Registros de TCOs pela PM · 19/10/2018 - 11h25 | Última atualização em 19/10/2018 - 16h08

Para chefe do MP, sindicato dos delegados coloca a população em segundo plano


Compartilhar Tweet 1



O Procurador Geral de Justiça do Piauí, Cleandro Moura, se manifestou através de nota sobre a decisão do juiz Rodrigo Alaggio Ribeiro, da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda, que suspendeu a recomendação do Ministério Público à Polícia Militar, para que a corporação fizesse registro dos chamados Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO).

    Foto: Divulgação/ MPPI

Na nota, Cleandro reclama principalmente da postura do Sindicato dos Delegados de Polícia Civil, que contestou a recomendação do MP. Para o PGJ, uma “defesa corporativa intransigente, coloca o interesse da população em segundo plano”.

Argumenta que com a atribuição exclusiva à Polícia Civil para a lavratura dos TCOs, “muitas pequenas ocorrências sequer chegam ao conhecimento das autoridades”, e assim “a população, vítima da  violência, se sente desestimulada a ter que procurar uma delegacia mais próxima, que no interior, na maioria dos casos, fica a quilômetros de distância”.

E cita ainda a Lei nº 9.099/95 (Lei dos Juizados Especiais), que para o MP é “muito clara” em seu art. 69, ao determinar “que qualquer autoridade policial poderá lavrar TCO, que se refere tão-somente aos delitos cuja pena máxima não ultrapasse 02 anos”. Também menciona o caso de Santa Catarina, onde registro é feito de forma on-line, no próprio local  do crime, com a utilização de tablets pelos PM's.

“Portanto, tal medida não pode ser considerada um retrocesso e sim, um grande avanço em prol da sociedade”, argumenta o Ministério Público.

Segundo o procurador, o MP irá tomar todas as providências cabíveis para garantir a eficácia da Recomendação, e ainda levar o caso ao Conselho Nacional de Justiça.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Deputado federal reeleito pelo PSB, Átila Lira disse que Luciano Nunes (PSDB) tinha o apoio de apenas quatro prefeitos na eleição para governador do Estado.

“Sabe quantos prefeitos nós tínhamos, meus amigos? Chorem! Não chorem por que vocês se encantaram com essa maioria ficcional. Nós tínhamos 4”, contou em entrevista à TV Meio Norte.

    Foto: Agência Câmara

Ele argumenta que a derrota da oposição nas urnas é fruto de "governão poderoso”, um verdadeiro “rolo compressor organizado”.

“É conversa fiada esse negócio de estratégia. É falta de força de governo. Tem tem governo num estado pobre, sai na frente”. O parlamentar lamentou ainda que sem muitos candidatos disputando na chapa encabeçada por Luciano, a campanha acabou não ganhando corpo.

Pela oposição, foram eleitos apenas Átila Lira e Dra. Marina (PTC), da coligação de Dr. Pessoa (SD).

Comentar
CCJ irá analisar proposta · 18/10/2018 - 14h18

Deputado do Progressistas propõe cidadania piauiense ao ministro Baldy


Compartilhar Tweet 1



A Comissão de Constituição e Justiça irá analisar o projeto de Decreto Legislativo do deputado estadual Júlio Arcoverde, do Progressistas, para concessão de título de cidadania piauiense ao ministro das Cidades, Alexandre Baldy.

Na justificativa, o parlamentar diz que o ministro alocou em 12 meses mais de R$ 1 bilhão em contratos celebrados com 70 municípios do Piauí, através do programa Avançar Cidades, além das unidades habitacionais autorizadas.

    Foto: Marcos Corrêa/PR

 

Comentar
Novidade não pegou · 18/10/2018 - 12h00 | Última atualização em 18/10/2018 - 16h23

Diário Eletrônico da APPM tem edição com apenas três páginas


Compartilhar Tweet 1



A edição do Diário Oficial da APPM, lançado como serviço alternativo às prefeituras ao Diário Oficial dos Municípios, tem apenas 3 páginas na edição desta quinta-feira (18/10).

