Arte nos presídios · 09/11/2017 - 11h58

Arte nos presídios transforma vidas


Compartilhar Tweet 1



  • Arte nos presídios transforma vidas. 
  • Desde épocas remotas, após a percepção do ser humano da impossibilidade de se sobreviver sozinho, sem a necessidade de conviver com outros de sua espécie, sabe-se da ocorrência do encarceramento de homens e mulheres que não se enquadravam nas regras criadas pelo grupo a que pertenciam, como forma de castigo, de punição pelo desrespeito ao preceituado por tais regras.

    As penas, principalmente a de prisão, possuíam a finalidade de controle, a guarda e disciplina dos submetidos às normas determinadas geralmente por um ser mais forte, que ditava as regras, ser este, que atualmente denominamos Estado.

  • No Piauí o trabalho de ressocialização através da arte, vem sendo desenvolvido pelo coordenador Valdsom Braga ( Artista Visual) grande exito.

  • Os atores de renome nacional Theo Becker e Solange Couto enviaram vídeos com mensagens de apoio ao projeto de teatro Mulheres de Aço e de Flores, desenvolvido na Penitenciária Feminina de Teresina e que é voltado ao trabalho de ressocialização e humanização do sistema penitenciário por meio da arte.

  • "Estou muito feliz. Acabei de conhecer esse trabalho que vocês estão fazendo, para fazer o texto Cartas de Minha Vida. Que coisa bonita que vocês estão fazendo. Parabéns. Foquem na arte. A arte é revitalizadora, é rejuvenescedora, é revigorante. Venham, o mundo espera vocês", diz a atriz Solange Couto.

    Theo Becker, ao conhecer o projeto, ressaltou a importância da arte como instrumento ressocializador. "Acredito, sim, na arte transformadora. Meninas, bola para frente, pensamento no futuro. Não deixem ninguém desanimar vocês. Vocês já são referência no Brasil inteiro. Eu apoio esse projeto", enfatiza o ator.

  • Valdsom Braga e Theo Becker apoia o projeto de arte nos presídios 

  • Valdsom Braga coordena as ações de arte no sistema prisional do Piauí desde 2016, com destaque os projetos Mulheres de Aço e de Flores e Espelho da Realidade, por meio dos quais foram exibidas, publicamente, as peças Cartas de Minha Vida, Colcha de Retalhos e Justiça.

    As peças, cujos atores e atrizes são os próprios detentos e detentas, já foram exibidas publicamente, inclusive no Theatro 4 de Setembro, maior casa de espetáculos teatrais do Estado. Mais de 300 reeducandos já participaram dos projetos de arte no sistema prisional desde 2015.

  •  

  •  

ARTE SALVA VIDAS em Teresina · 25/09/2017 - 17h17 | Última atualização em 26/09/2017 - 07h31

Conferência ARTE SALVA VIDAS aconteceu nesse final de semana na capital Teresina.


Compartilhar Tweet 1



#Arte           #Saúde Mental        #Ressocialização       #Direitos Humanos     #teatro        #ecologia humana   

A Conferência “Arte Salva Vidas”, vem explorar a atmosfera da ludicidade nos processos de sensibilização, de humanização por meio da arte inclusiva, gera um movimento coletivo e um método de vivencias com a prática, que gera cuidado, de escuta e de acolhimento.  Em uma sociedade egoísta e sem tempo, muitos estão esgotados. Por isso o instituto ARTE VIVA viu a  importância de promover reflexão e intervenção, na temática do cuidado a saúde mental da sociedade, começando primeiro no individuo (autocuidado) e se  espalhando para o planeta (ecologia humana).

É a descoberta do sujeito esquecido, resgatados no meio da sociedade, quando a arte, a ciência e os saberes populares se reconhecem como interfaces de uma imensa e única humanidade.

Na conferência que ocorreu no dias 23 e 24 de setembro, participante é  convidado a imergir numa experiência de significação do espaço invisível do “EU” que se estabelece entre nossas ações e as imagens que as inspiram, entendendo como um espaço de afeto.

O Objetivo é nos tornamos humanos mais saudáveis, atuantes e esperançosos com o mundo de agora e o futuro. Á conferencia ira, capacitar pessoas na pratica a serem profissionais de arte inclusiva. Com certificado.

A arte é uma grande estratégia para se caminhar rumo ao desenvolvimento expressivo e representacional do ser, e, por isso mesmo  a arte precisa ser mais valorizada dentro de todos os espaços, não somente como contexto de desenhar e pintar, mas como uma disciplina curricular importante para o desenvolvimento cognitivo do processo de criação, principalmente com as pessoas á margem da sociedade. O instituto ARTE VIVA vem com o objetivos: verificar a importância da ação da arte na sociedade, verificar a atuação do Artista incluso com as expressões pessoal e valores sociais, demonstrar como o ensino da arte beneficia as pessoas desassistidas da sociedade.

confira imagens do evento: 

Obrigado a todos que apoiaram e participaram somos profundamente gratos por todo apoio e confiança prestados a nós para a realização deste novo e grandioso evento.

Cada inscrição realizada, cada participação confirmada, cada palavra amiga, tudo isso nos deu forças e a certeza de que tudo daria certo, o que de fato aconteceu.

O evento foi idealizado por nós, mas os protagonista foram todos vocês. 

 

Bino Carambolo  

 Miqueias Mota Melo

Alunos de Moseis Chaves da UESPI 

Moiseis Chaves na conferencia ARTE SALVA VIDAS  

 Hugo Leonardo Aguiar e Valdsom Braga 

Valdsom Braga e  agatha zuleica knitter barros

Valdsom Braga  com kadosh Olive

Welligton Alencar 

Artista Nonato de Oliveira acompanhado de seus filhos.  

O Mestre das Artes Nonato de Oliveira foi homenageado na conferencia com o trofeu da conferencia, ele foi o primeiro artista a defender essa causa.  

Mestre das Artes Nonato de Oliveira. 

