OPERAÇÃO BACURI · 09/12/2019 - 13h07

Desembargador transforma em preventiva prisões temporárias de alvos do GAECO


Compartilhar Tweet 1



 

_Desembargador Edvaldo Moura (Foto: 180graus)
_Desembargador Edvaldo Moura (Foto: 180graus) 

O desembargador Edvaldo Moura, relator da Operação Bacuri, deflagrada última semana pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), converteu a prisão temporária de quatro alvos das autoridades em prisão preventiva. O magistrado atendeu a pedido do Ministério Público. 

Um desses alvos é o procurador municipal de Bertolínia, Max Weslen Veloso de Morais Pires, além do primo do prefeito Luciano Fonseca, de nome Richel Sousa e Silva. Ainda Rodrigo de Sousa Pereira e Kairon Tácio Rodrigues Veloso.

O desembargador destaca que o Ministério Público “aponta que esses investigados seriam os principais operadores da organização criminosa, instalada em Bertolínia, atuando reiteradamente através de laranjas e pessoas jurídicas de fachada".

- Clique e leia matéria completa


Comentários