Geral

156 alunos se formaram · 29/01/2016 às 13h48 | Última atualização em 29/01/2016 às 14h02

'Escola Militar' forma primeira turma e Rejane anuncia ampliação da rede

A professora Ana Valéria, assassinada no mês passado, foi lembrada


Compartilhar Tweet 1



Aconteceu nesta sexta (29/01), às 9h da manhã, a cerimônia de diplomação de 156 formandos da escola da Polícia Militar do Piauí Governador Dirceu Mendes Arcoverde. Formando-se em edificações, contabilidade, geoprocessamento e segurança do trabalho, deixam a escola para ingressar na universidade, muitos já aprovados no ENEM e no SISU. Estiveram presentes a secretária de estado da Educação, Dona Rejane Dias e o secretário de Segurança, Capitão Fábio Abreu, entre outras autoridades.

A cerimônia ao estilo militar, como não poderia deixar de ser, foi bastante prestigiada pelos familiares dos formandos e autoridades. Além de Dona Rejane e Fábio Abreu, também estiverem presentes, o superintendente de gestão da Seduc Helder Jacobina, o comandante-geral da PM do Piauí Coronel Carlos Augusto, o diretor administrativo da Seduc Major Ronald, o controlador-geral do Estado Nuno Bernardes e o coordenador da juventude do estado do Piauí, Deolindo Neto.

No início da solenidade o aluno do 3º ano, Alex Gabriel, foi convidado para representar toda a escola em discurso. Alex ressaltou que o momento representou o corte da fita vermelha para a nova fase de suas vidas. Ele foi o mesmo que apresentou a primeira turma da escola para o governador W Dias, no passado e relembrou o ocorrido agora que se forma. Foi um discurso bonito e inteligente, recheado de belas palavras e lições.

Outra aluna, Beatriz Marina, a despeito da disciplina rígida da escola, ressaltou que podemos estar vendo só o lado negativo, muitas vezes, mas se não fosse a disciplina a conquista tão grande que todos desfrutavam no momento não seria possível.

Dona Rejane foi convidada para fazer a entrega dos diplomas a um representante de cada uma das turmas a se formar. Uma inesperada explosão de alegria tomou conta dos aluno, com gritos e assobios, quebrando o protocolo.

Em seguida, as alunas Gabriela Carvalho e Mônica Ventura, ambas do 3º ano D, renderam emocionada homenagem à professora Ana Valéria, assassinada no mês de dezembro quando as solenidades para a formatura deveriam ter iniciado. A emoção tomou conta de todos. “Deus, com todo o seu amor, nos mostra que não existe partida para aqueles que moram em nossos corações”, disseram as alunas levando os presentes às lágrimas.

RELEMBRE O CASO:

Professora da Escola Militar é assassinada na zona Norte

Alunos e familiares fazem protestos no velório da professora Ana Valéria

A diretora-geral da escola militar, tenente Ana Cristina e a diretora adjunta, tenente Elis Regina, falaram em seguida da emoção de estarem diante da primeira turma que se forma na escola militar depois que esta passou a seguir o regimento das forças armadas brasileiras e foram às lágrimas ao relembrarem a colega assassinada.

Outro momento emocionante foi quando o pai das alunas Caroline e Rayra, o senhor Robert Cardoso de Carvalho, pediu a palavra para louvar a disciplina da escola e a melhoria do seu convívio familiar com o comportamento das filhas. Caroline passou em 3º lugar na UFPI para Matemática e Rayra para Pedagogia. Ele elogiou ainda o alto índice de aprovação da escola no ENEM.

Capitão Fábio Abreu parabenizou as diretoras, classificou o trabalho como muito bem feito e passou a tropa em revista. Ele que tem reconhecida respiração militar se pôs à disposição para o que a escola necessitar.

Dona Rejane encerrou as falar lembrando que na escola não há casos de violência nem de vandalismo e que a energia dos alunos é gasta com atividades saudáveis. “Os resultados animadores fazem com que muitos municípios nos peçam implantação de mais escolas do gênero” declarou a secretária que anunciou ampliações. “Estamos com um projeto piloto para levar escola militar para o Parque Brasil, na região da Santa Maria da Codipi e para a região sul da capital também. Teremos ainda expansão para Parnaíba, solicitada pelo próprio governador. Tudo em parceria com a polícia militar do Piauí”, concluiu Dona Rejane.