu companheiro se masturba, deve ser porque não acha a pessoa sexualmente atraente. Isso pode gerar muita insegurança no relacionamento e levar a pessoa a duvidar de seu próprio poder de atração. Mas na realidade a masturbação é uma forma de expressão totalmente normal, tanto de quem está solteiro quanto de quem está em um relacionamento.”

Na realidade, esses momentos íntimos podem melhorar, e não prejudicar, a relação que você compartilha com seu parceiro.

“A masturbação acalma e relaxa a pessoa. Além disso, lhe permite conhecer melhor seu próprio corpo – especificamente, saber o que te excita”, disse Brito. “Saber como você gosta de ser tocada lhe deixa mais à vontade na hora do sexo e pode até melhorar seu relacionamento sexual com seu companheiro.”

Quando a masturbação se torna compulsiva ou substitui o sexo com o parceiro, então sim torna-se uma preocupação que merece ser discutida pelo casal e/ou com um profissional de saúde mental.

MITO: Vagina e vulva são a mesma coisa. 

VERDADE: Muitas pessoas ainda utilizam coloquialmente o termo “vagina” para falar de toda a área genital feminina (ou tradicionalmente feminina), mas isso não é totalmente exato.

A professora universitária e educadora sexual Ericka Hart explicou: “A genitália externa feminina é chamada vulva, e a parte que não se vê é chamada de canal vaginal ou vagina.”

Portanto, a abertura da vagina é na realidade uma parte da vulva. A vagina conecta as partes externas da anatomia (a vulva) com as partes internas, como o útero (olhe a figura se você estiver confuso). Alguns especialistas dizem que esse uso equivocado é bem comum do termo “vagina” e tem origem patriarcal.

“Há uma análise feminista do por que isso tem importância. Segundo ela, ao chamar toda a anatomia reprodutiva feminina de ‘vagina’, estamos descrevendo nossos órgãos sexuais com o nome da parte deles que dá mais prazer aos homens heterossexuais”, explicou ao HuffPost anteriormente Laurie Mintz, autora do livro Becoming Cliterate: Why Orgasm Equality Matters—And How to Get It. 

ALONZODESIGN VIA GETTY IMAGES

Um diagrama da anatomia reprodutiva feminina, incluindo o canal vaginal (conhecido como a vagina) e a vulva, que é a genitália externa.

MITO: O clitóris não passa de uma protuberância minúscula.

VERDADE: Ele é muito mais que isso. Aquela protuberância externa (“feijãozinho” ou “ervilha”), cujo nome é ‘glande do clitóris’, é apenas uma pequena parte da rede clitoridiana maior, a maior parte da qual é interna. 

JOSEFKUBES VIA GETTY IMAGES

O clítoris, mostrado acima por inteiro, é mais do que apenas a “ervilha” ou a “glande do clítoris” que a maioria das pessoas conhece.

“A maioria das pessoas não sabe que o clitóris é bem maior do que aquele pontinho no alto da vulva. Na realidade, ele se estende para trás dentro dos lábios e do abdome”, disse Engle. “Pode chegar a medir 12 centímetros em algumas mulheres! Isso é aproximadamente o tamanho médio de um pênis.”

MITO: O sexo na vida real é como o que vemos na pornografia. 

VERDADE: Para muitos adolescentes, a primeira introdução ao sexo ocorre por meio da pornografia. Mesmo que eles tenham consciência de que pornografia não é realidade, aqueles corpos lisos e depilados e aqueles orgasmos femininos que ocorrem aparentemente sem qualquer esforço formam a base do que eles imaginam que seja ou deva ser o sexo com uma companheira.

Em uma pesquisa de 2016 da Universidade Middlesex, em Londres, 39% dos teens de 13 e 14 anos entrevistados disseram que queriam imitar os comportamentos que viam em conteúdos pornô.

“O sexo na vida real vai além da diversão e da realização de fantasias”, disse Brito. “Envolve comunicação, conhecer seu próprio corpo, deixar-se vulnerável. Não é perfeito e não gira em torno do homem apenas. Na vida real as pessoas são desajeitadas, param no meio e recomeçam, ficam com sede, podem até cair da cama enquanto estão transando. É menos que perfeito, diferentemente do que é mostrado na tela.”

MITO: Homens não gostam de fazer sexo oral em mulheres.

VERDADE: Não dê ouvidos a DJ Khaled. A ideia de que os homens não gostem de fazer sexo oral com mulheres simplesmente não é verdade, disse o autor e terapeuta sexual Ian King.

“Desde que publiquei She Comes First, em 2004, já conversei com milhares de homens sobre sua atitude em relação ao sexo oral e posso dizer que a maioria dos homens adora fazer”, ele revelou. “Sim, alguns homens não sabem o básico sobre o clitóris e sentem-se inseguros quanto à sua habilidade nessa área, mas a maioria dos homens acha fazer sexo oral na mulher uma experiência profundamente íntima e excitante. Muitos chegam a dizer que se tivessem que escolher (e quem quer fazer essa escolha?), prefeririam fazer sexo oral na mulher do que receber o mesmo mimo dela.”

Uma pesquisa conduzida em 2016 com 900 universitários heterossexuais canadenses parece ter confirmado essa ideia: 93% dos homens entrevistados disseram que fazer sexo oral numa mulher é um tanto ou profundamente prazeroso. Isso é ótima notícia, porque 95% das mulheres disseram que receber sexo oral é um tanto ou extremamente prazeroso. Praticamente um match!

MITO: As mulheres não se importam tanto quanto os homens em chegar ao orgasmo pelo sexo. 

VERDADE: A disparidade orgásmica entre homens e mulheres (especialmente as mulheres heterossexuais) é real. Uma pesquisa realizada em 2017 com 52 mil adultos de diversas identidades sexuais concluiu que as mulheres heterossexuais têm menos chances de chegar ao orgasmo durante a relação sexual que qualquer outro grupo de pessoas. A parcela delas que “geralmente ou sempre” chegam ao orgasmo com sexo é de 65%. A título de comparação, a cifra correspondente é de 95% para os homens heterossexuais, 89% para os homens homossexuais e 86% para as lésbicas.

Mas isso não é porque as mulheres não queiram ter orgasmo – é claro que elas querem! Há diversos fatores que podem estar contribuindo para a disparidade, entre os quais a ausência ou insuficiência de preliminares, falta de estimulação do clitóris (algo essencial para muitas mulheres chegarem ao orgasmo) ou má comunicação com o parceiro, entre outros problemas possíveis. Sem falar que vivemos numa sociedade que parece priorizar o prazer do homem, deixando o da mulher em segundo lugar.

“Muitas pessoas dizem que os homens visam o orgasmo mais que as mulheres quando têm relações sexuais e que as mulheres não têm tanta necessidade de orgasmo quanto os homens”, falou Kerner. “Não posso afirmar nada sobre ‘necessidade’ – afinal, ninguém tem necessidade absoluta de um orgasmo ―, mas a falta de orgasmo é uma das queixas mais comuns que ouço de minhas pacientes.”

“O orgasmo pode ser mais difícil para a mulher alcançar com a relação sexual, especialmente com a relação envolvendo pênis na vagina, já que esta tende a passar ao largo do clítoris. Por essa razão, muitas mulheres se acostumaram à ideia de nem sempre terem orgasmo. Mas não pense nem por um instante que elas valorizam o orgasmo menos que os homens.”

MITO: O sexo só é “bom” se termina com um orgasmo.