As publicações são apenas da prefeitura de São João do Piauí, gerida pelo atual presidente da APPM, Gil Carlos.

Enquanto isso, a edição de hoje de seu concorrente direto tem mais de 320 páginas.

Foi maiorzinho na terça (16), quando tinha 17 páginas.

O Diário da APPM foi lançado há pouco mais de um ano, e pelo visto não ganhou ainda a adesão desejada.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



O site Poder360 traz o piauiense Ciro Nogueira como um dos cotados para a disputa pela presidência do Senado Federal.

Lista que inclui Renan Calheiros (MDB), Cid Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB) e Tasso Jereissati (PSDB).

    Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Ao blog, o senador Ciro não confirmou nem negou intenção de concorrer. Mas disse que só pretende tratar da questão após o segundo turno das eleições presidenciais, colocando como “imprevisível” qualquer sinalização de apoio agora.

Não é o que pensa Renan, que segundo Poder360 estaria até contabilizando votos.

Comentar
Atual presidente do diretório · 18/10/2018 - 10h03 | Última atualização em 18/10/2018 - 15h42

Sérvio fala de assédio ao comando do PSL no Piauí, mas diz confiar em Bolsonaro


Compartilhar Tweet 1



Presidente do PSL no Piauí, o jornalista Fábio Sérvio disse que não tem a intenção de ser um entrave nas negociações entre o governo do Partido dos Trabalhadores no estado e uma eventual presidência de Jair Bolsonaro (PSL).

“Vou ser um grande entrave para a corrupção, para o desvio de finalidade e para tudo que for ruim para o povo do Piauí. Para tudo que for positivo, para melhorar a vida das pessoas, melhorar a mobilidade urbana, saúde e educação, a gente vai ser uma ponte de apoio institucional”, disse em entrevista ao 180graus.

O governador reeleito Wellington Dias e o jornalista são adversários antes mesmo da disputa pelo Palácio de Karnak, acirrada principalmente pelas denúncias que estampavam a capa do jornal Diário do Povo, de propriedade de Fábio Sérvio.

Ruptura

Destaca ainda que o que Bolsonaro propõe é um modelo de ruptura, de novas práticas com as quais os políticos tradicionais não estão acostumados. A começar pelo fortalecimento dos municípios como forma de fragilizar as relações de promiscuidade que se refletem no processo eleitoral.

“A visão dele em relação a verbas federais é fortalecer os municípios, que gera liberdade e uma eleição limpa lá na frente. Acho que isso vai ficar muito claro”, reforça.

Disputa no diretório

A possibilidade de Bolsonaro chegar ao governo tem provocado uma corrida nos estados pela presidência dos diretórios nos estados. E no Piauí não é diferente. Sérvio acredita que, apesar do assédio, não deve ter mudanças no comando do PSL no estado.

“Confio plenamente em todas as decisões que Jair for tomar”, diz. O jornalista se coloca como “soldado” do presidenciável e avalia seu bom trabalho no enfrentamento ao Partido dos Trabalhadores.

 

Comentar
'Veín' de novo contra o PT · 18/10/2018 - 08h58 | Última atualização em 18/10/2018 - 15h42

Apoio de Elmano a Bolsonaro não surpreende W.Dias


Compartilhar Tweet 1



O governador Wellington Dias (PT) não quis polemizar ao tratar da escolha do senador Elmano Férrer (Podemos) em declarar apoio a Jair Bolsonaro, candidato do PSL à presidência da República.

"Democracia é isso. Acho que cada pessoa deve fazer suas reflexões, tomar sua decisão. Quero seguir com aquilo que conheço, dando meu testemunho", disse o governador em entrevista à TV Cidade Verde.

O anúncio é mais um duro golpe ao petista, que em 2014 ajudou a eleger o "véin" como senador, quando  Elmano contou com o apoio inclusive do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para 2018, o senador abandonou a base governista, trocou de partido e ainda saiu concorrendo contra Wellington ao governo do Piauí. Mas, estando do outro lado, acabou ficando em quinto lugar nas urnas, atrás até mesmo do candidato do PSL, Fábio Sérvio.