ARTE SALVA VIDAS · 31/08/2017 - 13h35

Conferência ARTE SALVA VIDAS em Teresina-PI


Compartilhar Tweet 1



Dias 23 e 24 de Setembro 2017
Teatro Torquato Neto e Clube dos Diários
Dia 23 (Sábado) as 14:00 Hs. Ate as 17 :00 Hs (Tarde)
(Sábado) as 19:00 Hs. Teatro Torquato Neto (Noite)
Dia 24 (Domingo) as 08:00 as 11:30 Oficinas

#Arte #Saúde Mental #Ressocialização #Direitos Humanos #teatro #ecologia humana
A Conferência “Arte Salva Vidas”, vem explorar a atmosfera da ludicidade nos processos de sensibilização, de humanização por meio da arte inclusiva, gera um movimento coletivo e um método de vivencias com a prática, que gera cuidado, de escuta e de acolhimento. Em uma sociedade egoísta e sem tempo, muitos estão esgotados. Por isso o instituto ARTE VIVA viu a importância de promover reflexão e intervenção, na temática do cuidado a saúde mental da sociedade, começando primeiro no individuo (autocuidado) e se espalhando para o planeta (ecologia humana).

É a descoberta do sujeito esquecido, resgatados no meio da sociedade, quando a arte, a ciência e os saberes populares se reconhecem como interfaces de uma imensa e única humanidade.

Na conferência o participante é convidado a imergir numa experiência de significação do espaço invisível do “EU” que se estabelece entre nossas ações e as imagens que as inspiram, entendendo como um espaço de afeto.

O Objetivo é nos tornamos humanos mais saudáveis, atuantes e esperançosos com o mundo de agora e o futuro. Á conferencia ira, capacitar pessoas na pratica a serem profissionais de arte inclusiva. Com certificado.

A arte é uma grande estratégia para se caminhar rumo ao desenvolvimento expressivo e representacional do ser, e, por isso mesmo a arte precisa ser mais valorizada dentro de todos os espaços, não somente como contexto de desenhar e pintar, mas como uma disciplina curricular importante para o desenvolvimento cognitivo do processo de criação, principalmente com as pessoas á margem da sociedade. O instituto ARTE VIVA vem com o objetivos: verificar a importância da ação da arte na sociedade, verificar a atuação do Artista incluso com as expressões pessoal e valores sociais, demonstrar como o ensino da arte beneficia as pessoas desassistidas da sociedade.

Contato: 86: 9 9901 3010
institutoarteviva@gmail.com

Faça já sua solicitação de inscrição pelo e-mail do instituto


Compartilhar Tweet 1



Nonato Oliveira ministra oficina de arte a detentas da Penitenciária Feminina

A pintura é uma das atividades trabalhadas dentro do processo de ressocialização através da arte

O artista plástico Nonato Oliveira ministrou, nesta segunda-feira (31), uma oficina de pintura para reeducandas da Penitenciária Feminina de Teresina. A aula foi organizada pela Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus), por meio da Coordenação de Projetos Artísticos.

A pintura é uma das atividades trabalhadas dentro do processo de ressocialização através da arte e é desenvolvida dentro dos presídios junto com outras expressões artísticas, como o teatro, o cinema, música e o artesanato.

"É muito importante pessoas que, neste momento, estão numa situação de prisão fazerem um trabalho de arte, ao invés de estarem cometendo alguma coisa errada. A arte vai ajudar elas a mudar de vida", assinala Nonato Oliveira.

Nonato, um dos mais importantes e renomados artistas do Piauí, retrata, em sua obra, o cotidiano e a cultura do povo nordestino. O artista, que teve contato com Pablo Picasso, tem telas expostas em vários estados e em países como Espanha e Portugal.

A reeducanda Edilene Pereira, 35, destaca que a experiência foi "espetacular". "É a primeira vez na vida que fico próxima de um artista como o senhor Nonato. É gratificante pra gente, porque é cultura, traz paz pra gente, aqui dentro, e espero que ele venha mais vezes", diz.

O coordenador de Projetos Artísticos da Sejus, Valdsom Braga, observa que "Nonato Oliveira é um ícone da arte piauiense. Oportunizar que essas mulheres interajam com os artistas com uma história de vida de superação é mostrar a elas a possibilidade de um futuro melhor".

Nonato Oliveira vai ser homenageado na peça teatral Abayomi, que será apresentada pelos grupos de teatro Espelho da Realidade (Penitenciária Irmão Guido) e Mulheres de Aço e de Flores (Penitenciária Feminina), no dia 16 de agosto, no Parque da Cidadania, Teresina.

Abayomi tratará sobre a cultura afro-brasileira, escravidão, preconceito, discriminação e outras questões sociais do passado e atuais. Durante a oficina com Nonato Oliveira, as próprias reeducandas pintaram telas que serão usadas como cenário no novo espetáculo teatral.

INSTITUTO ARTE VIVA · 27/07/2017 - 11h34

Conferencia: ARTE SALVA VIDA chega a TERESINA


Compartilhar Tweet 1



#Arte #Saúde Mental #Ressocialização #Direitos Humanos #teatro #ecologia humana
A Conferência “Arte Salva Vidas”, vem explorar a atmosfera da ludicidade nos processos de sensibilização, de humanização por meio da arte inclusiva, gera um movimento coletivo e um método de vivencias com a prática, que gera cuidado, de escuta e de acolhimento. Em uma sociedade egoísta e sem tempo, muitos estão esgotados. Por isso o instituto ARTE VIVA viu a importância de promover reflexão e intervenção, na temática do cuidado a saúde mental da sociedade, começando primeiro no individuo (autocuidado) e se espalhando para o planeta (ecologia humana).
É a descoberta do sujeito esquecido, resgatados no meio da sociedade, quando a arte, a ciência e os saberes populares se reconhecem como interfaces de uma imensa e única humanidade.
Na conferência o participante é convidado a imergir numa experiência de significação do espaço invisível do “EU” que se estabelece entre nossas ações e as imagens que as inspiram, entendendo como um espaço de afeto.
O Objetivo é nos tornamos humanos mais saudáveis, atuantes e esperançosos com o mundo de agora e o futuro. Á conferencia ira, capacitar pessoas na pratica a serem profissionais de arte inclusiva. Com certificado.