VERDADE: Sim, o orgasmo é uma coisa que pode ser maravilhosa e provocar euforia, mas não é nem de longe o único aspecto prazeroso de um encontro sexual. Mesmo quando o sexo não termina com um orgasmo, pode ser muito, muito bom para as duas pessoas.

“O sexo opera em muitas dimensões além da dimensão física, ou então em conjunto e em sinergia com a dimensão física”, explicou a terapeuta Liz Afton, do Coletivo de Terapia de Gênero e Sexualidade. “Quer seja respiração tântrica, controle do orgasmo com BDSM, parceiros sexuais terapêuticos profissionais ou fantasias de viés fetichista, o profundo potencial de cura espiritual e emocional do sexo e da sexualidade é algo que muitas vezes é passado por cima.”

MITO: Homens que curtem ou têm fantasias sobre sexo anal devem ser gays. 

VERDADE: As pessoas de qualquer orientação sexual (gay, hétero, bi etc.) podem curtir as sensações do sexo anal – ou de qualquer outro ato sexual, na verdade – sem que isso as force a repensar sua identidade sexual. O comportamento sexual não define nossa identidade sexual, disse Hart.

“A origem desse mito vem da ideia de que comportamento é igual a identidade”, ela explicou. “É importante que as pessoas entendam que comportamento e identidade não definem um ao outro. O modo como você se identifica (ou seja, sua identidade sexual) é pessoal e representa a sua verdade, e o que seu corpo sente como agradável, também. Já conheci pessoas que pensavam que não fossem ‘lésbicas de verdade’ porque curtiam sexo com penetração.”

MITO: A pornografia causa disfunção erétil em homens jovens.

VERDADE: “Existe muita histeria antipornografia em nossa sociedade”, comentou Kerner. “É verdade que hoje mais homens se masturbam assistindo a materiais pornô do que no passado. Mas não há nenhum estudo legítimo e fundamentado que comprove que a pornografia tenha efeitos neuroquímicos nocivos que levem à disfunção erétil.”

A disfunção erétil pode ser de origem fisiológica ou psicológica. No caso dos homens mais jovens, a origem frequentemente é psicológica.

“Quando isso acontece, muitos homens se perguntam se isso tem algo a ver com o fato de assistirem a muita pornografia. Essa ansiedade é alimentada pela mídia que enxerga a pornografia sob ótica negativa e divulga a ideia do vício em pornografia”, ele disse.

Mas o que está presente em muitos casos, disse ele, é ansiedade.

“Para muitos homens, a ansiedade é a inimiga das ereções. E não faltam coisas que podem provocar ansiedade de desempenho em um homem: falta de experiência, ansiedade por estar transando com alguém pela primeira vez, falta de autoestima genital, a memória traumática de um incidente anterior de disfunção erétil, a pressão para desempenhar bem e, talvez, o fato de o homem se comparar com atores de filmes pornô”, ele disse. “Mas é a pornografia que está causando a disfunção erétil? Não. A pornografia está atrapalhando a química cerebral? Não. É a ansiedade que faz isso. Eliminar a pornografia não elimina a ansiedade.”

MITO: Se você curte kink (fantasias ou práticas sexuais pouco comuns), você é anormal ou sexualmente pervertido.

VERDADE: A julgar pela megapopularidade de 50 Tons de Cinza (embora ela seja problemática sob alguns aspectos), o kink deixou de ser uma comunidade de nicho relegada aos cantos mais obscuros da internet. Palmadas, role-playing e bondage são tipos comuns de kink, que é definido como uma atividade ou um desejo sexual que foge dos gostos convencionais.

“O que é kinky está ficando cada vez mais mainstream. Isso reduz a vergonha e o isolamento sentidos no passado pelas pessoas que curtem kink”, destacou o terapeuta Jesse Kahn, diretor do Coletivo de Terapia de Gênero e Sexualidade. “Não apenas há mais pessoas kinky como as pessoas estão começando a perceber que sua vida sexual já incorpora elementos kinky.”


Fonte: HuffPost
Comentar
Se liga nos sinais · 09/05/2019 - 16h06

Saiba como reconhecer o orgasmo múltiplo


Compartilhar Tweet 1



Experimentar um orgasmo múltiplo não é comum, mas também não é impossível. Requer uma boa combinação de estímulos sensoriais e psicológicos para alcançar esse momento glorioso. Segundo as estatísticas, estima-se que 57% das mulheres experimentam um orgasmo ao fazer sexo, mas apenas 7% atingem o orgasmo múltiplo. As informações são do VIX.

Antes de conhecer os sinais de um multiorgasmo, é necessário primeiro esclarecer que um orgasmo múltiplo não é o mesmo que um orgasmo sequencial. Qual é a diferença? No caso de um multiorgasmo, trata-se de experimentar vários clímax seguidos na mesma sessão estimulante (se masturbando ou fazendo sexo).

Por outro lado, um orgasmo sequencial consiste em ter orgasmos consecutivos em sessões diferentes; isto é, após cada orgasmo, o prazer sexual recomeça, seja com um breve espaço entre cada relação ou até mesmo em seguida.

No caso de orgasmos sequenciais, é importante mencionar que uma mulher leva até 15 minutos para relaxar completamente após um orgasmo. Este tempo pode ser usado para reiniciar a atividade sexual e ter um segundo, terceiro ou quarto.

Sinais do orgasmo múltiplo

  • Ocorre em um único encontro (masturbação, brincadeira erótica ou relação sexual)
  • A duração é maior que 10 segundos (um orgasmo simples dura entre 3 e 10 segundos)
  • A sensação é semelhante a uma onda, com picos ou pontos mais altos de prazer
  • Contrações involuntárias nos músculos que envolvem a vagina podem ser um pouco mais aceleradas. Geralmente ocorre um espasmo por segundo, experimentando entre 3 e 12 durante um orgasmo. Em um multiorgasmo, a frequência é um pouco mais rápida (menos de um segundo devido à contração), razão pela qual a mulher experimenta mais de 15 desses movimentos involuntários.

Fonte: VIX
Comentar
Não há regra geral · 07/05/2019 - 15h56

Saiba como estimular o pênis; veja as 5 dicas


Compartilhar Tweet 1



Não existe regra ou segredo, use sua imaginação e descobrir o como e quais carícias e toques proporcionam mais excitação e prazer, esta é a primeira importante dica. As informações são do Sexo Sem Dúvidas.

É claro que não existe uma regra geral que agrade todos os homens. Mas é sempre válido algumas dicas para que você consiga ter mais prazer.

Dica 1

Da mesma forma que na mulher existe o clitóris que é o local mais sensível no órgão sexual feminino, a glande é a parte mais sensível no órgão sexual masculino e curiosamente o local que mais sente prazer.

Dica 2

Os mesmos cuidados para tocar o clitóris deve-se ter para tocar a glande.

Para proporcionar mais prazer tente tocar a glande com algo macio, úmido e na temperatura do corpo.

Deve ter pensado, a boca tem todas essas características.

Com certeza a boca é uma pedida, porém sem encostar jamais com os dentes.

Outras formas também podem ser muito estimulantes como as mãos, os seios, os pés, enfim todo corpo e tudo que sua imaginação lhe indicar.

Cremes e óleos de massagem podem deixar o momento mais prazeroso.

Dica 3

Na verdade é bom tocar o clitóris e a vulva.

Mas também é verdade que só tocar nessa partes ou tocar logo de início no sexo, pode não ser tão agradável.

Então aproveite e comece explorar todas as partes do corpo do homem, não vá direto à parte genital.

Descubra que é possível sentir prazer além das partes genitais.

