180graus

Polêmicas na câmara - 19/12/2013 às 07h24

Defensor da 'cura gay', Feliciano sai da Comissão de Direitos Humanos

Ele causou polêmica com a votação do projeto apelidado de 'cura gay'

BRVOX VAGA
Kangaco Show
GUIA DOS PARLAMENTARES II
COLEGIO CEV
Casa na praia





O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), encerrou nesta quarta-feira, 18, sua gestão com a aprovação de propostas consideradas homofóbicas e sob críticas de militantes da área. As pautas, porém, não avançaram fora da comissão, que neste ano ficou sob controle da bancada evangélica da Casa.

O primeiro enfrentamento promovido por Feliciano na cadeira de presidente foi a votação do projeto apelidado de "cura gay", que suspendia resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proibiu profissionais da área de oferecer tratamento para homossexualidade. O deputado conseguiu comandar a aprovação do projeto no colegiado em meio às manifestações de junho, mas os líderes da Casa levaram a proposta imediatamente a plenário para rejeitá-la com esmagadora maioria e mostrar que a Casa não referendava a atuação.

Após o revés, a comissão refluiu e só no fim de novembro temas polêmicos voltaram à pauta. Foi aprovada uma proposta de plebiscito para decidir sobre a união civil de pessoas do mesmo sexo, na tentativa de reverter decisão favorável do Supremo Tribunal Federal.

A comissão votou também a suspensão da decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga os cartórios a celebrar casamentos de homossexuais. Foi aprovado um parecer contrário a um projeto que visava tornar lei que companheiros homossexuais de servidores e beneficiários da Previdência Social passariam a ser considerados dependentes.

Todas as propostas estão paralisadas em outros colegiados. A do plebiscito está na Comissão de Finanças e Tributação, a que susta a decisão do CNJ não tem nem relator definido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e o projeto sobre benefícios previdenciários passará ainda por três comissões.

Nesta quarta, no capítulo final de sua gestão - após o recesso, em fevereiro, outro parlamentar será eleito para o posto -, a comissão aprovou um projeto que eliminou a homofobia do rol de atos passíveis de serem considerados crime de discriminação. Em nova tentativa de negar a acusação de racismo, Feliciano conseguiu aprovar um parecer de sua autoria sobre o projeto da presidente Dilma Rousseff que institui cotas raciais de 20% no funcionalismo público. O deputado incluiu a reserva de 75% dessas vagas para quem estudou em escola pública e estendeu a previsão de cotas para os cargos de confiança.

BALANÇO
Acusado de racismo e homofobia, Feliciano fez um balanço positivo de sua atuação e disse que a produção só não foi maior pelo fato de partidos como o PT e o PSOL terem abandonado o colegiado.

Feliciano chegou à presidência da comissão em março, apesar de protestos de movimentos sociais e deputados com atuação na área por declarações nas redes sociais. O pastor tinha dito que "os africanos são amaldiçoados" e que "a podridão de sentimentos dos homoafetivos leva ao ódio, ao crime, a rejeição". Com apoio da bancada evangélica, resistiu à pressão e ficou no posto. Feliciano disse que o debate sobre direitos humanos parou de ser feito para "beneficiar um ou dois grupos".

O deputado afirmou que teria disposição para disputar uma vaga ao Senado, mas demonstrou medo de enfrentar nomes como José Serra (PSDB) ou Gilberto Kassab (PSD). Ele preferiria enfrentar apenas o senador Eduardo Suplicy (PT).

Fonte: Com informações de Estadão

Publicado Por: Apoliana Oliveira

Últimas Notícias
13h01 Nomeações e isenções: W.Dias já está sendo cobrado por favores da eleição 12h55 Rodrigo Janot defende a volta de ex-diretor da Petrobras para a prisão 12h47 Teresina registrou 29 homicídios no mês de janeiro, segundo a Polícia Militar 12h31 Jucepi realiza atendimentos com 231 usuários pretendento o Supersimples 12h13 Lagoas do Norte promove seleção de 15 grafiteiros 12h12 Senado mantém maioria governista, mas terá oposição reforçada em 2015 12h04 Novo formato: MEC anuncia consulta pública para Enem online 12h02 DISPUTA na Assembleia envolve cargos e R$ 281 milhões 12h01 Casal assalta mulher na zona Leste e após arrastão, são presos pela PM 11h59 FMS fecha parceria com maternidades para atendimento a recém-nascidos 11h56 Spider se emociona ao ser ovacionado em pesagem: 'Essa é a minha vida' 11h52 Doação de órgãos:videoconferência é realizada com profissionais do HAOC 11h49 Fiscais dos mercados da zona sul ganham novos coletes 11h34 Polo da Ead de Ipiranga reinicia cursos técnicos em Logística, Informática e Segurança do Trabalho 11h27 'O circo chegou' foi o grande campeão do Concurso de Manchinha de 2015 11h10 Ratinho terá prova de fogo em concorrência contra Gugu 11h05 Morre em Teresina a Matriarca da família Damásio, aos 95 anos 10h57 Jovem descobre falha de privacidade na versão web do WhatsApp 10h28 Piauiense conquista campeonato na Master das motos do 'Piocerá 2015' 10h24 Mega-Sena acumulada pode pagar R$ 7,5 mi hoje; sorteio é às 20h 10h15 Petrobrás, mesmo com crise mantém patrocínio de R$12 milhões no carnaval 10h07 Naldo xinga fãs após ser comparado com Chris Brown: ‘Bando de otários, vão para o inferno’ 10h02 Mudança na nota mínima do Fies deve reduzir o número de contratos em 20% 10h02 Vem ai o Carnaval de Arari ! Arari é Mais 09h57 Acordo de Neymar e Barça amplia contrato até junho de 2020
CURSO DE INGLES
CNH

Mais Lidas

    Enquete

    Das seguintes obras que estão paradas, qual deve ser concluída com maior urgência?

    Total de Votos: 333

    Válida de 29/01/2015 a 05/02/2015

    180graus no Instagramno Instagram