A arte é uma grande estratégia para se caminhar rumo ao desenvolvimento expressivo e representacional do ser, e, por isso mesmo a arte precisa ser mais valorizada dentro de todos os espaços, não somente como contexto de desenhar e pintar, mas como uma disciplina curricular importante para o desenvolvimento cognitivo do processo de criação, principalmente com as pessoas á margem da sociedade. O instituto ARTE VIVA vem com o objetivos: verificar a importância da ação da arte na sociedade, verificar a atuação do Artista incluso com as expressões pessoal e valores sociais, demonstrar como o ensino da arte beneficia as pessoas desassistidas da sociedade.

Os interessados entra em contato : 86: 9 9901 3010

Filme A DOR QUE MORA EM MIM · 22/07/2017 - 13h01

O Primeiro Filme Brasileiro Feito com Presidiários


Compartilhar Tweet 1



Filme “A dor que mora em mim” é baseado na historia real de Rafaela.

Longa tem 70 minutos, conta com a participação de 82 reeducandas. e 8 reeducandos do presidio Irmão Guido.

Apesar de uma obra de ficção, o filme “A dor que mora em mim” é baseado na historia real de Rafaela Gregório, detenta que causou distúrbios pelas penitenciárias por onde passou e, atualmente, faz parte do projeto de ressocialização pelo teatro Mulheres de Aço e de Flores.

O longa-metragem tem 70 minutos, conta com a participação de 82 reeducandas do projeto de teatro da Penitenciária Feminina mais atores convidados. Segundo Valdsom Braga, a ideia da película surgiu após a apresentação da peça teatral Cartas de Minha Vida, encenada publicamente pelas detentas.

“A preparação foi bem diferente da feita para a peça, já que são linguagens distintas, a preocupação de não olhar para a câmera, de falar normal, dentre outros aspectos”, explicou Valdsom Braga, coordenador do projeto Mulheres de Aço e de Flores, além de diretor e produtor do filme.

O longa conta a história de Rafaela a partir de sua chegada à Penitenciária Feminina, dos projetos dos quais ela faz parte e expressa o processo de mudança das reeducandas. Na obra, cada detenta que atua como atriz vive a própria história.

O projeto Mulheres de Aço e de Flores existe há mais de um ano e é desenvolvido pela Secretaria de Justiça do Estado e pela gerência da Penitenciária Feminina de Teresina. Para o secretário de Justiça, Daniel Oliveira, “o filme abre novas possibilidades para o desenvolvimento do processo de reintegração social no Piauí, fomentando o potencial artístico das reeducandas”.

Arte de Nonato de Oliveira · 13/07/2017 - 09h51

Arte de Nonato de Oliveira.


Compartilhar Tweet 1



A vida e obra do mestre Nonato Oliveira

Raimundo Nonato Oliveira nasceu em 11 de dezembro de 1949 na Fazenda Mendes, localizada entre os municípios de Pimenteiras e São Miguel do Tapuio, a cerca de 180 km da capital do Piauí, Teresina.

Ainda quando criança, Nonato Oliveira já despertava seu interesse pela arte da pintura, utilizando as sobras de material de construção de seu pai, Sabino Policarpo de Oliveira, que era pedreiro e um grande incentivador da expressão criativa do filho. Nonato Oliveira fez o seu primeiro painel com 14 anos de idade, dentro de um quarto de sua casa que estava sendo rebocado pelo seu pai. Como ainda não tinha acesso a uma variedade de tintas industriais, Nonato conseguiu, através de pesquisas, extrair pigmentos da vegetação onde morava como do urucum, da casca de angico, da tabatinga e da nogueira, mostrando desde o início que, além de pintor, era um grande pesquisador.

Uma das grandes influências na obra de Nonato é a obra de seu tio, José Alves de Oliveira, o Mestre Dezinho, um dos mais renomados nomes da escultura em madeira no Nordeste. Mestre Dezinho ficou conhecido principalmente pela criação de ex-votos e pela arte santeira. A forma como Dezinho esculpia os rostos dos personagens de suas obras inspirou Nonato na criação de suas figuras, que em sua pintura se caracterizam pela multiplicidade de rostos.

Em 1961, quando tinha 12 anos de idade, Nonato muda-se para a capital do Piauí, Teresina, juntamente com toda a família e, a partir daí, começa a dedicar-se aos estudos. Com 17 anos, o artista criou uma série de pinturas em quadro relacionadas ao episódio da Guerra de Canudos, que um admirador de arte viu em sua casa e resolveu levar para ser exposto na Maison de France, no Rio de Janeiro. Com isso, o jovem artista ganhou uma bolsa para estudar na Europa, precisamente na capital da França, Paris, onde aprendeu a arte de fazer mosaicos em vitrais, passando 10 anos entre a Europa e o Brasil.

Mesmo com a, já evidente, consistência de seu trabalho como artista, Nonato Oliveira ainda enveredou por diversos cursos, como Direito, Economia, Técnico em Edificações, Matemática e Eletrônica, conseguindo finalizar apenas este último, na Escola Técnica Federal do Piauí. Mas, com o prestígio constante de seu trabalho nas artes plásticas, essa virou sua principal atividade e permeou grande parte de sua vida lhe rendendo um grande reconhecimento.

No decorrer de seu trabalho como artista plástico, o mestre Nonato Oliveira, como é chamado, realizou mais de 80 exposições, entre individuais e coletivas, em vários estados do Brasil, como Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Internacionalmente, já houve exposições de seus trabalhos em Portugal, na Itália e nos Estados Unidos.

Além da pintura de telas, o Mestre Nonato Oliveira, trabalha com ilustração, escultura e gravuras em metal. Em Teresina, sua vertente mais conhecida é a pintura de painéis e murais, verdadeiros monumentos que chegam a 200 metros de largura e outros a 10 metros de altura e são singulares dentro do espaço urbano da cidade, com a vivacidade de cores e temas.

A obra de Nonato Oliveira demonstra a sua maestria artística em uma cidade que se desenvolve em meio a prédios modernos e favelas, aos carros velozes e carroças, entre os muros elétricos e prosas na porta das casas, entre o moderno e o provinciano, e no meio desse trânsito da vida, cujo cenário é a cidade de Teresina, surgem verdadeiros monumentos com uma vivacidade de cores ímpar e temas retratados com uma ótica poética que remetem à infância e a riqueza da cultura nordestina.