Dica 4

Conforme você mulher estiver o tocando com as mãos, boca, língua, pés e ou com seu corpo preste atenção quais os sinais que ele te dá, onde ele gosta de ser tocado e quais ele não gosta, quais carinhos que ele sente prazer e talvez nem soubesse até então.

Dica 5

Invente, crie, descubra e inove. Não repita sempre os mesmos toques da mesma forma.

Homens e mulheres gostam de ser tocados de forma diferente e às vezes ser surpreendidos, não é? Então faça o mesmo não tenha medo de usar sua imaginação.

Pênis tem cor diferente

Você já quis saber quais são as cores dos pênis?

Bem, a cor do pênis humano nem sempre segue um padrão de cor do restante da pele.

Da mesma forma que ocorre nas mulheres, que tem vários tipos de vulvas, com diferentes cores.

Mas é possível que a região peniana tenha uma pigmentação mais escurecida, mesmos que essa região não fique exposto a claridade como o sol, diferentemente de outras partes do corpo que não ficam expostas ao sol e geralmente ficam com coloração mais clara.

A glande muda de cor

Outra observação interessante é a coloração da glande (cabeça do pênis) que muda de coloração quando o pênis está em estado flácido (mole) em relação a estado ereto (duro), devido a quantidade de sangue ser maior quando ereto faz com que a glande fica com coloração mais escurecida puxando para um roxo.

Como ocorre a ereção do pênis?

A partir de qualquer estímulo erótico que o homem esteja percebendo(que pode ser um decote, um corpo feminino sensual, palavras de sacanagem, uma foto erótica, um vídeo e tantos outros estímulos) desencadeia uma série de reações no corpo, entre elas a dilatação das artérias, e isso permite o aumentando de sangue nos corpos cavernosos dando início a ereção.

    Divulgação

A ereção pode ocorrer de forma bem rápida, para alguns homens em menos de um minuto, embora essa rapidez na ereção não seja regra para todos os homens e em todas as situações.

Com o passar da idade o homem tende a ter ereções mais lentas e não tão repentinas.


Fonte: Sexo Sem Dúvidas
Comentar
Nem precisa de manual · 07/05/2019 - 14h14

7 casais revelam suas regras estranhas para transarem


Compartilhar Tweet 1



“Eu lavo lá embaixo pouco antes se quero que ela vá lá.”  Quando o assunto é “começar os trabalhos”, você não precisa de nenhum manual para saber como se mexer e fazer o básico do sexo, o vai e vem, porém, colocar algumas regras para este momento faz com que alguns casais sintam que estão mais próximos de alcançar uma vida sexual loucamente boa. As informações são do site Conversa de Homem.

Se for assim, não tem problemas, por que não colocá-las em prática?

Se você e sua parceira têm certas regras para transarem que consideram estranhas, saibam que não são os únicos.

A escritora Natasha Bell revelou em um recente artigo no The Telegraph, jornal do Reino Unido, que ela e seu marido se comprometeram a transarem no prazo de 60 minutos após ele entrar pela porta de sua casa depois de uma viagem de trabalho, independentemente se ele estiver cansado, fedido ou não se sentir atraente, seja qual for o motivo.

Não importa se essas regras são super estritas ou bem estranhas, o fato é que a maioria das pessoas cria as suas. Por isso, veja aqui o que esses sete homens e mulheres falaram sobre o que eles fazem ou não a respeito do sexo.

  1. “A nossa única regra é manter o silêncio se há outras pessoas na casa.” – Zak L.
  2.  “Nós não fazemos amor enquanto ela está menstruada. Eu tive uma péssima experiência quando estava na faculdade que ainda não consegui superar. E eu lavo lá em baixo pouco antes de transarmos se eu quero que ela chegue lá.” – Brandon S.
  3. “A nossa é falar. Se alguma coisa não está funcionando muito bem, diga algo. Até os parceiros sexuais mais sincronizados não leem a mente um do outro. Às vezes, um ótimo sexo pode se aproveitar de alguma gentil orientação.” – Charyn P.
  4. “Eu e meu marido temos algumas regras entre quatro paredes: sem meias, o quarto não pode estar nem muito claro nem muito escuro, e nada de TV no quarto! Nós, na verdade, ganhamos uma TV para colocarmos em nosso quarto dos nossos pais, e acabamos devolvendo a eles. O quarto é para estarmos juntos, sexo e intimidade – não assistir a TV. Além disso, nada de atender telefone se ele toca enquanto transamos!” – Fiona M.
  5. “Se um de nós não está a fim de fazer sexo e o outro está, esperamos 24 horas para o outro ‘ficar a fim’ e não nos masturbamos durante este período. Isso não é para que o outro não se masturbe, o objetivo é aumentar a frequência da nossa intimidade, dando um ao outro um pouco de espaço e compreensão.” – Adele C.
  6. “Nada de redes sociais 30 minutos antes de irmos para a cama. Redes sociais são como anti-afrodisíacos.” Margaret W.
  7. “Criamos um plano semanal de relações sexuais para nos certificarmos de que transamos pelo menos quatro vezes por semana. Ele planeja dois dias e eu planejo os outros dois dias, e nos surpreendemos um aos outro com as novas ideias. Isso mantém a coisa quente e interessante!” – Nicole M.

Fonte: Conversa de Homem
Comentar
Por que não investir? · 07/05/2019 - 13h59

5 brinquedos perfeitos para um sexo inesquecível


Compartilhar Tweet 1



Quem não quer inovar? A tecnologia está aí pra facilitar a nossa vida e também o nosso orgasmo, então, por que não investir em Sex Toys, ou seja, brinquedos capazes de potencializar o prazer e também te fazer descobrir novas sensações na cama?

O site Manual do Homem Moderno selecionou alguns sex toys perfeitos para um sexo inesquecível que você vai querer guardar na gaveta e utilizar com as garotas e, se você já estiver namorando, vai curtir surpreender a sua parceira com eles de vez em quando – ou sempre.

Veja só essa seleção de Sex Toys!

Anel peniano

    Reprodução

Olha só que coisa louca: você coloca esse anel de silicone extensível na base do pênis e ele vai te ajudar a segurar a ereção e a ejaculação, além disso, essa parte com o bullet deve ficar voltada para cima para estimular, com o pequeno vibrador, o clitóris da parceira.

O produto ainda é a prova d’água e você pode brincar dentro da banheira ou no chuveiro.

Comprar kit Cinquenta Tons de Cinza

    Reprodução

O filme é bem ruim, o livro é uma porcaria mas, infelizmente, temos que agradecer o Christian Grey pela popularização do sadomasoquismo entre as mulheres desta geração.

Esse kit contém os itens básicos para uma brincadeira mais leve, perfeita para iniciantes: tem chicote, algema, venda para os olhos, bolinhas tailandesas e gel corporal.

Comprar plug anal

    Reprodução

Esse acessório é incrível para estimular sua parceira de outras formas. Se ela quer fazer sexo anal mas ainda não está preparada, você pode utilizar esse acessório para preparar a musculatura da região e deixá-la mais excitada e, mesmo se ela já estiver mais acostumada, o plug é um brinquedo excelente para intensificar o orgasmo dela enquanto você a penetra pela frente – especialmente se você optar por um produto com vibrador.

Comprar Tenga Egg

    Reprodução

Os orientais costumam ter umas ideias bem malucas envolvendo tecnologia e sexo. O Tenga Egg, criado por eles, é um produto que garante um orgasmo intenso para homens. Ele funciona assim: depois de descascado, o ovo recebe lubrificante no seu interior e é encaixado no pênis, tipo uma touca mesmo.

