Sexo & Prazer

Aumentando o prazer · 19/03/2017 - 11h14

Novo lubrificante à base de maconha promete orgasmo por 15 minutos

Novo lubrificante à base de maconha promete orgasmo por 15 minutos


Compartilhar Tweet 1



Pois é: um lubrificante feito à base de maconha e óleo de coco garante um orgasmo de 15 minutos. Você não leu errado! As usuárias que já testaram o produto, aliás, afirmaram que ele é capaz de fazer qualquer mulher gozar, não importa qualquer trava social ou barreira psicológica que possa entrar no caminho.

O nome desse milagre em formato de lubrificante é Foria e ele é feito de uma mistura de – como já dissemos – óleo de coco e cannabis. O produto é 100% natural e vegano. Além disso, ele também é comestível: então você pode aproveitar para intensificar ainda mais o orgasmo da mulher fazendo sexo oral.

Para usar, basta espirrar o spray que contém dois miligramas de THC – o agente psicoativo da maconha. Simples, fácil e rápido. A maioria das sortudas que testou o produto falou que o efeito é imediato, mas algumas mulheres também disseram que ele leva até uma hora para agir. Mas não vai se empolgando tão cedo: como todo mundo sabe, a maconha não é liberada para uso recreativo no Brasil e, por isso, o Foria só é vendido na Califórnia e apenas para aqueles que têm autorização para consumo de cannabis medicinal.

Mish Way, uma colunista da revista Vice, testou o produto e realizou uma entrevista com o criador do Foria, o ativista Matthew Gerson. Nela, ele explicou a origem da ideia: “Se você passa um tempo com essas plantas, você percebe como a erva é fascinante. Maconha é essencialmente uma planta feminina cheia de tesão. É a fêmea que é colhida e secreta o fluído, que quer ser polinizada, e quando é polinizada se abre e produz mais e mais.

Há uma conexão estranha entre a fêmea humana e a planta fêmea. Nós evoluímos com as plantas. Temos um receptor que absorve com sucesso o THC. Temos essa capacidade de absorver o pólen de uma planta secreta porque nossa psicologia se ‘codesenvolveu’.” Antes de liberar o produto para venda, ele declarou que consultou vários médicos – inclusive os próprios pais – para ter certeza que o uso era seguro.

Parte do desejo de Gerson em fazer o produto dar certo estava na ideia de que não havia produtos no mercado para ajudar as mulheres a atingir o orgasmo. Aliás, além de ser uma questão física, a dificuldade que milhares de mulheres encontram em gozar é psicológica e fruto de uma repressão sexual grande durante toda a vida. Enquanto os homens têm mais liberdade para falar sobre sexo e até são incentivados a se masturbar desde cedo, as mulheres acabam enxergando a própria sexualidade como motivo de vergonha e como algo que deve ser escondido e preservado.

Para muitas, se tocar é uma atitude vulgar e, mesmo quando a adolescência passa e o conhecimento sobre a sexualidade surge, o subconsciente ainda é cruel e prega peças no prazer feminino.

O aspecto psicológico ganha ainda mais força pela relativa dificuldade de uma mulher atingir o orgasmo quando comparada ao homem. Como o pênis é um órgão sexual externo, é mais fácil entender como ele funciona e quais movimentos são necessários para a obtenção do prazer. Muitas mulheres sequer tocam em seus clitóris ou imaginam que é possível ter dois tipos de orgasmo.

Enquanto a pornografia mais abrangente é bem explícita ao mostrar homens ejaculando, raramente vemos mulheres atingindo o orgasmo de forma clara ou objetiva. Tudo isso influenciou Gerson para criar um produto capaz de facilitar as coisas e quebrar travas físicas e psicológicas.

O Viagra e o Cialis, por exemplo, existem para que os homens continuem engravidando mulheres até estarem velhos. Já as mulheres quando atingem a menopausa encaram uma baixa estrondosa na libido e na lubrificação, o que consequentemente interfere nas suas relações sexuais. Mish Way, a colunista da Vice, afirmou que o produto é capaz de despertar sentidos e intensificar as sensações de prazer.

Ela garantiu: “Não posso dizer que o Foria mudou completamente a minha vida sexual, porque ela já era bem incrível antes, mas me fez perceber que a cannabis é um afrodisíaco excelente quando não se fuma isso numa lata de refrigerante. Ter doses corretas e entender o que funciona para mim aumentou meu nível de relaxamento”. Enquanto a gente não pode experimentar o produto por aqui, fica a dica para a sua próxima viagem para a Califórnia!


Fonte: Manual do homem moderno