O traço inconfundível, as cores vibrantes, lendas do folclore piauiense e teresinense, a natureza, o povo simples e temas relacionados à riqueza cultural do nordeste são algumas das principais características da obra de Nonato Oliveira que embelezam o espaço urbano de Teresina e são um marco na cultura da cidade.

Por Samuel Brandão

Arte e Ressocialização · 04/07/2017 - 20h12 | Última atualização em 05/07/2017 - 09h09

Câmara do Rio de Janeiro homenageia trabalho de ressocialização do Piauí


Compartilhar Tweet 1



Câmara do Rio de Janeiro homenageia trabalho de ressocialização do Piauí

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro-RJ propôs moção de reconhecimento trabalho desenvolvido pelo artista plástico e arte educador Valdsom Braga

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro-RJ propôs moção de louvor e reconhecimento trabalho desenvolvido pelo artista plástico e arte educador Valdsom Braga à frente da Coordenação de Projetos Artísticos da Secretaria de Justiça do Piauí.

A proposição foi do vereador Leonel Brizola (PSol). Na visão do parlamentar, tal trabalho tem “impactado a realidade social, resgatando a cidadania e fortalecendo os direitos humanos” no sistema prisional.

“É uma justa homenagem à sua dedicação e todo seu empenho no belo projeto desenvolvido junto aos detentos, no processo de ressocialização através da arte, levando-os a enfrentar novos desafios para reescrever a própria história”, pontua Brizola.

Valdsom Braga coordena as ações de arte no sistema prisional do Piauí desde 2016, com destaque os projetos Mulheres de Aço e de Flores e Espelho da Realidade, por meio dos quais foram exibidas, publicamente, as peças Cartas de Minha Vida, Colcha de Retalhos e Justiça.

As peças, cujos atores e atrizes são os próprios detentos e detentas, já foram exibidas publicamente, inclusive no Theatro 4 de Setembro, maior casa de espetáculos teatrais do Estado. Mais de 300 reeducandos já participaram dos projetos de arte no sistema prisional desde 2015.

Lançamento do Livro no Rio · 13/06/2017 - 19h37

Valdsom Braga lança livro na Câmera Municipal do Rio de Janeiro


Compartilhar Tweet 1



noite do dia 12/06/2017 na Câmera municipal do Rio de Janeiro, aconteceu palestra com a Juíza Regina Rios e Valdsom Braga com o tema: A Arte no processo de Ressocialização no sistema prisional, e o lançamento do Livro A VERDADEIRA LIBERDADE escrito por Valdsom Braga. Por iniciativa do vereador Leonel Brizola Neto (PSOL), traz para um debate público os convidados para compor a mesa no auditório, Palácio Pedro Ernesto, como forma de dar centralidade à luta pelos direitos humanos e ao fim da violência, do uso excessivo de drogas e da segregação de pessoas excluídas do seio da sociedade. O evento aconteceu na segunda-feira (12), teve lugar de destaque Valdsom Braga que é desenhista, pintor, cenógrafo, ator, escritor, figurinista, consultor, artista visual, diretor de arte, arte educador e a renomada magistrada Regina Rios, ambientalista, vegetariana convicta e Juíza de Direito Titular da Vara da Infância, Juventude e Idoso da Comarca de São João de Merití-RJ. Instituidora do Projeto Kbçativa, que é uma Organização não Governamental sem qualquer fim, que tem como objetivo educar crianças e jovens com esportes e artes, ainda são oferecidas gratuitamente aulas de skate, futsal, capoeira, desenho, pintura e graffiti, além de noções de preservação ambiental com incentivo de premiação para os alunos que recolherem mais lixo reciclável. Espaço destinado à divulgação de questões e fatos relevantes ao meio ambiente , à proteção animal e aos direitos e garantias fundamentais do cidadão. Para dar ênfase a esse bate papo, vamos aproveitar para realizar o lançamento exclusivo do livro “A Verdadeira Liberdade”

do livro “A Verdadeira Liberdade” alguns artistas já tiveram contato com a obra entre eles André Gonçalves, Freddy Ribeiro, Theo Becker, Edmar Oliveira.

Andre Gonçalves e Valdsom Braga

Theo Becker e Valdsom Braga

Freddy Ribeiro e Valdsom Braga

Valdsom Braga e Edmar Oliveira.

Juíza Regina Rios e Valdsom Braga


Compartilhar Tweet 1



Agenda cultural dá destaque sobre a arte no processo de ressocialização no sistema prisional do Piauí na cidade do Rio de Janeiro

Por iniciativa do vereador Leonel Brizola Neto (PSOL), traz para um debate público os convidados para compor a mesa no auditório, Palácio Pedro Ernesto, como forma de dar centralidade à luta pelos direitos humanos e ao fim da violência, do uso excessivo de drogas e da segregação de pessoas excluídas do seio da sociedade. O evento acontece na segunda-feira (12), teve lugar de destaque Valdsom Braga que é desenhista, pintor, cenógrafo, ator, escritor, figurinista, consultor, artista visual, diretor de arte, arte educador e a renomada magistrada Regina Rios, ambientalista, vegetariana convicta e Juíza de Direito Titular da Vara da Infância, Juventude e Idoso da Comarca de São João de Merití-RJ. Instituidora do Projeto Kbçativa, que é uma Organização não Governamental sem qualquer fim, que tem como objetivo educar crianças e jovens com esportes e artes, ainda são oferecidas gratuitamente aulas de skate, futsal, capoeira, desenho, pintura e graffiti, além de noções de preservação ambiental com incentivo de premiação para os alunos que recolherem mais lixo reciclável. Espaço destinado à divulgação de questões e fatos relevantes ao meio ambiente , à proteção animal e aos direitos e garantias fundamentais do cidadão. Para dar ênfase a esse bate papo, vamos aproveitar para realizar o lançamento exclusivo do livro “A Verdadeira Liberdade” alguns artistas já tiveram contato com a obra entre eles André Gonçalves, Freddy Ribeiro, Theo Becker, Edmar Oliveira.

