180graus

Queixas sobre material coletiv - 13/01/2014 às 07h33

Pais reclamam da lista de materiais das escolas particulares; abusos e altos valores

Em uma lista, pedia-se uma cola de 1 litro, na outra, a mãe deveria comprar duas colas brancas.

COLEGIO CEV
GUIA DOS PARLAMENTARES II
Casa na praia
BRVOX VAGA
Conserv
ROSMANNY





A bacharel em direito Raíres Cunha trocou os filhos de escola este ano. No momento da matrícula, pagou uma taxa estipulada pela escola para a aquisição de materiais, como caixa de giz, pincel e cola. Quando veio a lista de material individual, uma surpresa: lá estavam elencados materiais bem parecidos. Em uma lista, pedia-se uma cola de 1 litro, na outra, a mãe deveria comprar duas colas brancas.

No Distrito Federal, mais de 200 pais procuraram a Associação de Pais de Alunos das Instituições de Ensino (Aspa-DF) para reclamar de possíveis abusos e tirar dúvidas sobre listas de materiais escolares. As queixas são principalmente sobre a exigência de material coletivo, o que é proibido por lei, e a não especificação do uso dos produtos solicitados. A entidade recebeu reclamações também de pais de outros estados.

“Acho um absurdo. Se eles pedem um valor para comprar material de uso coletivo das crianças, por que a gente tem que comprar mais material ainda?”, reclama Raíres. “Aqui [aponta a lista coletiva] diz que a gente paga um pincel. Na outra [individual], pedem outro pincel”.

Tudo isso pesa no bolso. O presidente da Aspa-DF, Luis Claudio Megiorin, calcula que todo o material solicitado no início do ano letivo e durante o ano, como os extras, representam um acréscimo de 15% a 20% no gasto anual das famílias com a mensalidade escolar.

Sancionada no ano passado, a Lei 12.886/13 prevê o direito de comprar apenas o que o próprio filho vai consumir, individualmente ou coletivamente. O texto diz: “Será nula cláusula contratual que obrigue o contratante ao pagamento adicional ou ao fornecimento de qualquer material escolar de uso coletivo dos estudantes ou da instituição”.

A presidenta da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), Amábiles Pacios, informa que o material coletivo a que se refere a lei é o de uso de expediente, como material de limpeza, papel higiênico e sabonete. Itens como cartolinas, giz de cera e pincéis podem ser pedidos pela escola, para uso do aluno em sala de aula. Mas, para esses materiais, o centro de ensino deve especificar a finalidade de cada um.

“Os pais devem comprar aquilo que for usado pedagogicamente em uma construção coletiva. Esse material volta para o pai em forma de trabalho das crianças”, diz Amábile, acrescentando que os pais com dúvida devem procurar as instituições, que estão à disposição para explicar sobre o uso dos materiais. Ela esclarece que não existe uma única regra e “as escolas têm autonomia para desenvolver propostas pedagógicas e solicitar o material para que ela seja desenvolvida”.

Na semana passada, o Procon-DF constatou que o plano de execução não está sendo apresentado aos pais por algumas instituições. A Operação Passa Régua fiscalizou 13 escolas, sendo que nove foram autuadas por apresentar irregularidades como a falta desse plano.

O Procon-DF recomenda que os pais exijam o plano de execução das escolas e fiquem atentos quanto às exigências da lista. Qualquer dúvida, devem procurar a instituição e registrar a queixa. A Aspa-DF orienta os pais a etiquetar todo o material comprado e deixado na escola. Ao final do ano, eles devem solicitar às escolas a devolução de pincéis, lápis de cor e do que não for completamente consumido ao longo do ano. “Isso pode ser guardado e usado no ano seguinte”, ressalta Megiorin.

Fonte: Agência Brasil

Publicado Por: Apoliana Oliveira

Últimas Notícias
08h55 Polícia Federal ouve Cerveró nesta quarta(28) sobre compra de Pasadena 08h55 Termo de cooperação é assinado para intensificar a fiscalização em THE 08h52 THE e Maranhão firmam acordo sobre atendimentos a pacientes oncológicos 08h49 Após audiência, Ministério vai pagar Estado por pacientes vindos do MA 08h46 Eurico ordena que titulares só usarão de 1 a 11: 'Nada de camisa 34, 43...' 08h42 ProUni tem mais de 972 mil inscritos em dois dias; são 213.113 bolsas 08h37 Império: Enrico troca socos com Leonardo, e Felipe ameça matá-lo 08h33 Nove concluídos: Prefeitura de Juazeiro do Piauí iniciou perfuração de 15 poços na Zona Rural. 08h31 Francieli culpa 'BBB15' por eliminação e afastamento do emprego 08h29 Chris Pratt foi sondado pela Disney para ser o novo Indiana Jones 08h29 Após adiar 2 vezes, Petrobras divulga balanço sem baixas pela corrupção 08h28 Cuidado: carregador pode levar vírus para seu smartphone; proteja-se! 08h23 Urach revela experiência espiritual e conta que chegou aos 150kg 08h22 Ampliação da Unidade Básica de Saúde da Santa Rita em Pajéu do Piauí 08h21 Posse do Padre Miguel Junior na Paróquia de Sta. Teresinha acontecerá Domingo, 01 de Janeiro. 08h21 Foi realizado curso de horticultores, com os horticultores do Pantanal e Torres(zona urbana e rural) 08h19 Piauí vai receber empréstimo retido no Banco do Brasil;cerca de R$69 milhões 08h18 Musas da avenida: Conheça Lylya, a Rainha do Carnaval de THE em 2015 08h14 Com treino fechado como carta na manga, Ricardinho testa variações no Santa 08h10 DESCASO NA SEGURANÇA NO MARANHÃO 08h08 Receita libera nesta quarta a consulta a lote residual do Imposto de Renda 08h05 Secretaria de Educação promove Semana Pedagógica 2015 08h03 Fla demite Felipe e goleiro acionará Justiça e cobrará dívida e rescisão 07h55 SIMEONE afirma que Riquelme contribuiu muito ao futebol 07h43 Título inédito é um motivação especial para os 16 jogadores do Atlético-MG
CURSO DE INGLES
CNH

Mais Lidas

    Enquete

    O que você achou do congelamento do preço da passagem para estudantes em Teresina?

    Total de Votos: 216

    Válida de 26/01/2015 a 02/02/2015

    180graus no Instagramno Instagram