Disputas do Judô brasileiro · 21/04/2017 - 12h45

Campeonatos brasileiros das regiões bate o 'recorde' de inscritos em 2017

Campeonatos brasileiros das regiões bate o 'recorde' de inscritos em 2017


Compartilhar Tweet 1



No próximo final de semana, os Campeonatos Brasileiros das Regiões I, II e IV encerram a fase Regional de disputas do judô brasileiro. Em 2017, esses eventos registraram números recordes de atletas inscritos em relação aos quatro anos anteriores. O crescimento atual é resultado da implantação do novo sistema de classificação para a seleção principal com a introdução do Ranking Nacional, tanto para as categorias de Base (Sub 18 e Sub 21), quanto para a equipe Sênior do Brasil.

A grande novidade foi a abertura dos Regionais para a classe sênior. Isso significa que os estados participantes podem inscrever, agora, um número ilimitado de atletas na competição adulta. Além disso, o Regional distribui até 65 pontos no Ranking Nacional que definirá os primeiros classificados para a seleção principal ao final da temporada.

"Além do crescimento bruto no número de inscritos, observamos também um aumento do nível técnico da competição, com a presença, inclusive, de atletas olímpicos, que lutaram os Regionais neste ano", complementou Matheus Theotônio, novo gestor nacional de eventos da CBJ. "É assim que esperamos aumentar a competitividade no cenário nacional e, consequentemente, elevar o nível técnico do judô brasileiro."

Levantamento feito pela Gestão Nacional de Eventos da Confederação Brasileira de Judô mostra que a Região I foi a que registrou o maior crescimento em relação à 2013. Isso porque, além dos motivos acima citados, essa região recebeu mais dois estados - Amazonas e Roraima - que disputarão com Amapá (AP), Ceará (CE), Maranhão (MA), Pará (PA) e Piauí (PI). Em 2013, foram inscritos 392 atletas no Regional I, enquanto em 2017 a competição receberá 777 judocas.

A segunda Região que mais cresceu foi a II, seguida pelas Regiões V, III e IV, respectivamente.

Veja o levantamento na foto abaixo:

Foto: Paulo Pinto/CBJ




Fonte: Confederação brasileira de Judo