Ator Andre Gonçalves e Valdsom Braga com seu livro "A VERDADEIRA LIBERDADE"

Ator Theo Becker e Valdsom Braga com seu livro "A VERDADEIRA LIBERDADE"

Ator Freddy Ribeiro e Valdsom Braga com seu livro "A VERDADEIRA LIBERDADE"

Edmar Oliveira e Valdsom Braga

 

O vereador Leonel Brizola Neto ressaltou a importância do trabalho realizado pelo Valdsom Braga na cidade de Teresina, Piauí "Quero enfatizar aqui o meu compromisso junto à bancada do PSOL, e dos demais companheiros desta Casa. Devemos reconhecer a importância de novas formas inclusivas de enfrentar as questões sociais, que servem de exemplo para todo o mundo", garantiu o parlamentar.

Valdsom Braga e Jaque Lisboa Rio de Janeiro.

Espetáculo carta de minha vida · 11/05/2017 - 11h37

Espetáculo Carta de Minha vida agora disponível completo no you tube


Compartilhar Tweet 1



uma peça baseada na vida da pintora mexicana Frida Kahlo. A apresentação da peça Cartas de Minha Vida, ocorreu no Theatro 4 de Setembro no Centro da capital. Para as internas, a vida da artista, marcada pelo sofrimento e dedicação à pintura, as inspirou na apresentação.

Cartas de minha vida espetáculo do Grupo de Teatro: Mulheres de Aço e de Flores da penitenciaria Feminina de Teresina.

Espetáculo da Ressocialização agora estar disponível no You Tube para ser prestigiado pela sociedade em geral.

confira ai o Espetáculo Cartas de Minha Vida completo :


Compartilhar Tweet 1



no Theatro 4 de Setembro, os reeducandos que participam do Projeto Espelho da Realidade apresentam o espetáculo Justiça. #arte #ressocializacao

O teatro é uma das diretrizes no trabalho de suporte ao processo de ressocialização. Ele é um importante instrumento e tem mudado a realidade de muitas pessoas privadas da liberdade no sistema prisional do Piauí. Na Penitenciária Irmão Guido, o projeto Espelho da Realidade reúne 30 detentos, eles estão se preparando para fazer a primeira apresentação pública, com o espetáculo Justiça, que será encenado no Theatro 4 de Setembro, no dia 2 de maio, às 19h30.

Secretario de Justiça Daniel Oliveira

Valdsom Braga Diretor e coordenador do projetos de ressocialização a traveis da Arte.

José Leite, o Sr.Dedé um dos primeiros alunos do professor de artes visuais Valdsom Braga.

Atores do grupo: Espelho da Realidade e Mulheres de Aço e de Flores

Confira um trecho do espetáculo Justiça, apresentado nesta terça (2), por reeducandos da Penitenciária Regional Irmão Guido, no Theatro 4 de Setembro.


Compartilhar Tweet 1



Teatro muda realidade de presídios no Piauí

Depois das reeducandas da Penitenciária Feminina, detentos da Irmão Guido sobem ao palco do Theatro 4 de Setembro
João Allbert
Fotografia (João Allbert)

Uma das diretrizes de trabalho no suporte ao processo de ressocialização, o teatro tem sido um importante instrumento e mudado a realidade de muitas pessoas privadas de liberdade no sistema prisional do Piauí.
Atualmente, dois projetos teatrais são desenvolvidos pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). Na Penitenciária Feminina de Teresina, o projeto Mulheres de Aço e de Flores é composto por cerca de 80 reeducandas, que participam das oficinas de arte e já se apresentaram publicamente.
Já na Penitenciária Irmão Guido, o projeto Espelho da Realidade reúne 30 detentos. Eles estão se preparando para fazer a primeira apresentação pública, com o espetáculo Justiça, que será encenado no Theatro 4 de Setembro, no dia 2 de maio, às 19h30.
“Essa peça tem ajudado a me expressar melhor e a tratar as pessoas de uma forma mais educada. Esperamos fazer um sucesso maior até que o das meninas da Penitenciária Feminina”, diz Ivaldo Coelho, reeducando e, agora, ator do Espelho da Realidade.

O espetáculo
A peça Justiça é inspirada pela passagem do livro de Hebreus, capítulo 13, versículo 3 da Bíblia cristã: “Lembrai-vos dos encarcerados, como se estivésseis aprisionados com eles, e todos aqueles que sofrem maus tratos, como se vós pessoalmente estivésseis sendo maltratados”.
Oito internos da Penitenciária Irmão Guido irão atuar na peça Justiça, retratando personagens bíblicos como Jesus Cristo, apóstolos Pedro, Thiago, Judas Iscariotes, dentre outros.
Além dos detentos do projeto Espelho da Realidade, a peça também terá participação de duas atrizes do projeto Mulheres de Aço e de Flores.
O figurino da peça, feito de material reciclado, foi confeccionado pelos próprios detentos e pelo diretor do espetáculo, o arte-educador Valdsom Braga, segundo o qual a peça Justiça convida a sociedade a analisar, mais profundamente, a situação do encarcerado.
“A peça traz uma reflexão sobre injustiça e como a sociedade lida com isso. A ideia central é relatar as histórias de vida de personagens bíblicos que foram injustiçados pela sociedade em sua época e, a partir daí, incentivar o público a refletir sobre justiça e injustiça”, explica Valdsom.

Arte
Desde 2015, mais de 300 pessoas participam dos projetos teatrais nos presídios do Estado. Os projetos de arte buscam despertar o potencial artístico dos detentos. Muitos deles continuam participando das oficinas, dentro do presídio, mesmo após receberem o alvará de soltura, o que, para o secretário de Estado da Justiça, Daniel Oliveira, comprova o resultado da ressocialização.
“É uma imensa satisfação ver que o trabalho feito dentro de um presídio possa ser levado para fora dele agregando conteúdo à sociedade. Isso comprova que tal trabalho é, de fato, possível, efetivo e eficaz, na medida em que transforma a vida das pessoas”, analisa o gestor.
Os ingressos do espetáculo Justiça estão sendo vendidos ao valor de R$ 20, na sede da Secretaria da Justiça, no Centro Administrativo, e no Theatro 4 de Setembro. O valor arrecadado com a venda será destinado a projetos de ressocialização dentro dos presídios. O projeto Espelho da Realidade deve se apresentar em outras datas.
Autor: Ascom Sejus

 


Compartilhar Tweet 1



Formado por mais de 30 detentos da Penitenciária Regional Irmão Guido, o projeto de teatro Espelho da Realidade apresentará seu primeiro espetáculo no dia 02 de maio, às 19h30, no Theatro 4 de Setembro, em Teresina. A ideia central da peça “Justiça” é relatar as histórias de vida de personagens bíblicos que foram injustiçados pela sociedade em sua época.

