180graus

Comportamento em destaque - 18/07/2010 às 14h57

Pesquisa comprova: homens ligam mais para o prazer delas

Uma pesquisa sobre comportamento sexual masculino sugere que eles mudaram

Kangaço
Casa do Cartucho
CELTA CONSTRUTORA
LB Fitness

Para o empresário paulistano Evandro Gomes dos Santos, de 25 anos, satisfação sexual está ligada mais à qualidade da relação sexual do que à quantidade de parceiras. Para que uma transa seja boa, afirma, é fundamental que a mulher também fique satisfeita. “Não me importava com isso, mas, de tanto ouvir reclamações sobre homens egoístas na cama, percebi que precisava mudar.” O discurso de Evandro está afinado com o da maioria dos 3.026 homens ouvidos em uma pesquisa sobre comportamento sexual masculino realizada no mês passado em cinco capitais brasileiras pela Sociedade Brasileira de Urologia – em parceria com o laboratório Bayer Schering Pharma. Questionados sobre o que consideram mais importante em relação ao sexo, a qualidade da relação sexual e a satisfação da parceira ficaram, respectivamente, em segundo e terceiro lugares de uma lista com seis itens (leia o quadro). Em primeiro lugar, claro, ficou a própria satisfação.

Os especialistas dizem que o resultado desse levantamento aponta mudanças importantes no comportamento masculino. A sexóloga Carla Cecarello, que coordenou a pesquisa, diz que é nova essa preocupação com a satisfação da parceira. Mas que não se trata de altruísmo. “Se ele consegue satisfazer a mulher, isso contribuiu para reafirmar sua virilidade”, diz ela. Trata-se, também, de uma adaptação ao novo mercado sexual. Os especialistas são unânimes em apontar as exigências femininas como o principal motor da mudança na atitude dos homens. O sociólogo Dario Caldas, organizador do livro Homens – Comportamento, identidade, crise, vaidade, lembra que as transformações do papel feminino durante o século XX modificaram a relação das mulheres com seu corpo. Elas passaram a fazer sexo por prazer. E a exigir prazer. A experiência do cirurgião vascular Carlos Araújo, especialista em disfunção erétil, corrobora essa teoria. Ele diz que metade das consultas em seu consultório é marcada pelas parceiras dos pacientes, que acompanham de perto o tratamento. “As mulheres não se contentam mais em satisfazer o companheiro e ficar insatisfeitas”, diz ele.

Outra mudança de comportamento revelada pela pesquisa é a maior disposição masculina em discutir a própria vida sexual. Ao contrário das mulheres, os homens só falavam do assunto para contar vantagens. Agora, mais de 64% dos entrevistados dizem discutir abertamente sua intimidade. “Achei significativo tantos homens se dizerem dispostos a falar desse assunto com liberdade. Isso sinaliza que o tema está deixando de ser tabu”, afirma Dario Caldas. O sociólogo adverte, porém, que nem tudo o que os homens falam sobre sexo deve ser levado ao pé da letra. “Eles fantasiam”, afirma. Em outra palavra, mentem. A mentira mais comum é sobre a frequência das relações sexuais. “Eles dizem aquilo que acham que a sociedade espera deles”, afirma Caldas.

Esse tipo de atitude defensiva se insinua nos resultados da pesquisa: 61,7% dos entrevistados disseram transar de duas a quatro vezes por semana. E 31% acham que “o ideal” é transar mais de cinco vezes na semana. Exagero? Provavelmente. Numa pesquisa nacional realizada no ano passado pelo Instituto Datafolha, 23% dos entrevistados disseram não ter feito sexo entre janeiro e setembro de 2009...

O urologista Archimedes Nardozza Jr., presidente do braço paulista da Sociedade Brasileira de Urologia, descobriu outra informação dúbia. Mais de 81% dos entrevistados disseram nunca ter tido problemas de “disfunção erétil”. Mas os dados nacionais, segundo o médico, sugerem que metade da população masculina já teve dificuldade de ereção alguma vez na vida. “Isso eles não admitem nem para os médicos”, afirma Nardozza Jr.

Por que tamanha negação? É ainda o medo de parecer menos macho. A sexóloga Carla Cecarello diz que, para a maioria dos homens brasileiros, admitir alguma dificuldade relacionada à ereção ainda equivale a assumir que não é “homem o suficiente” – uma obsessão marcante entre os povos latinos. Carla diz que os americanos têm uma visão do prazer na qual homem e mulher são corresponsáveis pela satisfação na cama. Na cultura asiática – por comparação –, a responsabilidade recai sobre a mulher: ela tem a obrigação de satisfazer o parceiro. Para os latinos, porém, o homem é quem tem de se mostrar o tal. O paulistano Evandro concorda: “Temos de ser fortes e infalíveis. Quem sai dessas regras está fora do jogo”. E ele, já saiu alguma vez? “Se eu saísse, não teria problema em admitir.” A pesquisa sugere que a maioria não funciona assim.

Fonte: Com Informações Da Época

Publicado Por: Fábio Carvalho

Últimas Notícias
06h55 Escola Maria Aragão relembra 50 anos do golpe militar no Brasil 06h45 Salão de Arte promovido pela escola Maria Aragão relembra 50 anos do golpe militar no Brasil 06h44 Ataque do Inter fica mais de 10 horas sem gols e 'desafia' esquema de Abel 06h30 Bailarinos e grupos especiais maranhenses brilharão nos palcos da Semana da Dança nesta sexta (29) 06h29 Representante da CODEVASF faz reunião em Campo Largo do Piaui sobre o Programa "Água para Todos" 06h27 Muricy e diretoria discutirão se clube deve buscar substituto para Douglas 06h15 Fase final da Copa Maranhão começa nesta sexta-feira 06h00 Judiciário qualifica profissionais para garantir direitos de pacientes judiciais 05h50 Bairro Lavanderia Ganha um Trailer da Policia 05h43 Obras e Pavimentação em São João dos Patos 05h20 Ricky Martin planeja ser pai novamente no próximo ano 05h05 Processado por fotógrafo, Kanye West revela que seu pai era paparazzo 04h22 Musical Geleia Geral volta a Oeiras no projeto Teatro Vivo 04h20 Dudu Nobre e Di Ferrero serão assistentes no 'The Voice Brasil' 04h05 'Damos risada sobre esses boatos', diz Marina Ruy Barbosa sobre envolvimento com Nero 03h20 MEC inicia consulta a estados e municípios para base nacional curricular 03h11 Dia Nacional da Visibilidade Lésbica é comemorado em evento em Brasília 02h25 Médico com doença do 'desafio do balde de gelo' dá aula só com olhos 02h02 Nigeriano cria bonecas negras contra preconceito e supera venda de Barbie 01h31 Pai de Angelina Jolie revela não ter sido informado sobre o casamento da filha 01h29 Após novos boatos, Jennifer Aniston nega gravidez: 'Não suporto esta pressão' 00h28 Débora Nascimento e José Loreto ganham apartamentos como cachê 00h05 Gugu começa a montar equipe para estreia na Record 00h04 Comunidade dos Tatus realiza mutirão de limpeza em Ilha Grande 00h01 Credibilidade/Luis Correia: Zé Filho 32%, W.Dias 29% e Mão Santa 11%
ControlX

Enquete

Os 7 candidatos a governo do Estado já ficaram frente a frente em 3 debates na TV. Para você, qual dos encontros foi o mais polêmico?

Total de Votos: 315

Válida de 27/08/2014 a 03/09/2014

Mais lidas

    180graus no Instagramno Instagram