180graus

Polêmicas na câmara - 19/12/2013 às 07h24

Defensor da 'cura gay', Feliciano sai da Comissão de Direitos Humanos

Ele causou polêmica com a votação do projeto apelidado de 'cura gay'

Kangaco
Casa do Cartucho
Vestibular

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), encerrou nesta quarta-feira, 18, sua gestão com a aprovação de propostas consideradas homofóbicas e sob críticas de militantes da área. As pautas, porém, não avançaram fora da comissão, que neste ano ficou sob controle da bancada evangélica da Casa.

O primeiro enfrentamento promovido por Feliciano na cadeira de presidente foi a votação do projeto apelidado de "cura gay", que suspendia resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proibiu profissionais da área de oferecer tratamento para homossexualidade. O deputado conseguiu comandar a aprovação do projeto no colegiado em meio às manifestações de junho, mas os líderes da Casa levaram a proposta imediatamente a plenário para rejeitá-la com esmagadora maioria e mostrar que a Casa não referendava a atuação.

Após o revés, a comissão refluiu e só no fim de novembro temas polêmicos voltaram à pauta. Foi aprovada uma proposta de plebiscito para decidir sobre a união civil de pessoas do mesmo sexo, na tentativa de reverter decisão favorável do Supremo Tribunal Federal.

A comissão votou também a suspensão da decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga os cartórios a celebrar casamentos de homossexuais. Foi aprovado um parecer contrário a um projeto que visava tornar lei que companheiros homossexuais de servidores e beneficiários da Previdência Social passariam a ser considerados dependentes.

Todas as propostas estão paralisadas em outros colegiados. A do plebiscito está na Comissão de Finanças e Tributação, a que susta a decisão do CNJ não tem nem relator definido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e o projeto sobre benefícios previdenciários passará ainda por três comissões.

Nesta quarta, no capítulo final de sua gestão - após o recesso, em fevereiro, outro parlamentar será eleito para o posto -, a comissão aprovou um projeto que eliminou a homofobia do rol de atos passíveis de serem considerados crime de discriminação. Em nova tentativa de negar a acusação de racismo, Feliciano conseguiu aprovar um parecer de sua autoria sobre o projeto da presidente Dilma Rousseff que institui cotas raciais de 20% no funcionalismo público. O deputado incluiu a reserva de 75% dessas vagas para quem estudou em escola pública e estendeu a previsão de cotas para os cargos de confiança.

BALANÇO
Acusado de racismo e homofobia, Feliciano fez um balanço positivo de sua atuação e disse que a produção só não foi maior pelo fato de partidos como o PT e o PSOL terem abandonado o colegiado.

Feliciano chegou à presidência da comissão em março, apesar de protestos de movimentos sociais e deputados com atuação na área por declarações nas redes sociais. O pastor tinha dito que "os africanos são amaldiçoados" e que "a podridão de sentimentos dos homoafetivos leva ao ódio, ao crime, a rejeição". Com apoio da bancada evangélica, resistiu à pressão e ficou no posto. Feliciano disse que o debate sobre direitos humanos parou de ser feito para "beneficiar um ou dois grupos".

O deputado afirmou que teria disposição para disputar uma vaga ao Senado, mas demonstrou medo de enfrentar nomes como José Serra (PSDB) ou Gilberto Kassab (PSD). Ele preferiria enfrentar apenas o senador Eduardo Suplicy (PT).

Fonte: Com informações de Estadão

Publicado Por: Apoliana Oliveira

Últimas Notícias
03h31 ProJovem Urbano abre inscrições para seleção de educadores no estado do Piauí 03h13 Autoridades piauienses debatem o tema da adoção no Piauí 01h47 Desfile aberto no Lagoas do Norte mostra beleza das meninas de Teresina 01h17 Timão, Fla, Fluminense e o Grêmio vencem pelo brasileirão; veja tabela 01h07 Prefeitura de Teresina reforma monumento ao Motorista Gregório 00h56 Muita gente no sepultamento do Parafuso 00h36 Rebeca Gusmão discorda de Padre Marcelo: 'Só a medicação pode ajudar' 00h12 Caio Castro conta que fará filme nos EUA e revela o desejo de ser pai 00h03 Cerca de 30 mil pessoas participam da 'Missa da Misericórdia' em THE 23h58 Piauí sedia treinamento sobre entrega matutina nos Correios 23h55 Inscrições para exposição fotográfica do Fórum de São Luís seguem até sexta 23h35 Município de Ribamar recebe etapa do projeto “Pró-Catadores” 23h31 Rodadas de futebol movimentam o Estádio Pedro Alelaf nos Jogos Olímpicos Estudantis 23h15 Prefeitura discute com educadores realização dos Jogos Estudantis e da Juventude 23h10 Picos Pro Race garante a liderança do Campeonato Brasileiro a carioca 23h05 Justiça em Pedreiras determina que concursados sejam nomeados 22h55 Promotoria do Consumidor pede intervenção na SMTT 22h52 Criadores se unem ao Governo para garantir maior feira do Piauí 22h35 Governo entrega Projeto de Lei do Sistema Estadual de Cultura e do Plano de Cultura à Assembleia 22h31 Seminário de Extensão e I Colóquio do PIBID tem grande público em Teresina 22h15 Honraria “Palmas Universitárias” será entregue ao TRE-MA pela UFMA 22h07 Coral Boa Semente ensaia para apresentações no IX Festival de Cultura de Oeiras 22h05 Escola Judicial avalia a Semana de Formação de Magistrados e cursos de formação de servidores 21h55 Cerca de 30% dos táxis de São Luís não realizaram a verificação anual dos taxímetros 21h37 Segundo jornal, um dia após pedir para ficar no banco, Sterling cai na balada
TRE

Enquete

Na sua opinião, dos novos deputados estaduais eleitos, qual realizará o melhor trabalho?

Total de Votos: 595

Válida de 21/10/2014 a 28/10/2014

Mais lidas

    180graus no Instagramno Instagram