O diretor e produtor do espetáculo, Valdsom Braga, explica que a peça é inspirada pela passagem bíblica Hebreus capítulo 13, versículo 3 (Lembrai-vos dos encarcerados, como se estivésseis aprisionados com eles; e todos aqueles que sofrem maus tratos, como se vós pessoalmente estivésseis sendo maltratados).

Na visão de Valdsom, que é também coordenador de Projetos Artísticos da Secretaria de Justiça do Piauí, “Jesus ensinou que as crenças são modificadas pela fé e não pelos fatos. Ele não veio ao mundo para condenar ninguém nem queria que as pessoas se sentissem mal a respeito de si mesmas. Ao contrário, desejava que elas se sentissem amadas por Deus”.

Segundo o diretor, qualquer um poderá se beneficiar com o espetáculo, independente de crenças religiosas, ao compreender conflitos internos e que mudanças verdadeiras só ocorrem de dentro para fora, uma vez que a maioria de nossas decisões é tomada em razão do que sentimos ou acreditamos.

O figurino da peça, feito de material reciclado, foi confeccionado pelos próprios detentos e pelo diretor do espetáculo. A peça Justiça será encenada por oito atores do projeto Espelho da Realidade e, também, duas atrizes do projeto Mulheres de Aço e de Flores, da Penitenciária Feminina de Teresina. O valor arrecadado com ingressos será destinado a projetos de ressocialização.


Compartilhar Tweet 1



O Theatro 4 de Setembro foi palco, nessa quinta-feira (9) 2017, do novo espetáculo teatral do projeto Mulheres de Aço e de Flores, Colcha de Retalhos. O projeto é desenvolvido junto a 80 mulheres privadas de liberdade da Penitenciária Feminina de Teresina, pela Secretaria de Justiça do Estado.
Um dos pilares do trabalho da Secretaria no desenvolvimento do processo de ressocialização, a arte, através desse projeto, tem demonstrado, na prática, o processo de reinserção social das pessoas privadas de liberdade no Piauí.

o Grupo de Teatro Mulheres de Aço e de Flores, da Penitenciária Feminina de Teresina, apresentou o espetáculo Colcha de Retalhos, no Teatro 4 de Setembro. Dez reeducandas encenaram a peça, dirigida por Valdsom Braga.

O grupo de teatro faz parte do projeto de ressocialização Mulheres de Aço e de Flores, desenvolvido há dois anos pela Secretaria de Justiça com apoio da gerência da Penitenciária Feminina.

Maria Evelino de 72 anos atuando no espetáculo.

Secretario de Justiça: Daniel Oliveira

Valdsom Braga foi o Roteirista, figurinista, cenógrafo e ainda atuou no espetáculo colcha de Retalhos.


Compartilhar Tweet 1



O Mestre na arte da vida faz pouca distinção entre o seu trabalho e o seu lazer, entre a sua mente e o seu corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião. Ele dificilmente sabe distinguir um corpo do outro. Ele simplesmente persegue sua visão de excelência em tudo que faz, deixando para os outros a decisão de saber se está trabalhando ou se divertindo. Ele acha que está sempre fazendo as duas coisas simultaneamente.

O canal Arte Viva tem o objetivo de transforma a vidas das pessoas pela Arte. Com aulas simples
qualquer pessoa vai poder fazer belíssimas peças artísticas além de desenvolver suas habilidades
subjetivas com os exercícios que iremos fazer.

Vamos aprender a fazer o chapéu de umas das personagens do nosso espetáculo COLCHA DE RETALHOS que entrará em cartaz a partir do dia 08 de Março em comemoração a semana da mulher.

Confira o VT do passo a passo


Compartilhar Tweet 1



Detentos da Irmão Guido têm acesso a oficinas de arte

A Secretaria de Justiça inaugurou, no presídio, a Casa da Arte, projeto voltado ao desenvolvimento de atividades artísticas e visuais

 

A Secretaria de Justiça do Piauí inaugurou, na manhã desta quinta-feira (23), a Casa da Arte da Penitenciária Regional Irmão Guido. O espaço será utilizado para realização dos projetos voltados à ressocialização que envolvem atividades artísticas e visuais, como pintura, escultura e aula de teatro.

Na ocasião, também foram entregues aos reeducandos os certificados de projeto de teatro Espelho da Realidade, desenvolvidos na unidade. Os próprios detentos participaram da reforma do espaço onde funcionarão as oficinas e trabalhos artísticos.

Os internos da Irmão Guido também participam de atividades e programas de educação, cursos profissionalizantes e ajudam em tarefas internas. “Nós estamos aqui, mas, ainda assim, temos a oportunidade de sermos transformados por projetos como esses”, diz o detento José de Jesus.

O arteeducador Valdsom Braga, que coordena os projetos artísticos da Secretaria de Justiça do Piauí nos presídios, observa que a ideia central do projeto Casa da Arte fomentar a produção artística dentro do sistema prisional, gerando oportunidade de aperfeiçoamento pessoal e profissional.

“Aqui iremos fazer arte, conversar sobre a vida e abordar atividades que façam os reeducandos refletirem sobre como recomeçar, se transformar e, dessa forma, poderem retornar preparados para o convívio harmonioso com a sociedade”, explica Valdsom.

O secretário de Justiça do Estado, Daniel Oliveira, destaca que ações como essa possibilitam vislumbrar um sistema penitenciário melhor, humanizado e, efetivamente, proativo no tocante ao processo de ressocialização. Para o gestor, a Casa da Arte serve de modelo para o restante do país.

“Acreditamos que cada um que participa desse projeto merece a oportunidade de se descobrir artista e, dessa forma, os reeducandos tornam-se pessoas melhores, ao entrarem em contato com as artes cênicas ou nos demais projetos desenvolvidos pela Secretaria”, pontua.

