Saiba os tipos de lucro · 17/11/2020 - 16h06

Qual a diferença entre lucro real e lucro presumido?


Compartilhar Tweet 1



Você sabe qual é a diferença entre lucro real e lucro presumido? Saiba que é muito importante conhecer essas duas opções de pagamento de tributos, visto que eles influenciam diretamente no desempenho da sua empresa. Veja a seguir um pouco mais sobre o assunto e tire as suas dúvidas.

 

Principais regimes de tributação

Regimes de tributação são regras que a empresa precisa seguir para fazer o pagamento dos impostos que a ela são atribuídos, como o IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) e o CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido). 

Existem três tipos de regimes de tributação e cada um deles atende um determinado perfil de empresa. São eles:

  1. Simples nacional: Direcionado para pequenos negócios que têm um faturamento de até 4,8 milhões por ano.
  2. Lucro presumido: Ideal para empresas com faturamento de até 78 milhões anuais.
  3. Lucro real: Regime tributário opcional para diversos tipos de empresa, mas obrigatório para aquelas com faturamento superior a 78 milhões por ano.

O que é lucro presumido?

O lucro presumido é um regime que se baseia em valores fixos de tributação para o IRPL e CSLL e não nos lucros obtidos, como é o caso do lucro real.

No lucro presumido, os ganhos só são envolvidos na apuração quando resultarem de aplicações financeiras. Nesse caso, as alíquotas são fixadas de acordo com o nicho de atuação da empresa. Veja:

  • 11,33% para negócios que oferecem prestação de serviços;
  • 5,93% para empresas comerciais e industriais.
  • As margens de lucro também são diferenciadas, de acordo com o nicho de atuação do negócio. A porcentagem fica assim:
  • 32% para empresas que atuam na prestação de serviços;
  • 8% para negócios comerciais e industriais.

O que é lucro real?

Nesse tipo de regime, o pagamento dos impostos (IRPJ e CSLL) é realizado diretamente em cima do lucro obtido durante aquele tempo de apuração. Por isso o nome do regime é lucro real, pois esse cálculo se baseia não em projeções, mas sim em fatos concretos.

A desvantagem do lucro real é que quanto mais a sua empresa fatura, mais impostos ela terá que pagar. Por outro lado, se a sua empresa não obtiver lucros ou ainda ficar no prejuízo, ela não precisará pagar os tributos. Isso porque, no lucro real, a apuração é feita a partir de um cálculo que leva em conta as receitas, despesas e custos da organização.

A adesão ao lucro real é mais adequado para os seguintes tipos de empresas:

  • Instituições bancárias;
  • Empresas de factoring;
  • Corretoras de títulos;
  • Empresas de seguros privados e outras.

Como escolher o melhor regime para a sua empresa?

Em primeiro lugar, se a sua empresa for de pequeno porte e atingir o lucro anual de até 4,8 milhões, o ideal é optar pelo Simples Nacional, que é um mecanismo que oferece vantagens ao microempreendedor.

Se o seu lucro for acima de 78 milhões anuais, a opção é aderir ao regime de lucro real. Porém, se você puder optar entre o lucro real e o lucro presumido, a dica é analisar as vantagens e as desvantagens de cada um e ver o que é mais importante para o seu negócio.

O lucro real, por exemplo, é mais interessante para instituições que têm pouco ou nenhum lucro em determinado período. Assim, o tributo pago será menor, causando menos prejuízo ao gestor. Por outro lado, este regime exige um acompanhamento bastante minucioso de todas as transações.

Já o lucro presumido é mais atraente para empresas que têm um ótimo lucro anual. O gestor não vai pagar os tributos em cima do que faturou, mas com base em valores pré-fixados, o que reduz bastante o custo. Mas, nem todas as atividades se enquadram nesse tipo de regimento. É importante dizer que empresas que atuam no ramo financeiro ou que tenham capitais provenientes do exterior, não podem optar pelo lucro presumido.

Como visto, o lucro presumido e o lucro real são tipos de regimes tributários que precisam ser escolhidos pelo gestor de acordo com as características de sua empresa e levando em conta, principalmente, os benefícios de cada um destes regimes.

Também é importante saber que ao optar por um determinado perfil tributário é preciso segui-lo durante todo o ano vigente, não sendo possível alterá-lo. Isso reforça a necessidade de fazer uma escolha correta para evitar prejuízos futuros.

Conteúdo escrito pela Gomide Contabilidade.
Especialistas em Lucro Real


Comentários