Política

Estariam acertando pagamento · 07/10/2017 - 15h04

'Veja' divulga diálogo de Ciro e Joesley: 'Vamos fazer de 500 em 500'

Em depoimento, delatores afirmaram ter pago propina ao senador piauiense


Compartilhar Tweet 1



Por Apoliana Oliveira

A reportagem do site de Veja divulgou nesta sexta-feira (06/10) o conteúdo de um áudio ao qual teve acesso, de uma conversa entre o senador Ciro Nogueira, presidente do Partido Progressista, e o empresário Joesley Batista, da JBS. No diálogo, eles teriam tratado sobre um suposto pagamento em dinheiro ao senador piauiense.

"Agora vai dar para começar…E vamos fazer de 500 em 500”, transcreve a reportagem sobre a fala de Joesley, para em seguida informar a reposta de Ciro: "Você me ajudou muito na eleição. Ajudou o meu partido. Eu quero lhe ajudar".

Segundo Veja, o áudio é mais um dos vários entregues pelos delatores à Polícia Federal. Em depoimento, Joesley e Ricardo Saud, executivo da J&F afirmaram que entregaram propina ao senador, tanto em malas de dinheiro, como através de doações para campanha, via Caixa 2.

A conversa teria ocorrido em São Paulo, durante uma refeição.

Ainda de acordo com o site, a influencia de Ciro na Caixa Econômica Federal também foi tema da conversa. “Como você está lá com o Occhi?”, disse Joesley, se referindo ao presidente da CEF, Gilberto Occhi. "“Nós temos lá o presidente…o de operações, o de varejo, que é contratação do Occhi (…) A de habitação é minha. Um cara do Piauí”.

Em outro ponto, Veja trata do trecho da conversa que, segundo afirma, deixa em dúvida se o pedido de ajuda de Joesley é mesmo caso de propina, ou apenas "ajuda específica para destravar um negócio na Caixa", com base na seguinte fala de Ciro. "Aquele negócio do seu amigo…Está lá…Só para você saber. Ele montou uma empresa. Na licitação, a empresa que ele montou identificou a proposta (…) Estou vendo se consigo ajudar com outras coisas lá…"

Na imagem, o empresário Joesley Batista, quando prestou depoimento de delação premiada
Na imagem, o empresário Joesley Batista, quando prestou depoimento de delação premiada 

Ciro é investigado na Lava Jato. Os delatores Joesley e Saud, em uma das gravações da JBS já divulgadas, referem-se a um áudio em que o senador teria falado em "derrubar a Lava-Jato". A informação foi confirmada pelos executivos em depoimento à Polícia Federal.


Procurados pelo 180graus, o senador e sua assessoria ainda não se manifestaram sobre a reportagem.


CONFIRA MAIS TRECHOS DA CONVERSA DIVULGADA POR VEJA

TRECHO 1 - Influência no Cade
CIRO: "No que você puder ajudar, até botar…somar…Porque vai nomear mais um e mais um também. Aí, com isso aí, se botar gente nossa, ele pode perder na maioria. Agora é melhor colocar outra pessoa para somar com o Alexandre (Cordeiro de Macedo, conselheiro do Cade indicado pelo PP). Então, botar alguém de vocês. Tem um cara lá que quero ver se o Eunício (Oliveira, presidente do Senado) apadrinha (…) Se eu conseguir botar esse cara, resolvo. Ou então eles botam alguém para somar com o meu. Quero ter a maioria"

JOESLEY: "O que interessa é resolver, né? Vou ver esse negócio do Cade, então"

TRECHO 2 - Prisão de Eike Batista
CIRO: "A prisão do Eike? Qual o motivo da prisão, cara? (…) O cara voltou, denunciou que não tava querendo fugir e qual o motivo?"

JOESLEY: "A Lava-Jato comemorou três anos, né? Três anos que nós tá vendo esse circo de braço cruzado ainda. Três anos barbarizando, barbarizando (…) mesmo comboio (…) uma conversa com Eduardo Cunha, ele no auge. Eu lembro lé em casa em Brasília ‘Eduardo, c…, nós vai tudo pra cadeia, nós vai preso, Eduardo’. ‘Não, não vamo’. Já passou 2015, 2016 e eu abri o jornal e três anos de Lava-Jato. (…) Essa turma lá só trabalhando"

Comentários