Em entrevista a mãe comentou -

Mãe de brasileiro capturado nos EUA afirma: “Se for para sofrer, melhor morrer logo”

A população que reside nas proximidades do condado de Chester, na Pensilvânia (EUA), finalmente pode descansar mais tranquilamente agora que a polícia local conseguiu localizar o fugitivo brasileiro, Danilo Cavalcante. Com informações do Metrópoles.

Foto: Reprodução

No entanto, foram 14 dias de angústia e apreensão. Segundo a mãe de Danilo, Iracema Cavalcante, a razão para a dificuldade em capturá-lo reside no fato de que ele foi "treinado para sobreviver".

Em uma entrevista concedida ao jornal The New York Times, antes de sua captura pelas autoridades americanas, Iracema explicou que seu filho teve uma vida que o preparou para a autossuficiência e para superar desafios. Ela afirmou: "Seu treinamento foi seu sofrimento", em sua primeira interação com a mídia desde a fuga de Danilo da prisão.

Ela compartilhou detalhes sobre as dificuldades enfrentadas por sua família, revelando que Danilo frequentemente ia dormir com fome e que ela se questionava como alimentá-lo pela manhã. Além disso, ela mencionou que seu filho nunca teve a oportunidade de frequentar a escola e começou a trabalhar aos 5 anos, inicialmente como engraxate, depois vendendo verduras em um mercado e, posteriormente, em uma fazenda. Iracema enfatizou que, embora fossem humildes, eram uma família trabalhadora.

A entrevista ocorreu antes da captura de Danilo, mas Iracema já expressava preocupações sobre o destino dele caso fosse enviado para uma prisão de segurança máxima. Ela afirmou: "Se ele for para um lugar onde vai sofrer e morrer, é melhor que ele morra logo."

Infelizmente, o temor de Iracema se confirmou, pois o Departamento de Correções estadual informou que Danilo ficará na Instituição Correcional Estadual Phoenix, no condado de Montgomery, próximo a Chester, uma prisão de segurança máxima.

Danilo escapou do presídio do condado de Chester em 31 de agosto, após apenas 15 dias de sua sentença de prisão perpétua por assassinar sua ex-namorada, Débora Evangelista Brandão, em 2021. A promotora do condado onde o crime ocorreu, Deb Ryan, relatou que ele a esfaqueou fatalmente 38 vezes à luz do dia, na frente dos filhos dela, de 4 e 7 anos, antes de escapar. A Polícia do Estado da Virgínia conseguiu prendê-lo mais tarde no mesmo dia.

Além desse crime, Danilo também era procurado pelo homicídio de Valter Júnior Moreira dos Reis, ocorrido em 2017, quando a vítima foi baleada em uma praça em Figueirópolis, Tocantins.

Apesar das evidências dos crimes, a mãe de Danilo insiste que ele, mesmo armado, "não representava uma ameaça para ninguém". Ela não nega os crimes, mas justifica que ele estava "encurralado" em ambas as situações e afirma que os atos foram resultado do controle exercido sobre ele e da postura adotada pelas vítimas. Ela contesta que se trate de feminicídio e alega que ele não tinha outra opção.

Fonte: Metrópoles

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco