Compartilhar Tweet 1



    Reprodução Instagram

Após ter o show cancelado na 17º Parada da Diversidade de Teresina, o cantor Johnny Hooker se manifestou contra a decisão. Em matéria publicada pelo UOL, disse que 'extremistas não podem vencer'. Durante o Festival de Inverno de Garanhuns (PE) ele afirmou que Jesus é travesti ao criticar o cancelamento numa peça em que o personagem bíblico era interpretado por uma transexual.

"Eu não disse que era. Eu disse que é. É diferente. Não falei da figura histórica, e sim do que a figura representa", disse Hooker em entrevista no 29º Prêmio da Música Brasileira, no Rio de Janeiro.

"Não foi uma decisão minha cancelar o show em Teresina, foi uma decisão deles. Eu acho delicado, porque abre um precedente ruim para a comunidade LGBT no Brasil. A gente não pode dar a vitória para pessoas com discurso de ódio nem extremistas", afirmou.

CANCELAMENTO DO SHOW
O Grupo Matizes Teresina publicou uma nota de esclarecimento informando que o cantor Johnny Hooker não fará mais o show de encerramento da 17ª Parada da Diversidade na capital, que aconteceria no dia 26 de agosto.

O motivo do cancelamento é de que algumas pessoas teriam ameaçado o cantor de 'dar uma surra', 'jogar pedras'.

O evento ainda acontecerá, mas foi alterado para o dia 2 de setembro e terá como atrações Pabllo Vittar, Chandelly Kidman, Bia e os Becks e Benício Ben.

Johnny Hooker será substituído por Pabllo Vittar.

SOBRE O CASO
 Johnny Hooker, virou polêmica por declarações em shows que geraram grande repercussão nas redes sociais. 

"Eu estou aqui hoje para dizer que Jesus é travesti sim! Jesus é transexual sim! Jesus é bicha sim  p*#&@", diz em um show.

"Ih, ih, ih, Jesus é travesti, eu quero ouvir p*#&@", completou.

As declarações e deram após o cancelamento da peça'O Evangelho Segundo Jesus Cristo, Rainha do Céu', por ter uma atriz transexual interprendo Cristo, como um travesto.

Johnny fez seu protesto e apoiou a atriz Renata Carvalho. O caso gerou muitos comentários contrários, principalmente de evangélicos.

Comentar
Evento em Teresina · 13/08/2018 - 17h48 | Última atualização em 18/08/2018 - 14h38

Parada da Diversidade: Pabllo Vittar substituirá cantor que chamou Jesus de 'travesti'


Compartilhar Tweet 1



O Grupo Matizes Teresina publicou uma nota de esclarecimento nesta segunda-feira (13/08) informando que o cantor Johnny Hooker não fará mais o show de encerramento da 17ª Parada da Diversidade na capital, que aconteceria no dia 26 de agosto.

O motivo do cancelamento é de que algumas pessoas teriam ameaçado o cantor de 'dar uma surra', 'jogar pedras'.

O evento ainda acontecerá, mas foi alterado para o dia 2 de setembro e terá como atrações Pabllo Vittar, Chandelly Kidman, Bia e os Becks e Benício Ben.

fdfwf
Johnny Hooker será substituído por Pabllo Vittar

SOBRE O CASO
 Johnny Hooker, virou polêmica por declarações em shows que geraram grande repercussão nas redes sociais. 

"Eu estou aqui hoje para dizer que Jesus é travesti sim! Jesus é transexual sim! Jesus é bicha sim  p*#&@", diz em um show.

"Ih, ih, ih, Jesus é travesti, eu quero ouvir p*#&@", completou.

As declarações e deram após o cancelamento da peça'O Evangelho Segundo Jesus Cristo, Rainha do Céu', por ter uma atriz transexual interprendo Cristo, como um travesto.

Johnny fez seu protesto e apoiou a atriz Renata Carvalho. O caso gerou muitos comentários contrários, principalmente de evangélicos.

VEJA A NOTA DO MATIZES

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



A boate Reserva, localizada na Zona Sul de Teresina, vai iniciar no dia 10 de março sua primeira temporada do 'Ruserva', uma competição de desfile e dublagem de música entre 'Drag Queens'. A competição acontecerá a cada 15 dias e cada episódio terá uma disputa entre três drags, que deverão fazer um desfile e uma dublagem de músicas. As vencedoras das três primeiras etapas se enfrentarão em uma grande final.

Idealizado pelo professor de inglês e vj, Junior Mysterious, o Ruserva existe desde 2016 e vem se fortalecendo no cenário gay da capital a cada ano. Inicialmente pensado para apresentar os episódios do reality show americano Rupaul’s Drag Race, acontecia inicialmente às quarta-férias com um publico tímido. Com as mudanças de exibição dos episódio da Drag Race americana, o Ruserva passou a acontecer nas noites de sexta e a atrair cada vez mais público e pessoas interessadas na arte drag.

Em 2018, o evento conta com uma repaginada e agora será uma competição entre as queens e garantirá à vencedora prêmios que vão de maquiagens e perucas a hospedagem em Fortaleza. “Resolvemos mudar o formato por uma necessidade natural. A festa tem naturalmente evoluído nesses dois anos, e quando entramos de férias em outubro de 2017 já sabíamos que a volta teria de ser diferenciada. Em janeiro último eu e Tertuliano Brandão, que me ajuda na produção e assessoria, começamos a dar forma às ideias q estávamos acumulando e, em especial, nos focamos em tentar adaptar a competição do programa da RuPaul à nossa festa, a uma balada”, explica Junior Mysterious, idealizador e produtor do evento.

