Operação de Bertolínia · 01/04/2020 - 15h02

Ministro não cede a alegação sobre COVID-19 e mantém presos alvos de Operação do Gaeco


Compartilhar Tweet 1



O QUARTETO FANTÁSTICO

O ministro Joel Ilan Paciornik, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), voltou a negar a soltura de presos na Operação Bacuri, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), e que teve como alvos figuras públicas do município de Bertolínia. 

Uma das recentes decisões é em relação a pedido de reconsideração da manutenção da prisão do procurador do município Max Weslen Veloso de Morais Pires e do primo do prefeito de Bertolínia Luciano Fonseca, Richel Sousa e Silva. Na petição é alegado excesso de prazo e a pandemia do COVID-19.

O ministro decide contrário às argumentações da defesa.

- Clique e leia matéria completa


Comentários