180graus

Pornografia Via Celular - 17/11/2013 às 19h18

Troca de fotos e vídeos sensuais vira mania entre adolescentes

Imagens são um tipo de pornografia infanto-juvenil e é preciso cuidado

comserv
Negócios ou lazer em Parnaíba?





Quando a estudante de Arquitetura Juliana Almeida, 19 anos, começou a receber no celular fotos e vídeos sensuais de meninas de Feira de Santana, foi pega de surpresa. Apesar de morar em Salvador, Juliana reconheceu algumas garotas da cidade natal. “Conhecia umas três de vista”.

Ela não foi a única fora (e dentro) de Feira de Santana a receber as imagens pelo aplicativo de mensagens Whatsapp. Para a câmera do celular, as jovens revelavam pernas, seios e vagina.

Numa das fotos mais comportadas, uma menina de 13 anos aparece num conjunto de lingerie branco, com corpete e salto alto. Outra fotografou a si mesma de pernas abertas, chupando o polegar.

Depois que as fotos correram, não tardou para que todos soubessem como aquela exibição começou. As garotas não apenas se gravaram, mas também compartilharam as próprias imagens.

Num dos vídeos, meninas se masturbam diante do espelho. Em outro, uma adolescente faz sexo com dois garotos de aproximadamente 15 anos. “O que mais assustou foi que eram meninas com bom nível de informação”, comentou uma estudante de Direito.

Sexting
Se, por aqui, a autoexibição via celular é relativamente nova, nos Estados Unidos a prática se popularizou há sete anos. Lá, ficou conhecida como Sexting, expressão que une as palavras sex (sexo) e texting (ato de enviar mensagens).

Uma pesquisa divulgada ano passado pela Universidade do Sul da Califórnia (USC) mostrou que um em cada sete adolescentes americanos já compartilhou fotos ou vídeos de si mesmo nu ou seminu.

No caso das meninas de Feira, tudo começou entre amigos. “A primeira foi Maira*. Ela tinha um grupo no Whatsapp com amigas e tirou uma foto mostrando os peitos”, contou Caio*, 17, referindo-se a uma garota de 13.

Jovens usam smartphones para tirar e enviar fotos íntimas
A foto de Maira se espalhou. Dias depois, foi criado um grupo maior. “As meninas tiravam fotos e mandavam para os meninos. Acho que elas ficaram iludidas, porque tinham caras mais velhos”, observa Caio, que integrou o grupo - cada vez maior. “Muita menina começou a participar, para ficar popular”.
Segundo Caio, o grupo chegou a ter 50 membros, o limite do Whatsapp, e outros grupos foram criados. No troca-troca, as imagens extrapolaram os grupos.

Foi aí que Laura*, 13, viu uma foto sua exibindo os seios se espalhar na escola– um colégio particular dirigido por freiras. Ela afirma que mandou a foto apenas para um garoto que não era seu namorado, mas que é apontado por ela como o responsável pelo vazamento.

“As meninas começaram com isso (compartilhar imagens), mas depois me afastei. Mas minha foto não era como as delas. As delas eram muito pesadas”, comenta. De qualquer forma, Laura teve que devolver aos pais o iPhone 4.
Ask.FM Em Salvador, o frisson começou em 2012, com o crescimento da rede social Ask.fm, onde as pessoas fazem perguntas aos usuários. Bastava alguém perguntar, na rede social, sobre uma determinada pessoa, que outro usuário postava uma foto daquela pessoa sem roupa.

Não dava para apontar o responsável, até que algumas adolescentes deixaram as publicações anônimas. “Eram elas postando as próprias fotos. Descobrimos porque a galera começou a guardar as imagens antes que deletassem”, conta Mateus*, 16.

Mas o Ask.fm logo deu lugar ao Whatsapp e cada vez mais imagens surgiam. Numa delas, uma estudante de um dos colégios mais caros da capital baiana se masturba com o salto de um sapato.