Como ele é elástico, o ovo pode ser esticado até a base do pênis, e, a partir daí a masturbação é feita com as mãos sobre ele.

Além da possibilidade da garota de masturbar com esse brinquedo, você ainda pode penetrá-la com ele. Pois é! A textura externa e interna garante prazer dos dois lados, olha só que loucura!

Comprar capa peniana

    Reprodução

 

Existem capas penianas das mais variadas formas e estilos, mas todas tem o mesmo objetivo: aumentar a sensação de prazer. Elas funcionam como uma camisinha – mas não possuem a mesma segurança para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, ok? Só funcionam como uma camisinha pelo jeito de colocá-la no pênis – e possuem bolinhas e pontinhos de estímulo em toda a sua extensão.

Elas também aumentam o tamanho e grossura do pênis e podem estimular diretamente o ponto G! O melhor material é o cyberskin, que mais se parece com a textura da pele humana.


Fonte: Manual do Homem Moderno
Comentar
Coisas mais interessantes · 06/05/2019 - 18h20

6 tópicos para uma conversa sobre sexo que um casal deve ter


Compartilhar Tweet 1



Não é preciso falar que qualquer mulher adora transar com o seu parceiro, mas ainda existem alguns tópicos que poucas mulheres são claras a respeito, por terem vergonha de se abrir e ter uma conversa sobre sexo com o seu parceiro. As informações são do site Irresistível.

Ter uma conversa sobre sexo com franqueza e sinceridade faz com que o casal tenha dez vezes mais chances de ter um relacionamento feliz do que os que aqueles que ignoram o assunto.

A comunicação entre o casal faz toda a diferença, dando mais força e longevidade ao relacionamento, e falar sobre a intimidade sexual está no topo da lista do que deve ser conversado.

Veja agora as 6 questões que devem ser abordadas numa conversa sobre sexo para que possa fazer com que as coisas fiquem mais interessantes entre vocês.

1. Limites

Ao menos que você queira acabar em uma situação no estilo de “o que você está fazendo?”, é muito importante vocês discutirem os limites de cada um.

Da mesma maneira que é fantástico e vocês mais do que devem experimentar coisas novas juntos na hora do sexo, é importante vocês conversarem sobre isso para que a nova experiência não se torne um grande fracasso.

Deixe claro se você está disposta e se sente confortável com o que ele quer fazer antes dele tentar e você acabar não gostando, criando assim uma situaçao horrível na hora H.

Tendo uma conversa sobre sexo, ambos conseguirão falar sobre os seus limites, desejos e vontades. O pior que pode acontecer é que as suas fantasias continuem apenas como fantasias, e na melhor das hipóteses, vocês terão uma nova experiência sexual.

2. Raízes

Muitas pessoas são educadas de maneira que passam a ver o sexo como algo obscuro, ruim, ou até mesmo como um pecado ou tabu. Outras podem vê-lo de uma maneira mais “forte”, gostar de coisas mais ousadas e que não são consideradas “normais” pela maior parte da sociedade.

Por isso, se um dos dois tende a ver o sexo de uma dessas maneiras, o seu parceiro ou parceira pode não aceitar, e nesta hora não há nada mais importante do que uma boa conversa sobre sexo para cada um expor as suas necessidades e desejos.

Como se trata de pessoas que cresceram, criaram suas raízes desta maneira, pode ser que ele ou ela precise de um terapeuta sexual, ou se não, muita leitura sobre o assunto para poder ir abrindo a mente e ir tentando mudar os seus conceitos.

3. Segurança

Não importa se ambos têm mais de um parceiro sexual ou não, nesta hora é muito importante ter uma conversa sobre sexo seguro, pois como um resfriado o vírus pode passar de pessoa para pessoa, no sexo também, por isso é muito importante falar sobre isso com naturalidade antes da primeira transa.

Além da segurança quanto às DSTs (doenças sexualmente transmissíveis), também fale a respeito dos métodos contraceptivos, seja sincera a respeito dos métodos que usa ou quer usar.

Em apenas uma transa você pode pegar alguma DST ou engravidar, por isso é muito importante conversar sobre este assunto.

4. Disfunção

Algumas pessoas sofrem com algumas disfunções sexuais, por isso é muito importante falar sobre isso.

Muitos homens têm problema em tocar neste assunto. Se eles não conseguem ficar com o pênis ereto, ou seja, brocham na hora H, com certeza irão se sentir péssimos, mas se a mulher conversa com ele com jeitinho sobre isso, poderá ser resolvido da maneira mais tranquila e assim que relaxados tentarem outra vez.

Porém, nem só os homens sofrem com disfunções sexuais; as mulheres também.

Algumas por exemplo têm problema de secura, ou seja, não ficam com a vagina lubrificada rapidamente, por isso é importante falar com ele a respeito deste assunto. Não precisa ser uma conversa pesada, chata ou séria demais, ela pode falar “eu demoro um pouquinho para ficar molhadinha, mas é só a gente brincar mais nas preliminares que o problema se resolve!”

5. Exclusividade

Não assuma que vocês não precisam fazer um claro acordo verbal, ou simplesmente acreditar que ele não sai com mais ninguém; você corre um grande risco de estar mentindo para si mesma.

Muitas vezes a mulher prefere acreditar na exclusividade do seu parceiro, pois tem medo de falar sobre isso e o cara não concordar.

Embora para algumas pessoas falar sobre isso possa parecer algo relacionado a ciúmes, isso deve ser tratado como algo de extrema importância e sinceridade, para que assim possam se cuidar na hora de ter relações sexuais.

6. Feedback

O seu parceiro não tem o poder de ler a sua mente, por isso é muito importante falar do que você gosta e não gosta na hora do sexo.

Fale para ele o que você gostou que ele fez, dê um feedback, assim da próxima vez pode ter certeza que ele irá se dedicar a fazer mais e melhor aquilo que você gostou.

Dê sinais durante o sexo do que está gostando, eles adoram esses sinais não verbais, faça com jeitinho e de maneira extremamente excitante. Você não precisa ser uma general na cama, com jeitinho tudo pode ser dito.

Se você tiver uma conversa sobre sexo com o seu parceiro falando sobre esses 6 tópicos, com certeza o relacionamento de vocês irá melhorar e será muito mais saudável.


Fonte: Irresistível
Comentar
“Bons de cama” · 06/05/2019 - 18h13 | Última atualização em 06/05/2019 - 18h19

5 dicas que melhoram o sexo do casal imediatamente


Compartilhar Tweet 1



Quando se trata de sexo, é raro topar com alguém que não quer dar uma melhorada ou esquentada na sua vida sexual, incluindo aqueles que se consideram naturalmente “bons de cama”. As dicas são do site Irresistível. 

Novos romances tendem a ter momentos intensos, quentes, apaixonados e ardentes, mas este fogo pode rapidamente começar a se apagar ao longo do tempo. Os brinquedos sexuais, lingeries sexys e tudo aquilo que era usado para estimular o sexo do casal, começam a ficar esquecidos dentro do armário, junto com a sua vida sexual.

Alguns casais acreditam que, por estarem um um relacionamentos a dois, eles devem se contentar com pouco, que não devem se esforçar para que a vida seja mais picante.

Se a intenção da pessoa é melhorar o sexo do casal e reacender a chama, ela tem que colocar as suas inibições de lado, e deixar a imaginação correr solta.

Por isso, veja as 5 dicas que melhoraram o sexo do casal imediatamente.

