180graus

Dados divulgados pelo CNJ - 15/01/2014 às 09h29

CNJ mostra que número de presos no Brasil aumentou para 584 mil em 2013

Aumento foi 6,56% desde dezembro de 2012, quando o número de presos era de 548 mil

Anilson Feitosa Kangaço
Osório - Ed. Neuton Oliveira
CEV





No ano passado, 36 mil homens e mulheres engrossaram a população carcerária brasileira, que atingiu, em dezembro de 2013, o total de 584 mil detentos, segundo o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça. O aumento foi 6,56% desde dezembro de 2012, quando o número de presos era de 548 mil.

Já em relação aos últimos cinco anos, o aumento foi de 29,42% a partir de 2008, quando o Brasil tinha 451.219 presos. Desde então, 132.781 pessoas ingressaram no sistema carcerário nacional.

O novo contingente de presos no país foi divulgado no último dia 10, em matéria publicada no site do Ministério da Justiça sobre os diferentes tipos de unidades prisionais. O texto, porém, não traz a atualização do número de vagas nas unidades prisionais. Na página do ministério na internet, o último dado disponível é de dezembro de 2012, quando havia apenas 310.687 vagas para um total de 548 mil presos. Ou seja, um déficit de 237.313 vagas.

Ainda segundo os dados de 2012, quase metade da população carcerária (48,9%) era de condenados e acusados por crimes contra o patrimônio, como furto, roubo, extorsão, receptação e estelionato. Outros 25,21% estavam presos por tráfico de drogas.

Por outro lado, apenas 11,81% se encontravam presos, em 2012, pelos chamados crimes contra a pessoa, como homicídio, sequestro e cárcere privado. Isso em um país onde a taxa de homicídios é de 29 por 100 mil habitantes, muito superior à média mundial, de 8,8 por 100 mil, segundo a Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), executada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e o Ministério da Justiça.

ONU- Relatório do Grupo de Trabalho sobre Detenção Arbitrária (GTDA) da Organização das Nações Unidas (ONU), que visitou o Brasil em março de 2013, atesta que o uso excessivo da prisão é uma das principais causas da superpopulação carcerária do país. Segundo o documento, isso ocorre em função da baixa aplicação, pelo Poder Judiciário, de medidas cautelares substitutivas à prisão, previstas na Lei 12.403, em vigor desde julho de 2011.

“Apesar de a emenda ao Código de Processo Penal em 2011 permitir a aplicação de medidas alternativas à detenção, o Grupo de Trabalho observou que não houve redução substancial no uso da detenção desde a introdução da emenda”, diz o relatório do GTDA.

“Nos casos em que medidas como fianças são aplicáveis, detentos não têm condições de arcar com a quantia necessária. O Grupo de Trabalho tomou conhecimento de que a privação de liberdade era imposta mesmo em situações em que o delito era considerado de menor gravidade, como furtos não violentos ou o não pagamento de pensão alimentícia, o que desperta sérias preocupações quanto à aplicação do princípio de proporcionalidade”, critica o documento.

O GTDA também apontou como causa da superpopulação carcerária a lentidão na tramitação dos processos, o que leva muitas pessoas a ficarem presas por tempo superior ao necessário. “O Grupo de Trabalho foi recorrentemente informado que o acúmulo de casos nos tribunais causa atrasos substanciais e sérios para os julgamentos. Apelos a tribunais superiores também demoram um longo período para serem apreciados”, avaliou o GTDA.

O relatório também enumerou iniciativas consideradas importantes para a prevenção e o combate às prisões ilegais. O Mutirão Carcerário do CNJ, por exemplo, é citado no seguinte trecho: "O Grupo de Trabalho observou ainda a existência de boas práticas que possuem o potencial de ser reforçadas, com vistas à maior proteção do direito de não ser privado de liberdade arbitrariamente. Incluem-se aí instituições já existentes, como o Mutirão do Conselho Nacional de Justiça, que visita prisões e auxiliou, em anos anteriores, na libertação de vários detentos que estavam ilegalmente presos. Mutirões independentes similares poderão ser úteis na proteção contra detenção arbitrária se forem estabelecidos em nível estadual".

Fonte: Com informações da Assessoria

Publicado Por: Daniel Silva

WX - Village Leste
Curta a nossa fanpage
VAL PRAEIRO HELICONIA
VAL PRAEIRO HELICONIA
THREVO PIATZ
Duas cabeças pensam melhor do que uma
Últimas Notícias
11h34 Léo Cachorrão e Pegadões do Forró agitarão Curralinhos dia 13 de junho 11h29 Confira os resultados da segunda rodada da Taça Teresina de Futebol Sub 13 11h29 Sindicato divulga programação do 1º de Maio em Esperantina 11h13 CCJ do Senado retoma amanhã análise de projeto que institui votação distrital 11h10 Milton Brandão realiza atividades em alusão ao Dia Nacional de Controle da Hipertensão Arterial 11h00 Padre Lotário Weber morre aos 91 anos de idade na cidade de Parnaíba 10h45 Corpo do Coronel Prado é velado na catedral de Picos; enterro será 15hs 10h42 TCU aponta excesso de aditivos em contratos investigados na Lava Jato 10h33 Corrente terá um Centro Especializado de Reabilitação Regional 10h29 FUGITIVO de Pedrinhas é preso após acidente na BR-316 10h29 Presidente Dilma Rousseff sanciona fundo partidário de R$ 868 milhões 10h27 Corredores exclusivos para ônibus têm investimentos de R$ 19 milhões 10h27 Maranhão Natureza - Governador discute preservação ambiental e desenvolvimento com a ministra Izabel 10h16 One Direction perderá um de seus integrantes e vai virar trio; diz site 10h15 Procurador pede a prisão preventiva da cunhada de João Vaccari Neto 10h11 Novo site da cidade entra no ar 10h01 Assaltante é dominado por Policial Rodoviário Federal de folga... 10h01 Quadra de esporte abandonada na zona norte ao lado do EDGAR TITO... 10h01 Jovem é morto em São Paulo após publicar vídeo como matador de PMs. 09h41 Oposição pode pedir impeachment da presidente Dilma Rousseff já em maio 09h39 Vaccari vai depor por videoconferência no caso Bancoop 09h37 Fortuna acumulada da modelo Gisele Bündchen compra cerca de1.597 ilhas 09h35 Prefeitura decreta luto em Picos pelo falecimento do Coronel Prado 09h28 Festa de aniversário de Adalberto Jr. 09h26 Alice divide quarto com umas garotas de programa e leva surra de prostituta
MELHORES IMOVEIS
Duas cabeças pensam melhor do que uma
Curta a nossa fanpage

Mais Lidas

    VAL PRAEIRO HELICONIA

    Enquete

    A Secretaria de Segurança apresentou números que mostram que o índice geral de violência caiu até 37% no Piauí após a chegada da Força Nacional. Você concorda com estes números?

    Total de Votos: 278

    Válida de 17/04/2015 a 24/04/2015

    Duas cabeças pensam melhor do que uma
    THREVO POETIC
    Curta a nossa fanpage
    VAL PRAEIRO

    180graus no Instagramno Instagram

    VAL PRAEIRO HELICONIA
    THREVO POETIC
    WX - Village Leste