Geral

Morreu ao lado do BB · 09/04/2013 às 07h00

Assaltante é morto com 2 tiros em frente a um banco

Em um dos casos, a vítima foi um assaltante, morto ao lado da agência do Banco do Brasil


Compartilhar Tweet 1



Depois de registrar 18 assassinatos de sexta-feira (5) até domingo (7), na Região Metropolitana de São Luís, a Polícia Civil começou a semana com mais dois homicídios, ocorridos na manhã de ontem. Em um dos casos, a vítima foi um assaltante, morto ao lado da agência do Banco do Brasil, na Avenida São Luís Rei de França. No bairro São Francisco, um gari foi baleado por um desconhecido e morreu ao dar entrada no Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I).

Na ocorrência envolvendo a saidinha bancária, a vítima foi o assaltante Tiago Carvalho, de 22 anos, que, segundo a polícia, teria abordado uma mulher na porta da agência do Banco do Brasil, na Avenida São Luís Rei de França, no bairro Turu, mas foi surpreendido por um homem que passava pelo local e observou a tentativa de assalto. O bandido estava em companhia de um cúmplice, ambos armados, em uma moto Honda Fan preta, de placa NWV-7575.

As informações sobre a dinâmica do crime, porém, ainda estão sendo investigadas pelo delegado Parsondas Coelho Júnior, titular do 20º Distrito Policial (Parque Vitória). "Algumas testemunhas relataram que a pessoa que interveio no assalto matou o bandido com dois tiros, com a própria arma do criminoso. Outras disseram que a pessoa já estaria armada. O certo é que o autor do crime fugiu, levando a arma do assaltante", disse o delegado.

Investigação - Em poder de Tiago Carvalho, policiais do Serviço de Inteligência da Polícia Militar encontraram duas carteiras de habilitação e uma de identidade, todas contendo as mesmas informações. Também estava com ele um aparelho celular, que não parou de receber ligações, enquanto a polícia isolava o local do crime. Em uma das chamadas, os investigadores suspeitaram de que seria do cúmplice do assaltante, que fugiu do local, identificado apenas pela alcunha de Sorvete.

"Recebemos uma ligação no celular do assaltante que morreu, na qual uma pessoa o avisou que Sorvete o aguardaria nas imediações do cemitério do Parque Vitória. Foi neste trecho do bairro que localizamos a moto utilizada na ação criminosa, inclusive com a placa dobrada, estratégia usada por criminosos para não terem o veículo identificado", acrescentou Parsondas Júnior, enquanto outras equipes faziam as buscas pelo segundo bandido que fugiu.

Durante as diligências, policiais do Serviço de Inteligência da Polícia Militar levantaram a hipótese de os assaltantes terem abordado a mulher por engano, uma vez que ela não havia saído da agência bancária. "Ela nos informou que não sabe por que foi abordada, já que apenas passava no local para ir buscar seu filho em uma escola, nas imediações. É bem provável que a dupla tenha confundido a mulher com a pessoa que pretendiam assaltar", disse um sargento do SI que participou da operação.

Semelhança - Este foi o segundo caso de bandidos mortos durante tentativa de saidinha bancária em São Luís. Na manhã de 7 de janeiro, um caso semelhante aconteceu na porta da agência do Bradesco, na Avenida dos Holandeses, no Calhau. Depois de tomar de assalto a bolsa de uma cliente que chegava ao banco, o assaltante piauiense Auclines de Menezes Costa, conhecido como Piauí, de 39 anos, foi surpreendido com dois tiros na cabeça.

Os disparos que mataram o criminoso partiram da própria vítima, identificada apenas como uma advogada, filha de um casal de empresários do ramo de postos de combustíveis, em São Luís. Piauí foi o mesmo que, em maio de 2011, chegou a ser baleado no pé e preso após roubar R$ 10 mil de um empresário, em outra saidinha bancária audaciosa, praticada na Avenida Kennedy, próxima à Praça da Bíblia, e fugir em uma viatura da própria Polícia Militar, que o perseguia.

Gari - Antes da saidinha bancária fracassada, na Avenida São Luís Rei de França, a polícia já havia registrado a morte de um gari, identificado como Walace Ribeiro Macedo, cuja idade e endereço não foram informados. Segundo informações, a vítima foi alvejada a tiros, enquanto trabalhava no bairro São Francisco, nas proximidades da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Maranhão (Aged). Os tiros, ainda de acordo com informações, foram disparados por um desconhecido.

A motivação do crime, segundo informações, teria sido em razão do gari ter assediado uma mulher que passava por ele, e ela, insatisfeita com o que ouviu, resolveu contar ao marido o que havia acontecido. O companheiro da mulher supostamente assediada, portanto, teria se armado e ido ao encontro de Walace Macedo, alvejando-o. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Socorrão I, mas não resistiu.

Mais

Por conta do grande número de assassinatos, o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes, esteve reunido com toda a cúpula das polícias Civil e Militar, durante a manhã e tarde de ontem. Em entrevista a O Estado, Mendes disse que cobrou dos líderes de comando providências quanto ao reforço policial em sua área de atuação, na região metropolitana, e determinou metas a serem alcançadas, no intuito de evitar o grande número de assassinatos, que este mês já ultrapassou a marca de 30 ocorrências.