Geral

Mistério ainda continua · 12/03/2014 - 21h31

Mistério no ar Malásia amplia área de busca por avião que sumiu e rebate críticas

Com isso, trabalhos de buscam passam a cobrir uma área de mais de 90.000 quilômetros


Compartilhar Tweet 1



O governo da Malásia anunciou nesta quarta-feira que decidiu ampliar a área de busca pelo avião da Malaysia Airlines que desapareceu no sábado com 239 pessoas a bordo. Agora, a procura inclui o Mar de Adamão, na costa oeste da península da Malásia, centenas de quilômetros ao noroeste da primeira zona rastreada. Com isso, os trabalhos de buscam passam a cobrir uma área de mais de 90.000 quilômetros quadrados, o equivalente ao território de Portugal.

Doze nações, incluindo os Estados Unidos, China e Japão, participam das operações, que mobilizam 42 navios e 39 aviões. A mobilização internacional por causa do sumiço do voo MH370 conta com a análise de dados de quinze países que operam satélites de observação, entre eles, Estados Unidos, países da União Europeia, Japão, China, Índia, Argentina e Brasil. "Temos que examinar todas as possibilidades", afirmou o diretor da aviação civil malaia, Azharuddin Abdul Rahman.

A Força Aérea da Malásia foi novamente questionada sobre o fato de a aeronave ter ou não mudado de rota. Rodzali Daud, chefe da Força Aérea, afirmou em comunicado que "não excluiu a possibilidade de mudança no trajeto do voo" e isso “explica o fato de as operações terem sido estendidas". O Mar de Adamão é limitado ao sul pela ilha indonésia de Sumatra, e ao leste e ao norte por Tailândia e Mianmar (antiga Birmânia). Daud voltou a desmentir que um radar tenha detectado a passagem do Boeing 777 sobre o estreito de Malaca, como informou um jornal do país. Este estreito fica entre a península malaia, no lado oeste, e a ilha indonésia de Sumatra. O Vietnã, um dos países que ajudam nas buscas, anunciou a suspensão dos trabalhos até receber explicações sobre o novo perímetro.


Fonte: Com informações da veja.com