As expectativas para a receptividade do projeto são as melhores. “Estamos com as melhores expectativas porque a ideia tem sido muito bem recebida por nosso público. Conseguimos também chamar a atenção de mais pessoas. Está sendo tudo muito trabalhoso - juntar 9 drag queens num processo mais demorado que o normal tem sido um desafio. Mas o público se empolgou com a mudança, com o suspense, com a foto promocional do elenco dessa primeira temporada... isso nos gerou muita empolgação e a sensação de que estamos no caminho certo para alcançar nosso principal objetivo, que é trazer os holofotes às nossas drag queens, aos nossos talentos locais.”

São nove drag queens participantes que Irão se apresentar dublando músicas e desfilando e serão julgadas pelo público presente na casa.

Comentar
Com ação beneficente · 10/09/2013 - 16h18 | Última atualização em 10/09/2013 - 17h43

Top Drag Piauí 2013 acontece dia 11/09 no Teatro 4 de Setembro


Compartilhar Tweet 1



No dia 11.09, acontecerá a edição 2013 do principal concurso piauiense de drag queens, o Top Drag Piauí. O evento ocorrerá no Teatro 4 de Setembro a partir da 21h. Esta será uma etapa estadual para o evento nacional "Brazilian Drag".

Este ano a top Lilika O Luxo, realizadora do evento, faz ação beneficente cobrando 1 kg de alimento não perecível para a entrada no grande espetáculo. A arrecadação será doada à alguma instituição de caridade. Lilika diz que fez "questão de fazer isso, pois acha que é sempre bom ajudar a quem precisa..e ajudar com o nosso trabalho será fantástico."

Além das performances das concorrentes a top, o colorido espetáculo conta com a apresentação da diva Stella Simpsom,  show de Selda Torres e da top Lysa Bombom da boate Blue Space - SP.

E-flyer do top:

 

Campanha PIAUÍ SEM HOMOFOBIA · 21/08/2013 - 16h53

Governo lançará campanha contra homofobia durante encontro LGBT


Compartilhar Tweet 1



Durante reunião realizada, na manhã desta quarta-feira (21), na Coordenadoria de Comunicação do Estado (CCOm), foram acertados os últimos detalhes da campanha publicitária “Piauí sem Homofobia”, que será lançada na abertura do II Encontro Estadual LGBT do Piauí que acontece nesta sexta-feira (23), às 17h, no Centro de Treinamento do Emater.

Participaram da reunião, onde foram definidas as estratégia e peças da campanha, o coordenador da CCom, Fenelon Rocha, a diretora da Unidade de Direitos Humanos da Secretaria da Assistência Social e Cidadania (Sasc), Gilvana Gayoso, além de representantes do movimento LGBT, como a coordenadora de Enfrentamento à Homofobia do Piauí, Joseane Borges e a representante do Centro de Referência para Promoção da Cidadania LGBT Raimundo Pereira, Laura Reis.

“O pontapé da campanha Piauí sem Homofobia é o lançamento da logomarca que vai acontecer nesta sexta na abertura do encontro. A reunião de hoje serviu para uma aproximação ainda maior entre a ideia que queremos promover, que é de um Piauí sem preconceito, capaz de viver com as diferenças, com o movimento LGBT e a Sasc. Acredito que chegamos a um denominador comum, mesmo porque, o importante é promover a tolerância”, afirma o coordenador da CCom, Fenelon Rocha.

Segundo Gilvana Gayoso a campanha é fundamental para quebrar com preconceito em relação ao público LGBT. “A campanha é o resultado da instituição de uma política pública estadual de enfrentamento à homofobia, onde vários órgãos do Governo estão desenvolvendo ações de combate ao preconceito. O fundamental é assegurar que os direitos da população LGBT sejam respeitados e para isso precisamos dar visibilidade para essa luta”, explica a diretora de Direitos Humanos da Sasc, Gilvana Gayoso.

Para a representante do movimento LGBT e coordenadora de Enfrentamento à Homofobia do Piauí, Joseane Borges, a parceria entre Governo do Estado e o público LGBT vem mostrando que o caminho para vencer o preconceito é a união em volta de um só objetivo. “Essa aproximação fortalece o movimento. Com a visibilidade positiva da campanha vamos promover mais uma forma de inclusão da população LGBT que é normalmente colocada de forma negativa”, disse a coordenadora.

A campanha “Piauí sem Homofobia faz parte das ações integrantes do Plano Estadual de Cidadania e Direitos Humanos LGBT, lançado, pelo Governo do Estado, em abril deste ano e, que transformou a garantia dos direitos LGBT (Lésbicas, Gays, Transexuais e Transgêneros) numa política pública para o enfrentamento à discriminação por identidade sexual e de gênero.


Fonte: CCOM

Compartilhar Tweet 1



A web celebridade, a travesti Luisa Marilac, publicou um vídeo esta semana para denunciar a falta de repercussão na grande mídia aos assassinatos de travestis no Brasil. Ela afirmou que apenas um jornal de Guarulhos, onde mora, publicou sobre o crime chocante que acometeu uma amiga sua na semana passada.

A travesti Thalia foi morta com mais de 20 facadas e tesouradas no tóraz, rosto e pescoço, além de ter sido castrada, segundo Marilac por informações passadas pelo irmão da vítima. Ocrime ocorreu na madrugada do dia 02 de agosto, no bairro Picanço. Segundo o jornal Diário de Guarulhos, "Thalia , que fazia programas sexuais, atendia em sua casa". A políca encontrou sinais de luta corporal no local do crime e marcas de sangue por todo o quarto. Uma das armas do crime, uma tesoura, foi encontrada cravada na genitália da vítima. Além de uma faca, coberta de sangue. Ainda segundo a notícia, a travesti foi baleada na mão há três meses, supostamente por um cliente desconhecido.

Marilac, indiganada, se disse revoltada pela mídia não divulgar o caso e que o motivo de ir à internet denunciar é para que o crime seja desvendado e o assassino não volte a matar outras pessoas. "Não existe crime perfeito, existe policial preguiçoso que não quer trabalhar", afirmou ela em seu vídeo de denúncia e pede para as pessoas compartilharem.


Fonte: Lado A

Compartilhar Tweet 1



Por conta dos cada vez mais graves atos de homofobia na Rússia, que incluem prisões e torturas de jovens gays, um beijaço está sendo organizado para o dia 23 de agosto em embaixadas e consulados do país do mundo todo.
“Pelos Direitos e Cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais na Rússia- contra as atrocidades do governo de Vladimir Putin”, diz o texto de divulgação.


O Brasil também vai participar do evento com atos em três cidades: na embaixada do país em Brasília e nos consulados da Rússia em São Paulo e no Rio de Janeiro. Confira os endereços:

Seção Consular da Embaixada da Rússia em Brasília
Avenida das Nações, SES, Qd. 801, Lt. A.

Consulado Geral da Rússia em São Paulo
Av. Lineu de Paula Machado, 1.336, Cidade Jardim.

Consulado Geral no Rio de Janeiro
R. Professor Azevedo Marques, 50, Leblon.

O evento está marcado para o dia 23 de agosto, uma sexta-feira, entre 11h e 13h. 


Fonte: A CAPA

Compartilhar Tweet 1



Na última terça-feira (06), em entrevista ao programa "The Tonight Show", da rede NBC, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, comentou sobre as medidas intolerantes que a Rússia tem tomado com relação a comunidade LGBT e afirmou que não tem paciência com países homofóbicos.

"Sem tolerância para os países que tentam intimidar gays, lésbicas e transgêneros, de uma maneira prejudicial a eles", declarou Obama.

O apresentador Jay Leno comentou ainda sobre os Jogos Olímpicos de Inverno, que acontecerão em 2014 na Rússia, que viraram motivo de pressão para que o país revogue as leis conservadores que cercam homossexuais, como a proibição de Paradas gays ou qualquer tipo de manifestação que "promova a homossexualidade".

"Eu acho que eles entendem que a maioria dos países participantes dos Jogos Olímpicos não toleraria que gays e lésbicas fossem tratados de forma discriminatória", afirmou Obama.

Segundo o presindente dos Estados Unidos, é importante que em qualquer parte do mundo prevaleça a igualdade e a justiça. "Uma coisa que é importante para mim é ter certeza que as pessoas serão tratadas de forma respeitosa e com justiça. É isso o que defendemos, eu acredito que esse preceito não é exclusivo para a América. É algo que deve ser aplicado em todos os lugares. ", concluiu.


Fonte: A CAPA
Ex-padre gay escreve ao papa · 07/08/2013 - 18h00

Ex-padre, argentino gay larga a batina e escreve carta ao papa


Compartilhar Tweet 1



O argentino Andrés Gioeni, 41, foi padre durante dois anos e meio em Mendoza até largar a batina e assumir ser gay. Ator, diretor e escritor de peças infantis, vive em San Isidro, na Grande Buenos Aires, com seu companheiro, Luís, há nove anos e meio. Na semana passada, ele escreveu carta aberta ao papa Francisco pedindo que ele ajude aos gays a "transitar pela fé" sem renunciar à "experiência do amor".

Na infância, estudei em um colégio religioso, marista. E dizia: nunca na minha vida vou ser sacerdote, não queria aquilo. Minha família era católica, mas não religiosa. Comecei a participar de um grupo missionário e começamos a fazer trabalhos voluntários num bairro pobre de Mendoza [a 1.100 km de Buenos Aires].

Na época, eu namorava uma menina, Carmem, e tínhamos o plano de nos casarmos e virarmos missionários na África.

Nesse bairro, as pessoas me falavam que faltava um padre. Eu estava estudando para tentar a faculdade de medicina, aí resolvi ir para o seminário.

Quando entramos, éramos 12 seminaristas e só quatro se tornaram sacerdotes. Desses quatro, só um ainda é padre.

Fiquei oito anos no seminário. Não me sentia sozinho, tinha uma família lá. Foi mais difícil quando virei sacerdote, aos 27. Vi que não era tão fácil, tinha muitas responsabilidades, ficava sozinho. Mas gostava de celebrar a missa.

Aí comecei a me dar conta do que estava acontecendo: algo que não era, para mim, natural. Eu me condenava.

No seminário, a questão da homossexualidade só era tratada em algumas aulas. No dia a dia, era um tabu.

Olhando agora para trás, vejo que no seminário já sabia [que era gay], mas eu negava.

Se percebia que estava gostando de algum companheiro, logo me reprimia, falava a mim mesmo: "O que está acontecendo? Está louco?."

