Geral

Operação em Teresina · 18/09/2012 - 17h54

Beth Cuscuz e dono do Copacabana são presos em The

Operação Aspásia da Polícia Civil: investiga rede de prostituição através de sites


Compartilhar Tweet 1



A polícia civil conseguiu prender no início da manhã desta terça-feira (14/08), a empresária Beth Cuscuz, proprietária do prostíbulo mais famoso de Teresina de mesmo nome. Foi preso ainda na operação, o dono da boate Copacabana, identificado apenas como Carlão. As prisões ocorreram durante a deflagração da operação Aspásia da Polícia Civil que investiga uma rede de prostituição em Teresina através de sites que agenciavam mulheres para empresários e até políticos do Estado.
Até agora, pelo menos sete homens e cinco mulheres já teriam sido presos na operação. A polícia civil divulgou nota dando informações sobre a operação deflagrada na manhã de hoje. Na Comissão Investigadora do Crime Organizado (CICO), que há mais de um ano trabalhava na investigação dos supostos crimes, dezenas de mulheres que trabalhavam nestes locais estão prestando depoimento, consideradas vítimas deste processo.
Beth Cuscuz e Carlão devem responder por formação de quadrilha, manutenção de estabelecimento para prostituição e tráfico de pessoas, já que aliciavam pessoas de outros estados para trabalhar nestes locais. Uma das grandes provas que ajudaram na deflagração desta operação foram escutas telefônicas de empresários e políticos negociando através de sites as jovens.
São muitos mandados de prisão e apreensão a serem cumpridos durante a operação, além de mandados de condução coercitiva. Às 11h, conforme divulgou em nota a polícia civil, será dada uma coletiva de imprensa por parte do comando da polícia civil na Acadepol. A operação é comandada diretamente pelo Delegado Geral de Polícia Civil do Piauí, James Guerra e a delegada Daniele.

CONFIRA AS INFORMAÇÕES OFICIAIS DIVULGADAS PELA POLÍCIA
A Polícia Civil já deu cumprimento ao mandado de prisão temporária em desfavor da nacional E. L. D. O, proprietária de conhecido estabelecimento comercial que, segundo aponta inquérito policial, é local de exploração da prostituição. Também estão sendo cumpridos os mandados de condução coercitiva. Parte do material apreendido já está sendo trazido às bases da operação.
Nota Oficial
A Polícia Civil do Estado do Piauí deflagrou, às 06 horas desta terça-feira (14), a Operação “Aspásia”, resultado de investigações iniciadas há 15 meses para combater crimes de favorecimento à prostituição e tráfico interno de pessoas praticados na cidade de Teresina.
A Operação Aspásia visa desarticular organizações criminosas responsáveis pela cooptação de mulheres à prostituição e exploração sexual destas, valendo-se, inclusive do uso da Internet para divulgar anúncios comerciais com esse fim. A Polícia Civil do Piauí identificou três organizações que mantinham sob fachada de estabelecimentos comerciais lícitos locais destinados à exploração da prostituição e tráfico interno de pessoas.
Diante das provas coletadas foram solicitados pela Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA) e deferidos pela autoridade judiciária competente após parecer favorável do Ministério Público do Estado, mandados de prisão temporária e três mandados de busca e apreensão; além de outras medidas cautelares, bem como o fechamento de cinco sítios de internet relacionados aos crimes em tela. Todos esses mandados serão cumpridos por 50 policiais civis.
Dentre os alvos dos mandados de busca estão os conhecidos estabelecimentos comerciais Boate Beth Cuscuz e Boate Copacabana, localizados nos bairro Cristo Rei e Dirceu Arcoverde, respectivamente.
A Operação Aspásia foi assim denominada em alusão à mulher da Grécia Antiga que foi uma das amantes de Péricles e encontrava-se no mais alto patamar das prostitutas da Grécia, personalidade detentora de poder, que teve sob a sua rédea os homens gregos.
Haverá entrevista coletiva às 11 horas desta terça-feira, na Academia de Polícia Civil do Piauí.


Fonte: 180graus