180graus

Era Secretário em Brasília - 01/04/2014 às 19h31

Operação Lava Jato prende ex-secretário e policial por lavar dinheiro com doleiro

Júlio Luis Urnau é investigado por suspeita de ser "sócio informal" do doleiro Carlos Habib Chater

Dr. Igor Martins





Os doleiros investigados na operação Lava Jato também tinham ramificações no governo do Distrito Federal. O ex-secretário adjunto de Transportes do Distrito Federal Júlio Luis Urnau é investigado por suspeita de ser "sócio informal" do doleiro Carlos Habib Chater, na Valortur Câmbio e Turismo, e de ter se beneficiado de operações de lavagem de dinheiro. Não é a primeira vez que ele é alvo de um inquérito policial. Urnau chegou a ser preso em 2011 acusado de receber propina de uma cooperativa de transporte.

Na operação Lava Jato, a Polícia Federal investiga um esquema que movimentou cerca de 10 bilhões de reais em operações de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Há suspeitas de negócios das quadrilhas com a Petrobras e o Ministério da Saúde. Chater é um dos pivôs da investigação, junto com os doleiros Alberto Youssef, Nelma Kodama e Raul Srour. Desde o início do inquérito em meados de 2013, foram detectadas diversas ligações telefônicas que indicam transações financeiras entre Chater e Urnau. O ex-secretário é suspeito de lavagem de dinheiro, mas a Justiça Federal ordenou que seja melhor esclarecida a participação dele no esquema. Urnau foi secretário adjunto de Transportes no governo de José Roberto Arruda.

Outro funcionário do governo do Distrito Federal investigado na Lava Jato é o policial civil Clayton Rinaldi de Oliveira. Ele teve bens bloqueados por ordem da 13ª Vara Federal do Paraná. A polícia constatou que ele obteve dinheiro em espécie com a quadrilha comandada por Chater. Oliveira também fez transações consideradas atípicas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). De acordo com um relatório de inteligência financeira (RIF), o policial civil movimentou 947.267,00 mil reais de março a outubro de 2011 como pessoa física enquanto sua empresa Rinaldi Consultoria Empresarial girou 6,5 milhões de reais. E empresas ligadas a Chater estão na origem desses recursos. O agente da Polícia Civil recebeu cerca de 935.000,00 reais de um posto de gasolina que pertenceu ao doleiro e 344.500,00 reais de outro posto de combustíveis que ainda pertence a Chater.

Os investigadores suspeitam que o policial civil cometeu crime de lavagem de dinheiro, porque julgaram ser discrepante a movimentação financeira de sua empresa e os seus salários de policial civil.

O doleiro Chater motivou o início das investigações da Lava Jato. Ele foi flagrado inicialmente em uma aparente operação de lavagem de dinheiro de recursos do deputado federal José Janene (PP), que morreu em 2010 e foi um dos acusados no processo do mensalão, esquema de compra de apoio político de parlamentares de PP, PL (atual PR), PTB e PMDB pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva. No começo do inquérito da operação Lava Jato, foi detectado que Chater aplicou recursos de Janene na Dunel Indústria e Comércio, empresa da qual o deputado era sócio. As transações foram feitas por duas empresas controladas pelo doleiro, sem indicar que os recursos originalmente pertenciam ao político.

Fonte: Com informações da Veja Online

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


Dr. Igor Martins
UNIMED - DIGA 33
Últimas Notícias
22h22 River 1 x 2 Confiança: Galo perde e assume a lanterna do Grupo A 21h35 Fantástico repercute caso de garoto que ficou com 'estaca' no peito; veja 21h30 Federação Espírita Piauiense divulga programação de palestras de julho. Confira 20h44 Capim do açude de Campo Maior vira fonte de renda a artesãos 20h10 Cunha e Cláudia Cruz são vistos jantando sem serem hostilizados 19h22 Servidor pago pela Prefeitura de Uruçuí tira onda com leitores do 180 18h46 Sérgio Moro é ovacionado antes de ‘Que País é Esse?’. Veja a íntegra... 17h31 'Domingo Show' mostra história de garimpeiro do PI e o 'golpe da opala' 17h25 Veja fotos do aniversario do príncipe Arthur do Ó 17h16 Estácio de Sá contrata o banco BTG Pactual para avaliar duas propostas 16h43 IML realiza mutirão para liberação de corpos que estão aguardando perícia 16h37 PT aprendeu com o PMDB a 'nefasta' prática de se fazer política, diz Robert 16h17 Definido os semifinalistas do Copão Rural 2016 em Campo Largo do Piaui 15h58 Carrasco do Brasil em 98 era viciado em sexo e revela festas com drogas 15h56 Homens vão mais vezes ao shopping, mas mulheres passam mais tempo lá 15h55 Banda Fulô de Mandacaru vence a terceira temporada do 'SuperStar' 15h53 Médica é baleada e morre na Linha Vermelha, zona norte do Rio 15h49 Moro é ovacionado durante show em Curitiba; assista o vídeo 15h45 Segurança do prefeito do Rio de Janeiro é morto ao reagir a assalto 15h38 Secretário diz ter mandado homens da segurança pública do Piauí ao RJ 15h28 Detento morre em rebelião e outros 10 fogem da 'Custódia' 15h14 Petrolão: jornalista Leonardo Attuch é apontado como a voz da quadrilha 15h12 Veículo de vereador é queimado no Sul do Piauí e polícia investiga caso 15h01 A Escola Doce Vida realiza projeto sobre a preservação do meio ambiente 14h48 Será falta de educação? Vandalismo ou simplesmente querem manchar o trabalho da prefeitura?

Contratamos designer gráfico

Mais Lidas


    Enquete

    Escândalos de corrupção têm sido cada vez mais frequentes no noticiário. Pagamentos de propina à nível nacional envolvem até políticos do Piauí. Você acha que ainda tem jeito pro Brasil?

    Total de Votos: 241

    Válida de 16/06/2016 a 23/06/2016

    180graus no Instagramno Instagram

    sunset