1. Use a imaginação

Mesmo com uma vida cheia de compromissos e corrida, que faz com que as pessoas passem a maioria do tempo longe do seu parceiro, como é o normal hoje em dia, é importante deixar o fogo entre os dois aceso mesmo quando estão separados.

Hoje em dia existem diversas maneiras de nos comunicarmos com as outras pessoas de maneira imediata, sem custo e muito prática, por isso mandar mensagens ou emails românticos, ou mesmo um pouco mais picantes, é uma boa maneira de fazer isso.

Isso faz com que você relembre o seu parceiro de como se sente atraída por ele.

ARTIGOS RELACIONADOS

Este Fator Tem um Impacto Importante na Frequência em que Você Tem Feito Sexo

Esta é a Idade em que Você Fará o Melhor Sexo da sua Vida

Saiba a Quantidade de Relações Sexuais que Deveria Ter de Acordo com Sua Idade

A Maioria dos Problemas dos Relacionamentos Tem Solução

Um simples “eu te amo” pode funcionar, porém a maneira como ele é dito pode ser a diferença. Existe o “eu te amo” simples e comum (quando dito com frequência), e o sedutor, apaixonante.

O casal pode até tirar uma horinha logo pela manhã para transar e fazer com que o dia comece ainda melhor. Isso pode fazer com que se sintam ainda mais motivados para trocar mensagens durante o dia.

Um estudo realizado na Austrália descobriu que fazer sexo com frequência pela manhã pode melhorar a qualidade do espermatozoide, e inclusive a fertilidade na mulher.

2. Passe pelo menos um dia por mês longe do seu parceiro

Casais que têm vidas separadas ou fazem coisas independente do parceiro têm a oportunidade de sentir saudades um do outro, e desta maneira apreciar ainda mais o tempo que estão juntos.

Um estudo realizado em 2013 concluiu que passar uma noite longe do parceiro pode melhorar a qualidade e aumentar a quantidade do sexo, já que eles tendem a se dedicar mais, transmitindo mais energia, e menos sentimentos de estresse e problemas da casa.

Muitos especialistas dizem que são raras as pessoas que se sentem atraídas por alguém com personalidade tão dependente do outro, e conforme elas nutrem e desenvolvem áreas do seu próprio interesse, elas ficam mais atrativas.

3. Fale no quarto

Para que o sexo do casal melhore, ambos devem se sentir capazes de conversar a respeito das suas vontades e necessidades entre quatro paredes. Isso normalmente é um problema maior entre as mulheres, que devido à educação, cultura e sociedade elas passaram a acreditar que nasceram para ser donas de casa, lavar, cozinhar, limpar e fazer o seu papel na cama, ou seja, satisfazer seu homem que traz o dinheiro para dentro de casa.

As estatísticas mostram que a traição ocorre na maioria das vezes pelo homem, e isso muitas vezes devido à sua insatisfação sexual.

As mulheres não devem sentir vergonha de falar o que querem e gostam na cama – inclusive os homens adoram isso.

Aquela velha frase de “uma dama para a sociedade e uma puta na cama”, apesar de um tanto agressiva, muitas vezes pode funcionar. Invista em uma lingerie mais sexy, alguns brinquedos de vez em quando. Fale o que você quer, e quando ele fizer, diga o quanto está gostando, pois os homens adoram saber que estão dando prazer para uma mulher. Isso para eles às vezes é a parte mais excitante.

4. Experimentem coisas novas juntos

Casais que caíram na rotina, ou estão a ponto de cair, devem dar uma sacudida e tentar coisas novas dentro e fora do quarto.

De acordo com a terapeuta de casais e família Lesli Doares, o ideal é que os casais viagem nas férias e passem muito tempo juntos fora do quarto. Isso irá fazer com que, quando eles voltarem para o quarto, as coisas fiquem ainda mais divertidas.

Pesquisas mostram que uma pequena ou simples mudança pode trazer enormes benefícios entre quatro paredes.

Os únicos responsáveis por tirar o sexo do casal da rotina são vocês, e antes de perder tempo esperando com que seu parceiro tome uma atitude, faça você mesma.

5. Mantenha o romance vivo

Novamente a grande vilã é a rotina, que faz com que as pessoas esqueçam de pequenos gestos que podem melhorar a vida e o sexo do casal sem precisar de muito esforço.

Mantenha o romance no dia a dia, e quando chegar a hora do sexo, não o deixe de lado. Faça com que seu parceiro se sinta amado e desejado.

Quando nos sentimos especiais para alguém, sempre tendemos a ser mais carinhosos e faz com que o amor ntre ambos só cresça.

 


Fonte: Irresistível
Comentar
É hora de romper o tabu! · 06/05/2019 - 18h04

Dispareunia: a dor que compromete o ato sexual


Compartilhar Tweet 1



Dispareunia, o termo pode ser um estranho para você. Mas a condição que ele descreve é mais comum do que pode imaginar. Segundo alguns estudos – como o publicado pela revista Menopause, em 2008 – 40% das mulheres sofrem de dispareunia. As informações são do site Vittude.

Os números são imprecisos, portanto, não nos guiaremos por eles. No entanto, servem como um alerta. Dispareunia é o nome dado ao transtorno, de causas físicas ou psicológicas, caracterizado pela dor genital durante ou após o sexo.

Pode acometer homens e mulheres, embora seja mais comum no segundo grupo. A falta de informação e o pudor quanto ao assunto podem transformar uma atividade, que deveria ser fonte de prazer, em um verdadeiro tormento.

É hora de romper o tabu, não concorda? Neste artigo, vamos esclarecer as principais dúvidas quanto à dispareunia. Afinal, conhecer o problema é a forma mais eficaz de desmistificá-lo. Mas, principalmente, vamos demonstrar que, independente da causa, existe tratamento. Errado, mesmo, é tentar ignorar a dor – ou permitir que ela limite sua qualidade de vida.

Sintomas e tipos de dispareunia

Usamos a sensação de dor para definir o indício de dispareunia. Contudo, é importante entender que a dor pode ser relatada de diferentes formas. Ardência e queimação, por exemplo, são modos de interpretar o desconforto.

A intensidade das sensações é igualmente relativa. Pode ser leve, moderada, ou chegar a manifestações agudas, quando a dor é dilacerante.

Outro ponto importante é que, ao falarmos do transtorno, ponderamos casos de incômodos recorrentes – e não episódios únicos, isolados.

Quanto ao foco da dor, mulheres apontam diferentes locais ou situações, tais como:

parte externa da vagina, especialmente na vulva;

durante a penetração, incluindo o mal-estar com introdução de absorventes internos ou vibradores;

no fundo da vagina, mais próximo ao útero;

após o sexo, podendo perdurar por horas.

No que diz respeito aos tipos de dispareunia, costuma-se categorizá-los da seguinte forma:

primária: o incômodo está presente desde a primeira relação sexual;

secundária: as sensações desagradáveis surgem com o tempo, depois de experiências normais, sem desconfortos;

situacional: ocorre com parceiros específicos ou apenas numa determinada posição;

generalizada: todas as tentativas de sexo são acompanhadas por dores.

Causas físicas ou orgânicas

O distúrbio precisa ser avaliado por médicos, que procederão com os exames necessários para investigar a origem do problema.

A resposta pode ser de fundo emocional, que abordaremos em seguida. Contudo, por vezes, a causa é de ordem física e seu tratamento será compatível com a desordem diagnosticada.

