Veja detalhes -

Decisão sobre transferência de padre gera tumulto no Piauí; Fiéis iniciam campanha '#FicaPeFeitosa'

A população de Bocaina está profundamente abalada com a recente notícia da transferência do padre Feitosa, pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, que tem conduzido os trabalhos na comunidade por seis anos. A transferência foi anunciada pelo próprio sacerdote nesta terça-feira (04/06), durante a missa de abertura dos novenários do Sagrado Coração de Jesus, em Bocaina. A decisão foi tomada pelo bispo diocesano de Picos, Dom Plínio José, em uma reunião realizada no Centro de Pastoral Diocesano com o Conselho Presbiteral na última segunda-feira (03/06). As informações são do Cidades na Net.

Em entrevista, padre Feitosa expressou sua surpresa com a decisão: “Fui convocado para conversar com o bispo ontem às 09 horas da manhã. Chegando lá, ele me comunicou que eu deveria deixar a Paróquia Nossa Senhora da Conceição. A paróquia vivia uma instabilidade muito grande porque houve uma sequência de padres que entraram e saíram daqui. Agora, com esses seis anos da minha permanência, embora com a pandemia, a paróquia tem vivido uma certa estabilidade”.

Foto: Reprodução

A notícia causou grande indignação na comunidade católica de Bocaina. Devotos e membros da igreja manifestaram seu descontentamento, defendendo a permanência do padre Feitosa. O bispo Dom Plínio José tem sido alvo de críticas após anunciar a transferência. Em resposta, os paroquianos bocainenses e sussuaparenses iniciaram a campanha #FicaPeFranciscoFeitosa, expressando gratidão pelo serviço e dedicação do padre à comunidade.

Diversas manifestações de apoio ao padre Feitosa surgiram nas redes sociais. Uma devota declarou: “Eu e meu marido fomos resgatados da escuridão desse mundo após passar por um grave problema. Depois que conhecemos o padre Feitosa, participamos hoje com gosto e fervor das coisas. Ressuscitei do mundo dos mortos por intermédio das orações de muitos e desse padre, meu adorado padre, a quem devo muita gratidão”. Outro paroquiano criticou o bispo dizendo: “Deus perdoe meus pensamentos, mas onde eu puder desviar para não ouví-lo ou prestigiá-lo, eu farei”.

Outros membros da comunidade sugeriram ações para demonstrar sua insatisfação, como criar faixas com a frase "QUEREMOS O PADRE FEITOSA AQUI CONOSCO" e convocar a imprensa para cobrir o protesto. As críticas ao bispo incluíram acusações de que ele não gosta quando a comunidade simpatiza com um padre e que o objetivo principal era retirar padre Feitosa de Bocaina sem colocá-lo em outra paróquia imediatamente.

A situação gerou um misto de tristeza, revolta, angústia, medo e preocupação entre os fiéis. Muitos elogiaram o padre Feitosa, destacando seu coração puro e seu trabalho significativo na comunidade. A incerteza sobre o futuro da paróquia e o impacto da transferência na estabilidade conquistada nos últimos anos é uma preocupação constante entre os devotos.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

As transferências são fundamentadas nas prescrições do Cânon 522 do Código de Direito Canônico e na Legislação Complementar da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que estabelece o período em que um Pároco possa estar à frente das atividades pastorais e administrativas de uma Paróquia.

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco