Empresas de ônibus · 11/10/2017 - 17h47 | Última atualização em 12/10/2017 - 09h41

Ser "capitalista" e "empresário" em Teresina é coisa fácil, basta associar-se ao poder público


Compartilhar Tweet 1



O 180graus publicou ontem a matéria “Após anunciar passagens no 'crédito', ônibus da Timon City sofrem ataques em Teresina”. O leitor que ainda não leu o texto, deve fazê-lo.

A seguir publico o conceito de algumas palavras para, após, comentar o fato.

Capitalismo - sistema econômico baseado na legitimidade dos bens privados e na irrestrita liberdade de comércio e indústria, com o principal objetivo de ad”quirir lucro, nele o capital está em mãos de empresas privadas ou indivíduos que contratam mão de obra em troca de salário.

Monopólio - privilégio legal, ou de fato, que possui uma empresa de explorar determinados serviços. Comércio abusivo que consiste em um grupo tornar-se único possuidor de determinado produto para, na falta de competidores, poder vendê-lo por preço exorbitante.

Cartel - associação entre empresas do mesmo ramo de produção com objetivo de dominar o mercado e disciplinar a concorrência. As partes entram em acordo sobre o preço, que é uniformizado geralmente em nível alto. Os cartéis prejudicam a economia por impedir o acesso do consumidor à livre-concorrência e beneficiar empresas não-rentáveis.

Concorrência - ato ou efeito de disputar a primazia com outra(s) pessoa(s) ou coisa(s); competição, disputa.

Concessão pública - é o contrato entre a administração pública e uma empresa privada, pelo qual a primeira transfere, à segunda, a execução de um serviço público, para que exerça este em seu próprio nome e por sua conta e risco, mediante tarifa paga pelo usuário

Muitos se vangloriam de serem capitalistas. De ganharem o seu dia-a-dia, a partir do seu esforço e empreendimento próprio. Mas quando você vai olhar percebe que aquela atividade, dita capitalista, na realidade, é um serviço público (exercida através da concessão pública). E os “empresários” do setor fazem um casamento de conveniência com o poder público e só quem sai perdendo é o usuário daquele serviço.

O transporte público de Teresina é o exemplo claro disso que estou falando.

Não conheço o empresário Ramon Alves, da empresa Timon City, nem nunca utilizei os serviços da mesma. Sei o que é noticiado pelo mídia.

Parênteses: a mídia piauiense pouca fala dos serviços de ônibus da capital. Pouca critica faz. Por que será?

Mas voltando à Timon City. Ramon Alves tem tentado ser capitalista, ele aceita a concorrência. Mas aqui em Teresina não é fácil.

A pouco tempo atrás sua empresa trouxe o serviço de refrigeração interna das unidades de transporte. Os usuários, que de besta nada tem, evidentemente, procuraram aquela empresa que oferecia melhor serviço. Aí foi uma grita geral do monopólio em Teresina. Empresas locais e a Prefeitura só fizeram dificultar a vida da Timon City e, agora, mais esta: ônibus apedrejados após a adoção de uma nova medida que beneficia os usuários - a possibilidade de pagar a passagem com o cartão.

Assim é fácil ser um “empresário”, ser um “capitalista” em Teresina. Aqui você forma um cartel e tem a proteção do poder público.

 

Comentários