Verifique algumas situações, de caráter orgânico, que podem resultar na dispareunia:

malformações genitais;

endometriose;

alergias ou dermatites;

herpes genital;

cistite;

candidíase;

redução da lubrificação vaginal (que pode ser efeito colateral do uso de medicamentos, como antidepressivos e anticoncepcionais),

null

doenças sexualmente transmissíveis;

menopausa;

pós-parto (especialmente quando a episiotomia é efetuada).

Causas psicológicas ou emocionais

Uma vez constatado que o corpo, sob o ponto de vista físico, está saudável, é hora de averiguar a incidência de fatores psicológicos, que podem inibir a excitação, o relaxamento e a própria lubrificação vaginal.

As circunstâncias emocionais que podem repercutir na atividade sexual são múltiplas, mas existem algumas mais recorrentes. Dentre elas, citamos:

histórico de abuso sexual: quando o sexo é associado a uma violação, trauma ou desrespeito ao desejo (incluindo relações não consentidas que ocorrem entre parceiros casados), a dispareunia é bastante presente;

transtornos como estresse, depressão ou ansiedade;

educação ou crenças religiosas muito rígidas, que cercam a sexualidade de tabus e sentimentos de culpa;

ausência de desejo sexual pelo parceiro;

medos, como o de engravidar ou machucar o bebê, durante a gestação;

insegurança quanto ao corpo;

falta de autoconhecimento, no sentido de compreender o que causa prazer e excita;

problemas de autoestima.

Tipos mais comuns

A dispareunia de intróito (vaginismo) é a manifestação mais comum quando a causa da dor tem origens emocionais. Caracteriza-se pela contração da musculatura vaginal, que impede a penetração confortável e prazerosa. Em outras palavras, a tensão causa espasmos involuntários na vagina, fechando-se ao pênis ou qualquer objeto que seja introduzido (inclusive em exames ginecológicos).

Já a dispareunia pós-parto, cujas razões podem ser de ordem física – como a decorrência de procedimentos cirúrgicos (episiotomia) – também pode ter fundo psicológico. Isto porque, depois do parto, dúvidas quanto ao corpo e à própria sexualidade são normais.

Tudo será como antes? Vai doer? O prazer diminuirá? A aparência pós-gestação está atraente? Questionamentos como esses são muito comuns. Somados ao cansaço e mudança de rotina do casal, o momento pós-parto pode, sim, desencadear episódios de dispareunia.

O importante é encontrar naturalidade para lidar com o assunto, conversar com o médico – a fim de obter todas as informações necessárias para afastar medos – e fortalecer a cumplicidade com o parceiro, eliminando inseguranças.

Consequências da dispareunia

Primeiramente, vale enfatizar que a dor sempre sinaliza que algo não vai bem. Como vimos, ela pode ser o sintoma de alguma doença, que precisa de tratamento oportuno. Ignorar esse aviso pode agravar o quadro e trazer danos irreversíveis.

Todavia, não apenas a saúde física está em risco. Mesmo quando sua origem está nas causas orgânicas, o estado psicológico pode sofrer fortes abalos.

Quando o sexo dói, ele passa a ser rejeitado. Isso empobrece a qualidade de vida e os sentimentos de inadequação, incapacidade e frustração são multiplicados.

Sem dúvidas, impacta também na relação com o parceiro. Com o sexo, busca-se satisfação mútua. E, quando esta não ocorre, o desentendimento avança para outros setores da convivência.

Algumas mulheres, buscando “agradar” seus parceiros, submetem-se ao ato sexual, apesar da dor. A situação, no entanto, tende a ser insustentável – além de ser a escolha equivocada.

Especialmente quando não há abertura para relatar o incômodo, a dor acaba por afastar o casal. O sentimento de culpa pode tomar conta e até inviabilizar relações futuras.

É crucial que o sexo seja percebido como qualquer atividade que, normalmente, possamos praticar. Quando notamos qualquer irregularidade com nosso corpo, o que fazemos? Buscamos ajuda de um profissional da saúde, narramos nossas dificuldades, compartilhamos com quem temos intimidade. O mesmo deve ser feito quando a disfunção está no âmbito sexual. Simples assim!

Dispareunia: tratamentos  

Dependendo da causa, o tratamento específico será recomendado. Pode envolver fisioterapia pélvica, terapia hormonal, uso de pomadas lubrificantes ou cirurgias, de acordo com o quadro clínico diagnosticado.

Em casos de dispareunia situacional, uma simples adaptação resolve o problema. Posições desagradáveis devem ser evitadas e, com o diálogo, o casal descobre o ritmo que beneficia ambos. O autoconhecimento do corpo e das circunstâncias que são – ou não – excitantes, promovendo relaxamento e lubrificação, também são essenciais.

A importância do sexólogo no tratamento

A orientação para dispareunias ocasionadas por questões psicológicas é a terapia sexual. Ela é conduzida por profissionais especializados, cuja formação em psicologia e sexologiacapacita-os para o entendimento profundo de entraves na vida sexual.

Com conhecimento, o sexólogo sabe ouvir, compreender e instruir, colaborando para o entendimento do sexo como parte natural da vida, sobre o qual deveríamos falar sem amarras ou preconceitos.

Dentre os benefícios que a terapia sexual oferece, podemos indicar:

amplia o autoconhecimento e a intimidade com o próprio corpo;

ajuda a vencer medos e devencilhar-se de traumas;

melhora a comunicação e conexão com o parceiro;

desbloqueia inibições;

confere qualidade de vida, ao desmistificar causas e sintomas de insatisfações sexuais;

proporciona apoio e aconselhamento efetivo;

desenvolve a autoestima e autoconfiança, repercutindo não apenas na vida sexual, mas no bem-estar como um todo.

Ou seja, a consulta ao terapeuta sexual é sempre bem-vinda. Mas, em casos de dispareunia, ela representa um recurso especialmente promissor e vantajoso.

Como escolher o sexólogo ou terapeuta sexual?

Para que as sessões alcancem, ao máximo, seus propósitos, é interessante buscar por um profissional cujo perfil reflita empatia. Uma vez que essa condição é muito particular, cabe ao paciente analisar a compatibilidade entre seu modo de ser e o perfil do sexólogo mais conveniente para promoção de conversas confortáveis.

Não há nenhuma novidade nisso. Pois, quando buscamos um nutricionista, dermatologista, ginecologista… enfim, qualquer especialidade médica, também procuramos por aquele capaz de nos deixar mais à vontade.

Assim como a escolha do profissional, o ambiente de tratamento é igualmente relevante para o progresso e sucesso da terapia. Consultórios que transmitam sensação de aconchego, em endereços oportunos, podem ser excelente soluções. Porém, existe um recurso ainda mais facilitador: a terapia online.

Mais privacidade e segurança

Através de plataformas como a Vittude, é possível agendar e realizar sessões com o sexólogo online de sua escolha, no horário e local mais conveniente. Sigilo e segurança são prioridades nesse modelo de consulta. Toda o sistema da plataforma e a dinâmica das consultas é pensado para garantir privacidade e confidencialidade ao paciente.

As soluções, como você pode concluir, são variadas e se adequam às diferentes necessidades de tratamento. O maior erro em relação à dispareunia é tentar ignorá-la.

Nenhuma mulher deve “acostumar-se” à dor ou guardá-la para si. Percebendo qualquer incômodo, expresse-o a seu parceiro. A sinceridade é importante também nessas horas. O diálogo sempre aproxima e fortalece a relação.

A dispareunia não pode ser resolvida por “conta própria”. Jamais trata-se de aprender a suportar a dor. É imprescindível procurar o médico e eliminar todas as hipóteses de doenças ou problemas outros, que os desconfortos podem sinalizar.

