180graus

Era Secretário em Brasília - 01/04/2014 às 19h31

Operação Lava Jato prende ex-secretário e policial por lavar dinheiro com doleiro

Júlio Luis Urnau é investigado por suspeita de ser "sócio informal" do doleiro Carlos Habib Chater

sebrae
unimed zika
dr Wilson
cev maio
Profº Márcio Lima - Dia da Mudança





Os doleiros investigados na operação Lava Jato também tinham ramificações no governo do Distrito Federal. O ex-secretário adjunto de Transportes do Distrito Federal Júlio Luis Urnau é investigado por suspeita de ser "sócio informal" do doleiro Carlos Habib Chater, na Valortur Câmbio e Turismo, e de ter se beneficiado de operações de lavagem de dinheiro. Não é a primeira vez que ele é alvo de um inquérito policial. Urnau chegou a ser preso em 2011 acusado de receber propina de uma cooperativa de transporte.

Na operação Lava Jato, a Polícia Federal investiga um esquema que movimentou cerca de 10 bilhões de reais em operações de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Há suspeitas de negócios das quadrilhas com a Petrobras e o Ministério da Saúde. Chater é um dos pivôs da investigação, junto com os doleiros Alberto Youssef, Nelma Kodama e Raul Srour. Desde o início do inquérito em meados de 2013, foram detectadas diversas ligações telefônicas que indicam transações financeiras entre Chater e Urnau. O ex-secretário é suspeito de lavagem de dinheiro, mas a Justiça Federal ordenou que seja melhor esclarecida a participação dele no esquema. Urnau foi secretário adjunto de Transportes no governo de José Roberto Arruda.

Outro funcionário do governo do Distrito Federal investigado na Lava Jato é o policial civil Clayton Rinaldi de Oliveira. Ele teve bens bloqueados por ordem da 13ª Vara Federal do Paraná. A polícia constatou que ele obteve dinheiro em espécie com a quadrilha comandada por Chater. Oliveira também fez transações consideradas atípicas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). De acordo com um relatório de inteligência financeira (RIF), o policial civil movimentou 947.267,00 mil reais de março a outubro de 2011 como pessoa física enquanto sua empresa Rinaldi Consultoria Empresarial girou 6,5 milhões de reais. E empresas ligadas a Chater estão na origem desses recursos. O agente da Polícia Civil recebeu cerca de 935.000,00 reais de um posto de gasolina que pertenceu ao doleiro e 344.500,00 reais de outro posto de combustíveis que ainda pertence a Chater.

Os investigadores suspeitam que o policial civil cometeu crime de lavagem de dinheiro, porque julgaram ser discrepante a movimentação financeira de sua empresa e os seus salários de policial civil.

O doleiro Chater motivou o início das investigações da Lava Jato. Ele foi flagrado inicialmente em uma aparente operação de lavagem de dinheiro de recursos do deputado federal José Janene (PP), que morreu em 2010 e foi um dos acusados no processo do mensalão, esquema de compra de apoio político de parlamentares de PP, PL (atual PR), PTB e PMDB pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva. No começo do inquérito da operação Lava Jato, foi detectado que Chater aplicou recursos de Janene na Dunel Indústria e Comércio, empresa da qual o deputado era sócio. As transações foram feitas por duas empresas controladas pelo doleiro, sem indicar que os recursos originalmente pertenciam ao político.

Fonte: Com informações da Veja Online

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


UNIMED DIA DAS MÃES
zika adv6
Últimas Notícias
11h03 Novo golpe de cartão de crédito tem até 'grampo' em vítimas 10h55 Lojas funcionam até as 18h e tem programação especial na véspera do Dia das Mães 10h55 Teori envia a Moro suspeita de propina de R$10 mi na Petrobrás no governo FHC 10h50 A contra gosto, Temer unifica discurso e deve manter 'pacote de bondades' de Dilma 10h49 Formandos Pratenses participam de solenidade de formatura de cursos técnicos pelo IFPI 10h42 Dilma diz que crise política não irá abalar Olimpíadas do Rio: 'A melhor do mundo' 10h38 Dr Helder Eugênio recebe no 180 os prefeitos de Curralinhos e Bertolínia 10h27 Após dois meses internada, morre a travesti baleada por amiga no Corso 10h26 Ação da DPE-PI consegue localizar menor piauiense que fugiu para o RS 10h12 Secretaria de Saúde do Município Recebe Ônibus. 09h51 Em três meses, produção industrial acumula retração de 11,7% 09h49 'Carta de princípios' do PSDB a Temer defende combate à corrupção e redução de ministérios 09h44 Rádio Kolping de Porto realiza curso para novos locutores 09h43 Johnson & Johnson é condenada por caso de câncer em mulher 09h42 Teresina Shopping traz exposição de dinossauros em tamanho realista 09h42 'Chama Olímpica' já está no Brasil e revezamento abre festa em Brasília 09h38 Semel divulga resultado da 1ª rodada da XVI Taça Teresina de Futebol Sub 13 09h35 Teresina recebe 'workshop' de criação com escritor de novelas e minisséries 09h32 Produção industrial cresce 1,4% entre fevereiro e março, mas fica abaixo das previsões 09h30 Semana do MEI está acontecendo em Bom Jesus PI 09h29 Equipe de governo analisará proposta dos servidores da Uespi; greve segue 09h23 Assistência Social promove ciclo de palestras e cursos na cidade e comunidades rurais 09h22 Governo perdoa R$ 579 milhões em dívidas de clubes grandes. Veja lista 09h19 Escola pública de Cocal dos Alves é a primeira a conduzir a Tocha Olímpica Rio 2016 09h18 SEBRAE e SEMIC promovem oficina grátis sobre empreendedorismo em Corrente hoje
SUNSET

Mais Lidas


    Enquete

    O Coordenador de Comunicação do Governo do Estado, João Rodrigues, gasta mais com publicidade do que Fábio Abreu gasta com segurança pública. Como você avalia essa situação?

    Total de Votos: 176

    Válida de 27/04/2016 a 04/05/2016

    elite
    ZikaZero
    Profº Márcio Lima - Dia da Mudança

    180graus no Instagramno Instagram

    sunset