180graus

Curiosidade em destaque - 20/03/2017 às 11h18

Uso do cinto de castidade na Idade Média: uma mentira histórica

Mito teria surgido durante o Iluminismo, no século XVIII, para ressaltar o obscurantismo medieval

Maria Brasileira - Limpeza e cuidados
Venha para o Hotel Delta em Parnaíba
Você no controle do Processo





Foto/Reprodução

Foto/Reprodução

A imagem do cavaleiro medieval que parte rumo às Cruzadas e deixa para trás sua amada alegre e bonita, protegida por um cinto de castidade, não passa de uma mentira histórica e de um mito surgido no século XVIII para ressaltar o obscurantismo medieval. Este é o argumento da exposição Histórias Secretas do Cinto de Castidade. Mito e Realidade, que ficará em cartaz até agosto no Museu Katona József de Kecskemét, ao sul de Budapeste, capital da Hungria. Na mostra, aberta apenas para maiores de 16 anos, estão expostos 20 exemplos desses cinturões para explicar como o mito foi cunhado durante o Iluminismo.

No museu, os visitantes se deparam com brutais objetos de cadeados e orifícios protegidos por dentes de metal, e a primeira pergunta que surge é como as suas usuárias poderiam sobreviver a eles. “O mito do cinto de castidade surgiu durante o Iluminismo para que este movimento se afirmasse como superior à Idade Média, que seria a era da obscuridade”, explica Katalin Végh, subdiretora do Museu Katona József. A mitificação foi apoiada pela Grande Enciclopédia Francesa, editada a partir de 1751. O livro assegurava que o uso do cinto era generalizado na Idade Média. E o mito se consolidou como verdade.

Um outro impulso para a lenda do mito de castidade apareceu no final do século XIX, quando a masturbação era vista como um pecado e o cinto, como um remédio para ele. Há informação de que até os primeiros anos do século XX foram apresentadas várias patentes de diferentes cinturões de castidade, cuja missão seria a evitar que jovens se masturbassem. Estes cinturões “modernos”, nos quais o couro substitui o metal, também serviam, ou pretendiam servir, para proteger as mulheres de abusos e violência sexual, em um momento no qual elas passaram a ocupar espaços que, até então, eram exclusivos dos homens, como as fábricas.

Mas seu uso difundido na Idade Média pode não passar de uma grande mentira, na qual se acreditou até a década de 1990. A lenda foi alimentada, em todos esses séculos, não só pelo populacho, mas também por especialistas, em artigos científicos e mesmo em museus. O próprio Museu de Medicina Semmelweis em Budapeste, de onde provêm os objetos expostos na nova mostra, reconhece a responsabilidade dos museus na criação deste mito e afirmou que estas instituições não só conservam o passado, mas às vezes também uma história imaginária. E o passado, como o presente, está sempre em mutação.

Instituições como o British Museum, de Londres, e o Germanisches Nationalmuseum de Nuremberg, na Alemanha, possuíam e expunham coleções de cintos de castidade até a segunda metade dos anos 90, quando pesquisadores passaram a buscar a data de fabricação dos acessórios e descobriram que eles não passavam de falsificações feitas no século XIX.

Vários pesquisadores, como Benedek Varga, diretor do Museu de Medicina Semmelweis, questionaram o mito, realizando pesquisas históricas, literárias e científicas. A conclusão é que, na literatura medieval, inclusive em autores de textos eróticos, como Boccaccio e Rabelais, o cinto de castidade aparece muito poucas vezes e sempre com um claro sentido simbólico. O mito do cinto de castidade tem também a sua origem nos textos da Roma clássica sobre fitas, cinturões e cordas de castidade, e de Vênus. Mas, segundo os pesquisadores atuais, não são mais do que elementos simbólicos e metafóricos — e não descrições de objetos reais.

De fato, e é o que defende a mostra de Budapeste, basta observar os acessórios para perceber que seria impossível utilizá-los por um longo tempo. Por um lado, o uso dos objetos poderia causar ferimentos, inclusive mortais, e isso quando não impedissem a higiene pessoal a ponto de provocar infecções. Por outro, os cadeados poderia ser abertos facilmente, o que depõe contra a ideia de assegurar a fidelidade da mulher na marra.

(Com informações da agência EFE)

Fonte: VEJA.com

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


CFO - MA - Vem pro Podium!
Extensivo de Direito
Agente Penitenciário | Vem pro Podium
PM-MA - Vem pro Podium!
Mestrado em Políticas Públicas | Vem pro Podium
Semana de Revisão PM
Atualidades PM-PI
Últimas Notícias
02h22 Prefeita Doquinha fez várias solicitações à Secretária de Educação Rejane Dias 01h45 Tiradentes ganha do Náutico/PE e passa para semifinal do Brasileiro Feminino A/2 01h39 Rodrigo Janot pede o arquivamento de inquérito contra Assis Carvalho 01h36 Operação Pastor: empresário preso pela PF já era réu por corrupção 01h32 Assis Carvalho censura a corrupção e diz que Temer anda com o Satanás 23h27 Renan Calheiros deixa liderança do PMDB e critica governo de Temer 23h14 Michel Temer indicou Raquel Dodge para chefiar PGR no lugar de Janot 22h42 Proerd será implantado nas escolas municipais de Landri Sales 22h20 Prefeita Doquinha esteve na ADH tratando da conclusão das 40 casas do Sol Nascente 2 22h09 Prefeitura de Parnaíba elabora programação de eventos e inaugurações 22h02 Deputada Liziê Coelho acompanhou prefeito de Redenção do Gurgueia em visita 21h59 Pacientes do Caps AD III têm documentos de identidade expedidos em Parnaíba 21h43 Prefeitura de Santa Cruz do Piauí assinou Termo de Cooperação com a Saúde do Estado 21h31 Deputado Georgiano e secretário Fábio Xavier tratam de melhorias para Simões 21h31 Campanha Educativa da Secretaria de Politica para as Mulheres 21h26 Residencial e Loteamento Vale do Amanhecer 21h11 Relator encaminha denúncia contra Temer para Presidência do Supremo 21h05 STF analisará ação que pede liberação de candidatos sem partido 20h59 Curso de defesa pessoal para mulheres em Teresina ensina técnicas de proteção 20h54 Prisões provocaram a queda de 18% nos roubos de veículos em Teresina 20h52 Selo 'Justiça em Números' passa a ser obrigatório aos tribunais de todo Brasil 20h42 Escola Roland Jacob será reformada na cidade de Parnaíba 20h33 Noite Católica anima terceiro dia da Semana Cultural de Água Branca 20h31 Sérgio Marone e Juliana Martins encenam peça no Teatro 4 de Setembro 20h30 Transporte de órgãos para transplante aumentou 35% no primeiro trimestre deste ano

Agente Penitenciário
Mestrado em Políticas Públicas | Vem pro Podium
Escola de Sargentos - Vem pro Podium!
Semana de revisão | PM-PI

Mais Lidas


    Enquete

    Você acredita que Michel Temer vai...

    Total de Votos: 290

    Válida de 2017-05-29 15:46:00.0 a 2017-06-05

    Atualidades PM-PI
    PC-MA
    Podium - Professor Atualidades

    180graus no Instagramno Instagram

    Podium - Professores Dir. Constitucional