Se descobrir que a dor tem causas psíquicas, vale a mesma recomendação: conte com auxílio profissional. Não há motivo para privar-se do prazer, quando a terapia sexual está acessível para oferecer soluções práticas e transformadoras.


Fonte: Vittude
Comentar
Ato muito íntimo e diz tudo · 03/05/2019 - 15h23

O que a posição sexual favorita diz sobre uma mulher


Compartilhar Tweet 1



Você pode aprender muito sobre uma mulher a partir das escolhas que ela faz – da forma como ela usa seu cabelo até o perfil nos aplicativos de namoro. Mas nada é tão revelador quanto suas preferências de posições sexuais. E por quê? É um ato muito íntimo e diz tudo sobre o prazer. As informações são do site Conversa de Homem.

Então, aqui está o que a sua posição sexual preferida pode dizer:

1. Papai e mamãe

Essa mulher gosta de ser simples. Ela também está experimentando uma conexão mais profunda através do contato visual,  pode suportar mais de 170 quilos desse homem suado em cima dela.

2. Cowgirl

Com essa posição, ela está no banco do motorista e adora assumir o controle. Ela sabe exatamente o que quer.

3. Cowgirl invertida (de costas)

Esse é outro sinal de uma mulher que sabe o que ela quer. Naturalmente, afastar-se de você permite também que fantasie sobre homens diferentes sem fazer o contato visual.

4. De quatro

Essa menina é aventureira e quer experimentar tudo o que você tem para oferecer. Também pode significar que ela não quer ficar emocionalmente envolvida. Basta pensar em todas as estrelas pornô assumindo essa posição.

5. 69

Esta posição clássica significa que ela gosta de dar e receber. É também um sinal de que ela gosta de sexo oral, um privilégio gigante para você.

6. De conchinha

Muitas mulheres que anseiam intimidade e carinho desfrutam dessa posição. Outros traços de personalidade prováveis ​​incluem um desejo de conexão com o parceiro.

7. Em pé

Se a sua mulher gosta de fazer sexo em pé, ela é um pouco selvagem e experimental –  de uma boa maneira. Ela gosta de pensar fora da caixa.

 


Fonte: Conversa de Homem
Comentar
Mulheres são ótimas em fingir · 03/05/2019 - 15h12

Como saber se você é incrível na cama


Compartilhar Tweet 1



Você se considera o Deus do sexo, e com certeza as suas parceiras concordam, certo? Bom, saiba que algumas mulheres são ótimas em fingir, e pior ainda, alguns homens são péssimos em saber a diferença entre um orgasmo de verdade e um de mentira. As informações são do site Conversa com Homem.

Claro, existem alguns sinais fisiológicos que demonstram que ela adora tudo o que você está fazendo. Sua respiração muda, seu corpo se aquece e seus músculos tencionam, porém, eles geralmente são sutis o suficiente para que você não consiga identificá-los claramente no calor do momento.

Por isso, aqui você verá alguns dos sinais não físicos de que ela pensa que você é tão incrível na cama (ou não) como você pensa que é. Veja agora, então, como saber se você é incrível na cama.

1. Ela é egoísta

Se ela é egoísta e pensa exclusivamente no próprio orgasmo e você que se dane, você está fazendo a coisa certa. “Conforme ela se aproxima do orgasmo, ela entra em estado de transe” disse o terapeuta sexual Ian kerner, autor do She Comes First: The Thinkin Man’s Guide to Pleasuring a Woman. “Ela não está mais focada em você ou no que você quer.”

Em outras palavras, você é tão incrível no sexo que ela não consegue mais se concentrar em qualquer outra coisa. Por outro lado, se ela só quer te agradar e só se preocupa em você gozar, pode ser que ela não esteja tão satisfeita e só queira acabar logo com isso.

2. Ela está pronta para qualquer coisa

Você já deve ter notado que são muitas as mulheres que não estão prontas para qualquer coisa, elas gostam de um pouco de “aquecimento” – as preliminares, e uma vez que já estão com tesão, você pode perceber o quão afim elas estão de transar com você ao saber o quanto elas aceitam sair um pouco dos limites, e de acordo com Kerner, esses limites podem ser coisas tão simples como o sexo oral ou usar algum brinquedo.

Quando ela não está com tesão, algumas coisas podem machucar, fazer cosquinhas ou causar inibições, mas quando ela realmente está afim, morrendo de tesão, nada disso irá acontecer, e de acordo com seus limites, ela irá querer provar praticamente de tudo.

3. Ela não sente nojo

Encare essa realidade: há várias coisas sobre sexo que são um tanto quanto nojentas quando você pensa nelas em um contexto não sexual. Fluidos corporais, odores, entre outras coisas por exemplo. Mas se uma mulher não se incomoda com um pouquinho de sujeira, suor, sexo nojento, mas na verdade quer um pouco disso, ela realmente gosta de transar com você.

O motivo: inibições reduzidas também significam um sistema de repulsa reduzido, de acordo com Kerner. Você é tão bom na cama que ela simplesmente não se importa com. Mas se ela está preocupada em manter a cama limpa, é melhor você começar a repensar a sua estratégia sexual.

4. Ela quer fazer carinho

O que acontece quando a transa acaba? Ela sai correndo da cama para terminar um projeto do trabalho ou fica na cama lhe dando carinho? De acordo a terapeuta sexual Jane Greer “depois de transarem gostoso, há um desejo em manter uma conexão com o seu parceiro”, diz Greer.

5. Ela quer falar sobre isso

Quando ela quer falar fora do quarto sobre a sua vida sexual e como ela pode ser melhorada, pode ser que o seu primeiro instinto seja de se sentir ofendido, mas na verdade você não deve se sentir assim, porque o bom sexo tem mais a ver com o nível de conexão e conforto que você tem com a sua parceira do que de pura técnica.

“É difícil para qualquer um falar com o seu parceiro (a) que quer fazer algo diferente na cama” explicou Greer. “ Então, é realmente um bom sinal se ela fala sobre isso com você, significa que ela se sente confortável o suficiente para se abrir com você.”

Pense sobre isso da seguinte maneira: Se ela não achasse que valesse a pena, ela não iria falar com você sobre isso.


Fonte: Conversa de Homem
Comentar
Respostas engraçadas · 03/05/2019 - 14h32

26 coisas que os homens fazem na cama que as mulheres odeiam


Compartilhar Tweet 1



Um jornal britânico fez a seguinte pergunta em sua página do Facebook: “O que os homens fazem na cama que as mulheres odeiam?” As respostas que receberam eram às vezes engraçadas, às vezes ridículas, e algumas vezes preocupantes – mas ao mesmo tempo dolorosas e verdadeiras. As informações são do site Coisa de Homem.

Por isso, veja agora as 26 coisas que os homens fazem na cama que as mulheres odeiam, e use essa valiosa informação para ser ainda melhor durante o sexo.