Além de colaboradores da Secretaria de Justiça e da Penitenciária Irmão Guido, participaram do evento o subsecretário de Justiça, Carlos Edilson Sousa; o juiz da Vara de Execuções Penais, José Vidal Freitas; e o deputado estadual Dr. Hélio Oliveira (PR).


Compartilhar Tweet 1



Formado por mais de 80 detentas da Penitenciária Feminina de Teresina, o projeto Mulheres de Aço e de Flores se prepara para apresentar, publicamente, um novo espetáculo teatral. A peça Colcha de Retalhos, que fará alusão à escrava piauiense Esperança Garcia, conta histórias de mulheres em processo de transformação, afirmação e redenção, através dos relatos de vida das reeducadas.

Na trama, as atrizes trazem depoimentos poéticos que contam sobre as injustiças e violências sofridas pelas mulheres em todo o mundo – abusos verbais e físicos, traumas de infância e outras agressões. A homenageada do espetáculo, Esperança Garcia, viveu na região de Oeiras, no século XVIII. A escrava se tornou um dos principais símbolos de resistência à escravidão no Piauí, tendo escrito carta ao seu senhor reclamando de sua condição.

De acordo com o ator e artista plástico Valdsom Braga, coordenador dos teatrais no sistema prisional do Piauí, o novo espetáculo dá continuidade à proposta do fundamental do projeto Mulheres de Aço e de Flores, que é o de convidar a sociedade a refletir sobre a condição da mulher e sua busca por empoderamento. “O espetáculo vai mudar a forma como muitas pessoas enxergam o espaço social onde vivem”, pontua.

Em 2015, o projeto Mulheres de Aço e de Flores apresentou a peça Cartas de Minha Vida, uma alusão à vida e obra da pintora mexicana Frida Khalo. A reeducanda Eliane Resende atuou como atriz nessa peça e também participará do novo espetáculo. “O teatro é uma das minhas atividades preferidas, aqui. Eu descobri em mim uma aptidão que, lá fora, não conhecia e ainda tenho a possibilidade de ser bem vista pela sociedade”, diz.
O secretário de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira, destaca que o grupo de teatro abre novas possibilidades para o desenvolvimento do processo de reintegração social das mulheres privadas de liberdade, ao despertar o potencial artístico delas. “O projeto é essencial para a transformação e ressocialização das reeducandas, colaborando, ainda, para dar uma outra visão da sociedade à questão prisional”, observa o gestor.
O figurino da peça, feito de material reciclado, foi confeccionado pelas próprias detentas e por Valdsom Braga. A peça Colcha de Retalhos será encenada por sete atrizes e por Valdsom, que é também diretor e produtor do espetáculo. A apresentação será no dia 9 de março, às 19h30, o Theatro 4 de Setembro, e faz parte da programação estadual do Mês da Mulher. A renda arrecada com a venda de ingressos será destinada a projetos de ressocialização.


Compartilhar Tweet 1



Valdsom Braga presentei visitantes da exposição de releitura de Frida Kahlo neste ultimo sábado com uma obra de arte desenhada ao vivo.

A exposição Releitura de Frida Khalo continua na Montmartre até o dia 16/02. Estamos abertos de segunda a sábado das 09h às 19h. Rua Prof. Pires Gayoso, 689, Bairro Noivos.

Alem das obras de arte você também pode adquirir arte utilitária para decorar sua casa.

no ultimo sábado 28/01, na Montmartre Arte e Galeria. os visitantes ganharam uma arte exclusiva feita na hora pelo artista visual Valdsom Braga

Confira quem passou por lá:

Saiba tudo sobre a exposição Releitura de Frida Khalo, de Valdsom Braga, na Montmartre até o dia 16/02. http://migre.me/vWLNM


Compartilhar Tweet 1



Exposição de Releitura de Frida Kahlo por Valdsom Braga ficara em Teresina ate dia 16 de fevereiro, na Galeria de arte Montarte que fica na rua: Pires Gayoso Numero: 689 Bairro : Noivos .

Confira quem já passou por lá:

Inspire-se! Venha apreciar a exposição “Releitura de Frida Khalo” do artista Valdsom Braga. Na Montmartre até o dia 16/02. Rua Prof. Pires Gayoso, 689, Bairro Noivos.

A Montmartre recebe até o dia 16/01 a exposição ''Releitura de Frida Kahlo'' do artista Valdsom Braga. Venha apreciar. Rua Prof. Pires Gayoso, 689, Bairro Noivos / (86) 9 8855 - 8626.

peças utilitárias que podem ser adquiridas na exposição de releitura de Frida Kahlo

Arte Utilitária que pode ser adquirida durante a visita na exposição

Artista Gina Castelo Branco com Valdsom Braga

Exposição Imersão sob Cores · 09/01/2017 - 12h36

As Aguadas de Gina Castelo Branco


Compartilhar Tweet 1



Exposição Imersão sob Cores

As Aguadas de Gina Castelo Branco

Gina nos presenteia com sua mais recente "Série Aguadas" - a criação em diálogo com o seu interior. Novas nuances que se misturam e nos remetem a imaginar, sentir a fruição provocada e despida dos limites.

Importante destacar a versatilidade entre a criação e o contemporâneo. Todo artista tem suas fases, momentos que influenciam em sua arte e que vão se lapidando em diversos modos de apresentação, formas, traços, cores e temas, as vezes abordando o figurativo, outras abordando o social ou o entorno do artista, e também abordando a interiorização de quem cria.

É o caso de Gina, nessa fase, ela apresenta o desejo em mostrar o seu conteúdo interior por intermédio da abstração, e vai muito além, pois esse desejo se materializa em mediação para a sensibilização no momento de apreciação.

Sensibilizar o seu público faz parte de uma das etapas do processo artístico. Ela nasce quando o artista está comprometido em deglutir as energias de seu entorno. A sensibilização é o resultado desse estado de emancipação do espirito, é a entrega total do criador para o seu público, de forma intensa, continua e comprometida com a arte.

