180graus

Dilma quer engenheiros de fora - 12/08/2013 às 12h22

Piauí é o segundo estado com menos engenheiros do Brasil, depois do MA

Para ‘núcleo duro’ do governo, medida ajuda o repasse de verba federal para municípios

INOCOOP
Anilson Feitosa Kangaço
Outlet Chic
Osório - Ed. Neuton Oliveira
Inscreva-se
CEV





A presidente Dilma Rousseff já está estudando um modo de facilitar a vinda de engenheiros estrangeiros para trabalhar no Brasil, assim como fez com profissionais da área da saúde, no Programa Mais Médicos. Alguns ministros do chamado "núcleo duro" do governo estão tentando provar para a petista que a medida ajudaria a solucionar um dos problemas que atravancam o andamento de obras e o repasse de verba federal para municípios.

Hoje, faltam nas prefeituras especialistas dispostos a trabalhar na elaboração de projetos básico e executivo, fundamentais para que a cidade possa receber recursos da União.

As travas no repasse de dinheiro já foram identificadas por Dilma como um dos obstáculos para que o Executivo consiga impulsionar o crescimento econômico e acelerar obras de infraestrutura – dois gargalos que poderão custar caro para a candidatura à reeleição.

O governo já investe hoje no estágio e na especialização de engenheiros brasileiros no exterior com o Ciência Sem Fronteiras, programa comandado pelos ministérios da Ciência e Tecnologia e da Educação. Mas a ideia estudada no Palácio do Planalto é ir além, aproveitando os profissionais de fora já prontos, para que tragam expertise e preencham lacunas em regiões hoje desprezadas pelos brasileiros. A proposta inicial é importar especialmente mão de obra de nações que enfrentam crise econômica e têm idiomas afins, como Portugal e Espanha.

O plano ainda está em estágio embrionário e setores técnicos do governo ainda não foram comunicados sobre a ideia. O ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Marcelo Neri, acredita que o Mais Médicos pode até servir como uma experiência piloto. Entretanto, aposta mais na eficiência do Ciência Sem Fronteiras. "O ideal não é ter mais, porém melhores engenheiros dispostos a trabalhar em áreas carentes desses profissionais."

Para se ter uma ideia, o Maranhão é hoje o Estado brasileiro que menos abriga empregados da área de engenharia. De acordo com dados do IBGE de 2010, a média é de 1.265 habitantes por engenheiro em todo Maranhão, seguido pelo Piauí (1.197 habitantes por engenheiro) e Roraima (1.023 habitantes por engenheiro). São Paulo é o que mais concentra esse tipo de profissional (148 habitantes por engenheiro).

‘Presente de grego’. Na gestão anterior, o ex-presidente Lula afirmou ter dinheiro em caixa para investir, fez um chamamento aos prefeitos pedindo para que eles encaminhassem a Brasília projetos executivos assinados por engenheiros para que a União pudesse repassar dinheiro para as prefeituras. Dilma também vem reivindicando a mesma iniciativa. Mas há gestores municipais que consideram os programas de transferência voluntária de renda federal um "presente de grego".

Para o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, a falta de engenheiros é apenas uma das dificuldades para que os municípios recebam investimentos federais. "Além da dificuldade em formar um quadro com engenheiro civil, mecânico e agrônomo, a demora na liberação de licença ambiental e a dificuldade para comprovar a propriedade de um terreno também atrapalham muito", avalia Ziulkoski.

Outro imbróglio que ele aponta é a falta de dinheiro para a "contrapartida". Segundo ele, no caso do Bolsa Família, por exemplo, cabe ao município manter atualizado o cadastro dos beneficiários, checar quem morreu, quem arrumou emprego, as crianças que estão na escola. "Tudo tem um custo, é um presente de grego", afirma. "Eu sou o primeiro a dizer aos prefeitos que nem mandem projetos, porque eles nem conseguem manter os que já têm. Só que os 4.100 novos eleitos ainda estão sonhando, achando que podem fazer muita coisa."