  1. “Quando eles tentam recriar posições sexuais que obviamente viram em algum site pornô, e você acaba basicamente plantando uma bananeira, com uma aparência horrível e ainda tem que escutar: ‘Você está amando, não está amor?’ Err, não.”
  2. “Quando você está por cima e eles ficam apenas olhando para você e é como, ahhh que cara eu devo fazer? Então você só fecha os olhos e espera o melhor.”
  3. “Quando eles pedem para que a gente coloque o preservativo. Não!”
  4. “Quando eles acham que é sexy espancá-la com tanta força que você só quer virar e dar um soco na cara dele.”
  5. “Quando eles simplesmente param e te olham como ‘Olá? Você viu que cheguei ao orgasmo’ Não.”
  6. “Perguntando ‘Você gosta disso?’ Que tal simplesmente não fazer nenhuma pergunta e prestar atenção e notar se eu pareço que quero me matar ou se estou assistindo à TV por cima dos seus ombros?”
  7. “Quando você está fazendo um boquete e eles começam a praticamente transar com a sua cara como se você não tivesse refluxo ou ânsia de vômito. Que tal se eu vomitar por todo seu pênis?”
  8. “Quando eles pedem que você faça um striptease (que é sempre algo um pouco estranho – que música você deve colocar?) e depois seu jeans fica preso em volta dos seus tornozelos.”
  9. “Quando eles leem coisas aleatórias pela internet e acham que são uma boa ideia. Não, eu não quero esfregar gelo por todo o meu corpo”.
  10. “Quando você está no meio das preliminares e eles enfiam um dedo no seu ânus sem nenhum aviso prévio”.
  11. “Quando eles praticamente arrastam o pênis para fora, porque estão esperando que você chegue ao orgasmo pela primeira vez ao mesmo tempo. Você vai ter que esperar um bom tempo para isso…”
  12. “Ao tentar te chupar pela manhã, quando você não se sente nada sexy e simplesmente imunda. Isso é nojento.”
  13. “Sendo tão agressivos com as suas mãos durante as preliminares que parecem que irão lhe causar uma hemorragia interna e deixaram vários hematomas.”
  14. “Ao colocar seus dedos em todos os buracos do nosso corpo como se estivessem tocando algum tipo de instrumento. Isso é algo muito confuso, e você simplesmente não sabe o que está acontecendo lá em baixo.”
  15. “Tentando casualmente fazer sexo anal sem perguntar e sem usar lubrificante. Ele não irá simplesmente deslizar para dentro.”
  16. “Quando eles acham que é uma boa ideia enfiar objetos dentro de você. Não é.”
  17. “Cuecas enormes. Eca!”
  18. “Quando um cara quer fazer 69, mas insiste que ele deve ficar por cima, e assim você basicamente fica sufocada em baixo do seu saco fedorento.”
  19. “Morder o mamilo. Isso doi pra c*****!”
  20. “Puxar o seu cabelo com tanta força que você grita e seus olhos ficam cheios de lágrimas.”
  21. “Tentar tirar a nossa lingerie com os dentes. O que é isso?”
  22. “Esperar para gozar na sua cara, cabelo e olhos”.
  23. “Comer frango frito antes de fazer um oral. Praticamente o pior gosto que se pode imaginar.”
  24. “Quando são passivos agressivos no momento que não conseguem fazer você chegar ao orgasmo. Extremamente sexy.”
  25. “Ao apressarem as preliminares por acharem que você terá um orgasmo após 27 segundos de dedadas na sua vagina.”
  26. “Ao não se limparem de maneira apropriada. Não é nada atrativo o gosto de urina.

 Agora que você já sabe quais são as 26 coisas que os homens fazem na cama que as mulheres odeiam, preste atenção e agrade ainda mais as mulheres.


Fonte: Coisa de Homem
Comentar
Para garantir o prazer · 01/05/2019 - 12h18

5 melhores posições para uma noite orgásmica


Compartilhar Tweet 1



Se você quer sentir e proporcionar muito prazer à sua mulher hoje à noite, veja essas 5 posições que garantem uma noite orgásmica para ambos. As informações são do Conversa de Homem.

1. O Trono do Rei

Essa posição também é conhecida como a cadeira do amor.

Benefícios: Quando a mulher está nesta posição, ela receberá uma maior estimulação do ponto G, já que é ela quem estará no controle;

Como fazê-la: O homem deve se sentar na beirada da cama ou em uma cadeira e pedir para a mulher se sentar sobre ele e de costas. Com esta posição, será muito mais fácil para ela comandar os movimentos, e ele poderá se dirigir a ela inclinando um pouco suas costas;

Experimente: Peça a ela que prolongue ao máximo cada movimento, desta forma, a estimulação também chegará ao seu pênis. Aproveite e deixe-a ainda mais excitada tocando e movendo os seus mamilos;

Truque: Para obter o máximo de prazer possível com esta posição, é vital que ela esteja relaxada. Como conseguir isso? Faça com que ela chegue às nuvens com um banho de espuma, uma massagem sensual, um poema personalizado… Seja criativo!

2. Conchinha

É fato que a maioria das mulheres adoram dormir de conchinha, porém transar nesta posição também pode deixá-las muito felizes!

Vantagens: Essa é a posição perfeita para as mulheres grávidas, já que ela estará no controle dos movimentos e do ritmo. Também é uma grande alternativa para conciliar o sono depois da transa.

Como fazer: Para transar nesta posição, deite na posição de conchinha e fique atrás da sua parceira. Peça que ela dobre os joelhos e que faça força com as costas para facilitar a penetração. Tente vários graus de inclinação para variar o ângulo de entrada e o movimento do balanço. Uma dica é sincronizar a sua respiração com a dela, pois assim coordenarão ainda mais a excitação.

3. A Babá

Essa posição também é conhecida como “O Voo da Libélula”.

Vantagens: É uma posição muito cômoda para a mulher e muito prazerosa para o homem. Pode-se dizer que é o sexo oral mais frenético e excitante;

Como fazer: Peça para a sua parceira se deitar com a cabeça sobre o travesseiro. Coloque o seu pênis na frente do rosto dela e seus joelhos em baixo dos ombros. Depois é fácil, introduza o seu pênis na boca da sua parceira e faça os mesmos movimentos da transa, só que mais constante e suave;

Um truque para ela: Ela pode utilizar algum tipo de lubrificante com gosto para que seus lábios não se machuquem, dessa maneira, poderá fazer com que essa posição dure um pouco mais. Depois basta aproveitar.

4. A Cascata

Mais uma posição onde quem fica no comando é a mulher.

Benefícios: Sem dúvida alguma essa é uma posição um pouco complicada, porém ela também pode ser muito gratificante. Para ganhar, tem que se arriscar, sendo assim não pense duas vezes e experimente essa posição.

Como fazer: Sente-se na borda da cama ou sofá com as pernas voltadas para dentro do móvel, e tombe até encostar a sua cabeça e ombros no chão. Peça para ela se sentar em cima de você, como se estivesse na posição de cowgirl, e deixe-a no controle da situação. Prepare-se para um dos orgasmos mais intensos da sua vida graças à acumulação de sangue na cabeça.

5. O Gato

Essa posição que também é conhecida como “O coito felino” pode parecer algo muito simples, porém pode proporcionar uma noite orgásmica.

Vantagens: Ambos irão desfrutar loucamente desta posição, porém ela em especial, já que poderá massagear com mais facilidade o seu clitóris. Em um estudo realizado, 56% das mulheres disseram que chegavam mais fácil ao orgasmo quando estavam nesta posição;

Como fazer: Antes de mais nada, você deve saber que essa não é a mesma posição do clássico papai e mamãe, já que o seu corpo fica um pouco mais elevado. Além do mais, os peitos da sua parceira irão ficar mais próximos dos seus ombros do que com a posição original. A chave: dobre as suas pernas apontando seus quadris para cima;

Truque: Tente penetrá-la fazendo movimentos circulares com a sua pélvis. Com essa técnica, o orgasmo feminino está praticamente garantido, já que de acordo com outra pesquisa, 73% das entrevistadas confirmaram tal fato.

Não perca mais tempo e experimente essas posições sexuais para ter uma noite orgásmica.


Fonte: Com informações do Conversa de Homem
Comentar