Cuidado
O Sexting adolescente é cada vez mais recorrente, segundo a delegada Ana Crícia Almeida, titular da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca). Ela, porém, não aponta quantos casos foram registrados este ano, com pedidos dos pais para tirar as imagens de circulação.

Segundo Ana Crícia, as imagens são um tipo de pornografia infanto-juvenil e é preciso cuidado para que o conteúdo não caia nas mãos de pedófilos. “As meninas estão saindo da infância e não imaginam que aquilo fica”.
Já a socióloga Celma Borges, professora da Faculdade de Educação (Faced) da Ufba, aponta uma aspecto psicológico da exibição. “As pessoas querem o simples aplauso, como o ‘curtir’ do Facebook. Elas se sentam vistas e talvez tenham algum tipo de alento”.

Entre aplausos e curtidas virtuais, a história pode acabar mal, como acabou na cidade de Parnaíba, no Piauí, onde a polícia investiga a morte de Júlia Rebeca, de 17 anos.

A suspeita é que a garota tenha cometido suicídio depois que se espalhou por todo o Brasil um vídeo que ela mesma filmou, fazendo sexo com um jovem e outra adolescente. No Twitter, Júlia chegou a se despedir: “Eu te amo, desculpa não ser a filha perfeita (...) tô com medo mas acho que é tchau pra sempre”.

Fonte: Com informações do Correio

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


podium
Últimas Notícias
23h00 Voo rasante feito durante o Corso de THE é investigado pela Aeronáutica 22h32 A Secretária de Educação Estadual recebe em seu gabinete o Prefeito de Itaueira 22h00 Governo e prefeitura unem forças para realização de ações e obra em Teresina 18h55 Marcus Paixão lançará o livro 'Ensaios do Norte' com várias reflexões históricas 18h39 Professores do Maranhão receberão maior salário do país após reajuste 18h21 Hoje tem Prévia de Carnaval no Brizolas Bar 18h16 Bloco Kamaleãozinho 2017 18h11 Presidente anuncia composição das comissões técnicas da Alepi na quinta, 2 18h07 Reunião com Organizadores dos Blocos do Carnaval 2017 18h06 Assembleia homenageia os 50 anos de atividades do Rotary Club Teresina Sul 17h59 Projeto que trata da recuperação fiscal dos estados foi enviado ao Congresso 17h57 Loteamento Vale do Amanhecer 17h54 Iniciada a Primeira Jornada Pedagógica 2017 17h50 Programa Saúde na Escola é desenvolvido em Guadalupe 17h40 Los Angeles é a cidade 'mais congestionada do mundo', diz estudo 17h39 Prefeita de Guadalupe participa da abertura dos trabalhos legislativos 17h34 Receita alerta sobre mensagens por e-mail e os riscos de golpe pela web 17h34 Vereadores elegem membros das comissões permanentes 2017/12018 17h33 Justiça Federal condena ex-prefeitos de 3 municípios do PI 17h30 Câmara Municipal inicia ano Lgislativo 17h19 Brasil tem maior número de casos de depressão na América Latina 17h13 Foragido apresenta documentos falsos para sair do flagrante, mas PM o detém 17h07 Fábrica da Volkswagen produz 'Mini Gol' para casal de anões 17h03 Melhores alunos são mais propensos a beber e fumar maconha 17h01 Corpo de Bombeiros reforça efetivo para garantir segurança dos banhistas no Litoral

Terno & Cia
Hospede-se no Islamar

Mais Lidas


    Enquete

    Você concorda com a decisão da Prefeitura de Teresina em não bancar os desfiles das escolas de Samba?

    Total de Votos: 290

    Válida de 2017-01-09 14:36:00.0 a 2017-01-16

    comserv
    Casa do cartucho
    Negócios ou lazer em Parnaíba

    180graus no Instagramno Instagram

    Negócios ou lazer em Parnaíba