Comentar
Equatorial chega ao Piauí · 17/10/2018 - 15h56 | Última atualização em 17/10/2018 - 16h24

Novo presidente da Cepisa é cearense e já foi diretor da Cemar


Compartilhar Tweet 1



É do Ceará o novo presidente da Cepisa, Nonato Castro.

Foi diretor de distribuição da CEMAR e presidente da CELPA, duas empresas que fazem parte da Equatorial Energia, as quais a holding se orgulha de ter conseguido recuperar.

Nonato se diz conhecedor do Piauí, e em entrevista não quis fazer "promessas enganosas", mas fez o compromisso de se dedicar pela melhoria dos serviços nesta nova fase da distribuidora.

"Temos uma história para falar por nós", diz.

Comentar
Troca da diretoria · 17/10/2018 - 15h28

Equatorial vai manter nome Cepisa


Compartilhar Tweet 1



Diferente do que aconteceu com a Agespisa, que com a subconcessão dos serviços na capital se transformou em Águas de Teresina, a Cepisa terá seu nome preservado pela Equatorial Energia. Uma volta às origens, já que nos últimos anos até nos acostumamos a chamar de Eletrobras Piauí.

Comentar
Troca de comando · 17/10/2018 - 13h38 | Última atualização em 17/10/2018 - 17h32

Cepisa | "A gente não veio prometer milagres", diz presidente da Equatorial


Compartilhar Tweet 1



A presidência da Equatorial Energia apresentou em coletiva nesta quarta-feira (17/10) os detalhes da conclusão do processo de compra da Companhia Energética do Piauí (CEPISA), leiloada em julho pelo valor simbólico de R$ 50 mil. Agora oficialmente como acionistas majoritários, a holding fez um aporte no valor de R$ 720 milhões a serem revertidos em investimentos e promete tirar a distribuidora da lista das piores do país. 

    Foto: Apoliana Oliveira/180graus

Com o Piauí, a empresa que já administra a Companhia Energética do Maranhão (Cemar), no Maranhão, e a Centrais Elétricas do Pará (Celpa), no Pará, chega à marca de 6,5 milhões de clientes. "Um trabalho pulverizado, que exige expertise, graças ao aprendizado que tivemos, o sucesso que tivemos em outros ativos", destaca o presidente da Equatorial Energia, Augusto Miranda.

Prometendo jogar aberto com os piauienses, Augusto diz que a Equatorial não garante operar milagres. "A gente não veio prometer milagres, estamos chegando e analisando as condições reais, e vamos fazer nosso planejamento para avançar". Ontem o grupo esteve reunido com o governador Wellington Dias (PT), no Palácio de Karnak, quando foi expressado o compromisso de alinhar os futuros investimentos ao plano de desenvolvimento do estado.

Temor dos funcionários

E enquanto acontecia a coletiva no auditório da Cepisa, os trabalhadores da distribuidora faziam manifestação, justamente por questionarem o processo como se deu a venda para a Equatorial. O processo é questionado desde que foi lançado o edital, até o leilão, quando somente a proposta da atual acionista majoritária foi apresentada. Na justiça, explica o presidente do Sindicato dos Urbanitários, são mais de 16 processos ajuizados.

"Os trabalhadores da Cepisa, que vem fazendo com muita responsabilidade, a distribuição e manutenção de energia no estado do Piauí, esperam ter um tratamento deste novo grupo controlador, que seja respeitado o nosso direito. Nós temos acordo coletivo, temos um quadro renovado, e tem uma parte dos trabalhadores aposentados esperando para ter a oportunidade do plano de desligamento, então é assim que a gente vem acompanhando todo esse processo", explica Paulo.

 

Comentar
Sob protestos do sindicato · 17/10/2018 - 09h57 | Última atualização em 17/10/2018 - 10h07

Equatorial Energia assume diretoria da Cepisa


Compartilhar Tweet 1



A Equatorial Energia assume nesta quarta-feira (17/10) a diretoria da Companhia Energética do Piauí. Todos os detalhes da transação serão dados em coletiva que acontece no final da manhã. Enquanto isso, o Sindicato dos Urbanitários realizam protesto, em assembleia permanente, contra a venda da distribuidora de energia. Na coletiva estará presente o novo presidente da Cepisa, Nonato Castro.

