180graus

Dados divulgados pelo CNJ - 15/01/2014 às 09h29

CNJ mostra que número de presos no Brasil aumentou para 584 mil em 2013

Aumento foi 6,56% desde dezembro de 2012, quando o número de presos era de 548 mil

Vestibular
Kangaco
Kangaço

No ano passado, 36 mil homens e mulheres engrossaram a população carcerária brasileira, que atingiu, em dezembro de 2013, o total de 584 mil detentos, segundo o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça. O aumento foi 6,56% desde dezembro de 2012, quando o número de presos era de 548 mil.

Já em relação aos últimos cinco anos, o aumento foi de 29,42% a partir de 2008, quando o Brasil tinha 451.219 presos. Desde então, 132.781 pessoas ingressaram no sistema carcerário nacional.

O novo contingente de presos no país foi divulgado no último dia 10, em matéria publicada no site do Ministério da Justiça sobre os diferentes tipos de unidades prisionais. O texto, porém, não traz a atualização do número de vagas nas unidades prisionais. Na página do ministério na internet, o último dado disponível é de dezembro de 2012, quando havia apenas 310.687 vagas para um total de 548 mil presos. Ou seja, um déficit de 237.313 vagas.

Ainda segundo os dados de 2012, quase metade da população carcerária (48,9%) era de condenados e acusados por crimes contra o patrimônio, como furto, roubo, extorsão, receptação e estelionato. Outros 25,21% estavam presos por tráfico de drogas.

Por outro lado, apenas 11,81% se encontravam presos, em 2012, pelos chamados crimes contra a pessoa, como homicídio, sequestro e cárcere privado. Isso em um país onde a taxa de homicídios é de 29 por 100 mil habitantes, muito superior à média mundial, de 8,8 por 100 mil, segundo a Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), executada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e o Ministério da Justiça.

ONU- Relatório do Grupo de Trabalho sobre Detenção Arbitrária (GTDA) da Organização das Nações Unidas (ONU), que visitou o Brasil em março de 2013, atesta que o uso excessivo da prisão é uma das principais causas da superpopulação carcerária do país. Segundo o documento, isso ocorre em função da baixa aplicação, pelo Poder Judiciário, de medidas cautelares substitutivas à prisão, previstas na Lei 12.403, em vigor desde julho de 2011.

“Apesar de a emenda ao Código de Processo Penal em 2011 permitir a aplicação de medidas alternativas à detenção, o Grupo de Trabalho observou que não houve redução substancial no uso da detenção desde a introdução da emenda”, diz o relatório do GTDA.

“Nos casos em que medidas como fianças são aplicáveis, detentos não têm condições de arcar com a quantia necessária. O Grupo de Trabalho tomou conhecimento de que a privação de liberdade era imposta mesmo em situações em que o delito era considerado de menor gravidade, como furtos não violentos ou o não pagamento de pensão alimentícia, o que desperta sérias preocupações quanto à aplicação do princípio de proporcionalidade”, critica o documento.

O GTDA também apontou como causa da superpopulação carcerária a lentidão na tramitação dos processos, o que leva muitas pessoas a ficarem presas por tempo superior ao necessário. “O Grupo de Trabalho foi recorrentemente informado que o acúmulo de casos nos tribunais causa atrasos substanciais e sérios para os julgamentos. Apelos a tribunais superiores também demoram um longo período para serem apreciados”, avaliou o GTDA.

O relatório também enumerou iniciativas consideradas importantes para a prevenção e o combate às prisões ilegais. O Mutirão Carcerário do CNJ, por exemplo, é citado no seguinte trecho: "O Grupo de Trabalho observou ainda a existência de boas práticas que possuem o potencial de ser reforçadas, com vistas à maior proteção do direito de não ser privado de liberdade arbitrariamente. Incluem-se aí instituições já existentes, como o Mutirão do Conselho Nacional de Justiça, que visita prisões e auxiliou, em anos anteriores, na libertação de vários detentos que estavam ilegalmente presos. Mutirões independentes similares poderão ser úteis na proteção contra detenção arbitrária se forem estabelecidos em nível estadual".

Fonte: Com informações da Assessoria

Publicado Por: Daniel Silva

Últimas Notícias
08h55 Fiema lança hoje a Expo Industria Maranhão 08h54 Surfista ignora sirenes de alerta e acaba perseguido por tubarão 08h45 Uema promove workshop de Geografia 08h38 Dispensada de Miss Bumbum, Urach reclama: 'Pessoas invejosas' 08h30 Governo repassa primeiro volume de informações à comissão de transição 08h15 8ª Feira do Livro de São Luís começa nesta sexta-feira (31) 08h12 Facebook libera foto de amamentação proibida que viralizou 08h07 Atleta de Gov. Edison Lobão vai disputar Jogos Nacional da Juventude na PB 07h55 DPE/MA recebe comitiva da Renade 07h50 Heloísa vence votação, e Cristina Mortágua é eliminada de A Fazenda 7 07h46 PI:Dupla é presa acusada de agredir homem durante briga por 'som alto' 07h45 Prefeitura inaugura Sala da Cidadania Digital 07h45 Mike Tyson revela que sofreu abuso sexual quando tinha 7 anos 07h42 Mulher esfaqueia sua rival após troca de insultos por um homem 07h30 Começa a Semana do Livro e da Biblioteca da Uema 07h21 Bom Jesus sediou a palestra “Iniciativa 2,4-D” 1ª PARTE 07h21 MPMA move ação contra prefeito por publicidade ilegal 07h19 Outubro Rosa acontece em Marcos Parente 07h19 PSDB pede auditoria na apuração dos votos que deram vitória a Dilma 07h15 Produção de mel de abelhas nativas é tema de encontro na Baixada 07h13 Democratização da CBF divide clubes e jogadores. Governo fica neutro; comente 07h13 Professor é atingido por 'bala perdida' durante tiroteio dentro de uma pizzaria 07h07 Fim de semana tem show no Kangaço, Thiaguinho, Xé Pop e festas Halloween 07h05 Município de Raposa recebe exposição em combate ao tráfico de drogas e a criminalidade 07h04 CONHEÇA AS VÍTIMAS do atirador de São Miguel do Tapuio

Mais lidas

    Enquete

    Qual o maior desafio que a presidente Dilma Rousseff terá em seu novo mandato?

    Total de Votos: 858

    Válida de 27/10/2014 a 03/11/2014

    DR ANTONIO CARLOS

    180graus no Instagramno Instagram