180graus

Era Secretário em Brasília - 01/04/2014 às 19h31

Operação Lava Jato prende ex-secretário e policial por lavar dinheiro com doleiro

Júlio Luis Urnau é investigado por suspeita de ser "sócio informal" do doleiro Carlos Habib Chater

Você no controle do Processo
Podium - Aulas Exclusivas
Podium PC-MA





Os doleiros investigados na operação Lava Jato também tinham ramificações no governo do Distrito Federal. O ex-secretário adjunto de Transportes do Distrito Federal Júlio Luis Urnau é investigado por suspeita de ser "sócio informal" do doleiro Carlos Habib Chater, na Valortur Câmbio e Turismo, e de ter se beneficiado de operações de lavagem de dinheiro. Não é a primeira vez que ele é alvo de um inquérito policial. Urnau chegou a ser preso em 2011 acusado de receber propina de uma cooperativa de transporte.

Na operação Lava Jato, a Polícia Federal investiga um esquema que movimentou cerca de 10 bilhões de reais em operações de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Há suspeitas de negócios das quadrilhas com a Petrobras e o Ministério da Saúde. Chater é um dos pivôs da investigação, junto com os doleiros Alberto Youssef, Nelma Kodama e Raul Srour. Desde o início do inquérito em meados de 2013, foram detectadas diversas ligações telefônicas que indicam transações financeiras entre Chater e Urnau. O ex-secretário é suspeito de lavagem de dinheiro, mas a Justiça Federal ordenou que seja melhor esclarecida a participação dele no esquema. Urnau foi secretário adjunto de Transportes no governo de José Roberto Arruda.

Outro funcionário do governo do Distrito Federal investigado na Lava Jato é o policial civil Clayton Rinaldi de Oliveira. Ele teve bens bloqueados por ordem da 13ª Vara Federal do Paraná. A polícia constatou que ele obteve dinheiro em espécie com a quadrilha comandada por Chater. Oliveira também fez transações consideradas atípicas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). De acordo com um relatório de inteligência financeira (RIF), o policial civil movimentou 947.267,00 mil reais de março a outubro de 2011 como pessoa física enquanto sua empresa Rinaldi Consultoria Empresarial girou 6,5 milhões de reais. E empresas ligadas a Chater estão na origem desses recursos. O agente da Polícia Civil recebeu cerca de 935.000,00 reais de um posto de gasolina que pertenceu ao doleiro e 344.500,00 reais de outro posto de combustíveis que ainda pertence a Chater.

Os investigadores suspeitam que o policial civil cometeu crime de lavagem de dinheiro, porque julgaram ser discrepante a movimentação financeira de sua empresa e os seus salários de policial civil.

O doleiro Chater motivou o início das investigações da Lava Jato. Ele foi flagrado inicialmente em uma aparente operação de lavagem de dinheiro de recursos do deputado federal José Janene (PP), que morreu em 2010 e foi um dos acusados no processo do mensalão, esquema de compra de apoio político de parlamentares de PP, PL (atual PR), PTB e PMDB pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva. No começo do inquérito da operação Lava Jato, foi detectado que Chater aplicou recursos de Janene na Dunel Indústria e Comércio, empresa da qual o deputado era sócio. As transações foram feitas por duas empresas controladas pelo doleiro, sem indicar que os recursos originalmente pertenciam ao político.

Fonte: Com informações da Veja Online

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


Terrazzo Poti
Podium PMPI
Podium PC-MA
Últimas Notícias
06h41 25º aniversário de Santa Cruz dos Milagres é marcado com torneios esportivos 05h54 Culto em ação de graças ao 25º aniversário de Santa C. dos Milagres 05h32 Após cirurgia, menina que nasceu com 3 pernas pode andar normalmente 05h12 Reviravolta no caso Zé Mayer: ator e jovem teriam tido um caso; entenda 05h04 Homem vai passar feriadão com a família e morre afogado 04h59 Ministro da Justiça avalia que greve foi um fracasso e dá força às reformas 04h42 Michel Temer diz que manifestações 'ocorreram livremente em todo país' 23h46 Cruzada Evangelística abre a programação dos 25 anos de Sigefredo Pacheco 23h19 PIAUIENSE: De virada River ganha do Altos de 2 x 1 no Lindolfo Monteiro e assume a liderança 21h13 Posse do conselho municipal de educação municipal 20h16 Prefeitura realiza licitação. 19h57 Na luta contra o câncer, jovem precisa de ajuda para realizar tratamento 19h17 Santa Luz e Redenção estão com contas bloqueadas 19h14 Manifestantes percorrem ruas de Picos em protesto contra reformas do governo federal 18h28 Prefeitura de cocal recebe alunos do IFPI que realizarão atividades com idosos 18h24 Ze Carvalho "A Greve foi a maior manifestação da sociedade e da esquerda, desde o fim da ditadura" 18h13 Colégio São Francisco Aula inaugural dos cursos da UAB/UFPI 18h13 Mini Maratona em comemoração ao 25º aniversário de Colônia do Gurguéia 18h07 Trabalhadores do SINTE e SINDSERM saíram de Campo Maior para protestar contra reformas 18h06 Avião da Azul tem dificuldade para pousar no aeroporto de Parnaíba 17h59 Oitenta pessoas receberam diploma de árbitro de futebol em União 17h58 Aniversário de Baixa Grande do Ribeiro contará com grande festa 17h56 Justiça Eleitoral determina que o prefeito de João Costa apresente extratos e folha de pagamentos 17h49 Cocal Participou do IV Encontro dos Municípios realizado pelo Sebrae 17h47 Moradores pagaram serviço para eliminar vegetação de rua em São João do Piauí

Podium - Aulas exclusivas

Mais Lidas


    Enquete

    Você aprova a decisão da CCJ do Senado em diminuir as vagas para deputados piauienses?

    Total de Votos: 887

    Válida de 2017-04-06 17:08:00.0 a 2017-04-30

    180graus no Instagramno Instagram