Paulo Sampaio, presidente do Sindicato, alega que o processo de venda da Cepisa foi marcado por irregularidades, feito de forma açodada, na pressa da presidência da República em “entregar” a companhia.

A Cepisa foi leiloada pelo valor simbólico de R$ 50 mil em julho, e a Equatorial foi a única a fazer lance. A promessa é que com a capitalização da empresa, o consumidor possa ser beneficiado com redução de até 8,5% na tarifa. Além disso, a empresa pagará ao Tesouro Nacional o valor de R$ 95 milhões em outorga. Além da Cepisa, que passa a controlar, a holding comanda também a Companhia Energética do Maranhão (Cemar), no Maranhão, e a Centrais Elétricas do Pará (Celpa), no Pará.

Senado rejeita privatizações

Na sessão de ontem, o Senado Federal rejeitou o projeto de autoria do governo federal, que permitiria a privatização de seis distribuidoras de energia controladas pela Eletrobras.O texto tinha o objetivo de resolver pendências jurídicas para despertar o interesse de investidores pelas empresas, principalmente as instaladas na região Norte.

Ao final da votação nominal, foram 34 senadores contrários à matéria e apenas 18 favoráveis.

Sindicato vê vitória

Para Paulo Sampaio, a decisão do Senado foi um ganho político importante para a venda que vem sendo questionada em diversos processos já levados à Justiça. Os efeitos do resultado desta votação está agora sendo analisados pela assessoria jurídica do Sindicato, que ainda não desistiu de reverter a venda da distribuidora.

Comentar
Só reassume em novembro · 17/10/2018 - 09h04 | Última atualização em 17/10/2018 - 15h42

De volta a Brasília, Elmano trata com ministro de obra do contorno rodoviário


Compartilhar Tweet 1



Terminada a disputa eleitoral, Elmano Férrer já está de volta a Brasília. Apesar de não ter ainda retomado o mandato no Senado, ontem se reuniu com o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, para tratar das obras do Contorno Rodoviário de Teresina.

Com a primeira parte da obra licitada e homologada, a previsão é que os trabalhos iniciem ainda em 2018, para o trecho que abrange a duplicação no trecho da Ladeira do Uruguai até a ponte sobre o Rio Poty, incluindo os elevados na rotatória do Mercado do Peixe e na rotatória que dá acesso à ponte Anselmo Dias, um total de 5,2 km.

A obra, segundo Elmano, ai ser executada junto com o DNIT. O plano é facilitar o fluxo de 13 mil veículos que circulam na região diariamente. 

A audiência contou com a presença do senador em exercício José Amauri, que deixará o cargo em 10 de novembro para a volta de Elmano ao Senado.

Comentar
Ação do Governo do Estado · 17/10/2018 - 08h44 | Última atualização em 17/10/2018 - 15h40

Marden critica ação judicial que pretende anular o chamamento de policiais civis concursados


Compartilhar Tweet 1



Colaboração | Dhayrine Borges

Em sessão plenária realizada nesta terça-feira (16/10), o deputado estadual Marden Menezes (PSDB) disse que foi procurado em seu gabinete por um grupo de concursados, alertando sobre a iniciativa do governo estadual para anular na justiça a convocação de aprovados para a polícia civil.

"Há um processo tramitando no Tribunal de Justiça, o julgamento seria ontem, me parece que o relatório do desembargador Dr. Alencar, esse julgamento foi adiado mas já antecipo a minha preocupação diante do déficit que nós temos de policiais civis e da ação do governo de cancelar, em anular o chamamento desses concursados que já estão prestando serviço à sociedade piauiense como policiais civis", declara o deputado. 

Segundo Marden, a ação prejudica não só os concursados como também toda a sociedade que vive com uma deficiência enorme. Para ele, a necessidade é de contratação de mais homens e mulheres para a Polícia Civil. 
 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Dr. Pessoa (SD) acusou como perversa a informação de que estaria abandonando a política após ter sido derrotado nas urnas, na disputa pelo governo do Piauí.

