Geral

Diz saber do corpo · 04/07/2016 - 18h22

Caso Samúdio: Irmão de Bruno cita novos nomes ao depor

Perguntas ao irmão do ex-goleiro vieram prontas do RJ; Rodrigo diz que corpo está em MG


Compartilhar Tweet 1



Boa parte das perguntas feitas ao irmão do ex-goleiro Bruno foram enviadas para a polícia do Piauí pela delegada de Jacarepaguá, que comanda as investigações do Caso Eliza Samúdio, no Rio de Janeiro. Além da possível localização do corpo da modelo assassinada em 2010, Rodrigo Fernandes apontou ainda novos nomes que seriam de envolvidos no crime.

Em entrevista coletiva concedida na tarde desta segunda-feira (04/07) o delegado geral de Polícia Civil Riedel Batista informou que os trabalhos demandados à equipe da Polinter já foram encerrados, e agora todo conteúdo dos depoimentos será repassado às polícias do Rio, e também de Minas Gerais, já que seria neste estado onde o corpo da amante do ex-goleiro estaria, segundo indicou Rodrigo.

Conforme exibido pela reportagem da TV Meio Norte, o delegado Riedel Batista pediu durante a coletiva cautela, já que todas as informações prestadas por Rodrigo ainda serão checadas pela polícia. “Pode ter veracidade, ou não”, ressaltou.

CONTEÚDO ELUCIDATIVO
Em entrevista à TV Clube, o delegado Cadena Júnior, novo titular da Polinter, informou que a carta precatória enviada pela Polícia do Rio solicitou a realização de oitiva não só do irmão de Bruno, mas de outras pessoas que possam ajudar nas investigações.
“Ocorre em sigilo de Justiça, mas realmente foram colhidos alguns depoimentos de pessoas que estão aqui no sistema prisional, e outras não, para a delegacia de Polícia do Rio de Janeiro”, afirma o delegado.

Quando questionado sobre a possibilidade dos depoimentos contribuírem para a determinação do local onde estariam os restos mortais de Eliza, o delegado respondeu que “todas as diligências feitas no Piauí são elucidativas”.

IRMÃO DO EX-GOLEIRO INVESTIGADO
Rodrigo, segundo informou a reportagem, teria pedido para ser incluído no programa de proteção à testemunha, diante das informações que teria dado em depoimento. Atualmente o rapaz está preso. Ele é investigado pela Polícia do Piauí pelo suposto envolvimento em estupros na capital Teresina. Em setembro do ano passado ele foi preso por uma equipe da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. Em 2013 ele já havia sido preso por acusação semelhante, e em 2014, após oito meses respondendo em liberdade, acabou sendo inocentado por falta de provas.

Em entrevista dada à TV Cidade Verde ainda no ano de 2012, Rodrigo disse acreditar na inocência do irmão, mas garantiu que “não põe a mão no fogo” pelos outros envolvidos no caso. Inclusive, contou sobre uma visita que fez ao irmão na penitenciária Nelson Hungria, onde diz ter visto o Bruno de cabeça erguida e “consciente de que não fez nada e que estava envolvido numa trama”.

CONDENAÇÕES
O ex-goleiro Bruno foi condenado em 2013 a 22 anos e três meses pelo homicídio e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado de seu filho. Os crimes aconteceram em junho de 2010 e o ex-atleta foi apontado como o mandante. Bola foi condenado por homicídio e ocultação de cadáver.

O primo do ex-goleiro, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, por sua vez, foi condenado a 15 anos prisão por homicídio, sequestro e cárcere privado.

A ex-namorada de Bruno Fernanda Gomes de Souza foi condenada a cinco anos de prisão em regime aberto pelo crime de sequestro e cárcere privado.

ASSASSINATO
Eliza era amante do goleiro Bruno quando desapareceu em junho de 2010, em Minas Gerais. Na época, a polícia mineira recebeu denúncias de que Bruno, com mais dois, teriam espancado a ex-amante até a morte. O corpo nunca foi encontrado. As investigações da Polícia Civil mineira apontaram que a moça foi morta na casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, em Vespasiano, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte. Bola é apontado como executor.

*Com informações do Uol