180graus

Polêmicas na câmara - 19/12/2013 às 07h24

Defensor da 'cura gay', Feliciano sai da Comissão de Direitos Humanos

Ele causou polêmica com a votação do projeto apelidado de 'cura gay'

Participe!
Venha para o Hotel Delta em Parnaíba
Maria Brasileira - Limpeza e cuidados
Semana da Enfermagem
Você no controle do Processo
Cadastre-se





O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), encerrou nesta quarta-feira, 18, sua gestão com a aprovação de propostas consideradas homofóbicas e sob críticas de militantes da área. As pautas, porém, não avançaram fora da comissão, que neste ano ficou sob controle da bancada evangélica da Casa.

O primeiro enfrentamento promovido por Feliciano na cadeira de presidente foi a votação do projeto apelidado de "cura gay", que suspendia resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proibiu profissionais da área de oferecer tratamento para homossexualidade. O deputado conseguiu comandar a aprovação do projeto no colegiado em meio às manifestações de junho, mas os líderes da Casa levaram a proposta imediatamente a plenário para rejeitá-la com esmagadora maioria e mostrar que a Casa não referendava a atuação.

Após o revés, a comissão refluiu e só no fim de novembro temas polêmicos voltaram à pauta. Foi aprovada uma proposta de plebiscito para decidir sobre a união civil de pessoas do mesmo sexo, na tentativa de reverter decisão favorável do Supremo Tribunal Federal.

A comissão votou também a suspensão da decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga os cartórios a celebrar casamentos de homossexuais. Foi aprovado um parecer contrário a um projeto que visava tornar lei que companheiros homossexuais de servidores e beneficiários da Previdência Social passariam a ser considerados dependentes.

Todas as propostas estão paralisadas em outros colegiados. A do plebiscito está na Comissão de Finanças e Tributação, a que susta a decisão do CNJ não tem nem relator definido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e o projeto sobre benefícios previdenciários passará ainda por três comissões.

Nesta quarta, no capítulo final de sua gestão - após o recesso, em fevereiro, outro parlamentar será eleito para o posto -, a comissão aprovou um projeto que eliminou a homofobia do rol de atos passíveis de serem considerados crime de discriminação. Em nova tentativa de negar a acusação de racismo, Feliciano conseguiu aprovar um parecer de sua autoria sobre o projeto da presidente Dilma Rousseff que institui cotas raciais de 20% no funcionalismo público. O deputado incluiu a reserva de 75% dessas vagas para quem estudou em escola pública e estendeu a previsão de cotas para os cargos de confiança.

BALANÇO
Acusado de racismo e homofobia, Feliciano fez um balanço positivo de sua atuação e disse que a produção só não foi maior pelo fato de partidos como o PT e o PSOL terem abandonado o colegiado.

Feliciano chegou à presidência da comissão em março, apesar de protestos de movimentos sociais e deputados com atuação na área por declarações nas redes sociais. O pastor tinha dito que "os africanos são amaldiçoados" e que "a podridão de sentimentos dos homoafetivos leva ao ódio, ao crime, a rejeição". Com apoio da bancada evangélica, resistiu à pressão e ficou no posto. Feliciano disse que o debate sobre direitos humanos parou de ser feito para "beneficiar um ou dois grupos".

O deputado afirmou que teria disposição para disputar uma vaga ao Senado, mas demonstrou medo de enfrentar nomes como José Serra (PSDB) ou Gilberto Kassab (PSD). Ele preferiria enfrentar apenas o senador Eduardo Suplicy (PT).

Fonte: Com informações de Estadão

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


Teresina Participativa
Vem pro Podium!
PRF - Vem pro Podium
PM MA - Vem pro Podium!
Vem pro Podium
Cadastre-se
PM TO - Vem pro Podium!
PM BA - Vem pro Podium!
Últimas Notícias
15h50 Em entrevista ao 180 Dr. Delano fala sobre bloqueio de contas de prefeituras 15h50 Vereadora do RS diz que nordestinos 'sabem roubar que é uma maravilha' 15h48 Municípios que não enviarem IEGM terão contas bloqueadas, alerta TCE 15h43 Curimatá contrata empresa de medicamentos por R$ 65 mil sem licitação 15h24 Prefeituras que não enviarem IEGM terão contas canceladas pelo TCE 15h11 Grupo Eletrobras lança plano de aposentadoria para 4,6 mil funcionários 15h10 Seleção Feminina de Futebol é convocada para amistosos 15h03 Uber: MP pedirá à Polícia investigação dos casos de agressão 15h02 Câmara de José de Freitas analisará projeto de criação de Secretaria de Segurança nesta terça 15h01 Novas provas do concurso da PM-PI serão feitas fora do estado; detalhes 15h00 Dr.Delano, alerta gestores para o bloqueio de contas no TCE 15h00 TCE alerta prefeituras do Piauí para o prazo do IEGM 14h58 David é campeão e judô do Brasil volta da Rússia com seis medalhas; confira 14h56 Grupo Oi entrega à Justiça lista de credores da empresa 14h42 Como não deixar o clitóris sensível demais e atrapalhar no sexo 14h40 Polícia prende suspeito de tráfico de drogas em São João do Piauí 14h40 Dr.Delano diretor do TCE alerta prefeituras sobra prazo do IEGM até 31 de maio 14h40 Dr.Delano alerta municípios sobre prazo do IEGM até 31 de maio para ser enviado 14h40 Em entrevista ao 180 Dr. Delano fala sobre bloqueio de contas de prefeituras 14h40 Em entrevista ao 180 Dr. Delano fala sobre bloqueio de contas de prefeituras 14h40 Dr.Delano, alerta gestores para o bloqueio de contas no TCE 14h39 Os piauienses na delação da JBS 14h39 Comissão para acompanhar propostas do Plano Diretor terá 10 representantes 14h31 Quatro posições em que seu bumbum é a atração principal 14h30 Ex-presidente do Barcelona é detido na Espanha por desvio de dinheiro

Teresina Participativa

Mais Lidas

    Podium - Professores Dir. Constitucional

    Enquete

    Você aprova a decisão da CCJ do Senado em diminuir as vagas para deputados piauienses?

    Total de Votos: 913

    Válida de 2017-04-06 17:08:00.0 a 2017-04-30

    Suas ideias podem melhorar Teresina
    Podium - Professor Atualidades

    180graus no Instagramno Instagram

    Podium - Professores Dir. Constitucional