180graus

Pornografia Via Celular - 17/11/2013 às 19h18

Troca de fotos e vídeos sensuais vira mania entre adolescentes

Imagens são um tipo de pornografia infanto-juvenil e é preciso cuidado

Kangaco
Casa do Cartucho

Quando a estudante de Arquitetura Juliana Almeida, 19 anos, começou a receber no celular fotos e vídeos sensuais de meninas de Feira de Santana, foi pega de surpresa. Apesar de morar em Salvador, Juliana reconheceu algumas garotas da cidade natal. “Conhecia umas três de vista”.

Ela não foi a única fora (e dentro) de Feira de Santana a receber as imagens pelo aplicativo de mensagens Whatsapp. Para a câmera do celular, as jovens revelavam pernas, seios e vagina.

Numa das fotos mais comportadas, uma menina de 13 anos aparece num conjunto de lingerie branco, com corpete e salto alto. Outra fotografou a si mesma de pernas abertas, chupando o polegar.

Depois que as fotos correram, não tardou para que todos soubessem como aquela exibição começou. As garotas não apenas se gravaram, mas também compartilharam as próprias imagens.

Num dos vídeos, meninas se masturbam diante do espelho. Em outro, uma adolescente faz sexo com dois garotos de aproximadamente 15 anos. “O que mais assustou foi que eram meninas com bom nível de informação”, comentou uma estudante de Direito.

Sexting
Se, por aqui, a autoexibição via celular é relativamente nova, nos Estados Unidos a prática se popularizou há sete anos. Lá, ficou conhecida como Sexting, expressão que une as palavras sex (sexo) e texting (ato de enviar mensagens).

Uma pesquisa divulgada ano passado pela Universidade do Sul da Califórnia (USC) mostrou que um em cada sete adolescentes americanos já compartilhou fotos ou vídeos de si mesmo nu ou seminu.

No caso das meninas de Feira, tudo começou entre amigos. “A primeira foi Maira*. Ela tinha um grupo no Whatsapp com amigas e tirou uma foto mostrando os peitos”, contou Caio*, 17, referindo-se a uma garota de 13.

Jovens usam smartphones para tirar e enviar fotos íntimas
A foto de Maira se espalhou. Dias depois, foi criado um grupo maior. “As meninas tiravam fotos e mandavam para os meninos. Acho que elas ficaram iludidas, porque tinham caras mais velhos”, observa Caio, que integrou o grupo - cada vez maior. “Muita menina começou a participar, para ficar popular”.
Segundo Caio, o grupo chegou a ter 50 membros, o limite do Whatsapp, e outros grupos foram criados. No troca-troca, as imagens extrapolaram os grupos.

Foi aí que Laura*, 13, viu uma foto sua exibindo os seios se espalhar na escola– um colégio particular dirigido por freiras. Ela afirma que mandou a foto apenas para um garoto que não era seu namorado, mas que é apontado por ela como o responsável pelo vazamento.

“As meninas começaram com isso (compartilhar imagens), mas depois me afastei. Mas minha foto não era como as delas. As delas eram muito pesadas”, comenta. De qualquer forma, Laura teve que devolver aos pais o iPhone 4.
Ask.FM Em Salvador, o frisson começou em 2012, com o crescimento da rede social Ask.fm, onde as pessoas fazem perguntas aos usuários. Bastava alguém perguntar, na rede social, sobre uma determinada pessoa, que outro usuário postava uma foto daquela pessoa sem roupa.

Não dava para apontar o responsável, até que algumas adolescentes deixaram as publicações anônimas. “Eram elas postando as próprias fotos. Descobrimos porque a galera começou a guardar as imagens antes que deletassem”, conta Mateus*, 16.

Mas o Ask.fm logo deu lugar ao Whatsapp e cada vez mais imagens surgiam. Numa delas, uma estudante de um dos colégios mais caros da capital baiana se masturba com o salto de um sapato.

Cuidado
O Sexting adolescente é cada vez mais recorrente, segundo a delegada Ana Crícia Almeida, titular da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca). Ela, porém, não aponta quantos casos foram registrados este ano, com pedidos dos pais para tirar as imagens de circulação.

Segundo Ana Crícia, as imagens são um tipo de pornografia infanto-juvenil e é preciso cuidado para que o conteúdo não caia nas mãos de pedófilos. “As meninas estão saindo da infância e não imaginam que aquilo fica”.
Já a socióloga Celma Borges, professora da Faculdade de Educação (Faced) da Ufba, aponta uma aspecto psicológico da exibição. “As pessoas querem o simples aplauso, como o ‘curtir’ do Facebook. Elas se sentam vistas e talvez tenham algum tipo de alento”.

Entre aplausos e curtidas virtuais, a história pode acabar mal, como acabou na cidade de Parnaíba, no Piauí, onde a polícia investiga a morte de Júlia Rebeca, de 17 anos.

A suspeita é que a garota tenha cometido suicídio depois que se espalhou por todo o Brasil um vídeo que ela mesma filmou, fazendo sexo com um jovem e outra adolescente. No Twitter, Júlia chegou a se despedir: “Eu te amo, desculpa não ser a filha perfeita (...) tô com medo mas acho que é tchau pra sempre”.

Fonte: Com informações do Correio

Publicado Por: Ricardo Caetano

Últimas Notícias
00h24 Roy Rossello recorda abuso sexual na época do Menudo e revela: 'Tentei me matar' 00h19 Fernanda Gentil não gosta de se maquiar: 'Não vou convencer toda montada' 00h14 Jocamarquense é assassinado em Belo Monte no estado do Pará 23h58 Mutirão da Documentação chega a São Miguel do Tapuio e região 23h55 Juízes recebem Selo Bronze do Conselho Nacional de Justiça 23h53 Italianos ensinarão produção de hortaliças usando hidroponia em Pedro II 23h38 Educadores discutem o PNAIC em Pedro II 23h35 Seminário apresenta as principais evoluções do marketing nesta quarta-feira 23h31 Seduc reúne equipe técnica para organizar mudança de gestão 23h26 Pré-festejo da padroeira de Pedro II começa dia 23 em Teresina 23h15 Programas do TJMA promovem qualidade de vida no trabalho 23h15 Imperdível! Cadastro para troca de geladeira em Turiaçu e Buriticupu 23h11 III Encontro Técnico das Categorias de Base 23h09 ZPE Parnaíba apresentará balanço de ações em Brasília 23h06 SÃO JOÃO BATISTA - MPMA requer afastamento de prefeito 23h03 Ilha do Caju é paraíso ecológico no Delta do Parnaíba 22h55 SÃO LUÍS - Empossado novo diretor das Promotorias de Justiça da Capital 22h54 Seduc convoca servidores para regularização dos afastamentos 22h35 Nove entre dez Magistrados estão felizes com opção profissional, indica Censo 22h35 Imperdível! Cadastro para troca de geladeira em Turiaçu e Buriticupu 22h15 Polícia Civil prende assaltante em Bacabal 22h05 Prazo para inscrição no Programa de Redução de Anuidades encerra-se no final de outubro 22h01 Confira o Gabarito Preliminar do Concurso Público da Prefeitura de Corrente 22h00 Concurso Público da Prefeitura de Corrente transcorreu normalmente neste domingo 21h55 Policia Civil cumpre mandado de prisão em Pedreiras
TRE

Enquete

O que você acha sobre o horário de verão?

Total de Votos: 191

Válida de 18/10/2014 a 26/10/2014

Mais lidas

    180graus no Instagramno Instagram