Política

Marcou audiência com ministro · 11/01/2013 às 23h37

Heráclito pedirá explicações ao MD sobre tropas no Haiti

Indignado após ver imagens de violência praticados por soldados brasileiros no Haiti


Compartilhar Tweet 1



O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) apresentou nesta terça-feira à Comissão de Relações Exteriores do Senado um vídeo com imagens de atos de violência supostamente praticados por soldados da missão de paz da ONU (Organização das Nações Unidas) no Haiti. O vídeo, elaborado por jornalistas haitianos, mostra ações da força de paz em 2005 e 2006 que teriam resultado na morte de mulheres grávidas, crianças e homens inocentes.

Suplicy afirmou que as mortes ocorreram em ações das tropas para conter a violência no país. Em busca de integrantes de "gangues" e criminosos, o senador disse que os soldados teriam disparado tiros de helicópteros e tanques contra inocentes. As imagens, no entanto, não identificam se soldados brasileiros teriam participado das ações contra os haitianos.

"A missão de paz no Haiti, coordenada pelo Brasil, tem realizado ações onde tropas, tanques e helicópteros bombardearam parte do bairro Cite Soleil, onde foram mortas crianças pequenas. O porta-voz das tropas mencionou que ali viviam bandidos, mas como poderiam tais crianças ser bandidos? Não sabemos se são atos isolados ou freqüentes", afirmou o senador.

Suplicy disse que, embora as imagens não mostrem soldados brasileiros, o governo precisa esclarecer os incidentes com os haitianos uma vez que o Brasil comanda a força de paz da ONU no país. "O vídeo mostra que os responsáveis por essas mortes não foram encontrados. Por isso, temos que pedir esclarecimentos aos Ministérios da Defesa e das Relações Exteriores", disse Suplicy.

Depois de assistir o vídeo, o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), decidiu pedir explicações ao Ministério da Defesa sobre as ações das tropas de paz da ONU no Haiti. Heráclito também solicitou audiência com o ministro Nelson Jobim (Defesa) para apresentar o vídeo. A comissão ainda vai encaminhar as imagens para os ministros Celso Amorim (Relações Exteriores) e Paulo Vanucchi (Direitos Humanos).

"Os fatos são graves, merecem por parte do governo brasileiro uma resposta. Temos que colaborar para pedir esclarecimentos e solicitar que providências sejam tomadas", disse Heráclito.

Imagens

Sem esconder a perplexidade com a violência das imagens, os integrantes da comissão reagiram aos conflitos entre a força de paz da ONU e os haitianos. "As imagens falam por si mesmas. A criança que aparece no vídeo [morta pelos soldados] é filho de cada um de nós. Se não houve apuração de responsabilidades, o nosso papel é indagar. Nada justifica essas atrocidades", disse a senadora Marina Silva (PT-AC).

O vídeo mostra imagens fortes da morte de crianças, mulheres e jovens em conseqüência dos conflitos com as forças de paz da ONU. Em um dos trechos, uma haitiana afirma que teve sua casa atacada pelos soldados ao lado de seis filhos, sem que o seu marido tiver qualquer ligação com gangues ou facções criminosas do país.

Fonte: Co M Informações Folha Online