Série do Momento · 04/10/2021 - 12h45

Como Round 6 consolidou a Netflix como uma gigante mundial no gênero KDrama


Compartilhar Tweet 1




 

    Netflix

 

Round 6 se tornou sucesso mundial imediato, entenda como a Netflix dobrou o mundo com suas produções de KDramas originais no mercado do entretenimento

 

Para os sul-coreanos que eram crianças nas décadas de 1970 e 1980, a frase “Squid Game” (Jogo da Lula) provavelmente evoca uma mistura de emoção e nostalgia.  Esse jogo que era muito parecido com o nosso pega-pega era jogado dentro de um tabuleiro em forma de lua desenhado no chão, porém muito complicado de jogar - já que as vezes, ele era brutal a ponto de causar lesões nas crianças - mas permaneceu extremamente popular, a ideia original dos jogadores, eram chegar na área do gol (Lua) final depois de uma batalha física entre o atacante e os defensores. 

 

 

Hwang Dong-hyuk, o diretor de “Squid Game” que na nossa versão foi rebatizada para Round 6, agora está desfrutando do sucesso mundial de sua série e a história do jogo infantil sul-coreano que dominou o mundo.O thriller coreano de nove episódios protagonizado por Lee Jung-jae (The Face Reader, Assassination) e Park Hae-Soo (Memórias de Alhambra, Prison Playbook), lançado em 17 de setembro, está em primeiro lugar na plataforma da Netflix em todo o mundo com direito a nota máxima da crítica especializada.

 

A série apresenta uma versão adulta distorcida do jogo coreano: 456 pessoas, todas lutando com problemas financeiros, são jogadas em uma sequência de batalhas de vida ou morte para ganhar o prêmio tentador de 45,6 bilhões de won (38,8 milhões de dólares

 

Round 6 ainda oferece um enredo altamente viciante que prega você na poltrona, não éadequado para o público jovem fã de novelas corenas, já que tem bastante violência e até sexo, algo que nunca vi nos meus quase 20 anos sendo fã de produções da terra do BTS.

 

Mas essa violência toda literalmente à céu aberto só deu certo graças a Netflix que deixou o diretor Hwang Dong-hyuk livre para fazer qualquer coisa. Para quem não sabe, a produções sul-coreanas tem alguns limites que suas produtoras não ousam sequer imaginar fazer, porém, a gigante do entretenimento em streaming acreditou e o resultado foi isso tudo que aconteceu com Round 6 mundo afora, sucesso total.

 

Pelo que andei pesquisando, o roteiro de Round 6 já estava escrito desde de 2009 ainda com o nome “Squid Game”. Na época, produtoras e investidores sul-coreanos estavam céticos quanto ao potencial comercial da série, então o projeto foi esquecido. Porém em 2019, o mercado de produções sul-coreanas não era mais uma realidade regional, mas sim mundial e o diretor levou o roteiro para a Netflix.

 

A empresa achou muito interessante tudo, mas para deixar a coisa mais comercial, mudou o nome para “Round 6”.

 

O enorme sucesso de “Round 6” tanto em seu país de origem quanto no ao redor do mundo segue a forte e positiva recepção de outra série original coreana: “DP - Dog Day”, lançada em 27 de agosto que conta a história de disputas sobre as práticas militares e o histórico de escândalos de abusos entre os cadetes. Recomendo fortemente esta série também.

 

Como dito antes em outros textos, o buzz gerado por uma série coreana após a outra na Netflix é um acontecimento único na indústria do entretenimento. O serviço de streaming desempenhou um papel incomparável em levar o conteúdo KDrama a uma gama mais ampla de públicos em todo o mundo. A coisa está tão sólida que até empresas como a Disney Plus já estão produzindo sua série original KDrama.

 

O número total de assinantes da Netflix em todo o mundo é estimado em 209 milhões, e o número de assinantes coreanos era de 9,1 milhões até o mês de Julho. A Netflix entendeu o caminho das pedras para novas pessoas assinarem sua plataforma. KDramas tem um potencial de crescimento exponencial nos próximos anos e como é assistido em todas suas obras originais, as produções são bem feitas, além de  atrair mais talentos das indústrias nacionais da Coreia do Sul (Cinema e K-Drama).

 

No ano passado, a Netflix teve uma rápida expansão, à medida que as pessoas buscavam um abrigo visual nos serviços de streaming em meio à pandemia. Este ano, no entanto, a empresa está passando por um momento difícil devido à desaceleração no crescimento de assinantes, já que a disseminação teimosa da COVID-19 e suas variantes continuam a obscurecer as perspectivas futuras. Sério mesmo, leitores, se vacinem, usem máscara, usem álcool em gel e não se aglomerem.

 

O grande investimento da Netflix em obras sul-coreanas é seu custo final. Os nove episódios de “Round 6”, por exemplo, foram estimados em cerca de 20 bilhões de won (US $ 17 milhões) no total, um orçamento de produção muito menor em comparação com outras séries de sucesso na plataforma de streaming (The Witcher custou US$ 80 milhões). Em questões de retorno para a empresa é bastante lucrativo investir em KDramas.

 

Só neste ano, a Netflix planeja investir US $ 500 milhões em filmes e séries originais coreanas. A mudança marca um aumento substancial no investimento, visto que gastou um total de US $ 700 milhões para produzir cerca de 80 programas coreanos originais nos últimos cinco anos. 

 

O lado negativo do negócio é que as empresas de assinatura locais sul-coreanas que tem suas produções originais, que já estavam perdendo espaço para a Netflix, agora lutam com a Disney Plus, mas isso fica para outro texto. 

 

Quanto à competição, o diretor Hwang Dong-hyuk disse numa entrevista que as séries e filmes de jogos de sobrevivência geralmente se concentram nos vencedores, mas “Round 6” destaca os perdedores. Suas palavras podem fazer pouco para confortar as empresas locais sul-coreanas que estão ficando para trás no jogo brutal de streaming já que a Netflix dominará esse gênero por um longo período de tempo. Que bom.












 

Comentários