A abstração marcante nos trabalhos de Gina Castelo Branco, apresentam técnica mista acompanhada de leveza, suavidade e a interação das cores que se acoplam por gestos

O Artista Visual Valdsom Braga em visita a Galeria de artes de Gina Castelo Branco.

Visite você também a galeria na Av: Prof. Pires Gayoso , Numero: 689 Bairro: Noivos Contato: (86) 98813 0020 Atendimento das 9:00 as 19:00 horas .


Compartilhar Tweet 1



Exposição Releitura de Frida Kahlo é destaque em Teresina

De 17 de Janeiro a 16 de Fevereiro Teresina terá a oportunidade de ver de perto à exposição Releitura de Frida Kahlo por Valdsom Braga. A exposição do artista plástico traz propostas inéditas com sua licença poética e cores vibrantes, que é a sua marca registrada. Frida foi à grande inspiração utilizada por Valdsom devido sua história de luta e superação, e por fazer da arte o seu grande escape.

A história de vida de Frida se relaciona diretamente com a vida das reeducadas da penitenciaria feminina de Teresina. Após ter realizado trabalho de repercussão nacional através da arte de ressocialização no sistema prisional piauiense, o artista retrata em suas telas, imagens de Frida com semblantes diferenciados, fazendo de cada obra única.

“Fui impactado pela história de Frida depois de uma viagem feita a Buenos Aires, em 2014, quando visitei o Museu da América Latina, e me deparei com uma obra original da pintora. Como então estudante do curso de Artes Visuais, me aprofundei em sua história, e fique surpreso de encontrar em sua arte, tamanha expressividade e no seu diário, palavras que se eternizam com grande Franqueza”, afirmou Valdsom.

Para Valdsom outro diferencial desta exposição é que as estampas das telas serão utilizadas também como material utilitário; canecas, xícaras, almofadas, chaveiros, e etc.

“Fique honrado ao receber o convite para expor minhas pelas na galeria da artista Gina Castelo Branco, recentemente inaugurada e quero convidar a todos para conferir o trabalho de perto”, finalizou.

A Exposição terá inicio no próximo dia 17 de Janeiro, na Galeria de Artes Monte Martre, na Avenida Professor Pires Gayoso, Bairro dos Noivos, 689. Horário de visitação: Das 9 às 19h Informações: (86) 98813-0020.

Lançamento de Livro

Durante a exposição Releitura de Frida Kahlo o artista plástico Valdsom Braga também irá lançar o livro; A Frida que Mora em Mim, resultado de pesquisas realizadas no sistema prisional e frases deixadas no diário de Frida.

Exposição Frida Kahlo · 30/12/2016 - 10h00

Exposição de Releituras de Frida Kahlo acontecerá em Teresina-PI


Compartilhar Tweet 1



Exposição de Releituras de Frida Kahlo acontece em Teresina dos dias 16 de janeiro á 16 de Fevereiro.

vale apena conferir

Releituras feitas pelo artista visual Valdsom Braga.

Dia 16 de janeiro á 16 de fevereiro Será a exposição de releituras da #Frida. Espero todos os amigos lá.


Compartilhar Tweet 1



Primeiro filme brasileiro gravado com atores em carcere privado.

Filme piauiense sobre história de detenta será apresentado em mostra
Filme “A dor que mora em mim” é baseado na historia real de Rafaela.
Longa tem 70 minutos, conta com a participação de 82 reeducandas.

Um filme piauiense que conta a história de uma detenta problemática será apresentado na Mostra Cinema e Direitos Humanos, festival da Secretaria Especial de Direitos Humanos do Ministério da Justiça e Cidadania que será realizado etre novembro de 2016 e janeiro de 2017.
Longa-metragem tem 70 minutos (Foto: Ascom/Sejus)
Longa-metragem tem 70 minutos
(Foto: Ascom/Sejus)
Apesar de uma obra de ficção, o filme “A dor que mora em mim” é baseado na historia real de Rafaela Gregório, detenta que causou distúrbios pelas penitenciárias por onde passou e, atualmente, faz parte do projeto de ressocialização pelo teatro Mulheres de Aço e de Flores.
O longa-metragem tem 70 minutos, conta com a participação de 82 reeducandas do projeto de teatro da Penitenciária Feminina mais atores convidados. Segundo Valdsom, a ideia da película surgiu após a apresentação da peça teatral Cartas de Minha Vida, encenada publicamente pelas detentas.
“A preparação foi bem diferente da feita para a peça, já que são linguagens distintas, a preocupação de não olhar para a câmera, de falar normal, dentre outros aspectos”, explicou Valdsom Braga, coordenador do projeto Mulheres de Aço e de Flores, além de diretor e produtor do filme
O longa conta a história de Rafaela a partir de sua chegada à Penitenciária Feminina, dos projetos dos quais ela faz parte e expressa o processo de mudança das reeducandas. Na obra, cada detenta que atua como atriz vive a própria história.
O projeto Mulheres de Aço e de Flores existe há mais de um ano e é desenvolvido pela Secretaria de Justiça do Estado e pela gerência da Penitenciária Feminina de Teresina. Para o secretário de Justiça, Daniel Oliveira, “o filme abre novas possibilidades para o desenvolvimento do processo de reintegração social no Piauí, fomentando o potencial artístico das reeducandas”.

Meu mundo se resume nesse pequeno espaço, eu achava que lá fora era a minha liberdade, mas aqui descobri que sempre fui presa". o Filme - A dor que mora em mim , conta a história de Rafaela Gregório e sua transformação comportamental dentro do sistema prisional através da ressocialização pela arte.

Um filme de Valdsom Braga


Compartilhar Tweet 1



Artista visual Valdsom Braga faz Releitura de Frida Kahlo.

Em Vitoria_ES

Valdsom Braga e Andréa Vargas

Galeria permanente na base da Escola Avalanche em Vitória - ES.
A obra que tem uma licença poética proposta pelo artista conta com a invenção de um casulo no primeiro quadro e no segundo uma borboleta em uma gaiola. E no terceiro, a borboleta voando em liberdade em busca de sua verdadeira identidade. Uma reflexão sobre a verdadeira liberdade.

A Galeria sendo prestigiada pelos alunos da escola Avalanche em Vitoria _ ES