180graus

Trabalhavam com os pais - 05/06/2011 às 12h07

Flagrado o trabalho infantil na zona rural de Parnaíba

De acordo com a Superintendência, no ano passado foram encontradas 159 crianças nessas condições

Osório - Ed. Neuton Oliveira
Anilson Feitosa Kangaço
CEV

A Superintendência Regional de Trabalho encontrou oito crianças em situação de trabalho infantil na zona rural de Parnaíba, no litoral do Estado. A vistoria foi realizada na última semana, depois de denúncias. As crianças trabalhavam junto com os pais numa plantação de acerola. O auditor fiscal do Núcleo de Apoio à Fiscalização do Trabalho Infantil da Superintendência, Rubervam Du Nascimento, afirmou que um relatório está sendo elaborado e será encaminhado ao Ministério Público e ao gestor do município para quem tomem as providências legais.

"As mães levam as crianças para a colheita, pois assim elas conseguem ganhar um pouco mais, já que pela lata de acerola elas recebem R$ 0,25", disse. As crianças encontradas têm entre 10 e 13 anos de idade e atuam na plantação do projeto Platôs de Parnaíba. Segundo o auditor, através do relatório é requerida a implantação do PETI (Programa de Erradi-cação do Trabalho Infantil) na região. "Apesar de algumas crianças estudarem, o rendimento escolar delas está abaixo do esperado", complementa.

De acordo com dados da Superintendência, só no ano passado foram encontradas 159 crianças e adolescentes em situação irregular no Piauí, caracterizando a prática de trabalho infantil. Rubervam explica que por aqui o trabalho infantil está presente principalmente na agricultura familiar. Mas, o trabalho infantil doméstico e a exploração sexual com fins lucrativos também ocupam lugar de destaque. "E essas são as formas mais difíceis de combater", destaca. Segundo ele, as fiscalizações têm revelado novos focos do trabalho escravo.

"Em Floriano, encontramos crianças trabalhando em pedreiras, na extração de pedras, que não era uma atividade muito comum", relata. Também nesse caso geralmente as crianças são levadas pelos pais, que nem se dão conta do mal que estão fazendo. "A própria sociedade é quem diz: é melhor trabalhar a estar na rua, usando drogas. Não é bem assim", completa. Essa mesma consciência tem também aqueles que empregam meninas como empregadas domésticas.

A situação é quase sempre a mesma: uma menina vem do interior do Estado para morar na casa de alguém e aqui ela estuda e trabalha como babá de outra criança. Isso sem falar daquelas que acabam fugindo desse mundo e migrando para a prostituição. "No ano passado realizamos uma ação nos shoppings de Teresina e vimos a cena se repetir. Uma criança, geralmente negra, empurrando um carrinho de bebê. A abordagem é muito complicada nesses casos", disse.


Fonte: Jornal Diário Do Povo

Publicado Por: Thalyta Arrais

VAL PRAEIRO HELICONIA
WX - Village Leste
Curta a nossa fanpage
Duas cabeças pensam melhor do que uma
VAL PRAEIRO HELICONIA
THREVO PIATZ
Últimas Notícias
09h41 Oposição pode pedir impeachment da presidente Dilma Rousseff já em maio 09h39 Vaccari vai depor por videoconferência no caso Bancoop 09h37 Fortuna acumulada da modelo Gisele Bündchen compra cerca de1.597 ilhas 09h35 Prefeitura decreta luto em Picos pelo falecimento do Coronel Prado 09h28 Festa de aniversário de Adalberto Jr. 09h26 Alice divide quarto com umas garotas de programa e leva surra de prostituta 09h23 Risco das dietas restritivas para perda de peso pode afetar metabolismo 09h19 Fiscalização Ambiental realiza blitz noturna contra a poluição sonora 09h19 'Quando eu estou aqui' de Roberto Carlos é um show de cartas marcadas 09h17 Paulo Nobre critica vandalismo e vai arcar com danos na Arena Corinthians 09h08 Globo fará programa para revelar novo Faustão e aposta em português 09h02 Preta Gil aguarda seu grande dia; 'Se ele me abandonar no altar eu o mato' 09h01 Celso Zucatelli rescinde contrato com a Rede Record, afirma colunista 08h51 Será depositado de imediato todo dinheiro apreendido em operação policial 08h49 Inmet confirma tornado em cidade de Santa Catarina; ventos atingiram 84 km/h 08h34 Encerra nesta terça-feira o prazo para inscrição em concurso da Aeronáutica 08h32 Justiça do PI recebe denúncia contra motorista que dirigia carro embriagado 08h26 Novo tipo de gestão do HGV reduzirá o tempo de internação dos pacientes 08h12 50 anos na advocacia! Dr. Viana fala sobre polêmicas, interesses, missão 08h11 Sem recurso próprio, Poder Judiciário do Piauí piorou muito, afirma Dr. Viana 08h08 Preso encaminha ao STJ pedido de habeas corpus num papel higiênico 08h05 Comercial da Alpargatas Havaianas inverteu as personalidades de gênero 07h58 Pharmacom, sua farmácia de manipulação! em Bom Jesus 07h58 Após alegar valor abusivo na Cmeie, Ames faz carteira estudantil a R$ 10 07h55 Veja a historia de Tiradentes neste 21 de Abril
MELHORES IMOVEIS
Curta a nossa fanpage
Duas cabeças pensam melhor do que uma

Mais Lidas

    VAL PRAEIRO HELICONIA

    Enquete

    A Secretaria de Segurança apresentou números que mostram que o índice geral de violência caiu até 37% no Piauí após a chegada da Força Nacional. Você concorda com estes números?

    Total de Votos: 270

    Válida de 17/04/2015 a 24/04/2015

    Duas cabeças pensam melhor do que uma
    VAL PRAEIRO
    THREVO POETIC
    Curta a nossa fanpage

    180graus no Instagramno Instagram

    VAL PRAEIRO HELICONIA
    WX - Village Leste
    THREVO POETIC