Clima ferveu no plenário · 16/05/2018 - 15h02 | Última atualização em 16/05/2018 - 15h31

Nerinho diz que Marden só quer mídia e tucano rebate: Ninguém da minha família foi preso


Compartilhar Tweet 1



Como classificou o próprio deputado Marden Menezes, há tempo que o termômetro na Assembleia Legislativa não ficava tão aquecido como durante a sessão desta quarta-feira (16/05). Depois que o tucano protagonizou um embate contra Evaldo Gomes (PTC), foi a vez de confrontar Nerinho (PTB), depois que o petebista acusou o tucano de engavetar propostas de interesse do governo.

Estava na pauta um pedido de urgência para tramitação do projeto de parceria público-privada para o ginásio Verdão. Depois de muito toma lá, dá cá, eis que Nerinho mencionou a intenção da oposição em alongar os debates para esvaziar a sessão. E mais, que Marden estaria protelando o projeto da PPP.

Logo o tucano rebateu, disse ter pedido vistas em outro projeto - o da PPP do Albertão - e acusou Nerinho de “mentir descaradamente” sobre a situação, sendo que em março - quando houve o pedido - o petebista sequer havia assumido o mandato na Alepi.

Nerinho, que havia deixado o plenário, voltou a ser informado das declarações de Marden, e pediu a palavra, dizendo que o tucano é “calunduzeiro” - teimoso - e gosta de mídia, pedindo respeito do parlamentar de oposição.

“Só quero uma coisa, respeito, mas do jeito que tocar eu danço”, disse o petebista.

Marden novamente se pronunciou e disse que o deputado tocou em assunto que não tem conhecimento, e disse que se está na mídia, é porque tem atuação parlamentar. “Se vossa excelência não consegue, tem que avaliar a condução do seu trabalho”. E alfinetou Nerinho, ao dizer que “ninguém da minha família foi preso até hoje”.

Vendo o clima quente, o deputado Robert Rios (DEM) chegou a pedir que a sessão fosse encerrada, mas Themístocles Filho, presidente da Casa, mais uma vez deu a palavra  a Nerinho. “Vou começar pelos finalmentes, ele veio falar que ninguém da família foi preso. Meu pai foi, tá aqui o secretário Robert Rios, da época. Preso porque um advogado perdeu o prazo de entrar com o recurso”, disse.

José Neri de Sousa, ex-prefeito de Picos, foi preso em 2007, por acusações do Ministério Público Federal, pela prática de crimes durante a gestão.

O deputado petebista disse que ia manter o respeito a Marden, em consideração ao seu pai, Luiz Menezes, prefeito de Piripiri, e sobre sua atuação, disse que não defende qualquer projeto. “Fazer projetos firulas, projetos bestas, tô aqui para defender o povo do Piauí, fazer com que o Piauí cresça e se desenvolva. Mas se quiser ir para o enfrentamento, tamo junto [sic]”.

Comentários