180graus

Polêmicas na câmara - 19/12/2013 às 07h24

Defensor da 'cura gay', Feliciano sai da Comissão de Direitos Humanos

Ele causou polêmica com a votação do projeto apelidado de 'cura gay'

Kangaco
Casa do Cartucho
180 NOVALOGO
LB Fitness

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), encerrou nesta quarta-feira, 18, sua gestão com a aprovação de propostas consideradas homofóbicas e sob críticas de militantes da área. As pautas, porém, não avançaram fora da comissão, que neste ano ficou sob controle da bancada evangélica da Casa.

O primeiro enfrentamento promovido por Feliciano na cadeira de presidente foi a votação do projeto apelidado de "cura gay", que suspendia resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proibiu profissionais da área de oferecer tratamento para homossexualidade. O deputado conseguiu comandar a aprovação do projeto no colegiado em meio às manifestações de junho, mas os líderes da Casa levaram a proposta imediatamente a plenário para rejeitá-la com esmagadora maioria e mostrar que a Casa não referendava a atuação.

Após o revés, a comissão refluiu e só no fim de novembro temas polêmicos voltaram à pauta. Foi aprovada uma proposta de plebiscito para decidir sobre a união civil de pessoas do mesmo sexo, na tentativa de reverter decisão favorável do Supremo Tribunal Federal.

A comissão votou também a suspensão da decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga os cartórios a celebrar casamentos de homossexuais. Foi aprovado um parecer contrário a um projeto que visava tornar lei que companheiros homossexuais de servidores e beneficiários da Previdência Social passariam a ser considerados dependentes.

Todas as propostas estão paralisadas em outros colegiados. A do plebiscito está na Comissão de Finanças e Tributação, a que susta a decisão do CNJ não tem nem relator definido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e o projeto sobre benefícios previdenciários passará ainda por três comissões.

Nesta quarta, no capítulo final de sua gestão - após o recesso, em fevereiro, outro parlamentar será eleito para o posto -, a comissão aprovou um projeto que eliminou a homofobia do rol de atos passíveis de serem considerados crime de discriminação. Em nova tentativa de negar a acusação de racismo, Feliciano conseguiu aprovar um parecer de sua autoria sobre o projeto da presidente Dilma Rousseff que institui cotas raciais de 20% no funcionalismo público. O deputado incluiu a reserva de 75% dessas vagas para quem estudou em escola pública e estendeu a previsão de cotas para os cargos de confiança.

BALANÇO
Acusado de racismo e homofobia, Feliciano fez um balanço positivo de sua atuação e disse que a produção só não foi maior pelo fato de partidos como o PT e o PSOL terem abandonado o colegiado.

Feliciano chegou à presidência da comissão em março, apesar de protestos de movimentos sociais e deputados com atuação na área por declarações nas redes sociais. O pastor tinha dito que "os africanos são amaldiçoados" e que "a podridão de sentimentos dos homoafetivos leva ao ódio, ao crime, a rejeição". Com apoio da bancada evangélica, resistiu à pressão e ficou no posto. Feliciano disse que o debate sobre direitos humanos parou de ser feito para "beneficiar um ou dois grupos".

O deputado afirmou que teria disposição para disputar uma vaga ao Senado, mas demonstrou medo de enfrentar nomes como José Serra (PSDB) ou Gilberto Kassab (PSD). Ele preferiria enfrentar apenas o senador Eduardo Suplicy (PT).

Fonte: Com informações de Estadão

Publicado Por: Apoliana Oliveira

Últimas Notícias
12h08 Zé Filho e Sílvio Mendes participam de evento ao lado de Aécio em Salvador 12h04 Documentos e central telefônica são apreendidos na casa de Abdelmassih 12h00 Apoiadores de Marina Silva no Maranhão se reúnem neste sábado 11h53 Vaqueiros participam de alvorada e missa nos festejos de Eliseu Martins 11h45 Prefeito Antônio Parambú da inicio a pavimentação asfáltica rua Manoel Mendes 11h44 Como aumentar o número de caracteres do bloqueio do iOS? 11h43 Deputado federal Átila Lira realiza caminhada nesta sexta (22/08), no bairro Dirceu 11h42 Banda Desejo de Menina anima os festejos de Eliseu Martins, fotos! 11h39 Deputado Átila participa de grande reunião no bairro Santo Antônio, na noite desta sexta (22/08) 11h37 Dois homens são encontrados mortos dentro do parque Zoobotânico em THE 11h23 A Dengue 11h19 Moradores do Parque Brasil pedem água e segurança a W.Dias 11h19 Jamaica derrota o Lagedo por 2x0 11h03 W.Dias diz que não está preocupado com programas de Duda Mendonça 11h00 TRT-MA implanta Sistema de Gestão Orçamentária 10h57 Grande mutirão de limpeza prepara novo Centro Cultural 10h51 Em Brasília: Emoção e Alegria Marcam Formatura de Alexandra Cariolano 10h47 Colégio da inicio o Inter Classe. 10h39 Queda de postes, em acidentes, gera R$ 1 mi em prejuízos no Piauí; saiba! 10h38 Milton Nascimento passa mal no palco durante show com Criolo em SP 10h34 Confira 7 dicas para evitar e disfarçar as espinhas 10h25 Padre Evandro Alves toma posse como novo pároco da cidade de Esperantina 10h25 Spa em casa: 7 rituais de beleza para você tentar em casa 10h23 Dançarina de Nicki Minaj é picada por cobra em ensaio do VMA, diz site 10h16 Rosberg crava a pole, seguido por Hamilton e Vettel em Spa; Massa é 9º
ControlX

Enquete

Um dos problemas que mais assombra a população de Teresina é a insegurança. Se hoje, você pudesse se mudar para uma zona 'mais segura' da cidade, onde iria morar?

Total de Votos: 240

Válida de 22/08/2014 a 29/08/2014

Mais lidas

    180 NOVALOGO
    TELHAS MAFRENSE

    180graus no Instagramno Instagram