180graus

Queixas sobre material coletiv - 13/01/2014 às 07h33

Pais reclamam da lista de materiais das escolas particulares; abusos e altos valores

Em uma lista, pedia-se uma cola de 1 litro, na outra, a mãe deveria comprar duas colas brancas.

Galaxy
ARTE CONSTRUÇÕES
Kangaço

A bacharel em direito Raíres Cunha trocou os filhos de escola este ano. No momento da matrícula, pagou uma taxa estipulada pela escola para a aquisição de materiais, como caixa de giz, pincel e cola. Quando veio a lista de material individual, uma surpresa: lá estavam elencados materiais bem parecidos. Em uma lista, pedia-se uma cola de 1 litro, na outra, a mãe deveria comprar duas colas brancas.

No Distrito Federal, mais de 200 pais procuraram a Associação de Pais de Alunos das Instituições de Ensino (Aspa-DF) para reclamar de possíveis abusos e tirar dúvidas sobre listas de materiais escolares. As queixas são principalmente sobre a exigência de material coletivo, o que é proibido por lei, e a não especificação do uso dos produtos solicitados. A entidade recebeu reclamações também de pais de outros estados.

“Acho um absurdo. Se eles pedem um valor para comprar material de uso coletivo das crianças, por que a gente tem que comprar mais material ainda?”, reclama Raíres. “Aqui [aponta a lista coletiva] diz que a gente paga um pincel. Na outra [individual], pedem outro pincel”.

Tudo isso pesa no bolso. O presidente da Aspa-DF, Luis Claudio Megiorin, calcula que todo o material solicitado no início do ano letivo e durante o ano, como os extras, representam um acréscimo de 15% a 20% no gasto anual das famílias com a mensalidade escolar.

Sancionada no ano passado, a Lei 12.886/13 prevê o direito de comprar apenas o que o próprio filho vai consumir, individualmente ou coletivamente. O texto diz: “Será nula cláusula contratual que obrigue o contratante ao pagamento adicional ou ao fornecimento de qualquer material escolar de uso coletivo dos estudantes ou da instituição”.

A presidenta da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), Amábiles Pacios, informa que o material coletivo a que se refere a lei é o de uso de expediente, como material de limpeza, papel higiênico e sabonete. Itens como cartolinas, giz de cera e pincéis podem ser pedidos pela escola, para uso do aluno em sala de aula. Mas, para esses materiais, o centro de ensino deve especificar a finalidade de cada um.

“Os pais devem comprar aquilo que for usado pedagogicamente em uma construção coletiva. Esse material volta para o pai em forma de trabalho das crianças”, diz Amábile, acrescentando que os pais com dúvida devem procurar as instituições, que estão à disposição para explicar sobre o uso dos materiais. Ela esclarece que não existe uma única regra e “as escolas têm autonomia para desenvolver propostas pedagógicas e solicitar o material para que ela seja desenvolvida”.

Na semana passada, o Procon-DF constatou que o plano de execução não está sendo apresentado aos pais por algumas instituições. A Operação Passa Régua fiscalizou 13 escolas, sendo que nove foram autuadas por apresentar irregularidades como a falta desse plano.

O Procon-DF recomenda que os pais exijam o plano de execução das escolas e fiquem atentos quanto às exigências da lista. Qualquer dúvida, devem procurar a instituição e registrar a queixa. A Aspa-DF orienta os pais a etiquetar todo o material comprado e deixado na escola. Ao final do ano, eles devem solicitar às escolas a devolução de pincéis, lápis de cor e do que não for completamente consumido ao longo do ano. “Isso pode ser guardado e usado no ano seguinte”, ressalta Megiorin.

Fonte: Agência Brasil

Publicado Por: Apoliana Oliveira

Últimas Notícias
18h07 'Sempre acreditei que tenho melhor conjunto', diz a Miss Bumbum 2014 18h00 CRO/PI contrata banca organizadora para concurso público; veja detalhes! 17h49 Fotos! Show de prêmios e desfile de moda marcam ' 3º Workshop no 180' 17h35 Incêndio que seria criminoso assusta moradores de cidade do interior no PI 17h32 Lojas em Teresina vendem árvores de Natal já decoradas por R$ 1,2 mil 17h20 Relator do Orçamento de 2015 defende um aumento para o TJ-PI e MPE; veja 17h14 Encerramento das Atividades Alusivas ao Mês da Consciência Negra 17h12 Continuação - Eventos Consciência Negra 17h11 Continuação - Eventos Consciência Negra 16h42 Continuação - Eventos Consciência Negra 15h30 Jogador faz gol contra, comete pênalti, é expulso e causa derrota da equipe 15h08 Método robótico acelera desenvolvimento de medicamentos 15h00 Obra em avenida de Teresina causa transtornos e risco para motoristas 14h38 Nicole Bahls revela vontade de casar. 'Eu vim aqui só para pegar o buquê' 14h29 'É o que temos', diz Alex sobre colocar o Palmeiras na zona da degola 14h15 Hoje, Congresso de Adolescentes e Jovens em Teresina 14h07 Na 'geladeira' da Globo, Xuxa está na mira da emissora Record 14h03 Dos reeleitos, Evaldo Gomes foi quem mais saiu engrandecido nesta eleição 14h02 Direção de Hospital em Uruçuí-PI emite nota sobre criança encontrado em lixo 13h55 Goleiro beneditinense se destaca e leva time pra semifinais em Guarulhos-SP,melhor da partida,veja 13h43 Corinthians é o time das Américas mais popular na Ásia 13h16 Mãe perde 2° filho em assalto; família diz que perdoa assaltante 13h09 Irmã de Beyoncé brinca com sua foto que tem rosto estranho 13h03 Corpo de idoso que estava desaparecido é encontrado pela polícia 12h50 Alunos do curso “Agricultor Familiar” festejam a conclusão
CNH