Maçonaria · 20/08/2017 às 20h32 | Última atualização em 20/08/2017 às 21h00

Festa em dose dupla - Dia dos Pais e Dia do Maçom

Festa em dose dupla - Dia dos Pais e Dia do Maçom


Compartilhar Tweet 1




Criatividade, espontaneidade e cordialidade. Foi nesse saudável clima que a Loja maçônica “Araújo Chaves nº 12” (GL), da cidade de Campo Maior (PI), festejou, na sexta-feira (18), o Dia dos Pais e o Dia do Maçom, em concorrida sessão branca, iniciada às 20h00.

Tudo começou com a recepção surpresa aos membros da Loja e dos convidados, na entrada do Templo, por crianças e adolescentes, com a entrega de presentes aos respectivos pais, sob o comando e orientação da primeira dama da Oficina, Renata.

(Casal José Neto com a esposa Renata e filho)

(Antonio Pereira, 1º Vigilante, recebe as homenagens do filho)

(Mais registro de homenagem dos filhos)

Ato contínuo, ouviu-se a execução do Hino Nacional, seguida da abertura oficial da Cerimônia pelo Venerável da Loja, José Neto, postado ao lado da esposa.

Zeneto falou da importância das datas comemorativas, dizendo:

“Datas comemorativas são costumes que vêm desde a antiguidade, escolhidas para relembrar feitos históricos, conquistas importantes ou lutas sociais travadas por um determinado grupo. Muitas delas possuem alcance internacional enquanto outras podem ser especificas para um país ou região.

Hoje aqui comemoramos dois eventos: Dia dos Pais e Dia do Maçom.

O Dia dos Pais não se trata de um simples apelo comercial, como muitos imaginam.

Teve sua origem na antiga Babilônia, há mais de 4 mil anos. Um jovem chamado Elmesu moldou e esculpiu em argila o primeiro cartão que desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai.

A tradição permaneceu e foi levada adiante por diversos povos e civilizações.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o primeiro Dia dos Pais foi comemorado em 19 de junho de 1910, oportunidade em que a rosa foi escolhida como símbolo do evento, sendo as vermelhas dedicadas aos pais vivos e as brancas, aos falecidos.

Já no Brasil, a ideia de comemorar esta data partiu do publicitário Sylvio Bhering e foi festejada pela primeira vez no dia 14 de Agosto de 1953, dia de São Joaquim, considerado o patriarca da família, por ser o pai de Maria e esposo de Santa Ana.

Posteriormente a comemoração foi alterada para o 2º domingo de agosto.

Quanto do Dia do Maçom, este, no Brasil, foi criado em julho de 1957, pelas Grandes Lojas reunidas em Belém do Pará. Foi escolhido o dia 20 de agosto por ser esta a data em que D. Pedro, na sessão de uma Loja maçônica no Rio de Janeiro, teria tomado a decisão pela Independência do Brasil, o que o efetivou no dia 7 do mês seguinte, conforme narra a história.

No Piauí a data é reconhecida pela Lei nº 6.689, de 02.08.2015.

Aqui, portanto, o Dia do Maçom tem repercussão social por constar do calendário oficial do Estado”.

(Plateia - D)

A convite, os Diretores da Academia Piauiense de Mestres Maçons Ernânni Napoleão Lima e José Narciso do Monte foram presentes e partícipes do evento.

Narciso trouxe como contribuição para a programação uma referência à Semana Nacional da Família, que acontecia no período de 13 a 19.08.17, com o tema central: FAMÍLIA, UMA LUZ PARA A VIDA EM SOCIEDADE.

Na oportunidade, apresentou o monólogo intitulado “Oração de Um Pai”.

Na sequência, o Venerável anunciou a distribuição de brindes, pelo critério de sorteio, a 7 pais presentes, obreiros da Loja. Na oportunidade foi realizada entrevista, ao vivo, com cada um dos homenageados sorteados, abordando assuntos de família e/ou da maçonaria, arrancando aplausos da plateia pelas respostas proferidas.

(Flagrante de trecho da entrevista. Narciso pergunta ao Gomes: "Se existir vida futura e nela for permitido, você ingressaria novamente na maçonaria?" O entrevistado responde taxativamente que sim)

Dramatização – Humor e Poesia.

Para descontrair, o obreiro da Loja Vadinho (Osvaldo), caracterizado de Carteiro, faz uma entrada abrupta no Templo e exclama em alto e bom som: Correios! e faz a entrega de um envelope ao Venerável. Este abre a correspondência e lê um bilhete ali contido que dizia: “Sei que neste momento vocês estão comemorando o Dia do Pais. Associo-me a essa manifestação e envio-lhes o Poema anexo. Do filho de um maçom”.

Eis a poesia, lida pela dama maçônica Renata.

MENSAGEM AOS PAIS
Ser pai é ter compromisso,
E usar como artifício,
O seu jeito de amar.
É sentir a alegria,
De estar em sintonia,
Como a areia e o mar.

Ser pai é como um presente,
Que deixa a gente contente,
Aqui e no do mundo inteiro.
É como uma árvore frondosa.
Ao lado de um pé de rosa,
Ornamentando o terreiro.

Ser pai é a convicção,
De ter a preocupação,
De ver o filho vencedor.
No caráter e na verdade,
E manter a humildade.
No cultivo do amor.

Ser pai é perder o sono,
É sentir-se um cão sem dono,
Quando o filho está distante.
Sempre trabalhando duro,
Prá garantir o futuro
E ver o filho importante.

Ser pai é ir aos extremos,
No mundo em que vivemos.
Nesse planeta de brilhos.
Com trabalhos estressantes
Mas com momentos marcantes,
Como o abraço dos filhos.

Ser pai é acordar cedo,
E construir um brinquedo,
Com madeira e com verniz.
Uma boneca ou um pião.
Uma pipa ou caminhão.
Prá ver o filho feliz.

Pai tem que ser amado.
E bastante admirado.
Do fundo do coração.
Merece a todo momento,
O nosso agradecimento
Pela bênção da criação.

A Cerimônia deu prosseguimento com a entrega do Diploma “OBREIRO DO SÉCULO” aos Mestres Maçons históricos da Loja Antonio Odali Soares, José Rodrigues Ibiapina, Martinho Morais Júnior e Pedro Vieira Neto, na categoria Diamante (membros ativos e regulares).

Na categoria Luz foram agraciados com o mesmo título, in memoriam, os maçons Francisco das Chagas Neves (Tarzan), Hélio Alves da Silva e Manoel Antonio Ibiapina (Manuca), com afixação das peças honoríficas no hall de entrada da Loja.

Trata-se da mais alta Comenda da Grande Loja do Piauí, instituída no de 2.000 pelo então Grão-Mestre Ernâni Napoleão Lima.

Fechando o círculo das comemorações da noite, Ernâni Napoleão apresentou uma performance enaltecendo o culto à solidariedade, mediante o intercâmbio de energias positivas entre os presentes.

(Ernâni, em parceria com a plateia, faz encenação de movimentos vibratórios das mãos como forma de provocar a egrégora da física quântica)

O Venerável Mestre, nas considerações finais, agradeceu a presença e a colaboração de todos e os convidou para uma ágape fraternal no salão de banquetes.

Outros registros da festa.

(Obreiros da Loja e convidados)

(No centro, Pedro Vieira Neto, um dos homenageados da noite)

(E/D, Gomes, Marco e José Neto)

(Casal Antonio de Pádua e Adalgisa, Assessor da Academia Maçônica e representante da Loja "Costa Araúio nº 3"

(Casal Narciso e Mariana)

(Venerável José Neto e família)