Imigração. A Secretaria de Assuntos Estratégicos está conduzindo um projeto para estimular a entrada de mão de obra estrangeira qualificada em território nacional. Segundo dados de 2010 compilados pela SAE, o número de imigrantes de primeira geração que vive hoje no Brasil representa 0,3% da população (cerca de 600 mil pessoas), diante da média mundial de 3%. A pesquisa cita que "países altamente desenvolvidos como Suíça, Nova Zelândia, Austrália e Canadá possuem mais de 20% da população formada por imigrantes".

Fonte: Com informações do Estadão

Publicado Por: Alex Gomes

Tópicos
VAL PRAEIRO HELICONIA
VANGUARDA
Curta a nossa fanpage
WX - Village Leste
Inscreva-se
INOCOOP
THREVO PIATZ
VAL PRAEIRO HELICONIA
Duas cabeças pensam melhor do que uma
Últimas Notícias
15h26 Assaltantes rendem caminhoneiro e roubam pneus de carreta no interior 15h05 Polícia acha 'chupa-cabra' em caixa eletrônico de agência bancária no PI 14h55 Saúde participa de oficina de acolhimento para profissionais do Mais Médicos 14h42 Câmara vai reformular Lei de Licitações e convida 'petroleiro' para ajudar 14h40 2º Campeonato Regional de Clubes de Veteranos 2015 14h31 Marina Silva alfineta e diz que Dilma Rousseff vive uma 'cassação branca' 14h15 NEPOTISMO – MP afirma que existiam mais de 30 parentes no HEMOPI 14h09 Luto: Morre advogado Carlos Roberto Fornes Mateucci, ex-tesoureiro da OAB 13h55 CNJ discute forma para estatísticas de processos contra a corrupção no país 13h32 Corregedoria de Justiça regulamenta recebimento de alvarás judiciais no PI 13h28 Governo do estado reafirma compromisso na construção da PI 258 13h16 Após 53 anos, programa mais antigo do mundo sairá do ar em setembro 13h16 Brasil é o único lugar do mundo com 53,7% dos nascimentos feitos por cesariana 13h16 Globo terá 'Globo Repórter' especial para contar seus 50 anos de história 13h11 ASSASSINATO e atropelamento deixam duas mortes do PI 13h06 Prefeitura municipal de Canavieira fará concurso com salário de até R$ 8 mil 13h03 Eleição de conselheiro no Tribunal de Contas do Piauí já possui 26 inscritos 13h03 Erros cometidos por um corretor de imóveis podem comprometer à venda 12h56 Policiais Civis vão fazer manifestação e podem grevar; luta contra abandono 12h40 Acidente que envolveu uma moto e um carro vitimou duas pessoas na estrada que liga Picos a Santana 12h34 Safadão e João Claudio gravam em THE o especial 'São João da Globo' 12h31 Procurador do MPF diz que provas são suficientes para manter Vaccari preso 12h16 Congresso x Planalto: projeto pretende tirar (mais) poderes de Dilma Rousseff 12h16 Prefeitura Municipal de Vila Nova oferecerá prêmios para população que pagar IPTU em dias 12h10 Governador nomeiará 653 professores concursados
MELHORES IMOVEIS
Inscreva-se
Duas cabeças pensam melhor do que uma
Curta a nossa fanpage
Inscreva-se
Outlet Chic

Mais Lidas

    VAL PRAEIRO HELICONIA

    Enquete

    A Secretaria de Segurança apresentou números que mostram que o índice geral de violência caiu até 37% no Piauí após a chegada da Força Nacional. Você concorda com estes números?

    Total de Votos: 147

    Válida de 17/04/2015 a 24/04/2015

    Duas cabeças pensam melhor do que uma
    THREVO POETIC
    Dantas Imobiliaria
    Curta a nossa fanpage
    VAL PRAEIRO

    180graus no Instagramno Instagram

    WX - Village Leste
    THREVO POETIC
    VAL PRAEIRO HELICONIA