"Tenho a declarar que é fake news, e perverso, inclusive. Eu nunca falei isso aí", garante.

O deputado estadual afirma ainda que não vem fazendo conjecturas para uma candidatura em 2020 à prefeitura de Teresina.

"Estou organizando a minha casa, como médico", diz. Ele ainda acusa esse tipo de especulação como coisa de "quem não tem o que fazer".

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Para tratar da conclusão da BR-222, trecho no norte do estado do Piauí, o presidente da Assembleia Legislativa se reuniu no dia de ontem com o presidente Michel Temer.

Na audiência esteve acompanhado do deputado federal eleito Marcos Sampaio (MDB), do deputado estadual eleito Henrique Pires (MDB), e ainda do suplente Antônio Felix (PTC).

A obra de recuperação da rodovia vem sendo tocada pelo Exército Brasileiro, e na reunião Themístocles demandou por mais recursos para que os trabalhos sejam finalizados. Até agora, 37% da obra foi executada.

O grupo foi recebido ainda pelo Comandante Militar do Nordeste, General Artur Costa Moura, para também tratar sobre a conclusão da obra.

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Se os membros da família Martins de Campo Maior não foram vistos no evento convocado por Wellington Dias (PT), para afinar estratégia nesta campanha do segundo turno pela eleição de Fernando Haddad (PT), os irmãos da família Eugênio fizeram questão de comparecer, cumprimentar o governador pela reeleição como comandante da base aliada e ainda se comprometeram com a campanha pró-Haddad.

O encontro da tarde de ontem foi realizado no Hotel Arrey, com a presença de mais de 130 prefeitos, deputados eleitos e reeleitos, lideranças municipalistas e líderes de partidos da base governista. Ou seja, estava quase todo mundo lá, num ato que teve tom de comemoração.

E se pensarmos por esse lado, talvez os irmãos Paulo e Aluísio Martins não tenham muito que comemorar. Pelo contrário, passam pelo pior momento de suas trajetórias políticas. Para quem esperava mais de 12 mil votos em Campo Maior – teve a metade – e cerca de 30 mil em todo estado – obteve 19 mil – Paulo Martins não viu refletir nas urnas o apoio do governo do Estado, da prefeitura de Campo Maior, dos 6 vereadores, 48 suplentes e 39 presidentes de associações de moradores.

Sonhando alto, quando ainda era pré-candidato a deputado federal, os seus propagavam que ele Paulo estava sendo preparado pelo governador como postulante a sucessor no Palácio de Karnak. Mas em terra firme a disputa foi apertando. Tanto que convenceu o irmão no dia da convenção da base governista a desistir, para os dois tentarem pelo menos uma vaga na Alepi. Ficou com a 8ª suplência.

Passado o pleito, só resta a alguns de seus aliados culparem a má gestão do prefeito Professor Ribinha. Para evitar o ostracismo, Paulo luta agora, segundo fontes do blog, pelo comando da Secretaria de Desenvolvimento Rural. No mesmo sentimento de consolação de quando encerrou seu mandato na prefeitura de Campo Maior e ganhou de bandeja a Fundespi.

Mas voltemos aos irmãos Eugênio. Devan e Dernon seguiram o chamamento do diretório estadual do PR no sentimento pró-Haddad, mantendo a coerência do primeiro turno. E ao olhar para os números, com o bom desempenho do estreante Devan na disputa para deputado estadual, não demorou para que seu irmão, Dernon, fosse lançado pelos amigos como pré-candidato a vereador de Campo Maior.

No ato, a dupla posou com Dias e com o deputado federal reeleito Fábio Abreu, cuja votação em Campo Maior, tendo os irmãos Eugênio como apoiadores foi pra lá de satisfatória. Além de marcar território e demonstrar apoio à empreitada governista, Devan e Dernon irão agora trabalhar com foco nos eleitores que não compareceram no primeiro turno, seguindo a orientação de Wellington.

