Trampolim, nado e outros · 15/07/2017 às 12h18

Budapeste: Competição tem abertura brasileira com saltos ornamentais; veja

Budapeste: Competição tem abertura brasileira com saltos ornamentais; veja


Compartilhar Tweet 1



No primeiro dia do Campeonato Mundial de Desportos Aquáticos, a Arena Duna recebeu na sexta-feira (14/07), as provas eliminatórias do trampolim de um metro. Pela manhã, na versão masculina, Ian Matos, ficou na 33ª colocação, com 303,30 pontos. Na sequência, Luana Lira e Tammy Galera ficaram na 32ª e 33ª colocações, respectivamente, com 215,60 e 214,40 pontos.

Em uma prova longa, com 51 participantes e mais de 300 saltos realizados, Ian usou esta primeira disputa para realizar a melhor estratégia a ser aplicada no trampolim de três metros. “Fico meses sem treinar no trampolim de um metro, mas escolhemos por alguns saltos com grau de dificuldades mais altos, para aumentar a pressão na prova. Gostei dos meus saltos, mas tenho que prestar atenção, pois cometi erros. Estou bem e sei que o importante vai ser a prova de três metros”, comentou Ian Matos.

Na etapa da tarde, as meninas brasileiras, assim como Ian, especialistas na prova de três metros, saltaram para entrar mais rápido no clima da competição. “Com certeza deu para sentir o gostinho de como vai ser a prova, o tempo de descanso e como nos concentrar. Na próxima vamos estar mais preparadas. Hoje não cometi erros, mas também não tivemos acertos, que é o que estávamos buscando. Agora é concentrar mais e tentar acertar o máximo possível”, analisou a experiente atleta do Brasil, Tammy Galera.

Tammy e Luana voltam à piscina para as versões individuais e sincronizadas da prova de trampolim de três metros. “Eu gostei da minha prova. Temos que fazer alguns ajustes e melhorar em alguns detalhes. Dá um alivio passar desta primeira fase, sou muito ansiosa. Agora é concentrar mais e pensar em que errei e posso melhorar para as próximas provas”, comentou Luana Lira.

No nado sincronizado, pela manhã Giovana Stephan e o Brasil voltaram a participar da prova de solo em Mundiais FINA depois de seis anos. Na parte da tarde foi a vez de Luisa Borges e Maria Clara Coutinho, com o tema Mulher Gato x Mulher Maravilha, disputarem a eliminatória do dueto técnico. Com a 14ª e a 15ª colocações, respectivamente, o Brasil ficou fora das decisões destas etapas, onde somente as 12 primeiras avançam.

Sexta na ordem de apresentação, entre 30 atletas, Giovana somou 77.6135 pontos e terminou na 14ª colocação, fora da final do solo técnico. Ela volta à piscina do lago Városliget, neste sábado, dia 15, ao lado de Renan Alcântara para a estreia brasileira na prova de dueto misto.

Em uma batalha de heroínas, Luisa Borges e Maria Clara Coutinho, apresentaram sua nova rotina, muito aplaudida pelo público e ficaram na 15ª posição, com 81,3024 pontos. No total foram 40 duplas. Maria Eduarda Miccuci foi a atleta reserva do Brasil nesta apresentação. Maria Clara Coutinho além de participar das provas de dueto ainda irá se apresentar na prova livre de solo, na próxima segunda-feira, dia 17.

Fonte: Com informações da CBDA