Dois seminaristas fizeram insinuações pra mim, queriam me namorar. Eu achava que fosse loucura, negava aquilo. Eles saíram do seminário, eu fiquei. Me dei conta de que era gay mesmo quando já era sacerdote.

Gostava de entrar em salas gay de bate-papo como anônimo. Depois, me arrependia, dizia que nunca mais faria aquilo. Um dia, encontrei um homem que conheci no chat.

Conversamos durante umas cinco horas e não contei que era padre. Acabamos tendo relações sexuais.

Foi uma experiência linda, mas, no outro dia, acreditava que estava no inferno, que era a pessoa mais pecadora do mundo. Comecei a rezar, chorei muito e fui me confessar sem dizer que era padre. Falei: "Basta, isso vai passar, não pode mais acontecer".

E não passou. E passei a me perguntar se era algo transitório ou para a vida. Quando me dei conta que era para a vida, cortei laços com a igreja.

Vim para Buenos Aires começar uma nova vida. Uma pessoa me chamou para fazer umas fotos nu para uma revista gay. Depois, trabalhei por um ano de garçom numa boate gay. Foi muito difícil me aceitar. Por 30 anos, recebi a informação de que isso que eu vivia --ser gay-- não era bem visto aos olhos de Deus.

Depois, comecei a me dar conta de que Deus não é assim. Ele segue me amando e acompanhando, não importa que eu seja homossexual.

Há nove anos e meio vivo com Luís. Queremos nos casar oficialmente. Mas adotar um filho não está nos planos.

Sigo acreditando em Deus, não no da igreja, que tem tantas leis. Fiquei feliz quando Francisco virou papa, uma pessoa mais aberta. Quando ouvi suas palavras na viagem de volta do Rio, resolvi que era a hora de escrever para ele. Publiquei o texto no Facebook e pedi para amigos compartilharem e me ajudarem a fazer chegar a ele a carta.

O catecismo não pode seguir dizendo que um gay é uma aberração. Sei que mudanças não virão de hoje pra amanhã. Mas espero que, daqui a 30 anos, um menino possa dizer sem medo que é homossexual.


Fonte: Homorrealidade/ Folha On line
Casório de Larissa e Lili · 07/08/2013 - 13h54

Jogadoras do volêi de praia Larissa e Lili se casam em Fortaleza


Compartilhar Tweet 1



As jogadoras de vôlei de praia Larrissa Franco e Lili Maestrini se casaram no último sábado (3) na praia do Porto das Dunas, em Fortaleza.

Familiares e amigos estiveram presentes na celebração. Antes do casório, Larissa postou uma foto com o buquê na mão para a amada numa rede social. “Só tenho olhos para você”, dizia a legenda.

 

As duas estavam juntas há dois anos, mas apenas no mês passado tornaram o relacionamento público.

"Hoje é nosso dia, paixão!! Momentos maravilhosos e inesquecíveis! Deus é maravilhoso comigo, agradeço a ele todos os dias por ter me dado você. Vivemos, aprendemos, crescemos, brincamos, sorrimos... E o mais importante é que em todos esses momentos você estava comigo. Te amo cada dia mais e tenho muito orgulho de ser sua namorada. Você é maravilhosa!!! Se cuida pra mim, tá? Beijos", postou Larissa na época.

Lili, que recebeu medalha de bronze no último Mundial na Polônia, retribuiu o carinho.

"Mais um ano de muito amor! Cada dia mais feliz... Coração acelerado só de pensar em você! Eu não vou parar. Eu vou mimar você até quando eu puder. Se isso é um defeito você pode até pedir pra eu parar. Mas isso é tão bom. Eu cuido de você, você cuida de mim. Se existe outro jeito eu prefiro assim. E quer saber, eu vou te amar. Assim, você quem vai cuidar de mim. Eu cuido de você e enfim. Amor não vai faltar", publicou.


Fonte: A CAPA

Compartilhar Tweet 1



Um adolescente gay russo que foi sequestrado, humilhado e torturado por uma grupo de skinheads está morto.

Na semana passada, a imagem do jovem, que não foi identificado, ao lado seus torturadores, chocou o mundo.

Um grupo de neonazistas da Rússia tem atraído jovens gays através da rede social VK.com com o intuito de submetê-los a uma série de humilhações. Os momentos são registrados em vídeo e divulgados na internet.

Algumas vítimas traumatizadas com a situação, cometeram suicídio. Não se sabe ainda se o jovem da foto cometeu suicídio ou morreu em decorrência dos ferimentos sofridos durante a sessão da tortura.

Grupos como o "Occupy Pedofilyaj", que asumem os atos, dizem que estão tentando identificar pedófilos no país. No entanto, todos os alvos são adolescentes.

O governo russo declarou que os grupos são "movimentos da sociedade civil que lutam contra os pecados da sociedade".

Como resultado, apesar dos torturadores serem facilmente identificados nas imagens, nenhuma prisão foi feita e quem se declara contra as ações vem sofrendo ameaças e perseguições.

De acordo com o Spectrum Human Rights Alliance, grupo de defesa dos direitos gays, o governo de Vladmir Putin parece "perdoar totalmente essa violência".

 


Fonte: A CAPA

Compartilhar Tweet 1



A drag queen Barbie Breakout normalmente produz vídeos tutorais na internet com dicas de maquiagem.

Mas, dessa vez, ela resolver protestar contra a homofobia na Rússia, onde qualquer tipo de manifestação ou propaganda gay sofrem punição.

Barbie, em silêncio , vai passando uma agulha com uma linha entre seu lábio inferior e o superior, até que a boca fique completamente costurada.

Em seguida, vem a chamada em off: "Não deixem que proíbam a sua voz. Abra a boca!".

Em entrevista, a drag diz que se sentiu extremamente impotente com a lei anti-gay e outras atrocidades cometidas contra a comunidade LGBT na Rússia. .

"Há, por exemplo, imagens que mostram como os adolescentes gays são atraídos para armadilhas e brutalmente torturados pela direita radical. Os autores dos vídeos são os próprios torturadores, que se vangloriam da atitude", diz a drag.

Barbie Breakout trabalha como DJ e hostess em clubes noturnos de Berlim. Ela comentou sobre a repercussão do seu vídeo.

"A maioria das reações foi muito positiva. Claro, muitos agora vão me considerar louca. Mas o meu vídeo está ligado a páginas onde você pode ler sobre o contexto político - e alguns só tomaram conhecimento do assunto através do meu protesto", diz Barbie.

Confira o vídeo:


Fonte: A Capa
Candidato gay em Israel · 06/08/2013 - 13h50

Candidato gay a prefeitura de Tel Aviv está em 2º nas pesquisas


Compartilhar Tweet 1



O primeiro parlamentar assumidamente homossexual de Israel Nitzan Horowitz, 48, serea o candidato do partido Meretz para o cargo de prefeito de Tel Aviv nas eleições de outubro.

vai concorrer em outubro à Prefeitura de Tel Aviv.Seu slogan, “Cidade é um lugar para todos” capta bem o espírito da cidade que é conhecida como um oásis de liberdade no conturbado e arqui conservador Oriente Médio.

Pesquisas de intenções de voto dão 26% a Horowitz, atrás do atual prefeito Ron Huldai, do Partido Trabalhista, que lidera com 53%.


Fonte: Mix Brasil
Mudança de sexo suspendida · 02/08/2013 - 17h40 | Última atualização em 02/08/2013 - 18h51

Ministério da Saúde suspende portaria sobre cirurgia de mudança de sexo


Compartilhar Tweet 1



A medida que permitia o início de tratamento no SUS para cirurgia de readequação sexual aos 16 anos e previa como idade mínima de 18 para o procedimento cirurgico, foi suspedida pelo Ministério da Saúde.

Segundo a organização, a portaria ficará suspensa até que sejam definidos os protocolos clínicos e de atendimento sobre o processo cirúrgico. De acordo com a nota, serão convidados especialistas e representantes dos serviços de saúde que já realizam esse tipo de procedimento para definir “os critérios de avaliação do indivíduo”.

A retirada da portaria atrasa ainda mais a realizações de cirurgias de readequação sexual. Vale lembrar que já existe uma medida que regulamenta o processo de mudança de sexo (portaria Nº 1.707/ 2008). No entanto, a norma estabelece a realização do procedimento pelo SUS, mas não define os critérios para a execução da cirurgia e de outros tratamentos voltados para travestis e transexuais.


Compartilhar Tweet 1



Um jovem de 16 anos foi agredido pelo próprio pai na cidade de Três Lagoas, no interior do Mato Grosso do Sul.

Segundo informações de Polícia Civil, o agressor não aceitava o fato do filho ser gay. O pecuarista de 46 anos foi indiciado pelos crimes de tortura e injúria.

“É uma violência absurda pautada pela homofobia”, afirma Paulo Henrique Rosseto de Souza, delegado responsável pelas investigações.

As agressões aconteceram na madrugada de segunda-feira (29). A mãe do adolescente contou aos policiais que o marido bateu no filho e tentou trancá-lo em um quarto sem energia elétrica porque não aceita a homossexualidade do garoto.

A mulher relatou que o pecuarista bateu no rosto do menino, o derrubou no chão, subiu em cima dele, continuou a agredi-lo com socos e tapas e dizia que ele tinha que apanhar porque era gay.

Os irmãos e a mãe do adolescente tentaram refugiá-lo na casa da avó, mas, ele foi novamente agredido pelo pai que chegou ao local em seguida.

De acordo com as declarações da mulher à polícia, o pecuarista deu socos e pontapés no adolescente, bateu a cabeça dele no chão e dizia que o filho estava "endemoniado".

O adolescente fez exame de corpo de delito e está com lesões no rosto e nas pernas. O próprio agressor levou o jovem ao hospital e no caminho amarrou uma corda na perna do garoto, ameaçou jogá-lo do carro e arrastá-lo na rua caso não mudasse a orientação sexual.

De acordo com Paulo Henrique Rosseto, o conflito na família existe pelo menos desde o ano passado.

“A situação se arrasta há certo tempo. Há alguns boletins de ocorrência desde 2012. São ameaças, violência doméstica”, diz, explicando que o pecuarista ainda não havia sido punido porque as vítimas decidiam não dar continuidade aos procedimentos.


Fonte: A CAPA

Compartilhar Tweet 1



A terceira edição dos OutGames, os Jogos Olímpicos Gays, acontece a partir do dia 31 de julho até 11 de agosto em Antuérpia, Bélgica. Os OutGames são uma dissidência dos tradicionais e americaníssimos Gay Games e aconteceu anteriormente em Montreal e Copenhague.

