180graus

Descobertas da operação - 18/03/2017 às 05h31

Confira as maiores bizarrices achadas pela PF na operação 'Carne Fraca'






comserv
Antonio das Neves - Peritos Associados

Deflagrada nesta sexta-feira pela Polícia Federal, a Operação Carne Fraca se deparou com uma série de irregularidades praticadas por frigoríficos no país, desde os empreendimentos de pequeno porte às gigantes do setor BRF e JBS.

A investigação, baseada sobretudo em grampos da PF, identificou carnes com salmonela, podres e vencidas, o uso de ácido ascórbico, uma substância cancerígena, para “maquiar” produtos, além do uso de carne de cabeça de porco na produção de linguiças e até o suposto uso de papelão para reforçar a mistura transformada em salsicha.

Veja abaixo as principais bizarrices encontradas na operação:

Carne com salmonela
A investigação da Carne Fraca grampeou debates entre o agente de inspeção federal Carlos Cesar e o auxiliar operacional em agropecuária Carlos Augusto Goetzke, conhecido como Carlão, em que eles ponderam sobre o destino de uma carga de 18 toneladas de carne de peru infectada com salmonela, do frigorífico Souza Ramos: fabricar mortadela ou ração?

“Chega a causar náuseas a naturalidade com a qual ambos tratam a destinação a ser dada para a carne podre, com salmonela e altamente imprópria para consumo – colocar no digestor ou fazer mortadela”, afirmam os investigadores.

Diálogos interceptados pela PF também mostram um diretor da BRF, André Baldissera, conversando com um interlocutor identificado como Fabrício sobre a retenção de contêineres na Itália. Com base nos áudios, a investigação concluiu que as autoridades sanitárias da Europa haviam identificado no carregamento “traços de uma das variações da bactéria salmonela” e, por isso, havia vetado a entrada dos alimentos.

Carne podre e vencida
Em uma conversa interceptada pela Polícia Federal entre Idair Piccin e Normélio Peccin, dois dos sócios do frigorífico Peccin, os empresários demonstram estar impressionados com a resiliência de uma peça de presunto podre, que quase não aparenta a condição. “Não tem cheiro de azedo”, garante um deles:

Normélio: Tu viu aquele presunto que subiu ali ou não chegou a ver?

Idair: Ah, eu não vi. Cheguei lá, mas o Ney falou que tá mais ou menos . Não tá tão ruim.

Normélio: Não. Não tá. Fizemos um processo, até agora eu não entendo, cara, o que é que deu naquilo ali. Pra usar ele, pode usar sossegado. Não tem cheiro de azedo. Nada, nada, nada.

Conforme a apuração da Polícia Federal, até mesmo Daniel Gonçalves Filho e Maria do Rocio, os dois líderes do esquema no Paraná, ficavam preocupados com o funcionamento o frigorífico Larissa, do empresário Paulo Sposito, tamanha era a “ausência de qualidade” em sua produção.

Em um diálogo com um funcionário, Sposito não se mostra surpreso com a substituição de etiquetas de validade em um carga de carnes de barriga ou com a utilização de carnes vencidas há três meses para a produção de outros alimentos. “Se é que se pode chamar de alimento algo composto por restos não mais aptos ao consumo humano”, observa a PF.

Ácido ascórbico como ‘maquiagem’
O frigorífico Peccin, que teve duas unidades interditadas pela investigação, uma em Curitiba e outra em Jaraguá do Sul, tinha um ingrediente secreto em seus produtos. Segundo a ex-auxiliar de inspeção Daiane Marcela Maciel, a empresa promovia “maquiagem de carnes estragadas com a substância cancerígena ácido ascórbico”, truque empregado na produção de salsichas e linguiças, além de usar quantidades de carne muito menores que o indicado em seus produtos e complementá-los com outras substâncias.

O Peccin também mantinha carnes sem rótulos ou refrigeração e falsificava notas de compra do produto.

