180graus

Queixas sobre material coletiv - 13/01/2014 às 07h33

Pais reclamam da lista de materiais das escolas particulares; abusos e altos valores

Em uma lista, pedia-se uma cola de 1 litro, na outra, a mãe deveria comprar duas colas brancas.

Kangaco
Vestibular
MUNICIPIO CONTABILIDADE
Kangaço

A bacharel em direito Raíres Cunha trocou os filhos de escola este ano. No momento da matrícula, pagou uma taxa estipulada pela escola para a aquisição de materiais, como caixa de giz, pincel e cola. Quando veio a lista de material individual, uma surpresa: lá estavam elencados materiais bem parecidos. Em uma lista, pedia-se uma cola de 1 litro, na outra, a mãe deveria comprar duas colas brancas.

No Distrito Federal, mais de 200 pais procuraram a Associação de Pais de Alunos das Instituições de Ensino (Aspa-DF) para reclamar de possíveis abusos e tirar dúvidas sobre listas de materiais escolares. As queixas são principalmente sobre a exigência de material coletivo, o que é proibido por lei, e a não especificação do uso dos produtos solicitados. A entidade recebeu reclamações também de pais de outros estados.

“Acho um absurdo. Se eles pedem um valor para comprar material de uso coletivo das crianças, por que a gente tem que comprar mais material ainda?”, reclama Raíres. “Aqui [aponta a lista coletiva] diz que a gente paga um pincel. Na outra [individual], pedem outro pincel”.

Tudo isso pesa no bolso. O presidente da Aspa-DF, Luis Claudio Megiorin, calcula que todo o material solicitado no início do ano letivo e durante o ano, como os extras, representam um acréscimo de 15% a 20% no gasto anual das famílias com a mensalidade escolar.

Sancionada no ano passado, a Lei 12.886/13 prevê o direito de comprar apenas o que o próprio filho vai consumir, individualmente ou coletivamente. O texto diz: “Será nula cláusula contratual que obrigue o contratante ao pagamento adicional ou ao fornecimento de qualquer material escolar de uso coletivo dos estudantes ou da instituição”.

A presidenta da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), Amábiles Pacios, informa que o material coletivo a que se refere a lei é o de uso de expediente, como material de limpeza, papel higiênico e sabonete. Itens como cartolinas, giz de cera e pincéis podem ser pedidos pela escola, para uso do aluno em sala de aula. Mas, para esses materiais, o centro de ensino deve especificar a finalidade de cada um.

“Os pais devem comprar aquilo que for usado pedagogicamente em uma construção coletiva. Esse material volta para o pai em forma de trabalho das crianças”, diz Amábile, acrescentando que os pais com dúvida devem procurar as instituições, que estão à disposição para explicar sobre o uso dos materiais. Ela esclarece que não existe uma única regra e “as escolas têm autonomia para desenvolver propostas pedagógicas e solicitar o material para que ela seja desenvolvida”.

Na semana passada, o Procon-DF constatou que o plano de execução não está sendo apresentado aos pais por algumas instituições. A Operação Passa Régua fiscalizou 13 escolas, sendo que nove foram autuadas por apresentar irregularidades como a falta desse plano.

O Procon-DF recomenda que os pais exijam o plano de execução das escolas e fiquem atentos quanto às exigências da lista. Qualquer dúvida, devem procurar a instituição e registrar a queixa. A Aspa-DF orienta os pais a etiquetar todo o material comprado e deixado na escola. Ao final do ano, eles devem solicitar às escolas a devolução de pincéis, lápis de cor e do que não for completamente consumido ao longo do ano. “Isso pode ser guardado e usado no ano seguinte”, ressalta Megiorin.

Fonte: Agência Brasil

Publicado Por: Apoliana Oliveira

Últimas Notícias
21h15 Judiciário aguarda aprovação da proposta orçamentária de 2015 20h59 Moradores Fazem Protesto Devido Grandes Atropelamentos 20h54 Programa Brasil Alfabetizado faz capacitação em Avelino Lopes 20h28 Encerramento da Campanha Outubro Rosa 20h18 Maior Atletista do Maranhão juntamente com seu Instrutor 20h17 Neuma Café receberá o Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor 20h13 Pedro II sediará a 1ª Feira Cidade Empreendedora 20h11 CEEP Angelina Mendes apresenta Projeto Pedro II em Foco 20h09 Servidores do Solon Brandão participam de confraternização 20h07 Produtos orgânicos são comercializados em feira na praça 20h02 Especial 97 tem Bandas 100 Stress e Mella Pinto, confira 19h56 Guadalupe ficou sem água por 24 horas 19h51 IBGE aponta queda do analfabetismo entre as mulheres 19h51 Mais uma família perde tudo após incêndio em casa em Guadalupe 19h40 Ministra determina incluir reajustes de Supremo e MP no Orçamento de 2015 19h34 'Melhor ser senador pelo Piauí, que ministro de um país inteiro', diz Ciro 19h30 Ação de Aécio Neves por auditoria de votos é incabível, afirma corregedor 19h19 Município de Nazária busca apoio da OAB-PI para instalação de Comarca 19h18 Jovens com idade entre 15 e 17 anos não estão no ano certo na escola 19h01 'Se perder concurso volto pro Ceará e bebo só cachaça',afirma candidata 19h01 Picos irá receber o projeto "Caminhos do Cuidado" 18h56 Picos: Município irá sediar o projeto "Caminhos do Cuidado" 18h45 Futebol: Edição Especial dos Quarentões em Floriano 18h44 Ministério da saúde adota medidas nos aeroportos para evitar a entrada do ebola no país 18h43 Agricultor chora desesperadamente ao lembrar da ameaça de morte do atirador "Chiê"

Mais lidas

    Enquete

    Qual o maior desafio que a presidente Dilma Rousseff terá em seu novo mandato?

    Total de Votos: 976

    Válida de 27/10/2014 a 03/11/2014

    DR ANTONIO CARLOS

    180graus no Instagramno Instagram

    MUNICIPIO CONTABILIDADE