O pontapé inicial do evento esportivo se dá com a Conferência sobre Direitos Humanos LGBT, com a participação de 400 pessoas inscritas de 85 países diferentes.

A parte esportiva abrange 30 modalidades e as competições terão início no próximo dia 3 de agosto, com remo e término em 11 de agosto com a meia maratona e maratona, que terá lugar nas ruas da cidade.

Os esportes mais populares são futebol, natação, vôlei e badminton.

Na abertura oficial do próximo sábado estará presente o primeiro-ministro da Bélgica, Elio Di Rupo, que é homossexual assumido.
O concurso Mr Gay World com candidatos de 29 países, incluindo Evandro Maia do Brasil é uma das atrações paralelas.


Compartilhar Tweet 1



Foi lançada na última sexta (26) pelo escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos a campanha Livres e Iguais.

A ONU pretende que a campanha seja um projeto de de educação pública global para promover a igualdade de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.

O lançamento foi feito durante uma conferência de imprensa realizada na Cidade do Cabo, na África do Sul.

A Alta Comissária para os Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, acompanhada pelo arcebispo emérito Desmond Tutu e pelo Juiz Edwin Cameron anunciou o projeto, que terá um ano de duração.

“A Declaração Universal dos Direitos Humanos promete um mundo no qual todos nascem livres e iguais em dignidade e direitos – sem exceções, sem que ninguém seja deixado para trás”, disse a Alta Comissária Pillay.

“No entanto, ainda é uma promessa vazia para muitos milhões de pessoas LGBT forçadas a enfrentar o ódio, a intolerância, a violência e a discriminação em uma base diária”.

A campanha tem como objetivo aumentar a conscientização sobre a violência e discriminação homofóbica e transfóbica, e incentivar um maior respeito pelos direitos das pessoas LGBT.

“A mudança de atitudes nunca é fácil. Mas já aconteceu em relação a outras questões e está acontecendo já em muitas partes do mundo em relação a esta mesma questão. Ela começa com conversas muitas vezes difíceis. E é isso que nós queremos fazer com esta campanha. 'Livres e Iguais' vai inspirar milhões de conversas entre as pessoas em todo o mundo e em todo o espectro ideológico”, disse Pillay.

Ao longo do próximo ano, será lançada uma série de conteúdos criativos para promover a campanha.

O vídeo  “A história de uma mãe do Brasil”  é o primeiro de uma série de filmes com entrevistas de familiares de gays ao redor do mundo.

O filme traz uma entrevista com Edith Modesto, fundadora do “Grupo de Pais de Homossexuais”, em São Paulo.

Várias celebridades deram o seu apoio a “Livres e Iguais", ajudando a espalhar mensagens e materiais da campanha através das redes sociais.

Entre eles estão o cantor Ricky Martin, a cantora Sul Africana Yvonne Chaka Chaka, a atriz de Bollywood Celina Jaitly e a cantora brasileira Daniela Mercury.

Confira a campanha Livres e Iguais nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/free.equal

Twitter: http://www.twitter.com/free_equal

Abaixo você assiste ao vídeo “A história de uma mãe brasileira”.


Fonte: A CAPA

Compartilhar Tweet 1



Famosa colunista da Folha de S. Paulo, Mônica Bergamo, afirmou que alguns points gays do Rio de Janeiro tiveram movimento maior durante a Jornada Mundial da Juventude. A Le Boy, a mais tradicional boate de Copacabana, registrou 30% a mais de público na terça-feira da semana passada. "Tivemos mais de 200 pessoas, recorde para uma noite chuvosa", relata o funcionário Júlio César Gomes. O TV Bar abriu as portas excepcionalmente na quarta. "A festa teve nome sugestivo: Me Papa", relata o assessor Carlos Pinho.

No Galeria Café, em Ipanema, o público foi 50% maior que na semana anterior à JMJ. "Reforçamos até o estoque de bebidas", diz Alexandra Di Calafiori, sócia da casa, que contratou freelancers para reforçar a equipe no período do evento.

Pelo Grindr, aplicativo de paquera gay para smartphones, um rapaz de 23 anos, com sugestivo apelido de Paulista JMJ, postou um recado aos baladeiros da jornada: "Atrás de Cristo e de outras coisas".

Para Lula Ramires, coordenador da ONG LGBT Corsa (Cidadania, Orgulho, Respeito, Solidariedade, Amor), "há um contingente gay enorme na comunidade católica". "É preciso entender que os fiéis não são necessariamente conservadores." Já Julian Rodrigues, coordenador de Políticas para LGBT da Prefeitura de SP, acha "meio incongruente ser gay e católico". "Mas que tem, tem."


Fonte: Homorrealidade/ Folha de São Paulo
Arcebispo: Deus não odeia gays · 30/07/2013 - 14h31

Arcebispo vencedor do Prêmio Nobel diz que Deus não odeia os gays


Compartilhar Tweet 1



Arcebispo anglicano Prêmio Nobel diz que homofobia é tão injusta quanto racismo

Arcebispo anglicano emérito da Cidade do Cabo na África do Sul e prêmio Nobel da Paz, Desmond Tutu disse não acreditar que, como prega a Igreja Católica, Deus odeia os homossexuais. Segundo a agência de notícias EFE, na última sexta-feira, 26 de julho, Desmond disse ainda que a homofobia é tão prejudicial e cruel quanto o racismo.