Cabeça de porco na linguiça
Uma das interceptações telefônicas da operação flagrou Idair Piccin e sua mulher, Nair, combinando a compra de 2.000 quilos de carne de cabeça de porco para a fabricação de linguiças, prática que é proibida.

Piccin até chega a ponderar a respeito da proibição, mas a mulher diz que conseguiu negociar as duas toneladas da carne por um bom preço e que o marido deveria utilizá-la para “fechar uma carga”.

“É, pega , nós vamos fazer o quê? Só que na verdade usar no que? Vai ter que enfiar um pouco em linguiça ali”, concorda o empresário, preso nesta sexta-feira, assim como sua mulher.

Papelão na mistura
A investigação também grampeou uma conversa em que dois funcionários da BRF supostamente conversam sobre a suposta inclusão de papelão em carnes utilizadas para processar salsichas, conhecida como CMS.

Funcionário: O problema é colocar papelão lá dentro do cms também né. Tem mais essa ainda. Eu vou ver se eu consigo colocar em papelão. Agora se eu não consegui em papelão, daí infelizmente eu vou ter que condenar.

Funcionário 2: Ai tu pesa tudo que nós vamos dar perda. Não vamos pagar rendimentos isso.

Segundo a empresa, no entanto, os homens discutiam a embalagem do produto, e não sua composição.

Fonte: Veja.com

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


CFO - MA - Vem pro Podium!
Mestrado em Políticas Públicas | Vem pro Podium
PM-MA - Vem pro Podium!
Últimas Notícias
09h13 Jovem sofre tentativa de homicídio na zona Norte de THE;alvejado por 3 tiros 09h02 Prefeito Reginaldo Júnior inaugura reforma do prédio de Assistência Social 08h57 Acusado de tráfico é preso de novo por receptação de baterias no Piauí 08h33 Acadêmicos de Campo Largo fazem estágio supervisionado em educação física nas escolas da sede 08h20 Caixa Econômica Federal libera R$ 600 milhões para obras no Estado do Piauí 08h09 Adolescente de 17 anos é morta com vários tiros no Piauí 08h07 Caminhão que transportava gerador tomba em rodovia no interior do PI 08h07 Bruno Gaglisso e Giovanna Ewbank planejam adotar uma criança brasileira 07h53 Senadores da oposição cobram adiamento da votação da reforma trabalhista 07h36 Cresce o número de idosos que pretende continuar ativos no mercado de trabalho 07h32 Polícia Federal suspende emissão de passaportes por tempo indeterminado 06h00 12º Aniversário do Centro Espírita Chico Xavier em Esperantina 04h52 Mulher sofre infarto e morre dentro de motel na cidade de Campo Maior 01h33 Delegação do Piauí embarca para Interfederativo de Natação 23h16 Prefeito de Campinas do Piauí compareceu a reunião técnica na APPM nesta terça 23h11 Prefeito de Uruçuí compareceu a reunião técnica na APPM nesta terça 23h05 Prefeito de Santa Filomena compareceu a reunião técnica na APPM nesta terça 22h59 Prefeito Ângelo conquista mais benefícios para Sebastião Leal 22h50 Polícia Federal suspende a emissão de passaportes 22h28 Operação Pastor: há ex-gestor que é aconselhado a delatar se for preso 22h16 Após operação da PF há muito medo na região de São Raimundo Nonato 22h00 Preso pela PF, Décio Macêdo possui conduta reiterada para o crime; veja 20h40 32ª Vaquejada de Paraibano 20h29 Audiência sobre Homicídio do Professor Manim 20h26 Parada LGBT 2017

Escola de Sargentos - Vem pro Podium!
Mestrado em Políticas Públicas | Vem pro Podium

Mais Lidas


    Enquete

    Você acredita que Michel Temer vai...

    Total de Votos: 290

    Válida de 2017-05-29 15:46:00.0 a 2017-06-05

    Podium - Professor Atualidades

    180graus no Instagramno Instagram

    Podium - Professores Dir. Constitucional