Comentar
Deputado fala em destempero · 16/10/2018 - 17h33 | Última atualização em 16/10/2018 - 17h43

Assis reage às declarações de Cid Gomes sobre o PT: "Poderia ter se calado"


Compartilhar Tweet 1



Como era de se esperar, o presidente do Partido dos Trabalhadores no Piauí, deputado federal reeleito Assis Carvalho, não gostou nadinha das declarações de Cid Gomes, cobrando “mea culpa” e lembrando aos petistas que Lula, seu maior líder, está preso.

“Poderia ter se calado”, disse em entrevista à TV Cidade Verde, classificando o comportamento de Cid Gomes como “destempero”.

Insistindo que o partido não errou além dos demais, acusa os poderosos pela rejeição ao PT e cita uma “onda de muito poder econômico” que “faz lavagem cerebral” nos eleitores.

“Todo governo tem erro, na casa da gente tem erro, na família da gente tem erro”, argumenta.

Comentar
Cenário político para 2019 · 16/10/2018 - 17h20 | Última atualização em 16/10/2018 - 19h52

Marden Menezes descarta possibilidade de disputa da oposição à presidência da Alepi


Compartilhar Tweet 1



Colaboração | Dhayrine Borges

O deputado estadual eleito, Marden Menezes (PSDB) disse na manhã desta terça-feira (16/10) que a oposição não possui um número suficiente para pensar em uma possível disputa à presidência da Alepi.

"O governo tem ampla maioria na casa, é indiscutível, são em torno de 26 parlamentares contabilizados, pelo menos é o que se prevê na base do atual governador para a próxima legislatura de forma que se vai haver disputa ou não, eu acho que isso vai ocorrer dentro da própria base do governo", declarou.

Segundo o emedebista, o melhor posicionamento é aguardar o desenrolar dos fatos. "Vamos ver se surgem candidaturas para a seu tempo nos posicionarmos da maneira mais adequada de acordo com o que queremos e pensamos para o futuro do Piauí", afirmou ele.

Comentar
1º Visita como deputado eleito · 16/10/2018 - 17h15 | Última atualização em 16/10/2018 - 17h19

Marcos Aurélio faz visita a Brasília e reforça compromisso com o crescimento do Piauí


Compartilhar Tweet 1



O deputado federal eleito Marcos Aurélio (MDB) cumpre agenda em Brasília juntamente com o presidente da Alepi, Themístocles Filho (MDB). Pela manhã participaram de reuniões com ministros. Em entrevista concedida à TV Cidade Verde, Marcos Aurélio fala sobre o empreendedorismo no seu plano de governo.

"Nós precisamos que o Governo do Estado, o governo federal, os municípios, todo poder público contribua para a geração de emprego, a geração de renda para a nossa gente, através das obras de infraestrutura, através de obras melhores como, por exemplo, a BR-222 que encurtará distancias entre grandes centros econômicos do Norte e Nordeste e vai trazer desenvolvimento para a região norte do Piauí", afirma.

Em seu mandato, o Marcos Aurélio pretende incentivar e atrair investimentos para o Estado, visando gerar mais oportunidades e crescimento para áreas como o turismo, a mineração, o agronegócio, dentre outras. "Basta o poder público como um todo fazer acontecer, contribuir para que essas oportunidades apareçam e beneficiem de fato a população", declarou ele.

 

Comentar
Bater cláusula de barreira · 16/10/2018 - 15h12 | Última atualização em 16/10/2018 - 16h15

PTC quer indicar membro para a executiva nacional na fusão com Patriota


Compartilhar Tweet 1



O deputado estadual Evaldo Gomes (PTC) vai se reunir na próxima semana com membros da executiva nacional do seu partido, e também do Patriota, para dar encaminhamento ao processo de fusão das duas legendas.

Com a fusão, o partido ultrapassa a marca dos dois milhões de votos, vencendo a cláusula de barreira, que nas próximas eleições será determinante para a distribuição de fundos para a campanha e a distribuição do tempo de propaganda.

A cláusula prevê que o partido precisaria alcançar 1,5% dos votos válidos nacionais ou a eleição de no mínimo nove deputados federais em pelo menos 9 das 27 unidades da federação.