"A muitos de nós causa angústia imaginar que Deus pode criar alguém e dizer: 'Te odeio. Te odeio por como te fiz", disse o líder religioso anglicano na Cidade do Cabo, durante a apresentação de uma campanha da ONU pela igualdade das minorias sexuais.

"Vocês podem imaginar alguém como eu, que disse que é injusta a punição por algo que não temos escolha como cor e sexo, se cale quando pessoas são perseguidas e assassinadas por sua orientação sexual?", acrescentou o antigo ativista contra o regime racista do apartheid.

"Eu penso que isso (a homofobia) é tão injusto como o racismo", acrescentou Tutu, que lembrou também que os homossexuais "não são uma raça à parte", como afirmam alguns. “Não gostaria de ir para um céu homofóbico. Pediria desculpas e diria que gostaria de ir para outro lugar."

Para Tutu, “temos que construir uma sociedade tolerante, e não teremos uma sociedade livre até que todas e cada uma das pessoas sejam reconhecidas e aceitas pelo que são", disse o arcebispo, que acrescentou ter consciência de que muitos líderes religiosos consideram a homossexualidade como um pecado.

Tutu, 81 anos, participou do início da campanha global da ONU "Livres e Iguais", que pretende conscientizar sobre a violência e a discriminação contra as minorias sexuais. O prêmio Nobel da Paz de 1984 disse que muita gente não pode escolher livremente seu estilo de vida devido aos "preconceitos" e à "violência potencial" que podem enfrentar.

Apesar de ser o único país africano que reconhece legalmente a união homoafetiva e o direito de adoção para casais do mesmo sexo, os ataques às minorias e as discriminações são frequentes na África do Sul, especialmente entre a maioria negra, pobre e com pouca escolaridade.


Fonte: MIx Brasil
Papa fala sobre gays · 29/07/2013 - 14h44

Papa: Quem sou eu para julgar os gays?


Compartilhar Tweet 1



pós uma intensa semana de atividades na Jornada Mundial da Juventude, o Papa Francisco concedeu uma entrevista a jornalistas durante o voo que o levou do Rio de volta a Roma nesse último domingo (28).O Papa conversou por cerca de uma hora e meia e falou de maneira aberta sobre os homossexuais, algo nunca feito por um pontífice até então.

“Se uma pessoa é gay e procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu pra julgá-lo”, declarou.

Segundo o Papa Francisco, a Igreja não pode marginalizar ninguém por conta da sua orientação sexual .

“O catecismo da Igreja explica isso muito bem. Diz que eles não devem ser marginalizados por causa disso, mas devem ser integrados na sociedade”, afirmou o Papa.

Francisco respondeu ainda sobre a questão do “lobby gay” dentro do Vaticano, que surgiu na época da renúncia de Bento XVI.

"Vocês vêm muita coisa escrita sobre o ‘lobby gay’. Eu ainda não vi ninguém no Vaticano com um cartão de identidade dizendo que é gay. Dizem que há alguns. Acho que, quando alguém se encontra com uma pessoa assim, devemos distinguir entre o fato de que uma pessoa é gay e de formar um lobby gay, porque nem todos os lobbies são bons. Isso é o que é ruim".

O Papa prosseguiu. “O problema não é ter essa tendência. Devemos ser como irmãos. O problema é o lobby dessas tendências de pessoas gananciosas, lobby político, mações e tantos outros lobbies. Esse é o principal problema”, disse.

No entanto, Papa Francisco diz que o Vaticano não vai mudar o seu discurso quanto a questão do casamento gay e do aborto.


Fonte: A Capa/ Mix Brasil
6ª Parada da Gay de Parnaíba · 26/07/2013 - 18h00

6ª Parada da Diversidade de Parnaíba


Compartilhar Tweet 1



Amanha dia 27, acontece a 6º Parada da Diversidade de Parnaíba com o lema "Construindo Políticas Públicas para LGBTS. O evento é organizado pelo Grupo Guará em parceria com o governo municipal e estadual.

A SASC será representada através da Diretoria de Direitos Humanos e do Centro de Referência LGBT que participará de reuniões com grupos locais e realizará entrega de carteiras de identidade social de travestis e transexuais.


Fonte: CR-LGBT
Propaganda sem família gay · 26/07/2013 - 11h21

Câmara pode aprovar PL que proíbe família gay em propaganda


Compartilhar Tweet 1



Caminha para votação na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 5.921 de 2001, de autoria do deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), que dá normas sobre o que deve e não deve ser feito em propagandas voltadas para crianças e prega que família é apenas a heterossexual. A proposta está em discussão na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informação (CCTCI) e está sendo analisada pelo relator, o deputado Salvador Zimbaldi (PDT-SP).

Zimbaldi pediu no último dia 16 um prazo de 10 sessões para avaliar o conteúdo alterado do projeto. Como o Congresso está de recesso, é provável que este texto seja discutido pela CCTCI até o fim do agosto de 2013.

De acordo com o PLC 5921/2001, a publicidade e propaganda no Brasil deve ser regulamentada com restrições de propagada para crianças. Nas entrelinhas, o projeto diz que apenas a família amparada pela legislação brasileira deve aparecer nas campanhas, ou seja, o projeto exclui outras estruturas de família que existem atualmente como famílias composta apenas por uma mãe ou pai, ou quando os avós exercem o papel de pais e até mesmo a família construída a partir de dois pais ou duas mães.

