180graus

PÕE EM RISCO - 03/09/2012 às 05h42

TSE abre brecha para 'Ficha Suja' ser candidato este ano

Na quinta-feira (30), os ministros do TSE, por unanimidade, aceitaram um recurso

Você no controle do Processo
Teresina Participativa
Maria Brasileira - Limpeza e cuidados

Uma recente decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) põe em risco a aplicação da Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10) para casos de reprovação de contas de políticos e gestores públicos. Na avaliação do coordenador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), o juiz eleitoral Márlon Reis, esse é o dispositivo de maior eficácia das novas regras de inelegibilidade previstas na Lei da Ficha Limpa. E a decisão do TSE o coloca seriamente em risco.

Na quinta-feira (30), os ministros do TSE, por unanimidade, aceitaram recurso do candidato a vereador em Foz do Iguaçu (PR) Valdir de Souza (PMDB). Ele foi inicialmente barrado pela Justiça Eleitoral, já que teve suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) quando presidiu o Conselho Municipal de Esportes e Recreação da cidade.

Na visão dos ministros, ele não poderia ter sido barrado, pois o acórdão do TCE-PR não determinou devolução de recursos ao erário nem multa como punição. Também não fez menção a prejuízos à Administração Pública em decorrência dos empenhos sem dotação orçamentária. A candidatura do peemedebista foi contestada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE).

Com base na alínea G da Lei da Ficha Limpa, o registro dele foi impugnado e, depois, rejeitado. O trecho da norma diz que ficam inelegíveis por oito anos aqueles que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configurem ato doloso de improbidade administrativa. Para o TSE, o caso de Valdir de Souza não se encaixava no disposto na lei, pelo fato de o TCE não ter lhe imposto punição. Para os ministros do TSE, isso demonstraria não ter havido uma intenção dolosa, de realmente prejudicar o erário.

Erro gravíssimo

Para o coordenador do MCCE, Márlon Reis, o TSE cometeu um “erro gravíssimo”. Na visão dele, que é juiz eleitoral no Maranhão, a corte superior está fazendo uma leitura equivocada do que é dolo em matéria eleitoral, confundindo com matéria penal. “Quando o administrador deixa de praticar uma licitação, ele não é negligente, ele pratica uma omissão dolosa. São lições absolutamente primárias de direito eleitoral que o TSE está ignorando”, analisou.

Para Márlon, a prevalecer a decisão do TSE, boa parte das candidaturas que seriam impugnadas sobreviverão, diminuindo enormemente a eficácia da lei. Por causa disso, o MCCE marcou uma reunião emergencial em Brasília para discutir o assunto para a próxima quarta-feira (5). O coletivo de entidades espera que a posição seja revertida por atitude do próprio TSE após “diálogo com a sociedade”. “O TSE teve muitas vezes que amadurecer esse entendimento, o que é normal nos tribunais. Nós esperamos que, a partir de um diálogo com a sociedade, que o próprio TSE reveja esse entendimento”, disse Reis.

No entanto, caso a corte não reveja o entendimento – o que neste momento parece improvável por ter sido uma decisão unânime – é preciso provocar os ministros judicialmente. Ou seja, o Ministério Público Eleitoral precisa apresentar um recurso contra a postura de quinta-feira. Para Márlon, existe a possibilidade de o caso até parar no Supremo Tribunal Federal (STF).

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


Podium PMPI
Terrazzo Poti
Teresina Participativa
Últimas Notícias
22h57 Vereadores realizam sessão na Câmara de Picos e aprovam projetos de lei 22h12 Greve-geral deve defender a não prisão de Lula na Lava Jato 21h52 Brasil ocupa a 103ª posição no ranking da Liberdade de Imprensa mundial 19h11 THE: Homem morre afogado no Parque 'Lagoas do Norte' 18h38 Homem é preso pela 2º vez ao se masturbar em rua de cidade do Piauí 18h23 Projeto de combate ao mosquito da dengue em Água Branca é destaque em Brasília 18h12 Em Campo Maior, ônibus com estudantes desce aterro em estrada vicinal 18h07 Em Alegrete, segundo dia de festividades é iniciado com o I Torneio Municipal de Sinuca 18h00 Taty Girl convida a todos para participar de show em Madeiro, dia 01/05 17h58 Prefeito está entre os 20 apostadores que ganharam R$ 101 milhões na Mega Sena 17h38 Prefeito de Campinas do Piauí prestigia evento na APPM, em Teresina 17h38 Dr. Heli participa de seminário sobre previdência, na APPM, em Teresina 17h36 Ashley Graham diz que 'as mulheres não devem temer as celulites' : veja 17h35 Regina Sousa diz que reforma permite agora a escravidão legalizada no país 17h27 Prefeito Alcione Barbosa prestigia evento em Teresina 17h26 Loja do Armazém Paraíba é assaltada em Corrente 17h21 Novo medicamento para pacientes com HIV será testado em Manaus 17h20 Em boa fase,Fred não é descartado por Tite na Seleção do Brasil, diz o auxiliar 17h15 Prefeita Ceiça Dias prestigia evento sobre Previdência na APPM 17h15 Em Teresina, prefeito Ângelo Pereira participa de seminário sobre o regime próprio de previdência 17h12 Adolescente posta vídeo esquentando porquinho-da-índia em microondas e revolta internautas 17h11 Agenilson Teixeira participa de seminário sobre o regime próprio de previdência, em Teresina 17h05 Prefeito de Joca Marques participa de seminário em Teresina 17h05 Seminário na APPM conta com a presença do prefeito Junior Carvalho 17h03 Secult divulga as bandas selecionadas para o projeto Boca da Noite na capital

Teresina Participativa

Mais Lidas


    Enquete

    Você aprova a decisão da CCJ do Senado em diminuir as vagas para deputados piauienses?

    Total de Votos: 855

    Válida de 2017-04-06 17:08:00.0 a 2017-04-30

    Teresina Participativa
    Teresina Participativa

    180graus no Instagramno Instagram