No Piauí, o comando das siglas ficaria com o Evaldo, que preside o diretório petecista. Para a executiva nacional, irá propor a indicação de Marcos Vinícius, ex-prefeito de Novo Oriente que foi candidato a senador nestas eleições.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Acompanhado do deputado federal eleito, Marcos Aurélio Sampaio (MDB), do deputado estadual eleito Henrique Pires (MDB) e do suplente Antônio Félix (PTC), o presidente da Assembleia do Piauí, deputado Themístocles Filho (MDB) cumpre agenda nesta terça-feira (16/10) na cidade de Brasília.

Mais cedo teve reunião com o ministro da Integração, o piauiense Antônio de Pádua, tratando de demandas municipalistas.

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



De volta nesta terça-feira (16/10) aos trabalhos na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Robert Rios (PDT) dá sinais de que, até o final do seu mandato, continuará dando trabalho à base governista na condição de líder da oposição.

“Depois de mim eu não sei se alguém assume a oposição, mas enquanto e eu estiver aqui, serei oposição. Tenho convicção que esse governo é a maior desgraça para o Piauí”, disse o parlamentar.

Sem mandato
Derrotado na eleição para o Senado, tendo ficado em 4º lugar nas urnas, Robert pretende agora voltar à Polícia Federal.

Na sessão de hoje, após novo embate com o líder do governo, gritou com os braços para o alto. “Bolsonaro vai me trazer de volta pra Federal”.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Marden Menezes garante que não vota no Partido dos Trabalhadores neste segundo turno. Reeleito, o deputado estadual também não confirma se votará em Jair Bolsonaro (PSL), que disputa o segundo turno com Fernando Haddad (PT).

“Eu não voto no PT, já deixei isso claro. Entendo que é um retrocesso”.

Argumenta que trazer a legenda de volta ao poder colocaria em xeque o trabalho das instituições que hoje lutam no combate à corrupção.

“Meu caminho é o caminho contra a candidatura petista”, completa.

Comentar
Voto para presidência · 16/10/2018 - 10h49 | Última atualização em 16/10/2018 - 16h44

"Fico mais tranquilo em votar branco", afirma Firmino Filho em relação à segundo turno


Compartilhar Tweet 1



Colaboração | Dhayrine Borges

O prefeito Firmino Filho (PSDB) se posicionou na manhã desta terça-feira (16/10) acerca do segundo turno das eleições para Presidência da República, o mesmo declarou que ficará neutro, optando pelo voto em branco.

"Os dois projetos são muito distantes daquilo que eu imagino e acredito também que as duas alternativas para o nosso momento, acho que elas tornam a crise mais aguda, eu sou otimista em relação ao Brasil mas eu acredito que independente do resultado desta eleição, vamos passar momentos de muita dificuldade nos próximos anos", declarou.

Segundo ele, as duas opções de voto para o segundo turno trazem riscos para o funcionamento das instituições democráticas.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



O presidente do PPS no Piauí, Celso Henrique, atribui parte da derrota de Elmano Férrer (Podemos) na eleição para o governo do Piauí à falta de criatividade e mesmice da campanha com mote no “véin trabalhador”. 

“A questão do marketing dele, inclusive na época até fiz algumas considerações, acho que essa coisa do ‘véin trabalhador’, acho que tinha que ser mudada alguma coisa. Mas infelizmente algumas pessoas não gostam de pensar, são do copiar”, disse em entrevista ao 180graus.

Ele considera ainda que o afastamento de Elmano da campanha, quando no primeiro momento optou por desistir, também gerou desgaste. “Mas era um bom candidato, não fez ao longo da campanha nada que justificasse essa queda”, afirma.

Questionado se está arrependido de ter escolhido integrar a coligação de Elmano na campanha, diz que não. “Foi o único que dentro da nossa estratégia unia os outros partidos”. União essa que fez com que a chapinha elegesse dois deputados estaduais, incluindo Oliveira Neto, que é do PPS. “Graças a Deus tivemos êxito”, avalia.

 

Comentar