Como justificativa, o PL diz que países como Suécia, Noruega, Grécia, Dinamarca, Bélgica e Canadá impuseram em suas legislações restrições severas à publicidade destinada a crianças, com o intuito de não levar a criança a tomar decisões contrárias. O Legislativo ainda não chegou a uma conclusão, mas está prestes a discutir o Projeto de Lei. Se aprovado, após sua publicação, quem desobedecer as normas impostas pelo projeto pode sofrer multa de R$5 mil a R$100 mil.


Fonte: Mix Brasil

Compartilhar Tweet 1



Um dos mais aguardados filmes brasileiros de 2013 pela comunidade LGBT, o longa de amor lésbico “Flores Raras” (leia crítica aqui), do diretor Bruno Barreto, continua papando prêmios em festivais mundo afora. Com estreia no Brasil prevista para o dia 16 de agosto, o filme recebeu o prêmio do público para melhor drama no The Outfest Festival, realizado no último fim de semana na cidade californiana de Los Angeles, Estados Unidos.

O público do The Outfest Festival escolheu o filme de Barreto como o melhor drama do festival. Em festivais no solo brasileiro, “Flores Raras” será o filme de abertura do Festival de Gramado de 2013. A carreira internacional de ‘Flores Raras’ está sendo marcada por passagens em alguns dos principais festivais de cinema do mundo, em que o filme vem sendo recebido com entusiasmo por críticos, público e sendo agraciado com diversas premiações.


Fonte: Mix Brasil/ Homorrealidade

Compartilhar Tweet 1



Após se sentir deslocado pela comunidade gamer por ser homossexual, o americano Matt Conn, junto com o sócio Kayce Brown, decidiu organizar a primeira feira de games para o público LGBT. Chamada de GaymerX, o evento acontece entre os dias 3 e 4 de agosto, em São Francisco.

O projeto ganhou força em 2012, quando a dupla abriu uma campanha no site de crowdfunding Kickstarter. Em três dias, eles bateram a meta de US$ 25 mil e ao fim da campanha arrecadaram US$ 91 mil, com patrocinadores como EA, Xbox, The Trevor Project (ONG que tenta prevenir o suicídio entre os jovens homossexuais), dot429 e a Straight But Not Narrow.

"Não é fácil crescer como uma gay geek gamer", disse Coon ao site Mashable. "Eu sofri muito bullying. Ser um gay geek é duplamente difícil de lidar".

Segundo Conn, o objetivo do evento é levar a discussão para um patamar maior. "Há muito bullying e homofobia na comunidade gamer. Parte de nossa missão é ajudar nessa mudança", explicou. "Estamos fazendo quase tudo que uma convenção normal faz. "Quando começamos, não tínhamos nem ideia se o Kickstarter funcionaria".

Até o momento, a GaymerX já vendeu cerca de 2 mil entradas. A EA e a Xbox Live já publicaram vídeos em apoio ao evento, e um documentário, chamado Gaming in Color, será focado em entrevistar os visitantes.

Os ingressos custam US$ 45, US$ 60 (na porta) e US$ 135. Esse último inclui camiseta, kit com presentes e acesso às festas do evento. Entradas também podem ser adquiridas pelo site gaymerconnect.com.


Fonte: Terra/ Homorrealidade
"Cura gay" ilegal no Brasil · 22/07/2013 - 13h43

Clínicas oferecem ilegalmente tratamento da "cura gay" no Brasil


Compartilhar Tweet 1



Um relatório produzido pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP), com a colaboração da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), indica que instituições que oferecem tratamento a dependentes químicos no país, também submetem os internos a processos de conversão da sexualidade.

De acordo com matéria publicada no jornal “O Globo” do último domingo (21), há indícios de que pelo menos seis clínicas realizam o que chamam de “libertação” de internos homossexuais.

A maioria das unidades são de orientação religiosa — evangélicas e católicas — e estão distribuídas em Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe.

Segundo do relatório, na Associação Beneficente Metamorfose, em Goiás, por exemplo, “os casos de diversidade sexual são estimulados a ser libertados”.
Na Fazenda Esperança, no Sergipe, a instituição “recebe homossexuais que, por motivos pessoais, desejem se internar para tentar deixar esta orientação sexual”.
No Esquadrão da Vida, no Mato Grosso do Sul, “a instituição não permite nem a manifestação nem a prática da homossexualidade e realiza um trabalho religioso para converter o interno”.
Uma funcionária do Lar Cristão Ala Feminina, no Mato Grosso, confirmou ao jornal que a instituição aceita homossexuais que não necessariamente sejam dependentes químicos.
“No caso, é só um trabalho de libertação. São quatro cultos por dia e tem um culto à noite. Aí vai trabalhando, vai libertando”, relatou.
Pedro Paulo Bicalho, coordenador da Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia, ressalta o fato de a maioria dessas instituições são geridas por religiosos, e não por profissionais de Saúde.

“Esses profissionais, de um modo geral, não dizem claramente o que fazem, então é difícil identificar casos em que a identidade de gênero é violada. Mas a gente sabe que eles existem. E existem com muito mais presença e força que um relatório é capaz de identificar”, afirmou Bicalho ao jornal.

Segundo resolução do CFP, é proibido oferecer tratamento ou cura para a homossexualidade.
Em face das denúncias, a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) informou que enviou o conteúdo do relatório ao Ministério Público Federal, para que sejam abertas investigações contra as clínicas e comunidades.


Fonte: A CAPA